Manoel Francisco da Silva Santos

Universidade Federal do Maranhão, Maranhão, Maranhão, Brazil

Are you Manoel Francisco da Silva Santos?

Claim your profile

Publications (4)2.64 Total impact

  • [Show abstract] [Hide abstract]
    ABSTRACT: The Jatropha gossypiifolia L., which is used in popular medicine is considered to have good diuretic effect in hypertension and is also used as a laxative drug. It seems to have a healing effect, although not proved till now. To evaluate the influence of intraperitoneal administration of Jatropha Gossypiifolia L., in suture healing of ventral abdominal wall of rats, through tensiometric measurement, macro and microscopic aspect of post-operative period. Forty Wistar male rats were allocated in two groups of 20 animals. After the incision and exposure of abdominal cavity 1 ml/kg/weight of 0,9% sodium chloride solution was injected in control group, and in the other one the injection was of 1 ml/kg/weight of a gross ethanol extract of Jatropha gossypiifolia L. The suture of the abdominal wall was than performed with polypropylene separated stitches. The animals were followed-up and killed in the third and seventh days. The ventral abdominal wall was macroscopically analyzed, the resistance strength to strain was measured and it was also studied the histological aspects. On macroscopic examination more intense adhesion was found on the group of Jatropha in both third and seventh post-operative days. The strain evaluation was meanly greater on Jatropha group also in third and seventh days. The histological comparative analysis between the different groups showed that the acute inflammatory process was meanly greater for the Jatropha group in third and seventh post-operative days. The vascular neoformation was significantly greater in third post-operative day of Jathopha group; the other histological parameters were just alike. The intraperitoneal injection of Jatropha extract did not have any significant improvement for the wound healing on ventral abdominal wall on the evaluated animals in this study, no matter if analyzed at the third or seventh post-operative days.
    No preview · Article · Feb 2006 · Acta Cirurgica Brasileira
  • [Show abstract] [Hide abstract]
    ABSTRACT: Phytotherapy is one of the research branches in the healing process of surgical wounds. To analyze the morphological aspects of the healing process occurring in open skin lesions in rats under administration of raw extract from Jatropha Gossypiifolia L. Sixty Wistar rats were utilized. A 2 cm wound in diameter was done in each animal at the dorsal region. The animals were divided into two groups, each one consisting of 30 animals. Each group was subdivided into three subgroups of ten. They were analyzed in the 7th, 14th and 21st post-operative day. The two groups were compared through macroscopic analysis using digital planigraphy and histological examination. The microscopic parameters considered were the vascular proliferation, polymorph and mononuclear cells, fibroblastic proliferation, collagen and epithelium formation. Epithelization occurred in a same amount in all animals. There was no chronic inflammation on 21st day in the Jatropha group and also no difference in polymorphonuclear cells between the groups. The fibroblastic reaction was better on the 7th day in the Jatropha group and equal in the remaining ones. Colagenization was greater on 7th and 14th days in Jatropha and better re-epithelization occurred in the same group in the 7th day. Although with histologic aspects favoring the Jatropha, no significant differences concerning to the macroscopic and microscopic aspects were observed among the skin wounds receiving raw extract Jatropha and those that received no treatment in the final evaluation.
    No preview · Article · Feb 2006 · Acta Cirurgica Brasileira
  • Source
    [Show abstract] [Hide abstract]
    ABSTRACT: INTRODUÇÃO: A espécie vegetal Jatropha gossypiifolia L., conhecida também como pião roxo, é utilizada na medicina popular como cicatrizante, anti-hipertensivo, purgativo e diurético. OBJETIVO: Avaliar a influência da administração intraperitoneal da Jatropha gossypiifolia L., na cicatrização de suturas da parede abdominal ventral de ratos, observando-se os seus aspectos macroscópicos, tensiométricos e microscópicos. MÉTODOS: Foram utilizados no procedimento 40 ratos da linhagem Wistar, machos, distribuídos em dois grupos de 20. Após incisão da parede e abertura da cavidade abdominal, foi instilado 1 ml/kg/peso de cloreto de sódio a 0,9% no grupo controle e no grupo Jatropha o extrato bruto etanólico da Jatropha gossypiifolia L., na concentração de 1 ml/kg/ peso. Realizou-se a sutura da parede abdominal com fio de polipropileno, com pontos separados. Os animais foram avaliados na sua evolução pós-operatória e mortos em dois subgrupos, no 3º e 7º dia. Analisou-se a parede abdominal ventral macroscopicamente, mediu-se a força de resistência a tensão e foram estudados os aspectos histológicos do reparo cicatricial. RESULTADOS: No exame macroscópico encontraram-se aderências mais intensas nos subgrupos Jatropha no 3º e 7º dia. A avaliação tensiométrica foi significantemente maior nos subgrupos Jatropha no 3º e 7º dia. A avaliação histológica comparativa entre os subgrupos demonstrou que o processo inflamatório agudo foi significantemente maior no subgrupo Jatropha no 3º e 7º dia; a neoformação capilar foi significantemente maior no 3º dia pós-operatório do subgrupo Jatropha sendo os outros parâmetros histológicos semelhantes. CONCLUSÃO: O uso do extrato bruto de Jatropha gossypiifolia L. intraperitoneal não demonstrou melhora significativa no processo de cicatrização da sutura da parede abdominal ventral de ratos com a dose e concentração utilizadas.
    Full-text · Article · Jan 2006 · Acta cirurgica brasileira / Sociedade Brasileira para Desenvolvimento Pesquisa em Cirurgia
  • Source
    [Show abstract] [Hide abstract]
    ABSTRACT: INTRODUÇÃO: O uso de fitoterápicos na cicatrização de feridas cirúrgicas tem sido incrementado nos últimos anos com a busca de princípios ativos que desempenhe efetivo papel neste processo acelerando a recuperação cirúrgica. OBJETIVO: Avaliar os aspectos morfológicos do processo cicatricial de feridas cutâneas abertas de ratos com uso do extrato bruto de Jatropha gossypiifolia L. MÉTODOS: Utilizaram-se 60 ratos da linhagem Wistar. Em cada animal foi realizada uma ferida de 2 cm de diâmetro na região dorsal. Os animais foram distribuídos em dois grupos de 30: grupo Controle – sem tratamento e grupo Jatropha – aplicação de extrato bruto de Jatropha gossypiifolia L. Cada grupo foi subdividido em três subgrupos de 10 animais e avaliados no 7º, 14º e 21º dias do pós-operatório. Realizou-se estudo comparativo entre os dois grupos através da análise macroscópica, a planigrafia digital e análise histológica tendo como parâmetro a proliferação vascular, polimorfonucleares, mononucleares, proliferação fibroblástica, colagenização e reepitelização. RESULTADOS: Na evolução da ferida cutânea tanto no grupo controle como no grupo Jatropha houve exsudação plasmática com formação de crostas superficiais até o 7º dia. A partir dai houve espessamento da crosta e no 14º dia a crosta se destacou, evoluindo para tecido de granulação e epitelização completa no 21º dia com surgimento de novos pelos ao redor da lesão, em todos os animais. Houve ausência significativa da inflamação aguda no 21º dia pós-operatório do grupo Jatropha. Houve diferença significativa na intensidade da inflamação crônica, sendo mais intensa no 7º dia no grupo controle. A proliferação fibroblástica foi mais acentuada no 7º dia pós-operatório do grupo Jatropha, sendo semelhante no 14º e 21º dias pós-operatórios nos demais. A colagenização foi maior no 7º e 14º dias no grupo Jatropha. A re-epitelização foi significativamente melhor no 7º dia do grupo Jatropha. CONCLUSÃO: Embora mostrando melhora histológica com o uso da Jatropha, não ocorreu diferença significativa entre os grupos nas variáveis analisadas, na cicatrização das feridas cutânea de ratos ao término da avaliação.
    Full-text · Article · Jan 2006 · Acta Cirurgica Brasileira