Chapter

A Bioestratigrafia esquecida: amonóides da bacia Potiguar (The missed biostratigraphy: ammonites from the Potiguar Basin)

Authors:
  • University of Sergipe, Brazil
To read the full-text of this research, you can request a copy directly from the authors.

Abstract

The carbonate sequences of the Jandaíra Formation, Upper Cretaceous from the Potiguar Basin, contain a rich variety of fossiliferous assemblage from shallow-marine platform. The ammonites are scarce, which is explained by the nature of the depositional environment (tidal-flat to shallow platform) of the exposed carbonates at the onshore portion of the basin. A preliminary ammonite biostratigraphic zoning is proposed for this unit, based on the occurrences and systematic discussion of the group, defining assemblages distributed from the Turonian to the Campanian/Maastrichtian, inferring some paleobiogeographic affinities with others Northeastern Brazilian basins.

No full-text available

Request Full-text Paper PDF

To read the full-text of this research,
you can request a copy directly from the authors.

... Essa bacia abrange uma área de aproximadamente 48.000 km 2 (Fig. 1) Formou-se da gênese de rift ocorrido no Cretáceo, em consequência do regime divergente que se iniciou com a separação dos continentes africano e sul-americano (Cassab 2003;Pessoa Neto et al. 2007). O registro estratigráfico da Bacia Potiguar está representado por três supersequências: Supersequência Rifte, representada pelas formações Pendências e Pescada, com sedimentos flúvio-deltaicos e lacustre; Supersequência Pós-rifte, representada pela Formação Alagamar com sedimentos flúvio-deltaicos; e Supersequência Drifte, representada pelas formações Açu, Jandaíra, Ponta do Mel e Quebradas com sequência flúvio-marinha transgressiva (Bertani et al. 1990;Pessoa Neto et al. 2007;Souza-Lima et al. 2007). ...
... A fauna e a flora registrada para essa formação caracterizam um ambiente de planície de maré. O seu conteúdo fossilífero é rico e diversificado, sendo registrado do Eoturoniano ao Neocampaniano (Bertani et al. 1990;Araripe & Feijó 1994;Soares et al. 2003;Pessoa Neto et al. 2007;Souza-Lima et al. 2007;Benaim & Senra 2008;Oliveira et al. 2013). ...
... As coordenadas UTM estão referenciadas ao meridiano central 39º. O código entre parênteses refere-se à identificação do afloramento no mapa de localização de Souza-Lima et al. (2007). ...
... The Jandaíra Formation is a sediment sequence of the Turonian-lower Campanian stages characterised by the predominance of marine carbonates formed in shallow and agitated water environments (Tibana & Terra, 1981;Souza-Lima et al., 2007). Its composition is a mixture of calcarenites and bioclastic calcilutites that range from light grey to yellow in colour and exhibit evaporites at the base layer. ...
Article
Full-text available
This paper documents the occurrence of Ophthalmoplax brasiliana, the first fossil crab in the Potiguar Basin based on an adult male specimen collected in the outcrop of the Jandaíra Formation (Campanian). The material was obtained from the carbonatic layers of the Upper Cretaceous near the city of Apodi, west of the State of Rio Grande do Norte. This is probably the oldest record of this species in the Americas and a contribution to the knowledge of the paleobiogeography of this taxonomic group.
... Seu conteúdo fossilífero é rico e diversificado, com associações típicas de ambientes marinhos rasos, especialmente lagunas e planícies de maré, predominando os moluscos biválvios, com típicas associações de ostras, gastrópodos e equinóides. Estão ainda representados icnofósseis, algas calcárias, plantas, briozoários, antozoários, conchostráceos, amonóides e vertebrados, além de microfósseis diversos (Senra, 1997;Cassab, 2003;Souza-Lima, et al. 2007;Barreiro & Senra, 2007). ...
Article
Full-text available
Pholadomya Sowerby, 1823 is an anomalodesmatan bivalve that dispersed during Mesozoic, like other Mollusks,colonizating the South Atlantic shallow seas, between Brazil and Africa. On brazilian Cretaceous the sources ofPholadomya are scarce, occurring in outcrops from Algodões Formation, Gramame Formation and Jandaíra Formation,where occurs the species Pholadomya baixaleitensis. Based on specimens from new outcrops of Jandaíra Formation,a new occurrence of P. cf. adversa and P. baixaleitensis are shown and a new morfotype for the genus is described. Itwas possible to infer that the species studied presented deep endobentonic habits, and burrowed slowly the sediment,probably living their whole life into the same cavity. During Campanian Pholadomya is known from Cameroon, France,Poland, Austria, Germany and other localities in United States of America, occurring in association with other tethyanmollusks. The records of the genus in the marginal equatorial basins enhance the fossil bivalve diversity, and agree withthe hypotesis of a south latitudinal range for the Tethyan Realm during Upper Cretaceous.
Article
Freshwater localities dating from the break-up of western Gondwana are important for a better understanding of the faunal composition and biogeographic patterns of taxa that would become established in both South America and Africa. In the Potiguar Basin, the single locality that represents the Albian-Cenomanian span is the Açu Formation. The paleontological content of Açu Formation began to be discovered in 2005 and, after that, a number of fieldworks conducted recovered numerous fossil remains. The remains include eight fish taxa identified as Tribodus, Bawitius, Lepisosteidae, Vidalamiinae, Pycnodontiformes, Mawsonia c.f. lavocati, Asiatoceratodus c.f. tiguidiensis and Ceratodus. The taxa described here are common to other freshwater localities in Africa and South America, revealing some dating problems related to these localities in the western part of Gondwana.
Article
Full-text available
Neste trabalho é observada a distribuição das espécies de equinoides "regulares" Goniopygus durandi, Rosadosoma riograndensis (Maury 1924), Phymosoma major (Coquand 1862), e equinoides "irregulares" como Petalobrissus setifensis (Cotteau 1866), P. cubensis (Weisbord, 1934), Mecaster fourneli (Agassiz & Desor 1847), M. texanus (Roemer 1852) e Mecaster sp nas localidades fossilíferas Camurim-01, Gangorrinha-2, Gov. Dix-Sept Rosado-2, Gov. Dix-Sept Rosado-6, Estreito-1 e Frei Antonio-3 da Formação Jandaíra, Bacia Potiguar. Foram preparados e identificados 228 exemplares, provenientes de duas coletas realizadas em 2003 e 2011. Em relação à abundância relativa das espécies de equinoides presentes nos calcários da Formação Jandaíra, observou-se que os equinoides "irregulares" aparecem em maior número se comparado aos "regulares". As localidades Camurim-1 e Gangorrinha-2 destacaram-se por apresentarem a maior abundância de espécies tanto endocíclicas quanto exocíclicas. Em Gov. Dix-Sept Rosado-2 e Gov. Dix-Sept Rosado-6 observou-se somente a presença de espécimes do gênero Mecaster. Já Estreito-1 e Frei Antonio-3 foram as que apresentaram a menor ocorrência, sendo que na primeira ocorreram "regulares" e na segunda "irregulares". Esses modos de ocorrência podem estar relacionados às condições paleoambientais e ao modo de vida das espécies, pois as localidades com maior ocorrência de espécies estão situadas mais próximas à borda da bacia, como é o caso de Camurim-1 e Gangorrinha-2.
Article
Full-text available
C.L. de C. Manso - First record of the Goniasteridae (Echinodermata, Asteroidea) in Brazilian Cretaceous: Turonian the Potiguar Basin. A piece of Echinodermata, Asteroidea, Goniasteridae, tentatively attributed to the genus Crateraster Spencer, represents the first record of the family in Brazil. It was collected from Turonian carbonate sediments of the Potiguar Basin, State of Rio Grande do Norte. This sea star, which is different of the most recent Goniasteridae found in depth or cold waters, probably lived on shallow environment, with warm waters.
Bacia Potiguar. Boletim de Geociências da Petrobras
  • P T Araripe
  • F Feijó
Araripe, P.T. & Feijó, F. 1995. Bacia Potiguar. Boletim de Geociências da Petrobras, 8(1):127-141 [para 1994].
A fauna do calcário Jandaíra da região de Mossoró
  • K Beurlen
Beurlen, K. 1964. A fauna do calcário Jandaíra da região de Mossoró (Rio Grande do Norte). Editora Pongetti, Coleção Mossoroense, 13, 215p.
Geologia da região de Mossoró. Editora Pongetti
  • K Beurlen
Beurlen, K. 1967. Geologia da região de Mossoró. Editora Pongetti, Rio de Janeiro, Coleção Mossoroense, Série C, 18, 173p., 2 est., 1 mapa.
Paleontologia da Formação Jandaíra, Cretáceo Superior da Bacia Potiguar, com ênfase na paleobiologia dos gastrópodos
  • R C T Cassab
Cassab, R.C.T. 2003. Paleontologia da Formação Jandaíra, Cretáceo Superior da Bacia Potiguar, com ênfase na paleobiologia dos gastrópodos. Universidade Federal do Rio de janeiro, Instituto de Geociências, Rio de Janeiro, Tese de Doutorado, 186 p.
Contribuição ao estudo da bacia costeira do Rio Grande do Norte
  • W Kegel
Kegel, W. 1957. Contribuição ao estudo da bacia costeira do Rio Grande do Norte. Boletim da Divisão de Geologia e Mineralogia, 170:1-52, 1 mapa.
Um outro cefalópode procedente do Estado do Rio Grande do Norte, Formação Jandaíra, Cretáceo do Nordeste
  • G C B Muniz
  • R F Diniz
  • M I M Oliveira
Muniz, G.C.B.; Diniz, R.F. & Oliveira, M.I.M. 1984. Um outro cefalópode procedente do Estado do Rio Grande do Norte, Formação Jandaíra, Cretáceo do Nordeste. Estudos Pesquisas, 6/7:57-60.
Amonóides coniacianos da bacia Potiguar, Brasil. Anais da Academia Brasileira de Ciências
  • G C B Muniz
  • P Bengtson
Muniz, G.C.B. & Bengtson, P. 1986. Amonóides coniacianos da bacia Potiguar, Brasil. Anais da Academia Brasileira de Ciências, 58(3):405-455.
Ocorrência de cefalópodos no Cretáceo do Estado do Rio Grande do Norte. Anais da Academia Brasileira de
  • P E Oliveira
Oliveira, P.E. 1957. Ocorrência de cefalópodos no Cretáceo do Estado do Rio Grande do Norte. Anais da Academia Brasileira de Ciências, 29(2):243-247.
Novo amonóide do Cretáceo do Ceará
  • P E Oliveira
Oliveira, P.E. 1969. Novo amonóide do Cretáceo do Ceará. Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Boletim de Geologia, 4: 5-9.
Minhas memórias da paleontologia mossoroense. 2º Volume
  • V-U Rosado
Rosado, V-U. 1999b. Minhas memórias da paleontologia mossoroense. 2º Volume, 1935 a 1962. Coleção Mossoroense, Série C, 1097, 240p.
Minhas memórias da paleontologia mossoroense. 3º Volume
  • V-U Rosado
Rosado, V-U. 1999c. Minhas memórias da paleontologia mossoroense. 3º Volume, 1963 a 1999. Coleção Mossoroense, Série C, 1090, 272p.
Macrofaunas campanianas e ambientes deposicionais da Formação Calumbi
  • W Souza-Lima
Souza-Lima, W. 2001. Macrofaunas campanianas e ambientes deposicionais da Formação Calumbi, bacia de Sergipe-Alagoas, Brasil. Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Geociências. Tese de Doutorado, 366 p.
Novos registros de amonóides da Formação Jandaíra, bacia Potiguar emersa (RN)
  • W Souza-Lima
  • N K Srivastava
Souza-Lima, W. & Srivastava, N.K. 2006. Novos registros de amonóides da Formação Jandaíra, bacia Potiguar emersa (RN). In: PALEO 2006, Sobral, Ceará, 2006. Resumos, Fundação Paleontológica Phoenix, Universidade Estadual do Vale do Acarau, p. 22.