Technical ReportPDF Available

POP 2: Disponibilidade de serviços na bridge DICOM - Sistema Catarinense de Telemedicina e Telessaúde

Authors:

Abstract

QUAL É O OBJETIVO DESTE POP? O objetivo deste POP é verificar se os serviços relacionados a banco de dados, conteúdo DICOM, worklist e integração com sistemas de informação hospitalar (Hospital Information Systems - HIS) estão devidamente configurados e funcionando. POR QUE EXISTE ESTE POP? Este POP existe para auxiliar na verificação do funcionamento dos serviços relacionados a dados e imagens médicas disponibilizados pela bridge DICOM. PARA QUEM SE DESTINA ESTE POP? Este POP se destina a analistas e técnicos de TI responsáveis pela instalação, configuração e manutenção dos serviços ofertados pela bridge DICOM no estabelecimento de saúde. QUANDO ESTE POP DEVE SER SEGUIDO? Este POP deve ser seguido quando: 1. equipamentos utilizados na aquisição de imagens acusarem falhas no envio e/ou armazenamento de conteúdo no sistema PACS (Picture Archiving and Communication System); 2. registros de worklist não forem disponibilizados aos equipamentos utilizados na aquisição de imagens; 3. registros de agendamento de exames feitos no HIS e/ou exames executados sem worklist e enviados diretamente ao PACS não estiverem disponíveis no Sistema Integrado Catarinense de Telemedicina e Telessaúde (STT/SC).
ISSN 2236-5281
Relatório Técnico
INCoD/TELEMED.11.2018.P
POP 2: Disponibilidade
de serviços na bridge
DICOM
Sistema Catarinense de
Telemedicina e Telessaúde
Autores:
Aldo von Wangenheim
Alexandre Savaris
Alexandre Augusto Gimenes Marquez Filho
Miriam Nathalie Fortuna Ferreira
Versão 1.0
Status: Parcial ou Final
Distribuição: Interna ou Externa
DEZEMBRO - 2018
© 2014 INCoD – Instituto Nacional para Convergência Digital
Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998.
Nenhuma parte deste documento, sem autorização prévia por escrito
do Instituto, poderá ser reproduzida ou transmitida sejam quais
forem os meio empregados: eletrônicos, mecânicos, fotográcos,
gravação ou quaisquer outros.
INCoD – Instituto Nacional para Convergência Digital
Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC
Campus Universitário João David Ferreira Lima - Trindade
Departamento de Informática e Estatística - Sala 320
Florianópolis-SC - CEP 88040-970
Fone: 55 48 3721-4715
www.incod.ufsc.br
ISSN 2236-5281
Relatório Técnico do Instituto Nacional para Convergência Digital/
Departamento de Informática e Estatística, Centro Tecnológico,
Universidade Federal de Santa Catarina. -- v.1, n.1 (2011).-- Florianópolis:
INE, UFSC, 2011 - Semestral
Resumo em português
ISSN 2236-5281
1. Convergência digital. 2. Tecnologia da informação.
3. Informática na saúde. 4. Mídia digital I. Universidade Federal
de Santa Catarina. Departamento de Informática e Estatística.
POP 2: Disponibilidade
de serviços na bridge
DICOM
Sistema Catarinense de
Telemedicina e Telessaúde
Autores:
Aldo von Wangenheim
Alexandre Savaris
Alexandre Augusto Gimenes Marquez Filho
Miriam Nathalie Fortuna Ferreira
Versão 1.0
Status: Parcial ou Final
Distribuição: Interna ou Externa
DEZEMBRO - 2018
A visão do INCoD – Instituto Nacional
para Convergência Digital – é ser referência
de excelência na pesquisa, validação e
disseminação de tecnologias de serviços,
linguagens e formas de apresentação e
formatação de conteúdo e padrões de
qualidade, usabilidade e comunicação que
suportem a convergência digital, por meio do
desenvolvimento de tecnologias inovadoras e
da formação de prossionais competentes e
empreendedores.
Considerando-se as diferentes plataformas
de veiculação de conteúdo e serviços digitais,
o grau de maturidade e disseminação da
discussão e padronização de modelos de
conteúdo e formas de apresentação de
serviços encontra-se muito diverso e longe
de apresentar um modelo coeso. Assim, para
serviços na Internet essa discussão se encontra
avançada, enquanto que na TVDi a discussão
nos últimos anos esteve centrada em padrões
de transmissão e de middleware.
Entendemos que o grau de maturidade
atingido pelas principais plataformas
tecnológicas, a Internet, a telefonia móvel
de banda larga e a TVDi, é tal, que se pode
iniciar atividades de P&D&I voltadas para o
desenvolvimento e padronização de serviços
e formas de apresentação de conteúdo que
permitam tanto a migração transparente
do usuário entre estas plataformas quanto
facilitem a oferta integrada de serviços para
várias plataformas.
Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC
Campus Universitário João David Ferreira Lima
Departamento de Informática e Estatística - Sala 320 -
Trindade
Florianópolis/SC - CEP 88040-970
Fone: +55 48 3721-4715
www.incod.ufsc
ÍNDICE
POP 2 Disponibilidade de serviços na bridge DICOM....................8
Qual é o objetivo deste POP? .................................................................................... 8
Por que existe este POP? ........................................................................................... 8
Para quem se destina este POP? .............................................................................. 8
Quando este POP deve ser seguido? ....................................................................... 8
FLUXOGRAMA ..................................................................................10
1. Fluxo principal .............................................................................11
1.1 - Testar a conectividade com o SGBD ............................................................... 11
1.2 - Testar o acesso aos bancos de dados ............................................................ 11
1.3 - Testar a conectividade DICOM ........................................................................ 11
1.4 - Testar o acesso ao serviço de integração e worklist (quando aplicável).....12
1.5 - Testar a comunicação de um equipamento para aquisição de imagens
com a bridge DICOM .................................................................................................. 13
2. Fluxos secundários .....................................................................14
2.1 - Reinicializar o serviço do SGBD ....................................................................... 14
2.2 - Analisar logs do SGBD e do sistema operacional .......................................... 15
2.3 - Reinicializar o serviço do PACS ........................................................................ 16
2.4 - Analisar logs do PACS e do sistema operacional ........................................... 16
2.5 - Reinicializar o serviço de integração ...............................................................17
2.6 - Analisar logs do serviço de integração e do sistema operacional ............... 18
2.7 - Analisar/congurar os serviços de rede do equipamento ...........................18
2.8 - Contactar o suporte especializado para analisar/congurar o
equipamento .............................................................................................................. 19
Checklist ...........................................................................................20
POP 2
Disponibilidade de serviços na
bridge
DICOM
INCoD - Instituto Nacional para Convergência Digital
8
POP 2. Disponibilidade de serviços na bridge DICOM / Dezembro de 2018
POP 2 - DISPONIBILIDADE DE SERVIÇOS NA BRIDGE
DICOM
QUAL É O OBJETIVO DESTE POP?
O objetivo deste POP é vericar se os serviços relacionados a banco
de dados, conteúdo DICOM, worklist e integração com sistemas
de informação hospitalar (Hospital Information Systems - HIS) estão
devidamente congurados e funcionando.
POR QUE EXISTE ESTE POP?
Este POP existe para auxiliar na vericação do funcionamento dos
serviços relacionados a dados e imagens médicas disponibilizados
pela bridge DICOM.
PARA QUEM SE DESTINA ESTE POP?
Este POP se destina a analistas e técnicos de TI responsáveis pela
instalação, conguração e manutenção dos serviços ofertados pela
bridge DICOM no estabelecimento de saúde.
QUANDO ESTE POP DEVE SER SEGUIDO?
Este POP deve ser seguido quando:
1. equipamentos utilizados na aquisição de imagens acusarem falhas
no envio e/ou armazenamento de conteúdo no sistema PACS
(Picture Archiving and Communication System);
2. registros de worklist não forem disponibilizados aos equipamentos
utilizados na aquisição de imagens;
3. registros de agendamento de exames feitos no HIS e/ou exames
executados sem worklist e enviados diretamente ao PACS não
estiverem disponíveis no Sistema Integrado Catarinense de
Telemedicina e Telessaúde (STT/SC).
GLOSSÁRIO DE TERMOS UTILIZADOS NESTE POP
<path_para_os_scripts> Path (caminho) onde foram
disponibilizados os scripts de teste
utilizados no POP no momento da
instalação da bridge DICOM.
<aetitle_da_bridge> AE Title atribuído à bridge DICOM no
momento da implantação do serviço de
Telemedicina no estabelecimento de
saúde.
<serviço_sgdb> Nome do serviço do SGDB no sistema
operacional da bridge DICOM.
<path_log_sgdb> Path (caminho) para os arquivos de log
registrados pelo SGBD.
INCoD - Instituto Nacional para Convergência Digital 9
Dezembro de 2018 / POP 2. Disponibilidade de serviços na bridge DICOM
<path_log_sistema_
operacional>
Path (caminho) para os arquivos de log
de eventos registrados pelo sistema
operacional.
<serviço_pacs> Nome do serviço do PACS no sistema
operacional da bridge DICOM.
<path_log_pacs> Path (caminho) para os arquivos de log
registrados pelo PACS.
<serviço_integração> Nome do serviço de integração no sistema
operacional da bridge DICOM.
<path_log_integração> Path (caminho) para os arquivos de log
registrados pelo serviço de integração.
INCoD - Instituto Nacional para Convergência Digital
10
POP 2. Disponibilidade de serviços na bridge DICOM / Dezembro de 2018
Figura 1 - Fluxograma para vericação da disponibilidade de serviços na bridge DICOM.
FLUXOGRAMA
INCoD - Instituto Nacional para Convergência Digital 11
Dezembro de 2018 / POP 2. Disponibilidade de serviços na bridge DICOM
1. FLUXO PRINCIPAL
1.1 - TESTAR A CONECTIVIDADE COM O SGBD
1.1.1 O teste de conectividade com o SGBD (Sistema Gerenciador
de Banco de Dados) visa avaliar a disponibilidade do serviço de
armazenamento de dados oferecido pela bridge DICOM. O mesmo
deve ser executado a partir da linha de comando/shell disponibilizado
pelo sistema operacional da bridge, utilizando-se do script <path_
para_os_scripts>\pop2-proc1-1.bat (para instalações
Windows) ou <path_para_os_scripts>/pop2-proc1-1.sh
(para instalações Linux).
1.1.2 Como resultado de sua execução o script retorna uma
mensagem de texto prexada com [Sucesso] (caso o teste tenha
sido bem sucedido) ou [Falha] (caso o serviço esteja indisponível).
1.1.3 Caso o teste de conectividade seja bem sucedido, deve-se
seguir para o procedimento 1.2; caso contrário, deve-se seguir para
o procedimento 2.1.
1.2 - TESTAR O ACESSO AOS BANCOS DE DADOS
1.2.1 O teste de acesso aos bancos de dados hospedados na bridge
DICOM visa avaliar a disponibilidade dos repositórios para os serviços
de agendamento, worklist e metadados das imagens adquiridas pelo
estabelecimento de saúde. O mesmo deve ser executado a partir da
linha de comando/shell disponibilizado pelo sistema operacional da
bridge, utilizando-se do script <path_para_os_scripts>\pop2-
proc1-2.bat (para instalações Windows) ou <path_para_os_
scripts>/pop2-proc1-2.sh (para instalações Linux).
1.2.2 Como resultado de sua execução o script retorna mensagens
de texto prexadas com [Sucesso] (indicando os bancos de dados
que puderam ser acessados) ou [Falha] (indicando os bancos de
dados que não puderam ser acessados).
1.2.3 Caso o teste de acesso seja bem sucedido, deve-se seguir
para o procedimento 1.3; caso contrário, deve-se seguir para o
procedimento 2.2.
INCoD - Instituto Nacional para Convergência Digital
12
POP 2. Disponibilidade de serviços na bridge DICOM / Dezembro de 2018
1.3 - TESTAR A CONECTIVIDADE DICOM
1.3.1 O teste de conectividade visa avaliar se a bridge, vista como
um AE Title da rede PACS do STT/SC, responde a requisições de
comunicação de acordo com o padrão DICOM. O mesmo deve ser
executado a partir da linha de comando/shell disponibilizado pelo
sistema operacional da bridge, utilizando-se do script <path_para_
os_scripts>\pop2-proc1-3.bat <aetitle_da_bridge>
(para instalações Windows) ou <path_para_os_scripts>/pop2-
proc1-3.sh <aetitle_da_bridge> (para instalações Linux).
1.3.2 Como resultado de sua execução o script retorna uma
mensagem de texto prexada com [Sucesso] (caso o teste tenha
sido bem sucedido) ou [Falha] (caso o AE Title não responda à
requisição de comunicação).
1.3.3 Caso o teste de conectividade seja bem sucedido, deve-se
seguir para o procedimento 1.4; caso contrário, deve-se seguir para
o procedimento 2.3.
1.4 - TESTAR O ACESSO AO SERVIÇO DE INTEGRAÇÃO E WORKLIST
(QUANDO APLICÁVEL)
1.4.1 O teste de acesso aos serviços de integração e worklist
(quando aplicável) visa avaliar se os processos referentes ao
engine de integração utilizado pela bridge DICOM (Mirth Connect)
estão ativos, vericando seu funcionamento através de envio de
mensagens. É vericada também a disponibilidade de acesso à
worklist via operações de busca e recuperação de conteúdo. Esses
testes deverão ser executados a partir da linha de comando/shell
disponibilizado pelo sistema operacional da bridge, utilizando-
se do script <path_para_os_scripts>\pop2-proc1-4.bat
<aetitle_da_bridge> (para instalações Windows) ou <path_
para_os_scripts>/pop2-proc1-4.sh <aetitle_da_bridge>
(para instalações Linux).
1.4.2 Como resultado de sua execução o script retorna mensagens
de texto prexadas com [Sucesso] (indicando os serviços que
estão disponíveis e funcionais) ou [Falha] (indicando os serviços
que não puderam ser acessados e/ou não puderam ser avaliados).
1.4.3 Caso o teste de acesso seja bem sucedido, deve-se seguir
INCoD - Instituto Nacional para Convergência Digital 13
Dezembro de 2018 / POP 2. Disponibilidade de serviços na bridge DICOM
para o procedimento 1.5; caso contrário, deve-se seguir para o
procedimento 2.5.
1.5 - TESTAR A COMUNICAÇÃO DE UM EQUIPAMENTO PARA
AQUISIÇÃO DE IMAGENS COM A BRIDGE DICOM
1.5.1 O teste de comunicação de um equipamento com a bridge
DICOM objetiva avaliar se a bridge está acessível e se o serviço
de armazenamento de imagens está disponível para uso. Para
sua execução é necessário o acompanhamento de um técnico do
estabelecimento de saúde devidamente capacitado a operar o
equipamento.
1.5.2 A primeira etapa do teste consiste no envio de uma mensagem
do tipo C-ECHO (denida no padrão DICOM), a partir do equipamento
e com destino ao <aetitle_da_bridge>, para vericar a
comunicação entre ambos.
1.5.3 A segunda etapa consiste na criação de um exame de teste no
equipamento (utilizando dados de um paciente ctício, juntamente
com uma imagem), seguida do envio dos dados à bridge DICOM
para vericar a disponibilidade do serviço de armazenamento de
conteúdo.
1.5.4 - Caso o teste de comunicação seja bem sucedido, o uxo
principal do POP é concluído e os serviços da bridge DICOM
encontram-se disponíveis e acessíveis; caso contrário, deve-se seguir
para o procedimento 2.7.
INCoD - Instituto Nacional para Convergência Digital
14
POP 2. Disponibilidade de serviços na bridge DICOM / Dezembro de 2018
2. FLUXOS SECUNDÁRIOS
2.1 - REINICIALIZAR O SERVIÇO DO SGBD
2.1.1 A reinicialização do serviço do SGBD objetiva resolver
problemas de conectividade identicados no procedimento
1.1. Sua execução depende do sistema operacional utilizado na
bridge DICOM.
2.1.2 Para bridges DICOM instaladas e conguradas em servidores
Windows deverá ser utilizado o aplicativo para conguração e
gerenciamento de serviços (vide Figura 2), de acordo com os
passos a seguir:
1. a partir da linha de comando, localizar e executar o aplicativo
services.msc ;
2. na interface exibida pelo aplicativo, localizar e abrir com um
duplo clique o processo identicado por <serviço_sgdb>;
3. clicar no botão “Parar”, aguardando a conclusão da ação;
4. clicar no botão “Iniciar”, aguardando a conclusão da ação.
Figura 2 - Serviços em uma bridge DICOM congurada em Windows.
INCoD - Instituto Nacional para Convergência Digital 15
Dezembro de 2018 / POP 2. Disponibilidade de serviços na bridge DICOM
2.1.3 Para bridges DICOM instaladas e conguradas em servidores
Linux deverá ser utilizado o utilitário para execução de scripts de
inicialização de acordo com os passos a seguir:
1. a partir do shell, executar: service <serviço_sgdb>
restart ;
2. aguardar a conclusão do processo de reinicialização.
2.1.4 Caso os processos do SGDB tenham sido reinicializados
com sucesso, deve-se retornar para o procedimento 1.1; caso
contrário, deve-se seguir para o procedimento 2.2.
2.2 - ANALISAR LOGS DO SGBD E DO SISTEMA OPERACIONAL
2.2.1 Caso a reinicialização dos processos do SGBD não tenha
resolvido os problemas de conectividade identicados, deverão
ser analisados os logs registrados pelo SGBD e/ou os logs de
eventos registrados pelo sistema operacional da bridge DICOM.
2.2.2 Os arquivos de log do SGBD e os arquivos de log de eventos
do sistema operacional serão encontrados, respectivamente, em
<path_log_sgdb> e <path_log_sistema_operacional>.
Os mesmos poderão ser visualizados com editores de texto ou
utilitários do sistema operacional para visualização de conteúdo
textual.
2.2.3 O conteúdo dos arquivos de log deverá ser avaliado com o
objetivo de identicar erros (tanto do SGBD quanto do sistema
operacional) que impeçam os processos relacionados de serem
reinicializados. Uma vez identicados os erros, devem ser dados
encaminhamentos para a sua correção - o que pode envolver
ajustes de conguração e/ou intervenções em componentes
relacionados ao SGBD ou ao sistema operacional da bridge.
2.2.4 Caso a análise dos logs e as eventuais intervenções
necessárias tenham sido realizadas com sucesso, deve-se
retornar para o procedimento 1.1; caso contrário, deve ser
contactado o suporte da Central Estadual de Telemedicina para
providências - detalhando os procedimentos executados até o
momento e reportando a situação da bridge DICOM com relação
à conectividade ao SGBD.
INCoD - Instituto Nacional para Convergência Digital
16
POP 2. Disponibilidade de serviços na bridge DICOM / Dezembro de 2018
2.3 - REINICIALIZAR O SERVIÇO DO PACS
2.3.1 A reinicialização do serviço do PACS objetiva resolver
problemas de conectividade identicados no procedimento
1.3. Sua execução depende do sistema operacional utilizado na
bridge DICOM.
2.3.2 Para bridges DICOM instaladas e conguradas em servidores
Windows deverá ser utilizado o aplicativo para conguração e
gerenciamento de serviços (vide Figura 2), de acordo com os
passos a seguir:
1. a partir da linha de comando, localizar e executar o aplicativo
services.msc ;
2. na interface exibida pelo aplicativo, localizar e abrir com um
duplo clique o processo identicado por <serviço_pacs>;
3. clicar no botão “Parar”, aguardando a conclusão da ação;
4. clicar no botão “Iniciar”, aguardando a conclusão da ação.
2.3.3 Para bridges DICOM instaladas e conguradas em
servidores Linux deverá ser utilizado o utilitário para execução
de scripts de inicialização de acordo com os passos a seguir:
1. a partir do shell, executar: service <serviço_pacs>
restart ;
aguardar a conclusão do processo de reinicialização.
2.3.4 Caso os processos do PACS tenham sido reinicializados
com sucesso, deve-se retornar para o procedimento 1.3; caso
contrário, deve-se seguir para o procedimento 2.4.
2.4 - ANALISAR LOGS DO PACS E DO SISTEMA OPERACIONAL
2.4.1 Caso a reinicialização dos processos do PACS não tenha
resolvido os problemas de conectividade identicados, deverão
ser analisados os logs registrados pelo PACS e/ou os logs de
eventos registrados pelo sistema operacional da bridge DICOM.
2.4.2 Os arquivos de log do PACS e os arquivos de log de eventos
do sistema operacional serão encontrados, respectivamente, em
<path_log_pacs> e <path_log_sistema_operacional>.
Os mesmos poderão ser visualizados com editores de texto ou
utilitários do sistema operacional para visualização de conteúdo
INCoD - Instituto Nacional para Convergência Digital 17
Dezembro de 2018 / POP 2. Disponibilidade de serviços na bridge DICOM
textual.
2.4.3 O conteúdo dos arquivos de log deverá ser avaliado com o
objetivo de identicar erros (tanto do PACS quanto do sistema
operacional) que impeçam os processos relacionados de serem
reinicializados. Uma vez identicados os erros, devem ser dados
encaminhamentos para a sua correção - o que pode envolver
ajustes de conguração e/ou intervenções em componentes
relacionados ao PACS ou ao sistema operacional da bridge.
2.4.4 Caso a análise dos logs e as eventuais intervenções
necessárias tenham sido realizadas com sucesso, deve-se
retornar para o procedimento 1.3; caso contrário, deve ser
contactado o suporte da Central Estadual de Telemedicina para
providências - detalhando os procedimentos executados até o
momento e reportando a situação da bridge DICOM com relação
à conectividade ao PACS.
2.5 - REINICIALIZAR O SERVIÇO DE INTEGRAÇÃO
2.5.1 A reinicialização do serviço de integração objetiva resolver
problemas de acesso identicados no procedimento 1.4. Sua
execução depende do sistema operacional utilizado na bridge
DICOM.
2.5.2 Para bridges DICOM instaladas e conguradas em servidores
Windows deverá ser utilizado o aplicativo para conguração e
gerenciamento de serviços (vide Figura 2), de acordo com os
passos a seguir:
1. a partir da linha de comando, localizar e executar o aplicativo
services.msc ;
2. na interface exibida pelo aplicativo, localizar e abrir com
um duplo clique o processo identicado por <serviço_
integração>;
3. clicar no botão “Parar”, aguardando a conclusão da ação;
4. clicar no botão “Iniciar”, aguardando a conclusão da ação.
2.5.3 Para bridges DICOM instaladas e conguradas em servidores
Linux deverá ser utilizado o utilitário para execução de scripts de
inicialização de acordo com os passos a seguir:
1. a partir do shell, executar: service <serviço_integração>
restart ;
INCoD - Instituto Nacional para Convergência Digital
18
POP 2. Disponibilidade de serviços na bridge DICOM / Dezembro de 2018
2. aguardar a conclusão do processo de reinicialização.
2.5.4 Caso os processos relacionados ao serviço de integração
tenham sido reinicializados com sucesso, deve-se retornar
para o procedimento 1.4; caso contrário, deve-se seguir para o
procedimento 2.6.
2.6 - ANALISAR LOGS DO SERVIÇO DE INTEGRAÇÃO E DO
SISTEMA OPERACIONAL
2.6.1 Caso a reinicialização dos processos relacionados ao
serviço de integração não tenha resolvido os problemas de
acesso identicados, deverão ser analisados os logs registrados
pelo serviço de integração e/ou os logs de eventos registrados
pelo sistema operacional da bridge DICOM.
2.6.2 Os arquivos de log do serviço de integração e os arquivos
de log de eventos do sistema operacional serão encontrados,
respectivamente, em <path_log_integração> e <path_
log_sistema_operacional>. Os mesmos poderão ser
visualizados com editores de texto ou utilitários do sistema
operacional para visualização de conteúdo textual.
2.6.3 O conteúdo dos arquivos de log deverá ser avaliado com
o objetivo de identicar erros (tanto do serviço de integração
quanto do sistema operacional) que impeçam os processos
relacionados de serem reinicializados. Uma vez identicados
os erros, devem ser dados encaminhamentos para a sua
correção - o que pode envolver ajustes de conguração e/ou
intervenções em componentes relacionados ao serviço de
integração ou ao sistema operacional da bridge.
2.6.4 Caso a análise dos logs e as eventuais intervenções
necessárias tenham sido realizadas com sucesso, deve-se
retornar para o procedimento 1.4; caso contrário, deve ser
contactado o suporte da Central Estadual de Telemedicina
para providências - detalhando os procedimentos executados
até o momento e reportando a situação da bridge DICOM com
relação ao acesso aos serviços de integração.
INCoD - Instituto Nacional para Convergência Digital 19
Dezembro de 2018 / POP 2. Disponibilidade de serviços na bridge DICOM
2.7 - ANALISAR/CONFIGURAR OS SERVIÇOS DE REDE DO
EQUIPAMENTO
2.7.1 A análise dos serviços de rede no equipamento para
aquisição de imagens objetiva vericar congurações que
comprometam a comunicação bidirecional do mesmo com a
bridge DICOM, incluindo a vericação do cabeamento físico.
2.7.2 Faz parte da análise a vericação de possíveis bloqueios
de comunicação relacionados a outros ativos de rede (por
exemplo: rewall) instalados na rede local do estabelecimento
de saúde. Assim, é importante o acompanhamento por parte
do suporte de rede do estabelecimento durante o processo de
análise, com eventuais intervenções do mesmo no processo de
conguração.
2.7.3 Caso a análise/conguração dos serviços de rede
tenha sido realizada com sucesso, deve-se retornar para
o procedimento 1.5; caso contrário, deve-se seguir para o
procedimento 2.8.
2.8 - CONTACTAR O SUPORTE ESPECIALIZADO PARA
ANALISAR/CONFIGURAR O EQUIPAMENTO
2.8.1 O contato feito com o suporte especializado do
equipamento visa sanar qualquer problema remanescente
da execução do procedimento 2.7. Devem ser detalhados ao
suporte os procedimentos executados até o momento, bem
como reportada a falha de comunicação do mesmo com a
bridge DICOM.
2.8.2 Caso o suporte especializado consiga analisar e congurar
o equipamento, deve-se retornar para o procedimento 1.5;
caso contrário, deve ser contactado o suporte da Central
Estadual de Telemedicina para providências - detalhando
os procedimentos executados até o momento e reportando
a situação da comunicação entre o equipamento e a bridge
DICOM.
INCoD - Instituto Nacional para Convergência Digital
20
POP 2. Disponibilidade de serviços na bridge DICOM / Dezembro de 2018
CHECKLIST
Caso haja necessidade de contactar o suporte da Central Estadual
de Telemedicina, o checklist a seguir deverá ser preenchido com
o objetivo de indicar os problemas encontrados na execução do
POP.
PROCEDIMENTO OPÇÕES
1.1 a) O script de teste foi executado.
b) Ocorreram falhas na execução do script de teste.
c) Após execução do script, foi informado que o
serviço está disponível.
d) Após execução do script, foi informado que o
serviço não está disponível.
e) O script para execução do teste não foi localizado.
1.2 a) O script de teste foi executado.
b) Ocorreram falhas na execução do script de teste.
c) Após execução do script, foi informado que o
serviço está disponível.
d) Após execução do script, foi informado que o
serviço não está disponível.
e) O script para execução do teste não foi localizado.
1.3 a) O script de teste foi executado.
b) Ocorreram falhas na execução do script de teste.
c) Após execução do script, foi informado que o
serviço está disponível.
d) Após execução do script, foi informado que o
serviço não está disponível.
e) O script para execução do teste não foi localizado.
1.4 a) O script de teste foi executado.
b) Ocorreram falhas na execução do script de teste.
c) Após execução do script, foi informado que o
serviço está disponível.
d) Após execução do script, foi informado que o
serviço não está disponível.
e) O script para execução do teste não foi localizado.
INCoD - Instituto Nacional para Convergência Digital 21
Dezembro de 2018 / POP 2. Disponibilidade de serviços na bridge DICOM
1.5 a) Foram vericados os serviços DICOM de
armazenamento cadastrado no equipamento.
b) Foi criado um novo exame de teste no
equipamento, enviado-o em seguida ao PACS.
c) Não foi possível vericar serviços no equipamento.
d) Não foi possível o cadastro de um novo exame e
envio ao PACS.
e) O equipamento acusa falha de envio do exame de
teste.
2.1 a) O serviço foi reinicializado com sucesso.
b) Foram reportados erros durante a reinicialização
do serviço.
c) O serviço não foi localizado.
2.2 a) Noticações de erro foram vericadas no log do
serviço.
b) Noticações de erro foram vericadas no log do
sistema operacional.
c) Não foram encontrados registros ou noticações
de erro nos logs.
d) Foram realizadas adequações no serviço e/ou no
sistema operacional com sucesso.
e) Foram realizadas adequações no serviço e/ou no
sistema operacional sem sucesso.
2.3 a) O serviço foi reinicializado com sucesso.
b) Foram reportados erros durante a reinicialização
do serviço.
c) O serviço não foi localizado.
2.4 a) Noticações de erro foram vericadas no log do
serviço.
b) Noticações de erro foram vericadas no log do
sistema operacional.
c) Não foram encontrados registros ou noticações
de erro nos logs.
d) Foram realizadas adequações no serviço e/ou no
sistema operacional com sucesso.
e) Foram realizadas adequações no serviço e/ou no
sistema operacional sem sucesso.
2.5 a) O serviço foi reinicializado com sucesso.
b) Foram reportados erros durante a reinicialização
do serviço.
c) O serviço não foi localizado.
INCoD - Instituto Nacional para Convergência Digital
22
POP 2. Disponibilidade de serviços na bridge DICOM / Dezembro de 2018
2.6 a) Noticações de erro foram vericadas no log do
serviço.
b) Noticações de erro foram vericadas no log do
sistema operacional.
c) Não foram encontrados registros ou noticações
de erro nos logs.
d) Foram realizadas adequações no serviço e/ou no
sistema operacional com sucesso.
e) Foram realizadas adequações no serviço e/ou no
sistema operacional sem sucesso.
2.7 a) Foi vericado o cabeamento físico do
equipamento.
b) Foram vericados os serviços de rede.
c) Foram realizadas adequações com sucesso.
d) Foram realizadas adequações sem sucesso.
2.8 a) O suporte especializado congurou o
equipamento com sucesso.
b) O suporte especializado apontou erros de
conectividade na rede.
c) O suporte especializado apontou erros de
conectividade à bridge DICOM.
d) O equipamento não possui suporte especializado.
Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC
Campus Universitário João David Ferreira Lima
Departamento de Informática e Estatística - Sala 320 - Trindade
Florianópolis/SC - CEP 88040-970
Fone : +55 48 3721-4715
www.incod.ufsc
ResearchGate has not been able to resolve any citations for this publication.
ResearchGate has not been able to resolve any references for this publication.