Conference PaperPDF Available

Nota Eletrônica: Um estudo comparativo nas Empresas do Brasil x Espanha

Authors:

Abstract and Figures

Resumo A nota fiscal eletrônica (NFe) tem sido implementada nas empresas como uma ferramenta de controle para auxiliar no recolhimento de tributos por parte do governo, sendo incorporada em sistemas de gestão comercial. Dado esse contexto, este artigo tem como objetivo explorar a percepção da nota eletrônica nas empresas brasileiras em comparação com usuários espanhóis, por meio de uma replicação de estudo. Utiliza-se se de uma abordagem quantitativa coletando dados por meio de questionários em 126 empresas brasileiras de pequeno, médio e grande porte. Os dados foram tabulados e mensurados em softwares estatísticos como SPSS e no R para executar a modelagem de equações estruturais das variáveis que compõem a pesquisa, sendo elas: hábito, percepção de utilidade, segurança, confiança e desempenho. Por fim, verifica-se neste estudo que há diferenças contextuais no uso da tecnologia NFe entre o Brasil & Espanha por parte do usuário. Possuem evidências nesta pesquisa em que usuários do contexto brasileiro agrupam os construtos de segurança e confiança com o mesmo sentido e da mesma forma para a percepção de utilidade e o desempenho obtido na empresa pela implantação da NFe. O estudo possui limitações pelo fato da amostra ser generalizável e sugerem-se estudos futuros qualitativos sobre o tema, investigando a NFe em profundidade nos casos específicos levantados.
Content may be subject to copyright.
EnANPAD 2017 São Paulo / SP - 01 a 04 de Outubro de 2017
Nota Eletrônica: Um estudo comparativo nas Empresas do Brasil x Espanha
Autoria
Luiz Pereira Pinheiro Junior - luizpinheirojunior@gmail.com
Mestr e Dout em Admin de Empresas /FGV/EAESP - Fundação Getulio Vargas/Esc de Admin de Empresas de São Paulo
José Roberto Frega - jose.frega@gmail.com
PPGADM - Programa de Pós Graduação em Administração/UFPR - Universidade Federal do Paraná
Resumo
A nota fiscal eletrônica (NFe) tem sido implementada nas empresas como uma ferramenta de
controle para auxiliar no recolhimento de tributos por parte do governo, sendo incorporada
em sistemas de gestão comercial. Dado esse contexto, este artigo tem como objetivo explorar
a percepção da nota eletrônica nas empresas brasileiras em comparação com usuários
espanhóis, por meio de uma replicação de estudo. Utiliza-se se de uma abordagem
quantitativa coletando dados por meio de questionários em 126 empresas brasileiras de
pequeno, médio e grande porte. Os dados foram tabulados e mensurados em softwares
estatísticos como SPSS e no R para executar a modelagem de equações estruturais das
variáveis que compõem a pesquisa, sendo elas: hábito, percepção de utilidade, segurança,
confiança e desempenho. Por fim, verifica-se neste estudo que há diferenças contextuais no
uso da tecnologia NFe entre o Brasil & Espanha por parte do usuário. Possuem evidências
nesta pesquisa em que usuários do contexto brasileiro agrupam os construtos de segurança e
confiança com o mesmo sentido e da mesma forma para a percepção de utilidade e o
desempenho obtido na empresa pela implantação da NFe. O estudo possui limitações pelo
fato da amostra ser generalizável e sugerem-se estudos futuros qualitativos sobre o tema,
investigando a NFe em profundidade nos casos específicos levantados.
EnANPAD 2017 São Paulo / SP - 01 a 04 de Outubro de 2017
1
Nota Eletrônica: Um estudo comparativo nas Empresas do Brasil x Espanha
Resumo
A nota fiscal eletrônica (NFe) tem sido implementada nas empresas como uma ferramenta de
controle para auxiliar no recolhimento de tributos por parte do governo, sendo incorporada em
sistemas de gestão comercial. Dado esse contexto, este artigo tem como objetivo explorar a
percepção da nota eletrônica nas empresas brasileiras em comparação com usuários espanhóis,
por meio de uma replicação de estudo. Utiliza-se se de uma abordagem quantitativa coletando
dados por meio de questionários em 126 empresas brasileiras de pequeno, médio e grande porte.
Os dados foram tabulados e mensurados em softwares estatísticos como SPSS e no R para
executar a modelagem de equações estruturais das variáveis que compõem a pesquisa, sendo
elas: hábito, percepção de utilidade, segurança, confiança e desempenho. Por fim, verifica-se
neste estudo que há diferenças contextuais no uso da tecnologia NFe entre o Brasil & Espanha
por parte do usuário. Possuem evidências nesta pesquisa em que usuários do contexto brasileiro
agrupam os construtos de segurança e confiança com o mesmo sentido e da mesma forma para
a percepção de utilidade e o desempenho obtido na empresa pela implantação da NFe. O estudo
possui limitações pelo fato da amostra ser generalizável e sugerem-se estudos futuros
qualitativos sobre o tema, investigando a NFe em profundidade nos casos específicos
levantados.
Palavras-chave: NFe; Nota Eletrônica; Tecnologia da Informação.
1. Introdução
A nota fiscal eletrônica (NFe) tem sido implementada nas empresas como uma
ferramenta de controle para a mensuração de tributos e essa tecnologia tem sido incorporada
em sistemas de gestão comercial (ERP) nas empresas. Com isso, desde 2005 (BRASIL, 2017)
as empresas brasileiras foram obrigadas a emitir tal documento, em formato determinado pela
união, por meio de um sistema único de informação em que fora incorporado como um módulo
adicional (NFe).
Questionamentos são levantados visto que uma tecnologia é implantada top-down sem
colaboração ou participação dos empresários no seu desenvolvimento. Trata-se de uma medida
coercitiva com o objetivo de minimizar a evasão fiscal em que o Brasil possui uma alta carga
tributária.
Em outros países não há uma rigorosidade por parte de governos para a implementação
de sistemas no gerenciamento de documentos com o objetivo do recolhimento de impostos,
visto que culturas diferenciadas em todo o universo propiciam a serenidade de gestão tributária
bem como o recolhimento e obtenção de retornos tributários, por meio do uso e gestão desses
tributos pelo governo de modo coerente que venha beneficiar cidadãos.
Porém, a Espanha e toda a União Européia tem aderido a tecnologia da e-invoice com o
objetivo de padronização e informatização das transações empresariais e governamentais, não
com o foco em engessar empresários para minimizar a evasão tributária, ou com objetivos
próprios de fiscalização, mas também com a essência do fenômeno de digitalização de
processos ocorrido pela era do governo eletrônico (HERNANDEZ-ORTEGA, MARTINEZ-
JIMENEZ, 2013).
É possível observar na literatura a realização de estudos nessa área com objetivo de
explorar como a nota eletrônica tem estado presente nas organizações, em nível de usuário
(MENESES, 2010; MORAES, 2013; MELLO, 2014). São questionadas formas de como os
EnANPAD 2017 São Paulo / SP - 01 a 04 de Outubro de 2017
2
usuários poderiam contribuir para o aprimoramento e desenvolvimento desta tecnologia nas
empresas o que justifica a realização desta pesquisa. Além disso, a comparação tecnológica
com outros contextos pode auxiliar no aprimoramento da implantação, do uso e da própria
tecnologia.
Sendo assim, este artigo tem como objetivo explorar a percepção da nota eletrônica nas
empresas brasileiras em comparação com usuários espanhóis, por meio de uma replicação de
estudo. Para isso realizou-se uma survey no contexto brasileiro em comparação com outro
estudo já efetuado na Espanha.
Esta pesquisa possui o intuito de contribuir com a literatura por meio da replicação de
um instrumento em outro contexto (HERNANDEZ-ORTEGA, MARTINEZ-JIMENEZ, 2013)
podendo observar outras percepções da adoção de tecnologia, além de difundir pesquisas que
analisam tecnologias governamentais e o seu impacto nas organizações avançando na discussão
sobre esse tema.
O artigo está estruturado numa breve revisão da literatura sobre NFe no tópico 2
embasando principais construtos de mensuração. Na sequência descreve-se o método utilizado
no tópico 2 bem como as análises estatísticas efetuadas no item 4. Por fim, são feitas as
considerações finais no tópico 5 bem como as limitações e sugestões futuras.
2. Fundamentação teórica
Nesta seção apresentam-se os aspectos que embasaram teoricamente este estudo. É
revisado trabalhos que tratam da nota eletrônica e em sequência embasado construtos sobre
hábito, utilidade percebida, segurança, confiança e desempenho de tecnologia. Esses construtos
representam variáveis da pesquisa.
2.1 Nota eletrônica
Estudos sobre a nota eletrônica podem ser realizados por parte do usuário e também do
governo (HERNANDEZ-ORTEGA; MENESES, 2010; HERNANDEZ-ORTEGA, 2011;
BONFIM et al.,2012; BORBA; PETRINI; WIEDENHOFT, 2013; HAAG et al., 2013;
MORAES, 2013; JOUNG et al., 2014; MELLO, 2014; ANZILAGO, PINHEIRO JUNIOR,
2015). Esses autores relatam um arcabouço recente de pesquisas que investigam essa tecnologia
nos processos empresarias ou também como o governo gerencia tais implementações e sua
integração.
Em periódicos internacionais Hernandez-Ortega (2011) exploram caminhos da
tecnologia da informação na empresa e fatores da sua aceitação, visto que a tecnologia
explorada neste caso foi a nota eletrônica. Para os autores Haag et al. (2013) essa tecnologia
pode ser alvo de resitência quando não se conhece os benefícios recebidos por ela, estudo este
investigado pelos autores na Alemanha. Meneses (2010) escreve sua tese doutoral analisando a
factura electrónica nas empresas de Zaragoza na Espanha e como tais usuários visualizam
benefícios recebidos por meio da implementação desse artefato.
Em contexto nacional, pesquisas embrionárias tem aparecido neste sentido. Moraes
(2013) tem investigado a NFe como um artefato de adoção do governo eletrônico,
especialmente por parte do usuário final na Nota Fiscal Paulista. Mello (2014) explorou
gestores governamentais que compõem cargos na direção e gerencia de projetos de documentos
eletrônicos em toda a américa latina.
Outros estudos sobre o tema são realizados em empresas como em Borba, Petrini e
Wiedenhoft (2013) que verificaram um framework de utilização dessa tecnologia. Ainda pelo
fato dos estudos brasileiros sobre NFe estar em fase inicial Anzilago e Pinheiro Junior (2015)
EnANPAD 2017 São Paulo / SP - 01 a 04 de Outubro de 2017
3
mapearam essas pesquisas na área de administração e contabilidade em um estado da arte e
propostas de pesquisas futuras.
Nesse mapeamento alguns itens são relevantes na utilização dessa tecnologia
(ANZILAGO; PINHEIRO JUNIOR, 2015) e investigar isso por parte de empresários e
utilizadores da NFe pode ser visto como gap não respondido na literatura bem como o
desenvolvimento de estudos nessa área. Para isso Hernandez-Ortega e Jimenez-Martinez (2013)
publicaram um instrumento de pesquisa quantitativo em que possibilita a utilização de escalas
e mensuração desse artefato, seja em empresas pequenas, médias ou grantes e por meio dele
mensurar o desempenho e percepção do usuário desta tecnologia.
2.2 Construtos de mensuração em nota eletrônica
Para mensurar esse desempenho obtido por meio da implementação de uma TI nas
empresas, que neste caso o módulo nota fiscal eletrônica (factura electrónica, e-invoice) na
Espanha os autores Hernandez-Ortega e Jimenez-Martinez (2013) realizaram um modelo
teórico-empírico que contempla os seguintes construtos: hábito, utilidade percebida, confiança,
percepção de segurança e performance (desempenho) que serão embasados teoricamente nos
tópicos a seguir.
Hábito: Está relacionadao ao comportamento humano sendo uma sequência repetitiva
de atos ou ações que visam atingir um determinado objetivo. Realizado de modo contínuo sem
a necessidade de orientações constantes mediadas pelo inconsciente do sujeito. Mensurado na
rotinização, e uso contínuo de uma tecnologia da informação implementada na organização.
(LIAO et al., 2006; LU et al., 2011; HERNANDEZ-ORTEGA; JIMENEZ-MARTINEZ, 2013).
Utilidade Percebida (PU): Conceituada neste caso, como a percepção de utilidade
(PU) que uma determinada tecnologia possui para a organização, sendo ela identificada pelo
seu usuário. Construto utilizado em estudos de adoção de TI, SI e possui relevância para
mensurar a adoção por parte do usuário (DAVIS et al., 1989; VENKATESH et al., 2003).
Confiança: O termo possui como conceito a confiabilidade que a tecnologia
implementada apresenta em sua implementação, ou pós-implementação. Busca-se por meio
dela, identificar o quanto essa tecnologia foi confiável para ser replicada e divulgada de modo
benéfico o seu uso. Sua métrica é realizada por meio das variáveis: experiência adquirida com
a TI, serviço prestado de qualidade, confiabilidade (LEE; TURBAN, 2001; PAVLOU; GEFEN,
2004). Percepção de Segurança: Transmissão segura dos dados de clientes, fornecedores,
informações financeiras, entre outras informações que contribuem para a integridade dos dados
transportados via sistemas informáticos pela internet. Essa percepção efetiva a percepção dos
usuários que as informações não sejam interceptadas por hackers podendo ser utilizadas, de
modo incorreto. Mensurada pelos itens: mecanismos de transmissão segura, segurança com os
dados de terceiros, capacidades técnicas contra a invasão de hackers. (PAVLOU, 2003;
HERNANDEZ-ORTEGA; JIMENEZ-MARTINEZ, 2013).
Performance (Desempenho): Constitui-se na utilização de um sistema de informação
para aprimorar e promover os objetivos operacionais. Rotinização com desempenho superior
ao período que não havia esta TI, momento esse anterior à implementação. Identificada por
meio de indicadores não financeiros (organizacionais) como eficiência tecnológica, eficiência
de pessoal, recursos de TI, custos e orçamentos relacionados a TI implantada. Operacionalizada
por meio de métricas como: aumento de produtividade, desempenho na execução de tarefas,
redução de custos, satisfatoriedade na execução de atividades (PLANT et al., 2003; BANKER
et al., 2004; HERNANDEZ-ORTEGA; JIMENEZ-MARTINEZ, 2013).
No Quadro 1 é possível obter um resumo dos construtos/variáveis operacionalizadas
nessa pesquisa, bem como o seu conceito e embasamento teórico para a mensuração.
EnANPAD 2017 São Paulo / SP - 01 a 04 de Outubro de 2017
4
Quadro 1 Construtos e Operacionalização da Pesquisa
O Quadro 1 sintetiza os construtos da pesquisa em relação aos autores que embasam os
tópicos relacionados a eles, além da definição do construto de como ele foi observado para
operacionalizar a pesquisa na estruturuação das hipóteses do Quadro 2.
3. Metodologia da pesquisa
Utilizou-se nesta pesquisa o método quantitativo com a utilização de variáveis e escalas
na mensuração de um fenômeno. Neste caso aplicou-se o instrumento de pesquisa de
Hernandez-Ortega e Jimenez-Martinez (2013) sendo traduzido e validado ao contexto
brasileiro. A justificativa de utilização deste questionário é pelo fato de ser inétido no contexto
de nota eletrônica e ser publicado em periódicos relevantes na área de tecnologia de informação,
além de possuir construtos e escalas já validados em outro contexto.
Foi realizado neste artigo uma coleta de dados em 126 empresas brasileiras sendo
empresas de porte pequeno, médio e grande, dos ramos de comércio, indústria e serviços
provendo uma heterogeneidade da amostra com empresas de todas as regiões brasileiras. No
modelo da pesquisa, conforme a Figura 1 foi inicialmente aplicado a estrutura original com os
construtos e hipóteses bem como a sua operacionalização.
Construtos da Pesquisa
Autores
Definição
Hábito
LIAO et al., 2006; LU et al., 2011;
HERNANDEZ-ORTEGA;
JIMENEZ-MARTINEZ, 2013
Rotinização, e uso contínuo
de uma tecnologia da
informação implementada na
organização.
Utilidade Percebida (PU)
DAVIS et al., 1989;
VENKATESH et al., 2003
Percepção de utilidade (PU)
que uma determinada
tecnologia possui para a
organização, identificada
pelo usuário.
Confiança
LEE; TURBAN, 2001; PAVLOU;
GEFEN, 2004
Confiabilidade que a
tecnologia implementada
apresenta em sua
implementação, ou pós-
implementação.
Percepção de Segurança
PAVLOU, 2003; HERNANDEZ-
ORTEGA; JIMENEZ-
MARTINEZ, 2013
Capacidades técnicas contra
a invasão de hackers,
mecanismos de transmissão
segura e segurança com os
dados de terceiros.
Performance (Desempenho)
PLANT et al., 2003; BANKER et
al., 2004; HERNANDEZ-
ORTEGA; JIMENEZ-
MARTINEZ, 2013
Aumento de produtividade da
rotina, desempenho na
execução de tarefas, redução
de custos, satisfatoriedade na
execução de atividades
adquiridos pela
implementação da TI.
EnANPAD 2017 São Paulo / SP - 01 a 04 de Outubro de 2017
5
Figura 1 Modelo de Pesquisa
Fonte: Adaptado de Hernandez-Ortega e Jimenez-Martinez (2013)
A Figura 1 demonstra o modelo conceitual aplicado na Espanha e como os autores
operacionalizaram as suas hipóteses. O modelo e o questionário passaram por tradução reversa
para serem operacionalizados no contexto brasileiro.
3.1 Hipóteses da pesquisa
Na operacionalização do estudo, replica-se as hipóteses que possuem o objetivo de
serem aceitas ou rejeitadas conforme explicadas no Quadro 2.
Quadro 2 Hipóteses Testadas da Pesquisa
Hip.
Descrição
Base Teórica
H1
Usar com frequência a nota fiscal eletrônica aumenta
positivamente a utilidade percebida
H2
Usar com frequência a nota fiscal eletrônica aumenta
positivamente a percepção de segurança
H3
Usar com frequência a nota fiscal eletrônica afeta
positivamente a confiança dos usuários
H4
Percepção de Segurança sobre a nota fiscal eletrônica tem um
efeito positivo sobre a confiança do usuário
H5
Confiança na nota fiscal eletrônica afeta positivamente a
percepção de utilidade nas empresas utilizadoras
H6
Utilidade percebida da nota fiscal eletrônica possui um efeito
positivo sobre o seu desempenho
H7
Percepção de Segurança na nota fiscal eletrônica tem um efeito
positivo sobre o seu desempenho
H8
Confiança na nota fiscal eletrônica influencia positivamente o
seu desempenho
Fonte: Adaptado de Hernandez-Ortega e Jimenez-Martinez (2013)
3.2 Coleta e tratamento de dados
Os dados foram coletados por meio de questionário impresso e eletrônico, utilizando a
ferramenta Qualtrix para a coleta online na amostra descrita anteriormente. A mostra é
EnANPAD 2017 São Paulo / SP - 01 a 04 de Outubro de 2017
6
justificada pelo mesmo formato da publicação original sendo replicada. No tratamento dos
dados foram realizadas estatísticas com análise fatorial exploratória (AFE), confirmatória
(AFC) modelagem de equações estruturais (SEM) por Covariância (CB). Observou-se os
indicadores de validade discriminante (AVE) bem como a confiabilidade composta (CR) com
o intuito de garantir a validade empírica do estudo, bem como testes de regressão e aceitação
ou rejeição de hipóteses em sua significância.
4. Análise e discussão dos resultados
Foi executado os testes de análise fatorial, tanto exploratória, quanto confirmatória e
obtiveram indicadores recomendados pela literatura, observando índices do testes de KMO
(Kayser-Meyer-Olklin) com todos acima de 0,7 e com Variança Explicada acima de 0,65.
Na análise fatorial confirmatória (AFC) todos os indicadores do modelo replicado se
comportaram como S-B x² com 49.07, df: 55, pvalue.scaled: 0.69, RMSEA: 0, NFI: 0.932, CFI:
1, RMR: 0.3 e CMIM/DF: 0.89, porém na matriz de validade discriminante conforme a tabela
1 observa-se a aproximação de alguns construtos como segurança-confiança, PU-Desempenho.
Tabela 1 Matriz Validade Discriminante
Hábito
Segurança
Confiança
PU
Performance
Hábito
0,648
Segurança
0,212
0,698
Confiança
0,269
0,851
0,761
PU
0,421
0,500
0,574
0,699
Performance
0,443
0,409
0,541
0,857
0,741
Observa-se que na Tabela 1 que os indicadores destacados na amostra pesquisada
podem estar respondendo por meio deles a mesma coisa, ou seja fatores similares, o que
levantou-se a hipótese do desenvolvimento de um novo modelo de percepção.
Ainda na execução de testes de replicação do modelo estrutural, com o intuito de replicar
as hipóteses de pesquisa no contexto brasileiro, obteve-se os seguintes aceites e rejeições
conforme a Tabela 2
Tabela 2 Hipóteses Testadas da Pesquisa
Hipótese
Caminho
Standardized path
coefficients
Robust t-value
p value
H1 - Aceita
Hábito -> PU
0,37
3,30
0,00
H2 - Aceita
Hábito -> Segurança
0,46
4,33
0,00
H3 - Rejeitada
Hábito -> Confiança
0,13
1,80
0,07
H4 - Aceita
Segurança -> Confiança
0,87
18,34
0,00
H5 - Aceita
Confiança -> PU
0,58
5,20
0,00
H6 - Aceita
PU -> Desempenho
0,89
6,76
0,00
H7 - Rejeitada
Segurança -> Desempenho
-0,32
-0,98
0,32
H8 - Rejeitada
Confiança -> Desempenho
0,35
0,94
0,35
Conforme a Tabela 2 é possível observar que alguns fatores não influenciam
diretamente ao outro, como a relação Hábito e Confiança (H3), que corrobora com a aplicação
presencial dos questionários, que não necessariamente utilizar a Nota Eletrônica
constantemente traz uma sensação de confiança, mas percebe-se a utilidade que ela
proporciona. A mesma situação acontece em relação a Segurança e Desempenho (H7), pois não
EnANPAD 2017 São Paulo / SP - 01 a 04 de Outubro de 2017
7
necessariamente o fato da NFe ser um sistema seguro, isso propiciará um desempenho
operacional na sua funcionalidade, fato este também observado na H8 com a Confiança.
Em comparação aos estudos de Hernandez-Ortega e Jimenez-Martinez (2013) podem-
se observar a diferença de aceitação ou rejeição no Quadro 3 dependendo do contexto ou
replicação do estudo.
Quadro 3 Hipóteses Testadas da Pesquisa e Comparação Publicação Original
Hipótese
Caminho
Resultados Estudo
Original - Espanha
Resultados Estudo
Replicação Brasil
H1
Hábito -> PU
Aceita
Aceita
H2
Hábito -> Segurança
Aceita
Aceita
H3
Hábito -> Confiança
Aceita
Rejeitada
H4
Segurança -> Confiança
Aceita
Aceita
H5
Confiança -> PU
Aceita
Aceita
H6
PU -> Desempenho
Aceita
Aceita
H7
Segurança -> Desempenho
Aceita
Rejeitada
H8
Confiança -> Desempenho
Rejeitada
Rejeitada
É possível observar a partir do Quadro 3 como é a percepção de usuários do Sistema
Nota Eletrônica no Brasil, ou da Factura Electrónica na Espanha, e como isso pode ser
diferenciado em contextos diferentes, mesmo observando o fato do hábito no Brasil ser uma
variável obrigatória em alguns casos e na Espanha, no ano em que se foi realizado a pesquisa
não era, ambos levam uma pretensão do hábito para uma percepção de utilidade e trazem uma
segurança aos seus usuários.
Já em questão de confiança no Brasil não necessariamente está relacionada ao Hábito,
mas sim a segurança e a percepção de utilidade. Por fim o desempenho observado no estudo
replicado no Brasil é um fator bem observado por meio da utilidade mediada pelo hábito.
5. Considerações finais
Este estudo teve como objetivo objetivo explorar a percepção da nota eletrônica nas
empresas brasileiras em comparação com usuários espanhóis, por meio de uma replicação de
estudo. Sendo assim, foi observado que há percepções distintas dado ao contexto em que essa
tecnologia está sendo implementada. Na percepção observada na amostra brasileira pesquisada
foi possível agrupar fatores em que levam a uma mesma consideração, sendo eles fatores em
comum.
Nas análises fatoriais confirmatórias, foi sugerido por meio de indicadores quantitativos
o surgimento de um novo modelo na percepção dos respondentes brasileiros, mesmo assim,
fora replicado a pesquisa e desenhado o novo modelo identificado, conforme a Figura 2.
Uma das contribuições desta pesquisa, foi que o intuito inicial era replicar um modelo
aplicado em empresas espanholas, e verificar como seriam tais resultados para um possível
comparativo, porém nesta replicação foi emergido um possível modelo de percepção brasileira
sobre o uso da tecnologia de nota eletrônica nas organizações.
Neste modelo, os construtos Percepção de Segurança e Confiança são agrupados, o que
ocorre da mesma forma para a Utilidade Percebida e o Desempenho, deixando apenas o terceiro
construto como o variável inicial Hábito conforme a Figura 2.
EnANPAD 2017 São Paulo / SP - 01 a 04 de Outubro de 2017
8
Figura 2 Esquema Conceitual dos Resultados
Fonte: Dados da Pesquisa
Ainda com o intuito de verificar o modelo descoberto na Figura 2, utilizou-se de análises
fatoriais confirmatórias e executou-se a modelagem de equações estruturais por covariância, o
que apresentou resultados compatíveis com os indicadores sugeridos pela literatura.
A presente pesquisa respondeu sua problemática de pesquisa junto aos seus objetivos
verificando diferenças de contextos e explicação de fatores em conjunto nas Empresas alocadas
nos Países Brasil & Espanha com dimensões diferentes e reflexivas na sua percepção com o
Sistema de NFe.
Essas diferenças podem ser evidenciadas no Quadro 3 em que na Espanha a Segurança
da NFe afeta o desempenho das empresas, diferentemente do contexto brasileiro. A mesma
situação é valida para o Hábito que aumenta a confiança do uso dessa tecnologia no contexto
espanhol em que no Brasil não necessariamente afeta, sendo que os usuários citam que o hábito
é forçado pelas regulamentações governamentais e não necessariamente tem uma sensação de
segurança ao utilizar a NFe.
A contribuição deste artigo está delineado pela replicação do estudo de Hernandez-
Ortega e Jimenez-Martinez (2013) trazendo a discussão para o contexto brasileiro e
investigando diferenças entre o uso de uma determinada tecnologia nos dois países. Além disso
visa explorar e avançar a discussão sobre esse tema citado em outras localidades (HAAG et al.,
2013; JOUNG et al., 2014).
O estudo possui limitações pelo fato de estar delimitado a 126 empresas brasileiras
podendo-se estender a uma amostra superior para a sua efetiva generalização amostral. Sugere-
se se também pesquisas qualitativas para o entendimento da percepção do usuário ou do
governo, na efetividade e controle do sistema de documentos eletrônicos.
EnANPAD 2017 São Paulo / SP - 01 a 04 de Outubro de 2017
9
Referências bibliográficas
ANZILAGO, M.; PINHEIRO JUNIOR, L. P. Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) nas Organizações:
Em Busca do Estado da Arte Sobre os Documentos Eletrônicos. In: EnAnpad 2015 Encontro
da Associação Nacional de Pós-Graduação em Administração. Anais ... XXXVIIII Encontro
da Anpad, Belo Horizonte, 2015.
BANKER, R.D.; CHANG, H. JANAKIRAMAN, S. N; KONSTANS, C. A balanced scorecard
analysis of performance metrics. European Journal of Operational Research, v. 154, p. 423
436, 2004.
BONFIM, O. P.; MORAES, D.; MACHADO, H.; AMORIN, M. O.; RAIMUNDINI, S. L. Nota
fiscal eletrônica: uma mudança de paradigma sob a perspectiva do fisco estadual. ConTexto,
v. 12, n. 21, p. 1728, 2012.
BORBA, L.; PETRINI, M.; WIEDENHOFT, G. Adoção da Nota Fiscal Eletrônica: Quais os
Benefícios sob as lentes das Organizações? Gestão & Planejamento, v. 14, n. 3, p. 613636,
2013.
BRASIL, 2017. Histórico do Sistema Público de Escrituração Digital SPED. <Disponível em:
http://www1.receita.fazenda.gov.br/sobre-o-projeto/historico.htm>. Acesso em: 20/01/2017.
DAVIS, F. D. Perceived usefulness, perceived ease of use, and user acceptance of information
technology. MIS Quarterly, Minneapolis, v. 13, n. 3, p. 318-339, Sept. 1989.
HAAG, S.; BORN, F.; KREUZER, S.; BERNIUS, S. Organizational Resistance to E-Invoicing
Results from an Empirical Investigation among SMEs. Electronic Government, p. 286297,
2013.
HERNANDEZ-ORTEGA, B. The role of post-use trust in the acceptance of a technology:
Drivers and consequences. Technovation, v. 31, n. 10-11, p. 523538, 2011.
HERNANDEZ-ORTEGA, B.; JIMENEZ-MARTINEZ, J. Performance of e-invoicing in
Spanish firms. Information Systems and e-Business Management, v. 11, n. 3, p. 457480,
2013.
HERNANDEZ-ORTEGA, B.; SERRANO-CINCA, C. Qué induce a las empresas a adoptar
facturación electrónica ? Efecto de las percepciones y del entorno competitivo. Universia
Business Review, n. 24, p. 96-121, 2009.
JOUNG, Y. J.; TSENG, Y. C.; CHA, S. C.; et al. Motivations, deployment, and assessment of
Taiwan’s e-invoicing system: An overview. Proceedings of the Annual 47th Hawaii
International Conference on System Sciences Anais... p. 22002209, Waikoloa, Hawaii, 2014.
LEE, M. K. O.; TURBAN, E. A Trust Model for Consumer Internet Shopping. International
Journal of Electronic Commerce, v. 6, n. 1, p. 7591, 2001.
LIAO, C.; PALVIA, P.; LIN, H. N. The roles of habit and web site quality in e-commerce.
Journal of Information Management, v. 26, p. 469483, 2006.
EnANPAD 2017 São Paulo / SP - 01 a 04 de Outubro de 2017
10
LU, Y.; CAO, Y.; WANG, B.; YANG, S. A study on factors that affect users’ behavioral
intention to transfer usage from the offline to the online channel. Computers in Human
Behavior, v. 27, n. 1, p. 355364, 2011.
MELLO, N. O. Os documentos fiscais eletrônicos no Brasil e na América Latina e seus
impactos na automação de processos e no intercâmbio eletrônico de informações na cadeia
logística, 580 f. Tese (Doutorado em Engenharia Elétrica) Escola Politécnica da Universidade
de São Paulo, São Paulo, 2014.
MENESES, F. E. G. La factura eletrónica en las empresas aragonesas: perfil financiero,
tecnológico y efectos de la implantación, 254 f. Tese (Doctorado en Contabilidad e Finanzas).
Facultad de Ciencias Económicas y Empresariales em Universidad de Zaragoza, Zaragoza,
2010.
MORAES, G. H. S. M. Adoção de governo eletrônico no Brasil: a perspectiva do programa
Nota Fiscal Paulista. 164 f. Tese (Doutorado em Administração) Escola de Administração
de Empresas de São Paulo. Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, 2013.
PAVLOU P. A. Consumer acceptance of electronic commerce: integrating trust and risk with
the technology acceptance model. Internacional. Journal of Electronic Commerce, v. 7, n. 3,
p. 101134, 2003.
PAVLOU P. A.; GEFEN D. Building effective online marketplaces with institution-based trust.
Information System Research. v. 15, n. 1, p. 3759, 2004.
PLANT, R.; WILLCOCKS, L.; OLSON, N. Measuring e-business performance: towards a
revised balanced scorecard approach. Information Systems and e-Business Management, v.
1, p. 265281, 2003.
VENKATESH, V.; MORRIS, M. G.; DAVIS, G. B.; DAVIS, F. D. User Acceptance of
information technology: Toward a unified view. Management Information Systems
Quarterly, v. 27, n. 3, p. 425478, 2003.
ResearchGate has not been able to resolve any citations for this publication.
Conference Paper
Full-text available
Este estudo tem como objetivo investigar o perfil das publicações em periódicos e eventos brasileiros sobre a Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) também denominada de factura electrónica, eletronic invoice (e-invoice) em outros países e promover um mapeamento desses estudos. Nesse sentido, foi realizada uma pesquisa bibliométrica, sem recorte temporal, nos periódicos nacionais da área 27 da CAPES classificados entre Qualis de A1 a B3 e eventos. Os dados foram coletados diretamente nos sítios dos periódicos para os classificados entre A1 a B2, nos periódicos B3 foram coletados os artigos por meio da base de dados Spell. Na análise dos dados utilizou-se da análise descritiva. Os resultados demonstram que há poucas publicações a respeito da temática estudada. Conclui-se que, os artigos publicados são em grande parte estudo de caso, com abordagem qualitativa/quantitativa, as instituições com maiores índices de publicações a respeito da temática são a Universidade Federal de Santa Catarina e Faculdade São Francisco de Assis com dois artigos cada. Sugerem-se estudos futuros para que mensurem o status da implementação da nota fiscal eletrônica nas organizações do Brasil, para uma comparação com outros países que também se utilizam desses artefatos como tecnologias, para desenvolvimento tecnológico e gestão estratégica de uma nação.
Conference Paper
Full-text available
O objetivo deste artigo foi analisar os resultados após a implantação da NF-e nos processos organizacionais da empresa estudada, confrontando com os benefícios propostos inicialmente pelos órgãos públicos como justificadores do projeto, assim como identificar outros benefícios não esperados. O método foi um estudo de caso, utilizando-se pesquisas documentais e entrevistas estruturadas. Os principais benefícios obtidos foram redução de custos com envio do documento fiscal, redução de custos com armazenagem de documentos fiscais, transparência das informações junto a órgãos fiscalizadores, centralização do Processo de Faturamento de Notas fiscais e redução de custo com a massa salarial nas regionais
Article
Full-text available
E-commerce success, especially in the business-to-consumer area, is determined in part by whether consumers trust sellers and products they cannot see or touch, and electronic systems with which they have no previous experience. This paper describes a theoretical model for investigating the four main antecedent influences on consumer trust in Internet shopping, a major form of business-to-consumer e-commerce: trustworthiness of the Internet merchant, trustworthiness of the Internet as a shopping medium, infrastructural (contextual) factors (e.g., security, third-party certification), and other factors (e.g., company size, demographic variables). The antecedent variables are moderated by the individual consumer's degree of trust propensity, which reflects personality traits, culture, and experience. Based on the research model, a comprehensive set of hypotheses is formulated and a methodology for testing them is outlined. Some of the hypotheses are tested empirically to demonstrate the applicability of the theoretical model. The findings indicate that merchant integrity is a major positive determinant of consumer trust in Internet shopping, and that its effect is moderated by the individual consumer's trust propensity.
Article
Full-text available
The balanced scorecard (BSC) is a management system that enables executives and managers to map their strategic objectives onto a set of performance measures in four inter-related areas, known as the financial, customer, learning and growth, and the internal process perspectives. Based on research into leading and lagging e-business companies and their measurement practices, this paper introduces an approach to modifying the balanced scorecard, applicable to the management of e-business units in which the customer perspective of the traditional balanced score card is supplemented by the incorporation of four additional perspectives (brand, service, market and technology) that have been found to be critical to the development and execution of e-business strategies. This approach facilitates a clearer understanding of the customer perspective, which consequently benefits the process of selecting the goals and measures associated with the other three perspectives, improving the quality of the overall decision-making and managerial processes as a whole.
Conference Paper
In order to improve the governmental efficiency, effectiveness and transparency, an important part of e-government is the digitalization of documents and the processing of these documents through electronic channels. Such a critical document in business process chains is the invoice, which is why the European Commission strives to increase the adoption and diffusion of electronic invoicing (e-invoicing) among public and private sector organizations. However, the adoption rate among businesses is still low and especially very small firms resist using e-invoicing. By collecting quantitative and qualitative survey data of 416 German companies resisting the usage of e-invoicing, we confirm and explore factors affecting the resistant behavior towards the electronic exchange of invoices and elaborate on differences in those factors with organizational size. In particular among micro firms, the lack of knowledge regarding the theme and procedure of e-invoicing represents the relatively most important influencing factor, while comparatively larger firms also expect huge change management efforts.
Conference Paper
Taiwan's invoice system is unique in the world in the sense that every invoice must follow the same printed format specified by the government. In addition, an accompanying lottery-like mechanism is implemented to give prizes to some invoice holders periodically as an incentive for citizens to request invoices upon transaction. This allows government to audit business sales, and has proven quite effective in curbing tax-related exploitations and boost tax income. To increase processing efficiency as well as to reduce paper consumption, the Taiwanese government began its e-invoicing project in the early 2000's. The first generation e-invoicing system targeted B2B and online B2C transactions, which accounted for only a very small portion of all invoices issued. The second generation, initiated in 2010, aimed to promote e-invoices to all physical retail chains. In this paper we survey Taiwan's e-invoicing system and assess its effects and obstacles.
Article
The aim of this paper is to shed light on the role of trust in the acceptance of a technology once the firm has already used it (post-use trust). First, we examine the drivers which encourage the firm to trust in a technology and, second, we study the consequences of trust in terms of firm performance and intentions to continue to use the technology. The drivers involve (1) perceptions experienced by the firm during the employment of the technology, (2) the influence of the firm's trading partners and (3) the importance of the IT manager's attitude towards the technology. The study focuses on the acceptance of e-invoicing in Spain and the sample consists of 100 early adopter firms who have perceptions and knowledge about this technology. Our findings clarify the relationship between trust and technology acceptance and have important implications about trust-building structures that could improve the application of technologies that are in the early stages of implementation.
Article
This paper aims to predict consumer acceptance of e-commerce by proposing a set of key drivers for engaging consumers in on-line transactions. The primary constructs for capturing consumer acceptance of e-commerce are intention to transact and on-line transaction behavior. Following the theory of reasoned action (TRA) as applied to a technology-driven environment, technology acceptance model (TAM) variables (perceived usefulness and ease of use) are posited as key drivers of e-commerce acceptance. The practical utility of TAM stems from the fact that e-commerce is technology-driven. The proposed model integrates trust and perceived risk, which are incorporated given the implicit uncertainty of the e-commerce environment. The proposed integration of the hypothesized independent variables is justified by placing all the variables under the nomological TRA structure and proposing their interrelationships. The resulting research model is tested using data from two empirical studies. The first, exploratory study comprises three experiential scenarios with 103 students. The second, confirmatory study uses a sample of 155 on-line consumers. Both studies strongly support the e-commerce acceptance model by validating the proposed hypotheses. The paper discusses the implications for e-commerce theory, research, and practice, and makes several suggestions for future research.