Moreira Antonio Flavio Barbosa's research while affiliated with Federal University of Rio de Janeiro and other places

Publications (3)

Article
Full-text available
O campo do currículo está se caracterizando, em diferentes países, por uma significativa diversificação de temas e de influências teóricas. Apoiando-se no conceito de campo de Bourdieu, o texto aborda o campo no Brasil, tal como vem sendo construído no Grupo de Trabalho - GT - de Currículo da ANPEd. Examina o funcionamento do grupo, procurando situ...
Article
Full-text available
Considerando-se o fato de que a sociedade contemporânea é inescapavelmente multicultural, defende-se, no artigo, que se responda a essa situação por meio de um multiculturalismo crítico. A fim de evitar que uma política da diferença destrua a construção de projetos comuns, sugere-se a promoção do diálogo, cujas dificuldades não podem ser minimizada...

Citations

... No Brasil, os trabalhos de Young ressoaram em produções como as de Antonio Flavio Moreira. Concordamos com Macedo (2013), quando afirma que Moreira teve sua obra influenciada por distintas leituras, tendo sido marcado pelo pensamento da NSE em diálogo com os estudos culturais (Moreira, 2002) em dado momento e, em trabalhos mais recentes, passou a assumir posturas mais universalistas (Moreira, 2010), também de forma próxima a Young. Em seus trabalhos, Moreira (2004Moreira ( , 2005Moreira ( , 2007Moreira ( , 2010 não só assume o conhecimento como central para o currículo, como aponta para a cultura (discussão cara aos argumentos pós--estruturais) como motivo pelo qual o conhecimento tende a perder força. ...
... Em ambos os casos, "pós-críticas" ou híbridas, fazem jus ao "relativismo subjetivista" do "discurso pós-moderno". Moreira (2002), em análise dos estudos curriculares brasileiros desenvolvidos no limiar do século XX, já apreendia o ajuste "pós-crítico" e híbrido das teorias curriculares: identificava, para além da influência dos especialistas em currículo, a forte expressão das áreas Filosofia, Não obstante, o "metamorfoseamento da sociedade civil" brasileira no final da década de 1990 delega ao século XXI um novo projeto de sociedade (o novo "sujeito coletivo" moderno) demarcado pela conciliação de interesses dos grupos sociais dominantes e, de forma relativizada, dos grupos sociais subalternos: esse é o terreno do "transformismo" em que um novo filtro de relacionamentos entre Estado e a sociedade civil se difunde. Filtro onde a sociedade civil "se conscientiza" à implementação de políticas públicas "representativas" dos grupos sociais subalternos. ...