ArticlePDF Available

O papel dos solos no geoturismo, geodiversidade e geoconservação

Article

O papel dos solos no geoturismo, geodiversidade e geoconservação

Abstract

Este texto tem por objetivo chamar atenção para a importância dos solos, não só na sobrevivência dos seres humanos, mas também dos ecossistemas e da vida, na superfície terrestre. Bem como para o geoturismo, geodiversidade e geoconservação. Leonardo da Vinci se questionava o porquê do ser humano conhecer mais dos distantes planetas, do que sobre o chão abaixo dos nossos pés. Por isso, em 2015, a ONU decidiu criar o Ano Internacional dos Solos. Figura 1. Ano Internacional dos Solos. No entanto, os solos continuam sendo degradados pelo mundo, em especial nos países de clima tropical, onde o manejo inadequado em diversas áreas, tem causado sua degradação. Sendo assim, a FAO criou o seguinte slogan de sua campanha, como carro chefe: healthy soils for a healthy life (solos saudáveis para uma vida saudável). Ainda como parte da campanha, destacamos que os solos são os hospedeiros de pelo menos 25% da biodiversidade mundial, aqui incluímos também o seu papel sobre a geodiversidade, que infelizmente, não é abordada pela FAO nessa campanha de 2015. Cabe também chamar atenção que os solos têm papel importante no manejo das águas e na resiliência às enchentes e secas. Ou seja, não vivemos sem solos!!! As trilhas possuem papel fundamental em áreas onde existe elevada geodiversidade, com fins ao aproveitamento do geoturismo, levando-se em conta a geoconservação.
ILP Ciência & Cultura p. 110-111
O papel dos solos no geoturismo, geodiversidade e geoconservação
Antonio José Teixeira GUERRA
Este texto tem por objetivo chamar atenção para a importância dos solos, não na
sobrevivência dos seres humanos, mas também dos ecossistemas e da vida, na superfície
terrestre. Bem como para o geoturismo, geodiversidade e geoconservação. Leonardo da Vinci
se questionava o porquê do ser humano conhecer mais dos distantes planetas, do que sobre o
chão abaixo dos nossos pés. Por isso, em 2015, a ONU decidiu criar o Ano Internacional dos
Solos.
Figura 1. Ano Internacional dos Solos.
No entanto, os solos continuam sendo degradados pelo mundo, em especial nos países
de clima tropical, onde o manejo inadequado em diversas áreas, tem causado sua degradação.
Sendo assim, a FAO criou o seguinte slogan de sua campanha, como carro chefe: healthy
soils for a healthy life (solos saudáveis para uma vida saudável).
Ainda como parte da campanha, destacamos que os solos são os hospedeiros de pelo
menos 25% da biodiversidade mundial, aqui incluímos também o seu papel sobre a
geodiversidade, que infelizmente, não é abordada pela FAO nessa campanha de 2015. Cabe
também chamar atenção que os solos têm papel importante no manejo das águas e na
resiliência às enchentes e secas. Ou seja, não vivemos sem solos!!!
As trilhas possuem papel fundamental em áreas onde existe elevada geodiversidade,
com fins ao aproveitamento do geoturismo, levando-se em conta a geoconservação. Elas são
importantes para a conexão entre comunidades, em especial em regiões montanhosas, onde as
mesmas são, na maioria das vezes, o único meio de comunicação entre as diversas
localidades. Seu uso intensivo, para o turismo e para as comunidades, podem causar a
formação de ravinas, que podem evoluir para voçorocas.
Os solos possuem muita importância nas trilhas, que dão acesso aos geossítios, ou
seja, sua conservação é fundamental para que haja um bom aproveitamento para o
geoturismo, caso contrário essas trilhas estão sujeitas a processos de erosão e movimentos de
massa, dificultando, ou até mesmo impedindo o acesso aos geossítios. Temos que destacar
também que os solos também podem se constituir em verdadeiros geossítios, como é o caso
do que vem ocorrendo em algumas regiões da China, onde o Loess tem sido aproveitado, não
em projetos relacionados ao geoturismo, mas também à geoeducação, com alunos de
universidades, escolas de ensino fundamental e médio, e aos turistas, de um modo geral, que
visitam formas erosivas, principalmente voçorocas, existindo inclusive um Museu, que atrai
milhares de visitantes por ano. No Brasil, não podemos esquecer das areias coloridas que
ocorrem em alguns solos do litoral Nordestino e que são aproveitados para diversas formas de
artesanato, em especial no Ceará.
Figura 2. Ravina no leito da
trilha, até a Praia do Sono
(Paraty RJ) mostrando
bifurcação na sua cabeceira.
Foto Luana Rangel.
Não só a degradação das trilhas, mas das encostas podem comprometer a segurança daqueles
que vivem, ou percorrem esse tipo de relevo, em busca de atrações turísticas. Muito esforço
tem sido feito no monitoramento das taxas nas quais os movimentos de massa ocorrem. A
esse respeito, os principais objetivos no levantamento dos movimentos de massa são os
seguintes: 1. Compreender o desenvolvimento das encostas naturais e os processos que têm
contribuído na formação de novas feições; 2. Tornar possível a estabilidade das encostas, sob
diferentes condições; 3. Determinar o risco da ocorrência de deslizamentos, ou outras formas
de movimentos de massa, incluindo encostas naturais e artificiais; 4. Facilitar a recuperação
Cadernos do ILP: Ensino – Pesquisa – Extensão Cultural 2 (2), 2021.
das encostas, às quais têm sofrido movimentos de massa, assim como planejar o uso com
medidas preventivas, de tal forma que os processos não ocorram; 5. Analisar os vários tipos
de movimentos de massa que ocorrem em uma encosta e, ao mesmo tempo, avaliar as causas
e consequências desse processo; 6. Saber como lidar com os fatores externos na estabilidade
das encostas, tais como terremotos, os quais também têm um papel importante em detonar os
movimentos de massa. A importância de se entender os solos, localizados nas trilhas e dos
pedossítios associados, reside no fato de se poder elaborar um projeto organizado para
engajar as pessoas que usam as trilhas, como residentes, e os turistas, com conceitos de
geologia, geomorfologia, pedologia e paisagem. Isso pode ser desenvolvido em um projeto
mais específico, que foque a importância do solo como elemento crucial para a expansão do
conceito de geopatrimônio e geoconservação, ligando com biodiversidade e uso da terra.
Figura 3. Solo compactado na trilha das
Sete Praias (Ubatuba SP), causando
erosão por ravina. Foto Maria do Carmo
Oliveira Jorge.
O projeto pode também identificar oportunidades para engajar o público, através de
outros interesses, tais como natureza, pássaros e arqueologia, para reconhecer o papel dos
solos nos seus interesses especiais e, dessa forma, relacionar os mesmos com a geologia
subjacente. Isso tudo pode oferecer uma introdução a algumas das questões atuais, tais como
erosão dos solos e armazenamento de carbono e, consequentemente, envolver um número
maior de pessoas em projetos desse tipo. Sairiam ganhando os turistas, residentes e o meio
ambiente, como um todo. Mudanças climáticas também podem fazer parte desse tipo de
Cadernos do ILP: Ensino – Pesquisa – Extensão Cultural 2 (2), 2021.
projeto, que o número de enchentes, secas e temperaturas extremas têm aumentado nos
últimos anos, não só em áreas tropicais, mas também em áreas de clima temperado, como tem
ocorrido em países europeus. Isso tudo afeta as cidades, as trilhas e as pessoas que sofrem
com os problemas relacionados a essas catástrofes.
Os solos devem ser utilizados, em projetos de geoturismo, como instrumento
pedagógico, através da geoeducação, não nas universidades, mas também em escolas de
ensino fundamental e médio, como atestam dois bons exemplos: um na Universidade de
Wolverhampton (Inglaterra), desenvolvido com alunos de uma escola pública, em 2015, e na
bacia do rio Maranduba (Ubatuba), com alunos de uma escola pública, com crianças entre 11
e 12 anos de idade, em 2017. Tivemos o prazer de ter participado em ambos. Através da
análise do papel dos solos no geoturismo, geodiversidade e geoconservação é possível
identificar a importância que possuem, em especial, nos dias de hoje, em que esse tipo de
lazer envolve atividades que proporcionem, não apenas diversão, mas aprendizado sobre a
biodiversidade e geodiversidade.
Figura 4. Ravina no centro da trilha
do Caixa D’Aço, no município de
Paraty. A passagem de milhares de
turistas, em especial nos fins de
semana ensolarados, compacta os
solos, dificultando a infiltração das
águas, causando o surgimento de
ravinas. Foto: Antonio José Teixeira
Guerra.
Cadernos do ILP: Ensino – Pesquisa – Extensão Cultural 2 (2), 2021.
... Nessa perspectiva de interpretação ambiental, um destaque pode ser dado para o aspecto integrador dos solos, sendo possível ressaltar a importância das rochas em sua formação, sua importância na formação do relevo e das diferentes paisagens, seu papel na sustentabilidade dos ecossistemas, além das possibilidades de serem aproveitados como instrumento pedagógico por meio da geoeducação (Guerra, 2018). ...
Article
Full-text available
Promover a valorização da geodiversidade e de seu patrimônio geomorfológico em unidades de conservação, a partir de uma perspectiva interdisciplinar, é de suma importância e contribui para o uso sustentável destes territórios e seu entorno. O Parque Nacional da Serra dos Órgãos (PARNASO), localizado na Serra do Mar, região Sudeste do Brasil, possui um conjunto de montanhas com grande valor estético que possibilita ressaltar outros valores e usos, como o científico, o didático e o turístico dos seus geomorfossítios, por meio de uma interpretação ambiental em trilhas, contribuindo no cumprimento de seus objetivos de acordo com o Sistema Nacional de Unidades de Conservação. O presente trabalho apresenta uma proposta de caracterização da geodiversidade do PARNASO e a implementação de estratégias de gestão e divulgação do patrimônio geomorfológico em trilhas de montanha, a partir da elaboração de roteiros geoturísticos e didáticos, com o auxílio do aplicativo de navegação Wikiloc®. Neste sentido, detalhar, registrar e divulgar aspectos da geodiversidade em trilhas contribui no destaque da dimensão estética da paisagem, da sua dimensão dinâmica, ao identificar e visualizar processos e mudanças, e também da sua imbricação de escalas, seja espacial ou temporal. Então, é necessário ressaltar uma abordagem mais integrada ligando a geodiversidade, a biodiversidade, a paisagem e as pessoas, aspecto central em que a presente pesquisa pretende contribuir.
Article
Full-text available
Soil can be considered an element of geodiversity with different values; however, its significance is often underestimated. In this perspective, this research aims to apply to the soils the geodiversity valuation system based on ecosystem support, provision, regulation, cultural and knowledge services, developed by Gray (2013). The research was conducted at the PROMATA Farm, in the river Escuro drainage basin, Ubatuba Municipality, São Paulo State. Results of physical and chemical analyzes refer to the good soil structure, soil density average less than 0.8 g/cm³, and the total porosity average over 70%, it is an important condition for the soil to perform its functions. Therefore, soils perform several ecosystem services, essential for the accomplishment of human activities and the balanced operation of the environmental systems. Keywords: soil conservation, geoconservation, system of valuation.
Article
Full-text available
Esse artigo aborda erosão e degradação dos solos, geoturismo, geodiversidade e geoconservação, desenvolvidos pelos membros do LAGESOLOS (Laboratório de Geomorfologia Ambiental e Degradação dos Solos), nos últimos 25 anos. Algumas áreas de 10 estados foram pesquisadas, até o momento, levando em consideração diferentes técnicas e metodologias, para investigar erosão dos solos, estações experimentais, uso de estacas, colocadas ao redor das voçorocas, para monitorar o seu recuo e, atualmente, temos usado os VANTs, para monitorar voçorocas e ravinas. Todas essas pesquisas nos levaram a publicar mais de 100 artigos, em periódicos nacionais e internacionais, mais de 20 livros, e mais de 40 capítulos em publicações nacionais e internacionais, além de mais de 100 artigos em Anais de Conferências e Simpósios nacionais e internacionais. Mais recentemente, temos também pesquisado sobre geoturismo, geodiversidade e geoconservação, o que nos tem levado a compreender e contribuir nesse campo de conhecimento, na Geografia; tudo isso em parceria com pesquisadores brasileiros e de outros países. ABSTRACT This paper addresses soil erosion, land degradation, geotourism, geodiversity and geoconservation, carried out by LAGESOLOS members (Laboratory of Environmental Geomorphology and Soils Degradation), in the last 25 years. Some sites within 10 states have been surveyed, so far, taking into consideration different techniques and methodologies, to investigate soil erosion, such as experimental stations, stakes placed around the gullies, to monitor their retreat, and currently we have been using modern techniques, such as VANTs, to monitor gullies and rills. These investigations have led us to publish over 100 papers, in national and international journals, over 20 books and over 40 chapters in national and international publications, besides over 100 papers in Brazilian and International Conference and Symposium proceedings. More recently, we have also been looking at geotourism, geodiversity and geoconservation, which has led us to understand and to contribute towards this new field, within Geography; everything in partnership with Brazilian and oversea researchers. Este é um artigo de acesso aberto distribuído sob os termos da Licença Creative Commons BY-NC-SA 4.0, que permite uso, distribuição e reprodução para fins não comercias, com a citação dos autores e da fonte original e sob a mesma licença.
Article
Esse artigo aborda erosão e degradação dos solos, geoturismo, geodiversidade e geoconservação, desenvolvidos pelos membros do LAGESOLOS (Laboratório de Geomorfologia Ambiental e Degradação dos Solos), nos últimos 25 anos. Algumas áreas de 10 estados foram pesquisadas, até o momento, levando em consideração diferentes técnicas e metodologias, para investigar erosão dos solos, estações experimentais, uso de estacas, colocadas ao redor das voçorocas, para monitorar o seu recuo e, atualmente, temos usado os VANTs, para monitorar voçorocas e ravinas. Todas essas pesquisas nos levaram a publicar mais de 100 artigos, em periódicos nacionais e internacionais, mais de 20 livros, e mais de 40 capítulos em publicações nacionais e internacionais, além de mais de 100 artigos em Anais de Conferências e Simpósios nacionais e internacionais. Mais recentemente, temos também pesquisado sobre geoturismo, geodiversidade e geoconservação, o que nos tem levado a compreender e contribuir nesse campo de conhecimento, na Geografia; tudo isso em parceria com pesquisadores brasileiros e de outros países. ABSTRACT This paper addresses soil erosion, land degradation, geotourism, geodiversity and geoconservation, carried out by LAGESOLOS members (Laboratory of Environmental Geomorphology and Soils Degradation), in the last 25 years. Some sites within 10 states have been surveyed, so far, taking into consideration different techniques and methodologies, to investigate soil erosion, such as experimental stations, stakes placed around the gullies, to monitor their retreat, and currently we have been using modern techniques, such as VANTs, to monitor gullies and rills. These investigations have led us to publish over 100 papers, in national and international journals, over 20 books and over 40 chapters in national and international publications, besides over 100 papers in Brazilian and International Conference and Symposium proceedings. More recently, we have also been looking at geotourism, geodiversity and geoconservation, which has led us to understand and to contribute towards this new field, within Geography; everything in partnership with Brazilian and oversea researchers.
Thesis
Full-text available
O conceito de geodiversidade contribui para uma visão mais holística da natureza e vem sendo cada vez mais reconhecido pela sociedade em termos de caracterização e gestão ambiental de porções do espaço geográfico. Promover sua valorização a partir de atividades de interpretação ambiental em unidades de conservação, como o Parque Nacional da Serra dos Órgãos (PARNASO), é de suma importância, pois contribui para o uso sustentável e conservação destes territórios e seu entorno. Esta unidade de conservação destaca-se entre as que possuem o maior número de pesquisas desenvolvidas ou em desenvolvimento e encontra-se entre os dez parques nacionais mais visitados do Brasil. Porém, apesar de apresentar como atrativo principal suas feições de relevo, verifica-se que pouca informação sobre sua diversidade natural é transmitida aos visitantes, situação evidente na trilha da Travessia Petrópolis-Teresópolis, uma das mais visitadas do parque, representativa de toda sua geodiversidade e com reconhecimento nacional e internacional. Com isso, o objetivo geral da pesquisa é desenvolver métodos para trabalhar a interpretação ambiental com foco na geodiversidade em trilhas, utilizando como área de estudo a Travessia Petrópolis-Teresópolis. A abordagem adotada fundamenta-se em uma visão sistêmica da conservação da natureza e gestão dos recursos naturais, que incorpore um público o mais diversificado possível, envolvido ou não com as geociências. Os resultados obtidos incluem um histórico das atividades realizadas na Serra dos Órgãos motivadas por aspectos da geodiversidade; uma caracterização da geodiversidade do PARNASO, a partir de pesquisas bibliográficas, elaboração de mapas temáticos e levantamentos de campo; o levantamento, a partir da aplicação de um questionário, das percepções sobre a geodiversidade da Travessia Petrópolis-Teresópolis por aqueles que já a realizaram; e a implementação de estratégias de gestão e divulgação da geodiversidade e seus serviços ecossistêmicos associados, a partir da elaboração de roteiros geoturísticos e didáticos com o auxílio do aplicativo de navegação Wikiloc®, onde foram incluídos os pontos de interesse levantados, com fotos e descrições. A fim de contribuir com o inventário nacional, os geossítios mais representativos foram cadastrados no aplicativo GEOSSIT (Sistema de Cadastro e Quantificação de Geossítios e Sítios da Geodiversidade) do Serviço Geológico do Brasil (CPRM). Com o desenvolvimento da presente tese de doutorado, foi possível perceber que o conhecimento da geodiversidade do PARNASO contribui sobremaneira para a gestão dos elementos do seu meio físico, que poderá ser incorporado para uma visão integral da sua diversidade natural. A metodologia utilizada e os resultados obtidos permitem ampliar esse estudo para outras trilhas dessa unidade de conservação e também de outros territórios, principalmente aquelas inseridas no bioma Mata Atlântica. Embora a proteção dos valores científicos, turísticos e educacionais do patrimônio geológico continue a ser uma atividade central, estudos sobre o tema estão evoluindo para adotar uma abordagem mais integrada ligando a geodiversidade, a biodiversidade, a paisagem e as pessoas, aspecto central em que a presente pesquisa pretendeu contribuir.
ResearchGate has not been able to resolve any references for this publication.