Conference PaperPDF Available

O ensino da Biblioteconomia de Livros Raros nos cursos de graduação em Biblioteconomia brasileiros

Authors:

Abstract

Levando em consideração as competências exigidas ao bibliotecário curador de acervos especiais e/ou raros, buscou-se, com esta pesquisa, averiguar a presença de disciplina(s) que aborde(m) a Biblioteconomia de livros raros nos cursos de graduação em Biblioteconomia brasileiros. Assim, este trabalho buscou identificar como vem sendo preparados os futuros profissionais a respeito desse ramo da Biblioteconomia, por meio da análise das suas propostas curriculares.
86
Anais dos 45 anos do Curso de Bacharelado em Biblioteconomia, XXII Semana Acadêmica e I Fórum de Egressos. 1. ed. Rio Grande, RS,
2020. ISBN 978-65-5754-057-2. Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional
O ENSINO DA BIBLIOTECONOMIA DE LIVROS RAROS NOS CURSOS
DE GRADUAÇÃO EM BIBLIOTECONOMIA BRASILEIROS
Edna Karina da Silva Lira
Acadêmica do curso de Biblioteconomia.
Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande, RS, Brasil.
liraa.karina@gmail.com https://orcid.org/0000-0001-5543-3792
Maison Roberto Mendonça Gonçalves
Acadêmico do curso de Biblioteconomia.
Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande, RS, Brasil.
maison.roberto@gmail.com https://orcid.org/0000-0003-4056-6917
Ryã Góes da Silva
Acadêmico do curso de Biblioteconomia.
Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande, RS, Brasil.
ryagoestbc1@gmail.com https://orcid.org/0000-0001-5822-5198
Gilmar Gomes de Barros
Bacharel em Biblioteconomia. Universidade Federal do
Rio Grande, Rio Grande, RS, Brasil.
gilmargomesdebarros@gmail.com https://orcid.org/0000-0002-0232-3909
Marcia Carvalho Rodrigues
Doutora em Memória Social e Patrimônio Cultural.
Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande, RS,
Brasil. marciabiblio@furg.br https://orcid.org/0000-0001-9132-0795
Palavras-chave: Biblioteconomia. Livros raros. Coleções especiais. Ensino.
1
INTRODUÇÃO
A Biblioteconomia de livros raros consiste em um ramo da Biblioteconomia que
se ocupa da gestão de acervos bibliográficos raros, ou seja, conjuntos de obras que,
devido à sua excepcionalidade, compõem, em geral, coleções especiais dentro das
instituições às quais pertencem e recebem tratamento diferenciado dos demais itens
do acervo, tanto no que se refere ao tratamento técnico, quanto ao
acondicionamento, disponibilização e uso.
Devido às particularidades apresentadas por este tipo de acervo, é requerida
87
Anais dos 45 anos do Curso de Bacharelado em Biblioteconomia, XXII Semana Acadêmica e I Fórum de Egressos. 1. ed. Rio Grande, RS,
2020. ISBN 978-65-5754-057-2. Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional
atenção especial do profissional bibliotecário, no sentido de perceber diferentes
aspectos relativos à forma e à apresentação física de cada item, os quais devem ser
identificados e descritos na etapa de catalogação, bem como sobre as necessidades
de conservação exigidas por cada exemplar.
Para um bom desempenho de suas atividades, quer seja na identificação de
exemplares raros, quer seja no estudo e elaboração de critérios de raridade, ou,
ainda, na representação descritiva destes itens no catálogo, bem como se
adequado acondicionamento físico, é necessário que o profissional amplie seus
conhecimentos sobre a história do livro, em suas diferentes fases, desde as mais
rudimentares formas de registro do conhecimento, passando pelos manuscritos e os
primeiros impressos, até os suportes utilizados nos dias atuais. É igualmente
importante que o profissional tenha conhecimentos de Bibliologia
1
, a fim de identificar
aspectos que dizem respeito à materialidade do livro. É aconselhável, também, que o
profissional amplie seus conhecimentos sobre fontes de informação especializadas,
bem como aumente a sua rede de colaboradores, tendo em vista que a gestão de
acervos raros envolve diferentes profissionais, exigindo, muitas vezes, a composição
de equipes multidisciplinares nas instituições.
Percebe-se, pois, que além dos conhecimentos técnicos, culturais e
humanísticos decorrentes da formação básica do profissional bibliotecário brasileiro,
é praticamente imperativo buscar complementação após o ensino
2
de graduação,
seja em cursos em nível de pós-graduação, ou cursos de curta duração voltados à
aquisição de conhecimentos específicos.
Tendo em vista as competências exigidas ao bibliotecário curador de acervos
especiais e/ou raros, buscou-se, com esta pesquisa, averiguar a presença de
disciplina(s) que aborde(m) a Biblioteconomia de livros raros nos cursos de
graduação em Biblioteconomia brasileiros. Assim, este trabalho buscou identificar
como vem sendo preparados os futuros profissionais a respeito desse ramo da
Biblioteconomia, por meio da análise das suas propostas curriculares.
2
BIBLIOTECONOMIA DE LIVROS RAROS
1
1 Bibliologia é a ”Ciência do livro. [...] História crítica dos livros incluindo a sua origem, tema, tinta, suporte e
forma interior e exterior, sua divisão em manuscritos, impressos e electrónicos. [...]” (FARIA; PERICÃO, 2008, p.
143).
88
Anais dos 45 anos do Curso de Bacharelado em Biblioteconomia, XXII Semana Acadêmica e I Fórum de Egressos. 1. ed. Rio Grande, RS,
2020. ISBN 978-65-5754-057-2. Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional
Não uma definição para livro raro, ou material bibliográfico raro. O consenso
sobre o que vem a ser raro, no âmbito da Biblioteconomia, no entanto, reside no
conjunto de características peculiares e especiais que um determinado item
apresenta, que o tornam excepcional comparativamente aos demais. A esse
respeito, Pinheiro (1989), destaca que para um exemplar merecer ser alocado na
seção de coleções especiais de uma biblioteca, deverá atender a pelo menos um
dos seguintes critérios: ser o único exemplar conhecido; ou, ser considerado precioso;
ou, ser inquestionavelmente raro.
Os materiais bibliográficos raros constituem parte do patrimônio histórico e
cultural de um país e encontram-se, em sua maioria, resguardados em bibliotecas.
No entanto, esse tipo de material requer cuidados especiais e diferenciados em
relação ao restante dos acervos das instituições às quais pertencem, tendo em vista
seu valor histórico, cultural, artístico e/ou monetário. Além disso, grande parte destas
obras são antigas, frágeis e, em muitos casos, encontram-se parcial ou
profundamente deterioradas.
É imprescindível, portanto, que o mercado de trabalho disponha de
profissionais com conhecimentos especializados, capazes de fazer a gestão dos
acervos raros de forma adequada e condizente com as necessidades de cada item.
Daí a necessidade de observar se os cursos de graduação em Biblioteconomia
brasileiros têm contemplado essa área.
Além da formação inicial necessária, observa-se, ainda, que a relação entre o
conhecimento especializado e a prática é recíproca, ou seja, “[...] é necessária uma
certa quantidade de conhecimento para desempenhar as tarefas mais básicas, mas,
ao executá-las, os profissionais aumentam seu conhecimento.” (AMERICAN
LIBRARY ASSOCIATION, 2017, não paginado, tradução nossa), ou seja, a
experiência profissional aprimora os conhecimentos básicos adquiridos.
3
O ENSINO DE BIBLIOTECONOMIA NO BRASIL
Os primeiros cursos de Biblioteconomia surgiram na Europa e nos Estados
Unidos, no século XIX. Na França, em 1821, na École Natiole des Chartes, e nos
Estados Unidos, em 1887, na Columbia University School of Library Service
(TANUS, 2018).
89
Anais dos 45 anos do Curso de Bacharelado em Biblioteconomia, XXII Semana Acadêmica e I Fórum de Egressos. 1. ed. Rio Grande, RS,
2020. ISBN 978-65-5754-057-2. Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional
No Brasil, as primeiras ideias de criação de um curso de Biblioteconomia
deram origem ao Decreto n.º 8.835, de 11 de julho de 1911, o qual se concretizou
em 1915. Dois cursos surgiram: um ministrado na Biblioteca Nacional, localizada no
Rio de Janeiro, seguia o modelo de Biblioteconomia francesa, com foco humanístico
e conservador; o outro ministrado no Instituto Mackenzie, em São Paulo, adotava o
modelo norte-americano, de foco tecnicista e pragmático. Souza (2018), aponta que,
a partir de 1930, passou a predominar, no Brasil, o modelo norte- americano de
Biblioteconomia, por ser considerado um símbolo de modernidade.
Com o passar dos anos, surgiram muitas modificações no foco e ensino dos
cursos, sendo possível distinguir três fases de desenvolvimento: 1ª fase (1915-
1928), de influência europeia, ensino com foco humanístico; fase (1929-1969), de
influência pragmática estadunidense, ensino com foco tecnicista; fase (1970-
1985), ensino com foco na informação (TANUS, 2018 apud POBLACIÓN, 1992).
Assim, com o desenvolvimento da Biblioteconomia, mudando seu paradigma
do livro/documento para a informação, o profissional Bibliotecário viu-se cada vez
mais como profissional da informação, apropriando-se de seu instrumento de
trabalho como a informação em geral, não se limitando ao documento em si. Isso
conduziu a uma perspectiva de Biblioteconomia que valoriza mais a informação,
deixando de lado sua visão antiga, que era completamente voltada para o suporte
físico.
No que tange ao ensino, as diretrizes curriculares do Ministério da Educação
(MEC), determinam que o curso de Biblioteconomia deverá formar indivíduos
[...] capazes de atuar junto a instituições e serviços que demandem
intervenções de natureza e alcance variados: bibliotecas, centros de
documentação ou informação, centros culturais, serviços ou redes de
informação, órgãos de gestão do patrimônio cultural etc. (BRASIL,
2001).
Destacamos, ainda, o Artigo 6º da Lei 4.084, de 30 de junho de 1962, que
dispõe sobre a profissão de bibliotecário e regula seu exercício:
Art São atribuições dos Bacharéis em Biblioteconomia, a
organização, direção e execução dos serviços técnicos de
repartições públicas federais, estaduais, municipais e autárquicas e
emprêsas particulares concernentes às matérias e atividades
seguintes:
a) o ensino de Biblioteconomia;
b) a fiscalização de estabelecimentos de ensino de Biblioteconomia
reconhecidos, equiparados ou em via de equiparação.
90
Anais dos 45 anos do Curso de Bacharelado em Biblioteconomia, XXII Semana Acadêmica e I Fórum de Egressos. 1. ed. Rio Grande, RS,
2020. ISBN 978-65-5754-057-2. Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional
c) administração e direção de bibliotecas;
d) a organização e direção dos serviços de documentação.
e) a execução dos serviços de classificação e catalogação de
manuscritos e de livros raros e preciosos, de mapotecas, de
publicações oficiais e seriadas, de bibliografia e referência.
(BRASIL, 1962, grifo nosso).
Assim, surgiu o questionamento sobre a existência de componentes curriculares
nos cursos de graduação em Biblioteconomia brasileiros voltados ao ensino da
Biblioteconomia de livros raros, uma vez que está prevista a execução de serviços
especializados nessa área na lei que regulamenta a profissão de Bibliotecário no
país.
4
PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS
Compõem o universo desta pesquisa, os cursos graduação em
Biblioteconomia brasileiros, na modalidade de ensino presencial e a distância (EaD).
Foi realizado levantamento dos cursos junto ao Cadastro Nacional de Cursos e
Instituições de Educação Superior, na plataforma e-MEC2, no mês de outubro de
2019. A pesquisa na plataforma deu-se da seguinte maneira: selecionou-se a aba
Consulta avançada; buscou-se por: Curso de graduação; no campo Curso,
preencheu-se: Biblioteconomia; Situação: em atividade.
A partir do resultado obtido, procedeu-se à busca dos Planos Pedagógicos de
Curso (PPC) de cada um dos cursos de Biblioteconomia identificados.
A análise dos PPC e grades curriculares dos cursos consistiu na busca dos
termos “livros raros”, “obras raras” e “coleções especiais”, com o intuito de averiguar
a existência de componentes curriculares direcionados ao estudo da Biblioteconomia
de livros raros em disciplinas específicas dos cursos de graduação.
5
RESULTADOS E DISCUSSÃO
Uma pesquisa no Cadastro e-MEC sobre os cursos de nível superior em
atividade no Brasil apontou a existência de 55 cursos. Destes, 44 presenciais e 11 a
distância. Os Quadros 1 e 2 sintetizam os resultados obtidos.
Quadro 1 - Cursos de Biblioteconomia presenciais em atividade no Brasil
UF
IES
Curso
Grau
Ano
início
AL
Universidade Federal de Alagoas
Biblioteconomia
Bacharelado
1999
91
Anais dos 45 anos do Curso de Bacharelado em Biblioteconomia, XXII Semana Acadêmica e I Fórum de Egressos. 1. ed. Rio Grande, RS,
2020. ISBN 978-65-5754-057-2. Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional
AM
Universidade Federal do Amazonas
Biblioteconomia
Bacharelado
1966
BA
Universidade Federal da Bahia
Biblioteconomia e
Documentação
Bacharelado
1942
2
Disponível em: http://emec.mec.gov.br.
CE
Universidade Federal do Cariri
Biblioteconomia
Bacharelado
2006
Universidade Federal do Ceará
Biblioteconomia
Bacharelado
1965
DF
Universidade de Brasília
Biblioteconomia
Bacharelado
1966
ES
Universidade Federal do Espírito
Santo
Biblioteconomia
Bacharelado
1975
GO
Universidade Federal de Goiás
Biblioteconomia
Bacharelado
1980
MA
Universidade Federal do Maranhão
Biblioteconomia
Bacharelado
1969
Instituto de Ensino Superior
Franciscano
Biblioteconomia
Bacharelado
2001
MG
Universidade Federal de Minas
Gerais
Biblioteconomia
Bacharelado
1950
Centro Universitário de Formiga
Biblioteconomia
Bacharelado
1968
Faculdade PROMINAS de Montes
Claros
Biblioteconomia
Bacharelado
Não iniciado
MT
Universidade Federal de Mato
Grosso
Biblioteconomia
Bacharelado
1999
PA
Universidade Federal do Pará
Biblioteconomia
Bacharelado
1963
PB
Universidade Federal da Paraíba
Biblioteconomia
Bacharelado
1969
PE
Universidade Federal de
Pernambuco
Biblioteconomia
Bacharelado
1950
PI
Universidade Estadual do Piauí
Biblioteconomia
Bacharelado
2003
PR
Centro Universitário UNIC
Biblioteconomia
Bacharelado
2010
Centro Universitário UNISEP
Biblioteconomia
Bacharelado
2016
Centro Universitário UNIVEL
Biblioteconomia
Bacharelado
2009
Universidade Estadual de Londrina
Biblioteconomia
Bacharelado
1973
RJ
Universidade Federal do Estado do
Rio de Janeiro
Biblioteconomia
Bacharelado
1910-Matutino
2010-Noturno
Licenciatura
2009
Universidade Federal do Rio de
Janeiro
Biblioteconomia e
Gestão de
Unidades de
Informação
Bacharelado
2006-Praia
Vermelha
2010-Cidade
Universitária
92
Anais dos 45 anos do Curso de Bacharelado em Biblioteconomia, XXII Semana Acadêmica e I Fórum de Egressos. 1. ed. Rio Grande, RS,
2020. ISBN 978-65-5754-057-2. Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional
Universidade Federal Fluminense
Biblioteconomia e
Documentação
Bacharelado
1963
Universidade Santa Úrsula
Biblioteconomia
Bacharelado
1957
90
Anais dos 45 anos do Curso de Bacharelado em Biblioteconomia, XXII Semana Acadêmica e I Fórum de Egressos. 1. ed. Rio Grande, RS,
2020. ISBN 978-65-5754-057-2. Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional
RO
Universidade Federal de Rondônia
Biblioteconomia
Bacharelado
2009
RN
Universidade Federal do Rio
Grande do Norte
Biblioteconomia
Bacharelado
1997
RS
Universidade Federal do Rio
Grande
Biblioteconomia
Bacharelado
1975
Universidade Federal do Rio
Grande do Sul
Biblioteconomia
Bacharelado
1947
SC
Universidade do Estado de Santa
Catarina
Biblioteconomia
Bacharelado
2001
Universidade Federal de Santa
Catarina
Biblioteconomia
Bacharelado
1974
SE
Universidade Federal de Sergipe
Biblioteconomia e
Documentação
Bacharelado
2009
SP
Centro Universitário Assunção
Biblioteconomia
Bacharelado
2005
Centro Universitário Teresa D’Ávila
Biblioteconomia
Bacharelado
1975
Faculdade de Biblioteconomia e
Ciência da Informação
Biblioteconomia
Bacharelado
1948
Pontifícia Universidade Católica de
Campinas
Biblioteconomia
Bacharelado
1945
Universidade Estadual Paulista Júlio
de Mesquita Filho
Biblioteconomia
Bacharelado
1977
Universidade deo Paulo
Biblioteconomia e
Ciência da
Informação
Bacharelado
1966-Cidade
Universitária
2003-Ribeirão
Preto
Universidade Federal de São Carlos
Biblioteconomia e
Ciência da
Informação
Bacharelado
1994
Fonte: Adaptado de Cadastro e-MEC (2019).
91
Anais dos 45 anos do Curso de Bacharelado em Biblioteconomia, XXII Semana Acadêmica e I Fórum de Egressos. 1. ed. Rio Grande, RS,
2020. ISBN 978-65-5754-057-2. Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional
Quadro 2 - Cursos de Biblioteconomia a distância em atividade no Brasil
IES
Sigla
Curso
Grau
Ano
início
Centro Universitário Claretiano
CEUCLAR
Biblioteconomia
Bacharelado
2017
Centro Universitário de Jaguariúna
UniFAJ
Biblioteconomia
Bacharelado
2017
Centro Universitário FAVENI
UNIFAVENI
Biblioteconomia
Bacharelado
Não iniciado
Centro Universitário Leonardo Da Vinci
UNIASSELVI
Biblioteconomia
Bacharelado
2018
Universidade Comunitária da Região de
Chapecó
UNOCHAPECÓ
Biblioteconomia
Bacharelado
2016
95
Anais dos 45 anos do Curso de Bacharelado em Biblioteconomia, XXII Semana Acadêmica e I Fórum de Egressos. 1. ed. Rio Grande, RS,
2020. ISBN 978-65-5754-057-2. Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional
Universidade de Caxias do Sul
UCS
Biblioteconomia
Bacharelado
2013
Universidade Federal de Sergipe
UFS
Biblioteconomia
Bacharelado
Não iniciado
Universidade Federal do Pará
UFPA
Biblioteconomia
Bacharelado
Não iniciado
Universidade Federal do Rio Grande do
Sul
UFRGS
Biblioteconomia
Bacharelado
Não iniciado
Universidade Metropolitana de Santos
UNIMES
Biblioteconomia
Bacharelado
Não iniciado
Universidade Salgado de Oliveira
UNIVERSO
Biblioteconomia
Bacharelado
2014
Fonte: Adaptado de Cadastro e-MEC (2019).
A partir dos resultados obtidos no levantamento de cursos de graduação,
excluiu-se da análise os cursos de Biblioteconomia da PROMINAS, UNIFAVENI,
UFS, UFPA, UFRGS e UNIMES, tendo em vista que os mesmos ainda não iniciaram
suas atividades, restando 49 cursos.
A etapa seguinte consistiu na coleta dos PPC dos cursos em atividade,
realizando busca na página institucional de cada curso. Dos 49 cursos selecionados,
obteve-se acesso aos PPC de 41 cursos, os quais constituíram a amostra desta
pesquisa.
A partir da obtenção dos PPC, realizou-se uma busca nos mesmos pelas
seguintes palavras-chave: “Obras raras”, “Livros raros” e “Coleções especiais”. Os
resultados apontam poucos cursos de graduação que abordam, diretamente, o
assunto “Biblioteconomia de livros raros” no âmbito de seus currículos.
Por meio da análise dos projetos pedagógicos dos 41 cursos de
Biblioteconomia, suas grades curriculares e ementas das disciplinas, verificou-se
que cinco (05) cursos apresentam o assunto nas ementas de suas disciplinas. Os
demais cursos de graduação e seus respectivos documentos não mencionam a
presença de disciplina(s) que tragam, em suas ementas, referência à
Biblioteconomia de livros raros. Observou-se, no entanto, em vários cursos, a
presença de matérias que tratam sobre história do livro, evolução dos registros do
conhecimento, preservação e conservação de acervos, patrimônio histórico-cultural
e desenvolvimento de coleções, às quais entende-se passíveis de abordar o assunto
em seus conteúdos programáticos. O Quadro 3 sintetiza os resultados encontrados.
96
Anais dos 45 anos do Curso de Bacharelado em Biblioteconomia, XXII Semana Acadêmica e I Fórum de Egressos. 1. ed. Rio Grande, RS,
2020. ISBN 978-65-5754-057-2. Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional
Quadro 3 Cursos de Biblioteconomia brasileiros que abordam a Biblioteconomia de
livros raros nos seus currículos
INSTITUIÇÃO: FURG
CURSO: BIBLIOTECONOMIA
HABILITAÇÃO: Bacharelado (B)
MODALIDADE: Presencial
DISCIPLINA
NOME: Obras raras
CÓDIGO:
10580
CH:
45h/a
CARÁTER:
Optativa
EMENTA: Princípios e métodos aplicáveis ao processo de identificação e tratamento técnico de
materiais bibliográficos raros. Critérios de raridade bibliográfica. Fontes de informação para
identificação de materiais bibliográficos raros. Regras básicas de catalogação de acervos raros.
Métodos e técnicas de preservação e conservação de acervos raros.
INSTITUIÇÃO: UFRJ
CURSO: BIBLIOTECONOMIA E GESTÃO DE UNIDADES DE
INFORMAÇÃO
HABILITAÇÃO: Bacharelado (B)
MODALIDADE: Presencial
DISCIPLINA
NOME: Teoria e gestão de livros raros
CÓDIGO:
ACB0037
CH:
30h/a
CARÁTER:
Optativa
EMENTA: Introdução aos principais aspectos históricos e conceituais que envolvem os livros
raros. Critérios para identificação de livros raros. A Biblioteconomia de Livros Raros no Brasil e
seu caráter interdisciplinar. Identificação do perfil curador de coleções de livros raros.
INSTITUIÇÃO: UNIRIO
CURSO: BIBLIOTECONOMIA
HABILITAÇÃO: Bacharelado (B)
e Licenciatura (L)
MODALIDADE: presencial
DISCIPLINA
NOME: História do livro e das bibliotecas I
CÓDIGO:
HEB0095
CH:
60h/a
CARÁTER:
Obrigatória
(B/L)
EMENTA: Estudo das teorias, técnicas, métodos e funções da história do livro e das bibliotecas,
da Antiguidade à Renascença, no âmbito da Biblioteconomia de livros raros, tendo como data
limite final o advento da tipografia, em meados do século XV.
DISCIPLINA
NOME: História do livro e das bibliotecas II
CÓDIGO:
HEB0084
C: 60h/a
CARÁTER:
Obrigatória
(B/L)
EMENTA: Disseminação de teorias, leis, princípios, métodos, metodologias e conceitos da
História do Livro e das Bibliotecas, no âmbito da Biblioteconomia de Livros Raros, através de
dois grandes períodos históricos: a Modernidade tendo como datas-limite o advento da
Tipografia, em meados do século XV, e o século XIX e a Contemporaneidade que abrange
os fenômenos relativos ao livro, à biblioteca e à leitura nos séculos XX e XXI.
DISCIPLINA
NOME: Políticas de preservação de acervos
bibliográficos
CÓDIGO:
HEB0074
CH:
60h/a
CARÁTER:
Optativa (B)
Obrigatória
(L)
EMENTA: Preservação de acervos: conceitos, princípios e políticas. Políticas nacionais de
preservação de acervos e coleções. Conceitos e princípios do patrimônio bibliográfico. Políticas
de preservação do patrimônio bibliográfico. Conservação Preventiva, Bibliotecas e Patrimônio
Bibliográfico. Planejamento de ações de preservação de coleções e acervos. Preservação
digital. Planejamento de ações preventivas contra roubos, furtos e seguro de coleções e acervos
bibliográficos. Planejamento de ações preventivas para coleções especiais incluindo obras
raras. A política de preservação e o desenvolvimento de coleções.
INSTITUIÇÃO: CEUCLAR
CURSO: BIBLIOTECONOMIA
HABILITAÇÃO: Bacharelado (B)
MODALIDADE: EaD
DISCIPLINA
NOME: Preservação, Conservação de Documentos e
Tratamento de Obras Raras
CÓDIGO:
NI
CH:
60h/a
CARÁTER:
Obrigatória
EMENTA: A disciplina “Preservação, Conservação de Documentos e Tratamento de Obras
Raras” compreende os problemas ligados à preservação e conservação de documentos, bem
como orienta o tratamento de obras raras e fornece bases sólidas aos estudantes para
intervenções responsáveis, adequadas e tecnicamente fundamentadas. Apresenta a estrutura e
tecnologia do papel; os agentes de degradação: identificação e controle; as técnicas de
conservação preventiva: higienização, condições ambientais de guarda e acondicionamento.
Introduz também a conservação de outros suportes de informação, a reformatação,
emergências e planejamento.
Legenda: B Bacharelado; L Licenciatura; CH Carga horária; h/a hora aula; NI não informado.
Fonte: adaptado de Universidade Federal do Rio Grande (2019), Universidade
Federal do Estado do Rio de Janeiro (2018), Universidade Federal do Rio de
Janeiro (2020), Centro Universitário Claretiano (2020).
Dos cinco (05) cursos, quatro (04) são presenciais e um (01) EaD. Em relação
97
Anais dos 45 anos do Curso de Bacharelado em Biblioteconomia, XXII Semana Acadêmica e I Fórum de Egressos. 1. ed. Rio Grande, RS,
2020. ISBN 978-65-5754-057-2. Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional
à distribuição geográfica das instituições cujos cursos presenciais oferecem
disciplinas voltadas ao ensino da Biblioteconomia de livros raros, observa-se que:
duas (02) instituições encontram-se localizadas no Estado do Rio de Janeiro
(UNIRIO e UFRJ) e uma (01) instituição encontra-se no Estado do Rio Grande do
Sul (FURG). A esse respeito, destaca-se a influência do primeiro curso de
Biblioteconomia brasileiro, fundado pela Biblioteca Nacional, em 1911, com ênfase
na formação humanística, que constitui o curso original oferecido pela UNIRIO.
Seis (06) disciplinas, distribuídas em cinco (05) cursos de graduação, trazem,
em suas ementas, o conteúdo Biblioteconomia de livros raros. As cargas horárias
das disciplinas variam entre 30 e 60 horas aula. Das seis (06) disciplinas
identificadas, três (03) são ministradas em dois (02) cursos de graduação em
Biblioteconomia oferecidos pela UNIRIO: licenciatura e bacharelado. As disciplinas
são exatamente idênticas em seus códigos, carga horária e ementas, porém o
caráter varia entre os cursos: a disciplina código HEB0074 no curso de bacharelado
é optativa, e no curso de licenciatura é obrigatória.
6
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Tendo em vista os resultados da pesquisa aqui apresentados, nos quais
identificou-se que apenas cinco cursos de graduação brasileiros abordam,
diretamente, o assunto Biblioteconomia de livros raros em seus currículos, observa-
se a escassa abordagem do tema no ensino de graduação.
Pinheiro (1990, p. 46), trinta anos atrás, chamava a atenção para a
[...] deficitária formação do Bibliotecário brasileiro na área de História
do livro, de disciplinas afins aos aspectos técnicos e estilísticos do
livro (papel, tinta, tipos, impressão, ilustração, encadernação) e ao
impacto do livro impresso no Ocidente, como uma força econômica,
social e cultural, ao longo da sua História.
Tais conhecimentos são fundamentais para o profissional curador de coleções
especiais e obras raras. Pinheiro e Alentejo (2015, p. 7), reiteram esse déficit na
formação do profissional, ao observar que Tais abordagens atribuem ao Bibliotecário
papéis concernentes à curadoria de acervos bibliográficos, aparentemente
contraditórios e evidentemente complementares, envolvendo a disseminação de
conteúdos e a salvaguarda da materialidade dos recursos bibliográficos. A
associação desses papéis interdependentes, ratificada na história da Biblioteconomia
mundial, foi negligenciada na educação de Bibliotecários entre meados e o final do
98
Anais dos 45 anos do Curso de Bacharelado em Biblioteconomia, XXII Semana Acadêmica e I Fórum de Egressos. 1. ed. Rio Grande, RS,
2020. ISBN 978-65-5754-057-2. Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional
século XX no Brasil, enfatizando de modo injustificável, apenas, a disseminação de
conteúdos como se o livro fosse uma embalagem, um registro cujo significado
estaria restrito às idéias, cuja disseminação garantiria sua permanência. Essa
abordagem ingênua desconsiderou, por algum tempo, o significado do continente,
sua condição de matéria orgânica com tempo de validade e suas inter-relações como
informação subsidiária e complementar do livro, influenciando outros cursos de
Graduação no País a formar o Bibliotecário como gestor de informação registrada,
apenas.
A pesquisa realizada considerou a abordagem da Biblioteconomia de livros
raros nas disciplinas dos cursos de graduação em Biblioteconomia brasileiros,
utilizando as palavras-chave “livros raros”, “obras raras” e “coleções especiais”.
Sugere-se a realização de um estudo mais aprofundado sobre a presença de temas
correlatos, tais como Bibliografia, Bibliologia e História do livro, a fim de verificar a
abordagem de temas fundamentais à formação do Bibliotecário de coleções
especiais e obras raras.
Os resultados obtidos, no entanto, são indicativos da necessidade de
investimento em educação nesta área nos cursos de graduação brasileiros, e
demonstram a carência de formação especializada para atender às demandas do
mercado de trabalho para a execução de serviços especializados na curadoria de
acervos especiais.
REFERÊNCIAS
BRASIL. Ministério da Educação. Cadastro Nacional de Cursos e Instituições de
Educação Superior Cadastro e-MEC. Brasília, DF, 2017. Disponível em:
http://emec.mec.gov.br. Acesso em: 12 ago. 2019.
BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais dos cursos de
Filosofia, História, Geografia, Serviço Social, Comunicação Social, Ciências Sociais,
Letras, Biblioteconomia, Arquivologia e Museologia. Parecer nº CNE/CES 492/2001, de
03 de abril de 2001, Brasília, DF, 2001. Disponível em: https://bit.ly/3ioMMJf. Acesso em: 15
nov. 2019.
BRASIL. Ministério da Educação. Lei nº 4.084, de 30 de junho de 1962.
Dispõe sobre a profissão de bibliotecário e regula seu
exercício. Disponível em: https://bit.ly/3jt0jRn. Acesso em: 16 nov. 2019.
CENTRO UNIVERSITÁRIO CLARETIANO. Curso de graduação em Biblioteconomia
bacharelado: projeto político-pedagógico. Batatais, SP, 2020. Disponível em:
https://bit.ly/30xlJW5. Acesso em: 03 out. 2020.
99
Anais dos 45 anos do Curso de Bacharelado em Biblioteconomia, XXII Semana Acadêmica e I Fórum de Egressos. 1. ed. Rio Grande, RS,
2020. ISBN 978-65-5754-057-2. Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional
FARIA, M. I.; PERICÃO, M. G. Dicionário do livro: da escrita ao livro electrónico.
Coimbra: Almedina, 2008.
PINHEIRO, A. V. T. P. A Biblioteconomia de livros raros no Brasil: necessidades,
problemas e propostas. R. Bibliotecon. & Comun., Porto Alegre, n. 5, p. 45-50,
jan./dez. 1990. Disponível em: https://bit.ly/3imU00w. Acesso em: 16 nov. 2019.
. Que é livro raro? Uma metodologia para o estabelecimento de critérios de
raridade bibliográfica. Rio de Janeiro: Presença, 1989.
PINHEIRO, A. V.; ALENTEJO, E. S. O bibliotecário do passado no bibliotecário do presente:
a evolução de seu perfil profissional. In: ENCUENTRO LATINOAMERICANO DE
ARCHIVISTAS, BIBLIOTECÁRIOS Y MUSEÓLOGOS, 7.,
2015, Valparaíso, Chile. Trabajos. Valparaiso, Chile: Universidad de Playa Ancha, 2015.
Disponível em: https://bit.ly/3itgYDd. Acesso em: 03 out. 2020.
SOUZA, A. N. G. Desenvolvimento e disseminação do ensino de Biblioteconomia no Brasil e
em São Paulo: uma análise espaço-temporal. Revista Brasileira de Biblioteconomia e
Documentação, São Paulo, v. 14, p. 195-219, 2018. Disponível em: https://bit.ly/30vumk8.
Acesso em: 10 nov. 2019.
TANUS, G. F. S. C. (Re)visitando os caminhos do ensino da Biblioteconomia no Brasil.
Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, v. 14,
p. 171-194, set. 2018. Disponível em: https://bit.ly/30vYrA0. Acesso em: 09 nov. 2019.
UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Escola de
Biblioteconomia. Planos de ensino das disciplinas do curso de Biblioteconomia. Rio de
Janeiro, 2018. Disponível em: https://bit.ly/3jtire3. Acesso em: 10 set. 2020.
UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO. Sistema Integrado de Gestão
Acadêmica. Curso de Graduação em Biblioteconomia e Gestão de Unid.
Informação: currículo a ser cumprido pelos alunos de 2019/2 a 9999/9. Atualizado em
15/02/2020. Disponível em: https://bit.ly/34hJCCa. Acesso em: 03 out. 2020.
UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE. Curso de Biblioteconomia. Projeto
Pedagógico do Curso de Biblioteconomia da FURG. Rio Grande, 2019.
Disponível em: https://bit.ly/34p77cn. Acesso em: 22 nov. 2019.
... Por outro lado, coleções de obras raras serão formadas, prioritariamente, por obras assim qualificadas. A esse respeito, Lira et al. (2021), destacam que não há definição para obra rara ou livro raro, mas que no âmbito da Biblioteconomia, o consenso sobre uma obra rara "[...] reside no conjunto de características peculiares e especiais que um determinado item apresenta, que o tornam excepcional comparativamente aos demais." (LIRA et al., 2021). ...
... A esse respeito, Lira et al. (2021), destacam que não há definição para obra rara ou livro raro, mas que no âmbito da Biblioteconomia, o consenso sobre uma obra rara "[...] reside no conjunto de características peculiares e especiais que um determinado item apresenta, que o tornam excepcional comparativamente aos demais." (LIRA et al., 2021). Pinheiro (1989), observa que para um exemplar merecer ser alocado na seção de coleções especiais de uma biblioteca, deverá atender a pelo menos um dos seguintes critérios: ser o único exemplar conhecido; ou, ser considerado precioso; ou, ser inquestionavelmente raro. ...
Article
Full-text available
Apresenta os resultados de pesquisa realizada entre os anos de 2017 e 2019, a qual buscou mapear os acervos bibliográficos raros pertencentes às universidades gaúchas. Quanto à metodologia, foi realizada revisão bibliográfica em fontes nacionais e estrangeiras para a construção do aporte teórico. No portal e-MEC, realizou-se levantamento das universidades gaúchas, o que resultou em 19 instituições. A partir dessa listagem e de pesquisa nos sites institucionais das mesmas, foram identificados os gestores das bibliotecas pertencentes a cada uma das instituições. Para a coleta de dados, elaborou-se um questionário contendo 16 questões semifechadas, o qual foi enviado aos gestores. A partir do retorno dos questionários, foi possível conhecer um pouco mais os acervos, sistematizando as respostas e evidenciando as características deste importante conjunto documental. Os resultados apontam que das 19 instituições gaúchas, 12 possuem obras raras em seus acervos bibliográficos. Destas, 11 participaram efetivamente da pesquisa. A investigação permitiu conhecer informações referentes aos acervos raros de universidades gaúchas até então desconhecidos pela academia, dos quais destacam-se os seguintes aspectos: sua formação se deu, predominantemente, por doações às instituições depositárias; em relação à segurança e à conservação destes acervos, constatou-se que as universidades adotam as medidas e procedimentos possíveis, de acordo com a sua realidade, porém fica evidente a necessidade de investimentos dessa natureza para assegurar a salvaguarda das coleções; quanto ao acesso aos acervos, observa-se a necessidade de elaboração de políticas de uso das coleções na maior parte das instituições participantes.
Conference Paper
Full-text available
Esta pesquisa analisou a formação do bibliotecário no âmbito de suas funções, habilidades e competências a partir de um modelo fundador de formação biblioteconômica, difundido na literatura mundial e verificado nas boas práticas de bibliotecários, oriundos da Escola de Biblioteconomia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO).
Cadastro Nacional de Cursos e Instituições de Educação Superior Cadastro e-MEC
  • Brasil
  • Ministério Da Educação
BRASIL. Ministério da Educação. Cadastro Nacional de Cursos e Instituições de Educação Superior Cadastro e-MEC. Brasília, DF, 2017. Disponível em: http://emec.mec.gov.br. Acesso em: 12 ago. 2019.
Dispõe sobre a profissão de bibliotecário e regula seu exercício
  • Brasil
  • Ministério Da Educação
BRASIL. Ministério da Educação. Lei nº 4.084, de 30 de junho de 1962. Dispõe sobre a profissão de bibliotecário e regula seu exercício. Disponível em: https://bit.ly/3jt0jRn. Acesso em: 16 nov. 2019.
Curso de graduação em Biblioteconomiabacharelado: projeto político-pedagógico
  • Centro
  • Claretiano
CENTRO UNIVERSITÁRIO CLARETIANO. Curso de graduação em Biblioteconomiabacharelado: projeto político-pedagógico. Batatais, SP, 2020. Disponível em: https://bit.ly/30xlJW5. Acesso em: 03 out. 2020.
Dicionário do livro: da escrita ao livro electrónico
  • M I Faria
  • M G Pericão
FARIA, M. I.; PERICÃO, M. G. Dicionário do livro: da escrita ao livro electrónico. Coimbra: Almedina, 2008.
A Biblioteconomia de livros raros no Brasil: necessidades, problemas e propostas
  • A V T P Pinheiro
PINHEIRO, A. V. T. P. A Biblioteconomia de livros raros no Brasil: necessidades, problemas e propostas. R. Bibliotecon. & Comun., Porto Alegre, n. 5, p. 45-50, jan./dez. 1990. Disponível em: https://bit.ly/3imU00w. Acesso em: 16 nov. 2019. .
Desenvolvimento e disseminação do ensino de Biblioteconomia no Brasil e em São Paulo: uma análise espaço-temporal
  • A N G Souza
SOUZA, A. N. G. Desenvolvimento e disseminação do ensino de Biblioteconomia no Brasil e em São Paulo: uma análise espaço-temporal. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, v. 14, p. 195-219, 2018. Disponível em: https://bit.ly/30vumk8. Acesso em: 10 nov. 2019.
Acesso em: 10 set. 2020. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO. Sistema Integrado de Gestão Acadêmica. Curso de Graduação em Biblioteconomia e Gestão de Unid. Informação: currículo a ser cumprido pelos alunos de 2019/2 a 9999/9
  • G F S C Tanus
TANUS, G. F. S. C. (Re)visitando os caminhos do ensino da Biblioteconomia no Brasil. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, v. 14, p. 171-194, set. 2018. Disponível em: https://bit.ly/30vYrA0. Acesso em: 09 nov. 2019. UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Escola de Biblioteconomia. Planos de ensino das disciplinas do curso de Biblioteconomia. Rio de Janeiro, 2018. Disponível em: https://bit.ly/3jtire3. Acesso em: 10 set. 2020. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO. Sistema Integrado de Gestão Acadêmica. Curso de Graduação em Biblioteconomia e Gestão de Unid. Informação: currículo a ser cumprido pelos alunos de 2019/2 a 9999/9. Atualizado em 15/02/2020. Disponível em: https://bit.ly/34hJCCa. Acesso em: 03 out. 2020. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE. Curso de Biblioteconomia. Projeto Pedagógico do Curso de Biblioteconomia da FURG. Rio Grande, 2019. Disponível em: https://bit.ly/34p77cn. Acesso em: 22 nov. 2019.