Conference PaperPDF Available

Análise do comportamento espectral das espécies vegetais Algaroba e Catingueira em ambiente semiárido: um estudo em Curaçá-BA

Authors:

Abstract and Figures

The study is characterized as the analysis of the spectral behavior of the plant species Algaroba and Caatingueira in the northeastern semiarid present in the region of Curaçá-BA. Algaroba is an invasive plant species originated in Peru that was introduced in the northeastern semiarid region with the objective of solving socioeconomic problems in the hinterland. Caatingueira is a small tree, endemic to the Caatinga biome of the leguminous family, covering the Caatinga from Piauí to Bahia. In this sense, the objective of this work is to compare the spectral behavior of the invasive plant species Algaroba with the endemic Caatingueira species. Therefore, a bibliographical research was carried out on the main thematic categories, a field work was carried out in the study area with analysis of the spectral behavior of the two species. With the analysis of the graphs of the two species an NDVI and NDWI was generated for comparison purposes, it was found that both species have spectral peculiarities revealing that the Caatingueira endemic species of the semiarid has some characteristics more favorable to local conditions compared to the invasive species Algaroba However, the Algaroba presented a higher NDVI and NDWI. This study contribute to the identification of both species in satellite images.
Content may be subject to copyright.
Análise do comportamento espectral das espécies vegetais Algaroba e Catingueira em
ambiente semiárido: um estudo em Curaçá-BA
Jonathas Jesus dos Santos¹
Joselisa Maria Chaves²
Deorgia Thaiane Mendes de Souza³
Washington de Jesus Sant’anna da Franca Rocha2
Sarah Moura Batista dos Santos4
¹ Bolsista de Iniciação Científica Fapesb-UEFS, Universidade Estadual de Feira de Santana,
Departamento de Ciências Humanas e Filosofia, Avenida Transnordestina, s/n, km 3, Bairro
Novo Horizonte, Feira de Santana-BA, CEP 44054-008. jonathas020@hotmail.com
² Pós-graduação em Modelagem, Departamento de Ciências Exatas, Universidade Estadual de
Feira de Santana, Avenida Transnordestina, s/n, km 3, Bairro Novo Horizonte, Feira de
Santana-BA, CEP 44054-008. {joselisa, wrocha}@uefs.br
3 Universidade Estadual de Feira de Santana, Departamento de Ciências Humanas e Filosofia,
Avenida Transnordestina, s/n, km 3, Bairro Novo Horizonte, Feira de Santana-BA, CEP
44054-008. deorgiasouza.geo@gmail.com
4 Bolsista Fapesb do Mestrado em Modelagem, Departamento de Ciências Exatas,
Universidade Estadual de Feira de Santana, Avenida Transnordestina, s/n, km 3, Bairro Novo
Horizonte, Feira de Santana-BA, CEP 44054-008. saamoura@gmail.com5
Abstract. The study is characterized as the analysis of the spectral behavior of the plant species Algaroba and
Caatingueira in the northeastern semiarid present in the region of Curaçá-BA. Algaroba is an invasive plant species
originated in Peru that was introduced in the northeastern semiarid region with the objective of solving
socioeconomic problems in the hinterland. Caatingueira is a small tree, endemic to the Caatinga biome of the
leguminous family, covering the Caatinga from Piauí to Bahia. In this sense, the objective of this work is to
compare the spectral behavior of the invasive plant species Algaroba with the endemic Caatingueira species.
Therefore, a bibliographical research was carried out on the main thematic categories, a field work was carried out
in the study area with analysis of the spectral behavior of the two species. With the analysis of the graphs of the
two species an NDVI and NDWI was generated for comparison purposes, it was found that both species have
spectral peculiarities revealing that the Caatingueira endemic species of the semiarid has some characteristics more
favorable to local conditions compared to the invasive species Algaroba However, the Algaroba presented a higher
NDVI and NDWI. This study contribute to the identification of both species in satellite images.
Palavras-chave: Spectroradiometry, Vegetation, Remote Sensing, image processing. Espectrorradiometria,
Vegetação, Sensoriamento Remoto, Processamento de imagens.
1. Introdução
O município de Curaçá, situado a norte da Bahia, caracteriza-se pelo tipo climático
semiárido com precipitação anual entre 300mm e 800mm, com distribuição irregular de chuvas
e insere-se no bioma Caatinga. De acordo com Leal (2003), esse bioma é responsável por uma
alta taxa de endemismos de fauna e flora, caracterizada por árvores baixas e arbustos adaptadas
a semiaridez que geralmente perdem suas folhas durante o período seco. A Algaroba [Prosopis
Galoá
Anais do XVIII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto -SBSR
ISBN: 978-85-17-00088-1
28 a 31 de Maio de 2017
INPE Santos - SP, Brasil
{Este trabalho foi publicado utilizando Galoá Proceedings
Galoá
Anais do XVIII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto -SBSR
ISBN: 978-85-17-00088-1
28 a 31 de Maio de 2017
INPE Santos - SP, Brasil
{Este trabalho foi publicado utilizando Galoá Proceedings
5492
juliflora (SW)DC], de acordo com Andrade (2010), é uma espécie vegetal invasora originada
do Peru que foi introduzida no semiárido nordestino com o objetivo de resolver problemas
socioeconômicos no sertão. Entretanto, a invasão biológica é um dos principais fatores de perda
de biodiversidade. Segundo Nascimento (2008), a espécie vegetal Algaroba concentra-se na
maioria das vezes em planícies aluviais ou terraços aluviais acompanhado cursos de água,
caracteriza-se como um vegetal xerófilo, arbóreo e espinhoso adaptado as condições de clima
semiárido. Para Azevedo (1982), essa espécie vegetal tem usos múltiplos, para fins de produção
de lenha, carvão e estaca, e pode ser utilizada até mesmo, para alimentação humana e animal.
Já, a Caatingueira ou também chamada de Caatinga-de-Porco [Caesalpinea bracteosa Tul]
é uma árvore de pequeno porte, endêmica do bioma caatinga da família das leguminosas, tendo
abrangência nas áreas da Caatinga do Piauí à Bahia (Nascimento 2002). Essa vegetação ocorre
em lugares pedregosos, com folhas fenadas constituindo uma boa forragem, possuindo
juntamente com suas flores a utilização medicinal caseira (Cardoso 2007).
Na atualidade o uso do Sensoriamento Remoto tem permitido com a obtenção de imagens,
em conjunto com outros dados da superfície terrestre mapear diferentes alvos (Jensen 2009).
Segundo Ponzoni et al. (2012) a aplicação das técnicas de Sensoriamento Remoto para o estudo
da vegetação em campo acontece através de radiômetros aos quais podem ser acoplados
acessórios que permitem a coleta e o registro da radiação refletida pelas folhas e demais órgãos
da planta. Nesse sentido, Lippert (2014), também relata que o equipamento de sensoriamento
remoto que pode executar um relatório gráfico da reflectância, obtidos ao longo de um faixa do
espectro eletromagnético é o espectrorradiômetro. Assim, este equipamento proporciona uma
curva espectral que descreve as propriedades radiométricas de um determinado material através
da espectroscopia de reflectância. Nesse sentido, A espectroscopia de reflectância é a técnica
avançada dentro do Sensoriamento Remoto que registra o fluxo de radiação eletromagnética
refletida por objetos, não havendo o contato físico entre o sensor e o alvo (Pinter, 2010). Dessa
forma, esse artigo tem como principal objetivo comparar o comportamento espectral da espécie
vegetal invasora Algaroba com a espécie endêmica Caatingueira.
2. Metodologia de Trabalho
A metodologia da pesquisa contou inicialmente com uma pesquisa bibliográfica sobre
Sensoriamento Remoto, Espectrorradiometria de Reflectância, Algaroba e Caatingueira. Na
sequência, foi realizado um planejamento de campo para o município de Curaçá-BA, com
geração de dados geoambientais e marcação dos pontos para o trabalho de campo. O critério
para a escolha dos pontos foi a observação, através de imagens de satélite disponíveis pelo
Google Earth, sensor Spot, das áreas favoráveis para a proliferação das espécies vegetais
Algaroba e Caatingueira, que, na maioria das vezes, concentram-se nas Planícies Fluviais
acompanhando os cursos de água. O trabalho de campo foi realizado no município de Curaçá-
BA (Figura 1) com a medição em campo do comportamento espectral da Algaroba e
Caatingueira.
Galoá
Anais do XVIII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto -SBSR
ISBN: 978-85-17-00088-1
28 a 31 de Maio de 2017
INPE Santos - SP, Brasil
{Este trabalho foi publicado utilizando Galoá Proceedings
Galoá
Anais do XVIII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto -SBSR
ISBN: 978-85-17-00088-1
28 a 31 de Maio de 2017
INPE Santos - SP, Brasil
{Este trabalho foi publicado utilizando Galoá Proceedings
5493
Figura 1. Localização do município de Curaçá-BA. No detalhe observam-se os pontos de
campo.
No campo utilizou-se o aparelho portátil de espectrorradiometria Field Spec® 4 Hi-Res
(450-2500nm), A100590. Na coleta dos espectros da planta foi utilizado dois acessórios do
equipamento espectrorradiometro ASD FiedSpec 4 Hight Resolution. O primeiro é a sonda de
contato com leaf-clip, tem como objetivo analisar o comportamento espectral da folha. Nesse
sentido, obteve-se um gráfico de assinatura espectral das duas espécies vegetais
compreendendo valores de 450 - 2500nm. Também foi realizada uma análise integrada da
paisagem nos locais em que estavam inseridas as espécies vegetais. As análises das curvas
foram processadas com o uso de geotecnologias e interpretado as suas assinaturas espectrais.
Como processamento digital dos gráficos extraiu-se o Índice de Vegetação por Diferença
Normalizada (NDVI) e o Índice da Diferença Normalizada da Água (NDWI) das duas espécies
vegetais utilizando-se o programa estatístico Origin para fins de comparação, levando em conta
os valores da Tabela 1.
Tabela 1. Índices de vegetação das espécies vegetais Algaroba e Caatingueira
Espécie Vegetal
NDVI
NDWI
Algaroba
0,723507
0,5173059
Caatingueira
0,629096
0,0011626
Galoá
Anais do XVIII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto -SBSR
ISBN: 978-85-17-00088-1
28 a 31 de Maio de 2017
INPE Santos - SP, Brasil
{Este trabalho foi publicado utilizando Galoá Proceedings
Galoá
Anais do XVIII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto -SBSR
ISBN: 978-85-17-00088-1
28 a 31 de Maio de 2017
INPE Santos - SP, Brasil
{Este trabalho foi publicado utilizando Galoá Proceedings
5494
3. Resultados e Discussão
Conforme análise em imagens de satélites observa-se que a distribuição espacial de ambas
as espécies, Algaroba [Prosopis juliflora (SW)DC] e Caatingueira [Caesalpinea bracteosa Tul]
são parecidas, concentram-se na maioria das vezes próximo de cursos fluviais e em terraços
fluviais. Em campo, as espécies vegetais Algaroba (Figura 2.A) e Caatingueira (Figura 2.B)
puderam melhores serem observadas, bem como analisadas. Em contrapartida, a diferença entre
ambas as espécies está sobretudo na fisionomia, mas pode-se confundir-se em imagens de
satélite por apresentar um mesmo padrão de distribuição espacial. Entretanto, a Caatingueira
consegue, de certa forma, competir com a Algaroba na ocupação da paisagem. Foram realizadas
medições do comportamento espectral da Caatingueira (Figura 3.A) e da Algaroba (Figura 3.B),
no município de Curaçá-BA.
Figura 2. Sítios de ocorrência da espécie Algaroba (A), e da espécie Caatingueira (B)
Figura 3. (A) Medida espectral na Caatingueira e (B) Medida espectral na Algaroba.
Observam-se sutis diferenças entre o comportamento espectral da Algaroba e da
Caatingueira (Figuras 4 e 5), ambas colhidas de um mesmo ponto do trabalho de campo
realizado em Curaçá-BA, próximas de um curso fluvial intermitente. As espécies possuem as
suas peculiaridades em assinatura espectral, mas podem-se ter mais particularidades no formato
das curvas nos pontos de absorção de clorofila na região do visível e de água na região do
(A)
(B)
Galoá
Anais do XVIII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto -SBSR
ISBN: 978-85-17-00088-1
28 a 31 de Maio de 2017
INPE Santos - SP, Brasil
{Este trabalho foi publicado utilizando Galoá Proceedings
Galoá
Anais do XVIII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto -SBSR
ISBN: 978-85-17-00088-1
28 a 31 de Maio de 2017
INPE Santos - SP, Brasil
{Este trabalho foi publicado utilizando Galoá Proceedings
5495
infravermelho médio, com curvas com diferenças na profundidade das bandas de reflexão e de
absorção.
Figura 4. Comportamento espectral da Algaroba
Figura 5. Comportamento espectral da Caatingueira
Na região do visível (400nm 700nm), a estrutura da clorofila e os níveis de reflectância
são diferentes entre as duas espécies vegetais, enquanto que a Algaroba possui uma absorção
maior de clorofila, a Catingueira apresenta uma absorção menor. No infravermelho próximo
(700nm 1300nm), a estrutura celular possui suas peculiaridades em termos de absorção entre
as duas espécies com estruturas diferenciadas. Já na região do infravermelho médio (1300nm
2600nm), as áreas de absorção de água da Algaroba apresentaram-se maiores. Segundo Ponzoni
(2002), o comportamento espectral de uma folha acontece de acordo com sua composição,
morfologia e estrutura interna.
ABSORÇÃO DE H²O
ABSORÇÃO DE
H²O
Clorofila
Clorofila
ABSORÇÃO DE H²O
ABSORÇÃO DE
H²O
Galoá
Anais do XVIII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto -SBSR
ISBN: 978-85-17-00088-1
28 a 31 de Maio de 2017
INPE Santos - SP, Brasil
{Este trabalho foi publicado utilizando Galoá Proceedings
Galoá
Anais do XVIII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto -SBSR
ISBN: 978-85-17-00088-1
28 a 31 de Maio de 2017
INPE Santos - SP, Brasil
{Este trabalho foi publicado utilizando Galoá Proceedings
5496
Com o cálculo do Índice de Vegetação por Diferença Normalizada (NDVI) e do Índice da
Diferença Normalizada da Água (NDWI) da Algaroba e da Caatingueira (Tabela 1), verifica-
se um maior NDVI e NDWI da Algaroba com valor de 0,7 e 0,5. Gausman (1985) relata que
os fatores que afetam na reflectância das folhas são o conteúdo da água, maturação ou idade da
folha, posição nodal, as condições de iluminação, pubescência e senescência. Já Moreira (2007)
relata que a região do visível compõe a radiação eletromagnética de 400 a 700nm, sendo que
parte dessa radiação que incide sobre o dossel da vegetação é absorvido pelos pigmentos
fotossintetizantes das folhas que são compostos por clorofilas em maior quantidade.
4. Conclusões
Através da análise do comportamento espectral da Algaroba e da Caatingueira em ambiente
semiárido do município de Curaçá-BA, foi possível verificar que ambas as espécies possuem
distribuição geográfica parecidas, concentrando-se, sobretudo, próximo de drenagens fluviais,
entretanto, o seus comportamentos espectrais revelaram que a Caatingueira espécie endêmica
do semiárido possui algumas características mais favoráveis as condições locais, com uma
absorção de água menor em comparação com a Algaroba na região do infravermelho médio,
demonstrando que a Caatingueira poderia ser mais adaptada em questões de semiaridez. Em
contrapartida, a Algaroba espécie invasora do semiárido, apresentou nas avaliações
espectrorradiométricas uma absorção maior de clorofila na região do visível e um maior NDVI
e NDWI.
As características espectrais da Algaroba e Caatingueira podem de certa forma contribuir
para identificação de ambas as espécies em imagens de satélite. Nesse sentido, uma
identificação em imagens, colaboraria para o monitoramento dessas espécies vegetais,
principalmente da Algaroba, espécie invasora da caatinga. Nesse contexto, observa-se que a
invasão biológica é um dos principais fatores de perda de biodiversidade, a Algaroba poderia
ser um risco para a biodiversidade vegetal do semiárido, uma vez que compete por espaço na
paisagem natural, vencendo na maioria das vezes a competição e tendo grande facilidade de
proliferação. Entretanto, a Caatingueira, poderia ser uma alternativa contra a invasão biológica,
uma vez que consegue competir com a Algaroba vencendo a competição por o espaço natural,
além de ser uma espécie endêmica muito mais adaptada as condições locais.
5. Referências
Andrade, L.A. Impactos da invasão de Prosopisjuliflora (sw.) DC. (Fabaceae) sobre o estrato arbustivo-
arbóreo em áreas de Caatinga no Estado da Paraíba, Brasil. Maringá: Acta Scientiarum Biological Sciences,
2010.
Azevedo, C.F. Algarobeira na alimentação animal e humana. In: Simsio Brasileiro Sobre Algaroba 1, 1982,
Natal. Algaroba. Natal: EMPARN, 1982.
Cardoso, E. A.; Alves, E. U.; Andrade, L. A ; Wanderley, P.A. ; Oliveira, A. P.; Gonçalves, G.S. ; Silva, K. B. ;
Alves, A. U. . Emergência e desenvolvimento inicial de plântulas de catingueira. In: 47 Congresso Brasileiro
de Olericultura, 2007, Porto seguro Bahia. Emergência e desenvolvimento inicial de plântulas de catingueira.
Campinas: ABH, 2007.
Gausman, H. W. Leaf reflectance of near-infrared. Photogrammetric Engineering and Remote Sensing, v. 51,
n. 11, p. 1725-1734, 1985.
Jensen, J.R. Sensoriamento remoto do ambiente: uma perspectiva em recursos terrestres. São José dos
Campos: Parêntese, 2009. 604 p.
Leal, I.R. Ecologia e conservação da Caatinga. Recife: Editora Universitária da UFPE, 2003.
Galoá
Anais do XVIII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto -SBSR
ISBN: 978-85-17-00088-1
28 a 31 de Maio de 2017
INPE Santos - SP, Brasil
{Este trabalho foi publicado utilizando Galoá Proceedings
Galoá
Anais do XVIII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto -SBSR
ISBN: 978-85-17-00088-1
28 a 31 de Maio de 2017
INPE Santos - SP, Brasil
{Este trabalho foi publicado utilizando Galoá Proceedings
5497
Lippert, D.B; Benedetti, A.C.P.; Nunes, M.M.C.; Kervald, L.A. Schuh, M.S. Pereira, R.S. Spectroradiometry of
Commercial Wood Veneers in the visible and Near Infrared Spectra. Curitiba, PR: Floresta. 2014.
Pinter, P.; Saldanha, D.L. Espectrorradiometria de rochas vulcanicas e suas alterações. In: Salão de Iniciação
Científica UFRGS, 2010, Porto Alegre. Salão de Iniciação Científica - UFRGS. Porto Alegre: Universidade
Federal do Rio Grande do Sul, 2010. v. 1. p. 1-1.
Moreira, M. A. Fundamentos do sensoriamento remoto e metodologias de aplicação. 3ª ed. atual. ampl. Viçosa:
UFV, 2007. 320 p.: il.
Nascimento, C.E.S. Comportamento invasor da Algarobeira, Prosopisjuliflora(Sw) DC. nas planícies
aluviais da Caatinga. 2008.116f.Tese (Doutorado em Biologia Vegetal) Universidade Federal de Pernambuco,
2008.
Nascimento, H.T.S. Nascimento, M.S.C.B. Ribeiro, V.Q. Caatingueira Forrageira nativa para a fenação.
Teresina PI: Embrapa, 2002.
Ponzoni, F. J.; Shimabukuro, Yosio Edemir ; Kuplich, T. M.. Sensoriamento Remoto da Vegetação. 2. ed. São
Paulo: Oficina de Textos, 2012. v. 1. 176p .
Galoá
Anais do XVIII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto -SBSR
ISBN: 978-85-17-00088-1
28 a 31 de Maio de 2017
INPE Santos - SP, Brasil
{Este trabalho foi publicado utilizando Galoá Proceedings
Galoá
Anais do XVIII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto -SBSR
ISBN: 978-85-17-00088-1
28 a 31 de Maio de 2017
INPE Santos - SP, Brasil
{Este trabalho foi publicado utilizando Galoá Proceedings
5498
ResearchGate has not been able to resolve any citations for this publication.
Article
Full-text available
This study aimed to analyze the special response in ten commercial wood veneers from ten forest species, in the visible and near-infrared regions of the electromagnetic specturm . Reflectance of samples was obtained using a Field Spec®3 spectroradiometer. Results were verified through the analysis of variance followed by a Tukey range test on multiple means, which showed significant differences in both the analyzed spectral regions for the studied species. The most expressive diferences were observed in the visible region and occurred between the"tauari" and "nogueira" wood veneers. Those results may be due to the chemical properties of the analyzed material, to the cellulose content, to the proportion of the components in the cell wall and to the extractives in the lumen, to microfibril angle, density and to resistance and stiffness properties. Therefore, the applied technique was a tool capable to identify reflectance variations in regions of the electromagnetic spectrum which correspond to peculiar colorimetric characteristics of each species.
Article
Full-text available
Estima-se que as áreas invadidas por algaroba – Prosopis juliflora (Sw.) DC. (Fabaceae) no semi-árido nordestino já ultrapassam um milhão de hectares. O presente trabalho objetivou estudar os impactos da invasão de P. juliflora sobre a fitodiversidade e a estrutura do componente arbustivo-arbóreo, em remanescentes de caatinga no Estado da Paraíba. Usando-se o método de parcelas, foram amostrados quatro ambientes, nos quais os indivíduos de todas as espécies arbustivas e arbóreas foram inventariados e medidos, estimando-se os parâmetros estruturais das comunidades. Também foi calculada a diversidade, pelo índice de Shannon-Wiener (H') e o índice de impacto ambiental de exóticas (IIAE). No total, foram amostradas 19 famílias, 35 gêneros e 39 espécies. A invasora foi responsável por mais de 70% de toda a estrutura dos ambientes inventariados. A baixa diversidade e o elevado valor de impacto ambiental obtidos para os ambientes invadidos revelaram, conjuntamente com os dados de estrutura das populações, os graves impactos que P. juliflora provoca nas comunidades invadidas. Evidencia-se com isso a formação de sistemas monodominados pela espécie invasora, o que revela a necessidade de controle efetivo de P. juliflora para se proteger o patrimônio genético autóctone. Palavras-chave: invasão biológica, algaroba, fitodiversidade.
Algarobeira na alimentação animal e humana
  • C F Azevedo
Azevedo, C.F. Algarobeira na alimentação animal e humana. In: Simpósio Brasileiro Sobre Algaroba 1, 1982, Natal. Algaroba. Natal: EMPARN, 1982.
Emergência e desenvolvimento inicial de plântulas de catingueira
  • E A Cardoso
  • E U Alves
  • L Andrade
  • P A Wanderley
  • A P Oliveira
  • G S Gonçalves
  • K B Silva
  • A U Alves
Cardoso, E. A.; Alves, E. U.; Andrade, L. A ; Wanderley, P.A. ; Oliveira, A. P.; Gonçalves, G.S. ; Silva, K. B. ; Alves, A. U.. Emergência e desenvolvimento inicial de plântulas de catingueira. In: 47 Congresso Brasileiro de Olericultura, 2007, Porto seguro Bahia. Emergência e desenvolvimento inicial de plântulas de catingueira. Campinas: ABH, 2007.
Leaf reflectance of near-infrared. Photogrammetric Engineering and Remote Sensing
  • H W Gausman
Gausman, H. W. Leaf reflectance of near-infrared. Photogrammetric Engineering and Remote Sensing, v. 51, n. 11, p. 1725-1734, 1985.
Sensoriamento remoto do ambiente: uma perspectiva em recursos terrestres
  • J R Jensen
Jensen, J.R. Sensoriamento remoto do ambiente: uma perspectiva em recursos terrestres. São José dos Campos: Parêntese, 2009. 604 p.
Recife: Editora Universitária da UFPE
  • I R Leal
  • Ecologia E Conservação Da Caatinga
Leal, I.R. Ecologia e conservação da Caatinga. Recife: Editora Universitária da UFPE, 2003.
Fundamentos do sensoriamento remoto e metodologias de aplicação
  • M A Moreira
Moreira, M. A. Fundamentos do sensoriamento remoto e metodologias de aplicação. 3ª ed. atual. ampl. Viçosa: UFV, 2007. 320 p.: il.
Comportamento invasor da Algarobeira, Prosopisjuliflora(Sw) DC. nas planícies aluviais da Caatinga. 2008.116f.Tese (Doutorado em Biologia Vegetal
  • C E S Nascimento
Nascimento, C.E.S. Comportamento invasor da Algarobeira, Prosopisjuliflora(Sw) DC. nas planícies aluviais da Caatinga. 2008.116f.Tese (Doutorado em Biologia Vegetal) -Universidade Federal de Pernambuco, 2008.
Caatingueira -Forrageira nativa para a fenação
  • H T S Nascimento
  • M S C B Nascimento
  • V Q Ribeiro
Nascimento, H.T.S. Nascimento, M.S.C.B. Ribeiro, V.Q. Caatingueira -Forrageira nativa para a fenação. Teresina -PI: Embrapa, 2002.