Technical ReportPDF Available

Abstract and Figures

O Laboratório de Aplicações de Satélites Ambientais da Universidade Federal do Rio de Janeiro (LASA-UFRJ) apresenta o relatório semanal referente à situação atual das áreas afetadas pelo fogo na região pantaneira. O Sistema ALARMES foi desenvolvido para servir como um sistema de alerta rápido sobre a extensão, localização e data de ocorrência das áreas afetadas pelo fogo. Nesta nota técnica, apresentamos os resultados de validações com fotografias de campo georreferenciadas.
Content may be subject to copyright.
ÁREA QUEIMADA
PANTANAL 2020
11 DE NOVEMBRO DE 2020
NOTA TÉCNICA 16/2020
Laboratório de Aplicações de Satélites Ambientais
Departamento de Meteorologia
Instituto de Geociências
Universidade Federal do Rio de Janeiro
2
Sistema ALARMES
Alerta de Área queimada com
Monitoramento Estimado por Satélite
Área: Pantanal Ano: 2020
O Laboratório de Aplicações de Satélites Ambientais da Universidade Federal do Rio
de Janeiro (LASA-UFRJ) apresenta o relatório semanal referente à situação atual das
áreas afetadas pelo fogo na região pantaneira. O Sistema ALARMES foi desenvolvido
para servir como um sistema de alerta rápido sobre a extensão, localização e data de
ocorrência das áreas afetadas pelo fogo. Nesta nota técnica, apresentamos os
resultados de validações com fotografias de campo georreferenciadas. Em caso de
dúvidas, acessar o FAQ do sistema disponível em:
https://docs.google.com/document/d/167mWn7-1MM1BWlCp4LmkGd9EpwILSSQmo-ssqgKatnw/edit?usp=sharing
Contato: renata.libonati@igeo.ufrj.br
ATENÇÃO
A informação aqui divulgada é o resultado de um protótipo
ainda em fase de validação. O LASA não se responsabiliza
pelas consequências resultantes da utilização desta
informação. Contamos com o feedback dos utilizadores
para aferir a qualidade do mapeamento e melhorá-lo.
3
Situação em 9 de novembro de 2020
Figura 1. Localização e datação mensal das áreas queimadas de 1 de janeiro a 9 de
novembro na região do bioma Pantanal (polígono branco).
4
Tabela 1. Total de área queimada (margem de erro ±20%), por região de 1 de janeiro a 9 de
novembro de 2019, com ALARMES-histórico.
ALARMES
Histórico
(mil ha)
TOTAL
(mil ha)
Região
JAN
FEV
MAR
ABR
MAI
JUL
AGO
SET
OUT
NOV
Pantanal MT
6
11
13
31
7
10
55
164
72
25
399
Pantanal MS
59
60
25
29
12
80
455
534
517
181
1975
Pantanal
65
71
38
60
19
90
510
698
589
206
2374
Tabela 2. Total de área queimada (margem de erro ±20%), por região de 1 de janeiro a 9 de
novembro de 2020, com ALARMES-histórico (jan-ago) e ALARMES-NRT (set-nov).
ALARMES
Histórico
(mil ha)
NRT
(mil ha)
TOTAL
(mil ha)
Região
JAN
FEV
MAR
ABR
MAI
JUL
AGO
SET
OUT
NOV
Pantanal MT
54
10
23
12
9
131
762
980
290
122
2400
Pantanal MS
37
18
111
106
40
242
458
460
410
23
1944
Pantanal
91
28
134
118
49
373
1220
1440
700
145
4344
O mapa da Figura 1 apresenta a localização e datação mensal das áreas queimadas
1
na região
do bioma Pantanal, no período de janeiro a 9 de novembro de 2020. As áreas queimadas dos
meses de janeiro a agosto foram mapeadas com dados históricos, enquanto as cicatrizes de
setembro a novembro são derivadas de dados NRT.
A Tabela 1 apresenta as detecções em 2019 com dados do ALARMES-histórico, enquanto a
Tabela 2 apresenta dados do ALARMES-histórico e -NRT para 2020.
Na Figura 2 observa-se a variabilidade diária queimada estimada para os últimos 2 meses.
1
Foram utilizadas as classificações de área queimada com nível de confiança acima de 30%.
5
Figura 2. Total diário de área queimada estimado de 1 de setembro a 9 de novembro na
região do Pantanal (cinza), Pantanal MT (azul) e Pantanal MS (laranja).
Partindo para uma análise mais local, os mapas das Figuras 3, 4, 5 e 6 apresentam a
localização e datação das áreas queimadas
2
na divisa de Mato Grosso/Mato Grosso do Sul,
no Sul do Pantanal, na região do Amolar e no Noroeste do Pantanal no período de 7 de
setembro a 9 de novembro de 2020. As Tabelas 2 e 3 mostram o total de área queimada no
interior de cada Área Protegida (AP) do Pantanal em 2020.
2
Foram utilizadas as classificações de área queimada com nível de confiança acima de 30%.
6
Figura 3. Localização e datação das áreas queimadas de 7 de setembro a 9 de novembro na
divisa de Mato Grosso/Mato Grosso do Sul.
7
Figura 4. Localização e datação das áreas queimadas de 7 de setembro a 9 de novembro no
Sul do Pantanal.
8
Figura 5. Localização e datação das áreas queimadas de 7 de setembro a 9 de novembro na
região do Amolar.
9
Figura 6. Localização e datação das áreas queimadas de 7 de setembro a 9 de novembro no
Noroeste do Pantanal.
10
Tabela 3. Total de área queimada (margem de erro ±20%), por Terras Indígenas (TIs) de 1 de
janeiro a 9 de novembro de 2020.
TIS PANTANAL
Área queimada
(mil ha)
Porcentagem
(%)
Baía dos Guató
18,5
96,1
Cachoeirinha
0,5
1,4
Guató
1
66,2
Kadiwéu
249,3
46,3
Perigara
9
83,5
Taunay/Ipegue
6
17,7
Tereza Cristina
22,9
78,8
11
Tabela 4. Total de área queimada (margem de erro ±20%), por Unidades de Conservação
(UCs) de 1 de janeiro a 9 de novembro de 2020.
UCS PANTANAL
Área queimada
(mil ha)
Porcentagem
(%)
APA Baía Negra
4,4
73,4
ESEC de Taiamã
4,6
39,8
Fazenda Jatobazinho
0,3
82,2
Fazenda Morro Alegre
1,2
88,7
Fazenda Porto Jofre
39
92,1
Fazenda Santa Rosa
0,1
100,0
Fazenda Santa Tereza
44,3
74,5
Fazenda São Bento
18,1
65,7
Fazenda São Gonçalo
0,3
100,0
Fazenda Vale do Paraíso
0,2
100,0
PARNA do Pantanal Matogrossense
134,9
99,2
Parque Municipal de Piraputangas
0
0,0
PE Encontro das Águas
90
83,2
PE do Guirá
45,2
43,2
PE do Pantanal do Rio Negro
8,2
10,5
RPPN Acurizal
10,4
85,1
RPPN Arara Azul
1,9
92,0
RPPN Dorochê
22,2
82,6
RPPN Estância Caiman
0
0,0
RPPN Fazenda Nhumirim
0
0,0
RPPN Fazenda Paculândia
4,8
57,7
RPPN Fazenda Rio Negro
0
0,0
RPPN Fazenda Santa Cecília II
2,6
29,3
RPPN Fazenda Santa Sofia
0
0,0
RPPN Fazendinha
0
0,0
RPPN Jubran
23,7
70,0
RPPN Neivo Pires
0
0,0
RPPN Penha
12,7
100,0
12
RPPN Pioneira do Rio Piquiri
0
0,0
RPPN Poleiro Grande
13,2
79,8
RPPN Reserva Natural Eng. Eliezer
Batista
10,5
83,3
RPPN Rumo ao Oeste
0,6
62,8
Sesc Pantanal
79,3
90,2
Sítio Serra Negra
0
0,0
APA = Área de Proteção Ambiental; ESEC = Estação Ecológica; PARNA = Parque Nacional; PE = Parque Estadual;
RPPN = Reserva Particular do Patrimônio Natural
Validação com dados de campo
A validação em sensoriamento remoto determina a habilidade de um produto obtido a partir
do espaço em descrever um dado parâmetro geofísico medido por meios independentes. A
importância em validar produtos de satélites se deve aos seguintes fatores: i) informações
sobre a qualidade do produto são fundamentais para diferentes usuários; ii) informações
resultantes do próprio processo de validação ajudam a melhorar a geração dos produtos.
Apresentamos o cruzamento do mapeamento do ALARMES com coordenadas geográficas
fornecidas pelas brigadas de incêndio. As localizações das informações obtidas in situ estão
representadas na Figura 7 (estrelas pretas) e as fotografias são apresentadas na Tabela 5.
Embora não haja informação de campo sobre a extensão da área afetada, as comparações
das coordenadas indicam se as regiões mapeadas foram de fato acometidas pelo fogo.
13
Figura 7. Cruzamento do mapeamento ALARMES-NRT (nível de confiança > 30%) com pontos
de validação.
14
Tabela 5. Imagens de campo georreferenciadas fornecidas pelas brigadas de acordo com os
pontos destacados na Figura 7.
Id (Figura 7)
Imagem de campo
1
Id (Figura 7)
Imagem de campo
2
15
AGRADECIMENTOS: Esta nota técnica foi elaborada com o suporte do Conselho
Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ) através do Projeto
Andurá (441971/20180). Renata Libonati é financiada pela Fundação de Amparo à
Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ) (E26/202.714/2019) e por Bolsa de
Produtividade em Pesquisa CNPQ (305159/2018-6). Filippe L. M. Santos é financiado
com bolsa de Doutorado CAPES (Programa de Pós-Graduação em Clima e Ambiente
Universidade do Estado do Amazonas; 88887.498119/2020-00). Júlia A. Rodrigues é
financiada com bolsa de Desenvolvimento Tecnológico e Industrial do CNPQ
(380779/2019-6). Isabella dos A. Carvalho é financiada com bolsa do Programa
Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC).
Referências:
Pinto, M. M., Libonati, R., Trigo, R. M., Trigo, I. F., & DaCamara, C. C. (2020). A deep
learning approach for mapping and dating burned areas using temporal sequences of
satellite images. ISPRS Journal of Photogrammetry and Remote Sensing, 160, 260-274.
Como citar esta nota técnica:
LIBONATI, R.; BELÉM, L.B.C.; RODRIGUES, J.A.; SANTOS, F.L.M.;
SENA, C.A.P.; PINTO, M.M.; CARVALHO, I.A. Sistema ALARMES
Alerta de área queimada Pantanal, situação atual segunda
semana de novembro de 2020. 15p, Rio de Janeiro, Laboratório
de Aplicações de Satélites Ambientais - UFRJ, 2020
... No total, foram derrubados 11.088 km² de floresta nesse intervalo de tempo, apesar da presença do Exército na floresta, sob a Operação Verde Brasil 2, iniciativa do Ministério da Defesa. A situação dramática das queimadas no Pantanal pode ser compreendida por esse dado: somente neste ano as queimadas foram responsáveis pela perda de aproximadamente 30% da área do bioma [43], que se estende pelos estados do Mato Grosso e do Mato Grosso do Sul, segundo dados do Laboratório de Aplicações de Satélites Ambientais (Lasa) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), divulgados em nota técnica emitida em 11 de novembro. ...
Book
Full-text available
A Política Externa de Bolsonaro na Pandemia é fruto de um trabalho coletivo do Observatório de Política Externa e Inserção Internacional do Brasil (OPEB) da Universidade Federal do ABC (UFABC) ao longo do ano de 2020. O OPEB é formado por docentes e discentes do Bacharelado em Relações Internacionais (BRI) e dos Programas de Pós-Graduação em Economia Política Mundial (EPM) e de Relações Internacionais (PRI). A partir de uma parceria firmada com a Fundação Friedrich Ebert (FES), o OPEB desenhou e produziu uma Newsletter quinzenal com análises críticas e multidimensionais sobre a política externa brasileira, além da divulgação científica e da curadoria de eventos de interesse no campo das relações internacionais. Com base nos Grupos de Trabalho (GTs) do OPEB, foram produzidas várias análises sobre os seguintes temas da PEB: África, América Latina, China, Comércio Internacional, Direitos Humanos, EUA, Meio Ambiente, Oriente Médio e Segurança Internacional. O conjunto de textos de cada GT publicado na Newsletter está sintetizado nos capítulos temáticos deste livro.
... No total, foram derrubados 11.088 km² de floresta nesse intervalo de tempo, apesar da presença do Exército na floresta, sob a Operação Verde Brasil 2, iniciativa do Ministério da Defesa. A situação dramática das queimadas no Pantanal pode ser compreendida por esse dado: somente neste ano as queimadas foram responsáveis pela perda de aproximadamente 30% da área do bioma [43], que se estende pelos estados do Mato Grosso e do Mato Grosso do Sul, segundo dados do Laboratório de Aplicações de Satélites Ambientais (Lasa) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), divulgados em nota técnica emitida em 11 de novembro. ...
Sistema ALARMES -Alerta de área queimada Pantanal, situação atual -segunda semana de novembro de 2020
  • Como
  • R Libonati
  • L B C Belém
  • J A Rodrigues
  • F L M Santos
  • C A P Sena
  • M M Pinto
  • I A Carvalho
Como citar esta nota técnica: LIBONATI, R.; BELÉM, L.B.C.; RODRIGUES, J.A.; SANTOS, F.L.M.; SENA, C.A.P.; PINTO, M.M.; CARVALHO, I.A. Sistema ALARMES -Alerta de área queimada Pantanal, situação atual -segunda semana de novembro de 2020. 15p, Rio de Janeiro, Laboratório de Aplicações de Satélites Ambientais -UFRJ, 2020