ArticlePDF Available

Métricas alternativas para a avaliação da produção científica: a altmetria e seu uso pelos bibliotecários

Authors:

Abstract

Paper presented at the XVII Encontro Nacional de Pesquisa em Pós-Graduação em Ciência da Informação (ENANCIB), Salvador/BA, Brazil, 21-25 november 2016. Alternative metrics are scientific communication indicators that help to understand how research results are viewed and used in online environments, complementing traditional analysis based on citation counts. Librarians, who are traditionally involved in the processes of scientific communication, including its measurement and evaluation, can play a key role in the promotion, mediation and implementation of these alternative metrics. To better understand the context and implications of altmetrics in scientific output assessment, particularly in the context of the Brazilian academic community, this paper introduces basic concepts about altmetrics and describes the main tools available to capture and generate alternative metrics, focusing in the role of librarians, both in the internal processes of the library and in supporting other professionals involved with the scientific communication, as researchers, scientific publishers and academic managers.
XVII Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação (XVII ENANCIB)
GT 7 – Produção e Comunicação da Informação em Ciência, Tecnologia & Inovação
MÉTRICAS ALTERNATIVAS PARA A AVALIAÇÃO DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA:
A ALTMETRIA E SEU USO PELOS BIBLIOTECÁRIOS
ALTERNATIVE METRICS FOR SCIENTIFIC OUTPUT ASSESSMENT: ALTMETRICS
AND ITS USE BY LIBRARIANS
Andrea Ferreira Gonçalves do Nascimento1, Nanci Elizabeth Oddone2
Modalidade da apresentação: Comunicação Oral
Resumo: O presente trabalho trata sobre o estudo e uso de métricas alternativas de avaliação da
produção científica baseadas em atividades e ferramentas online, que se tornaram conhecidas como
altmetrics, ou em português, altmetria. As métricas alternativas são indicadores da comunicação
científica que ajudam a entender como os resultados de pesquisa são vistos e usados em ambientes
online, complementando a análise tradicional baseada na contagem de citações. Os bibliotecários,
tradicionalmente envolvidos nos processos da comunicação científica, incluindo sua medição e
avaliação, podem ter um papel fundamental na promoção, mediação e implementação dessas métricas
alternativas. Frente à necessidade de compreender melhor o contexto e as implicações da altmetria na
avaliação da produção científica, sobretudo no contexto da comunidade acadêmica brasileira, este
trabalho apresenta conceitos básicos sobre a altmetria e sua aplicação e descreve as principais
ferramentas disponíveis para captação e geração de métricas alternativas, com foco na atuação dos
bibliotecários, tanto nos processos internos da biblioteca como no apoio a outros profissionais ligados
à comunicação científica, como pesquisadores, editores científicos e gestores acadêmicos.
Palavras-chave: Avaliação de publicações científicas. Comunicação científica. Estudos métricos da
informação. Altmetria.
Abstract: This paper focus on the study and use of alternative metrics for scientific output assessment
based on online activities and tools, which became known as altmetrics, or in Portuguese, altmetria.
Alternative metrics are indicators of scientific communication that help to understand how research
1 Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
2 Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
results are viewed and used in online environments, complementing traditional analysis based on
citation counts. Librarians, who are traditionally involved in the processes of scientific
communication, including its measurement and evaluation, can play a key role in the promotion,
mediation and implementation of these alternative metrics. In light of the need to better understand
the context and implications of altmetrics in scientific output assessment, particularly in the context of
the Brazilian academic community, this paper introduces basic concepts about altmetrics and
describes the main tools available to capture and generate alternative metrics. The paper focus on the
role of librarians, both in the internal processes of the library and in supporting other professionals
involved with the scientific communication, as researchers, scientific publishers and academic
managers.
Keywords: Scientific output assessment. Scientific output. Metric information studies. Altmetrics.
1 INTRODUÇÃO
A avaliação de impacto da produção científica tem sido um tema recorrente de discussão
e estudo na comunidade acadêmica nas últimas décadas. Abordado por vários autores da área de
Biblioteconomia e Ciência da Informação (FREIRE; GARCIA, 2002; LETA, 2011;
MUELLER, 2008; MUGNAINI, 2006; MUGNAINI; SALES, 2011; SANTOS, 2003;
STREHL, 2005; VELHO, 1985), o impacto acadêmico é um tema que ultrapassa fronteiras
disciplinares, uma vez que, em todas as áreas do conhecimento, qualquer profissional envolvido
com a produção científica ou empenhado na progressão de sua carreira acadêmica, em algum
momento terá que lidar com a avaliação de impacto de sua produção científica.
No entanto, os índices tradicionais de aferição de impacto de publicações e artigos
científicos vêm sendo alvo de questionamentos e críticas importantes sobre a sua validade e
atualidade (ARNOLD; FOWLER, 2011; BRODY; HARNAD; CARR, 2006; GOUVEIA, 2013;
SEGLEN, 1997). No cenário atual onde a produção acadêmica encontra-se cada vez mais
vinculada aos meios eletrônicos no que tange à sua produção, publicação, disseminação e
validação, essas críticas levaram a comunidade acadêmica a buscar e desenvolver maneiras
alternativas de medir, avaliar e legitimar sua produção científica, e como resposta, surgiram as
métricas alternativas de produção científica baseadas em registros de atividades que ocorrem
exclusivamente no ambiente online, que se tornaram conhecidas como altmetrics (PRIEM et al.,
2010), ou em português, altmetria.
As métricas alternativas rastreiam menções a produtos de pesquisa acadêmica em redes
sociais, como o Twitter e Facebook, blogs científicos, sites de notícias e ferramentas de gestão
de referências bibliográficas online, como Mendeley e CiteULike, permitindo visualizar e medir
outras esferas de influência e impacto dos artigos acadêmicos e de outros resultados de
pesquisa.
O desenvolvimento e uso da altmetria é recente na comunidade científica, e suas
vantagens e deficiências ainda estão sendo discutidas através de um volume crescente de
literatura produzida tanto no exterior (ALPERIN, 2013; BORNMANN, 2014; KONKIEL,
2013; LAPINSKI; PIWOWAR; PRIEM, 2013; MICHALEK; BUSCHMAN; MCEVOY, 2014;
PRIEM; GROTH; TARABORELLI, 2012; ROEMER; BORCHARDT, 2015b; TORRES;
CABEZAS; JIMÉNEZ, 2013; ZAHEDI; COSTAS; WOUTERS, 2014) como, mais
recentemente, por alguns autores no Brasil (ARAUJO, 2014; ARAUJO et al., 2015; BARROS,
2015; GOUVEIA, 2013; NASCIMENTO; ODDONE, 2015; SOUZA, 2015) e em eventos
acadêmicos nacionais realizados nos últimos anos, como o Encontro Brasileiro de Bibliometria
e Cientometria (EBBC) e o Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação
(ENANCIB).
Embora os estudos internacionais sobre a altmetria estejam ainda em um estágio
exploratório, havendo amplo espaço para discussão sobre a validade e aplicações dessas novas
métricas (PRIEM et al., 2010), a adoção de métricas alternativas atingiu um nível de
compreensão crítico que justifica o desenvolvimento de pesquisas mais aprofundadas à luz da
Biblioteconomia e da Ciência da Informação, incluindo sua aplicação prática como ferramenta
de avaliação acadêmica em nosso contexto local. Para que a aplicação dessas métricas ocorra de
forma adequada nos países periféricos, certas limitações de uso particulares devem ser
abordadas, como a relevância das métricas alternativas existentes para a comunidade acadêmica
local, o uso de fontes locais para geração das tricas e a compatibilidade com os sistemas de
publicação utilizados nesses países (ALPERIN, 2013).
No Brasil, muitos profissionais ligados à comunicação científica, como estudantes,
pesquisadores, bibliotecários, editores de periódicos e gestores acadêmicos, entre outros, que
poderiam se beneficiar da altmetria de diversas formas, ainda não possuem familiaridade com
esse tema. Os bibliotecários, sobretudo aqueles que atuam em ambientes acadêmicos, são
profissionais que devem estar preparados para informar e influenciar a comunidade acadêmica a
respeito das melhores práticas e tendências da comunicação científica, incluindo o estudo e uso
da altmetria.
Para que possamos começar a discutir questões relativas à altmetria, no entanto, é
necessário primeiramente conhecer melhor o que o e do que tratam essas métricas. Este
trabalho se propõe a contribuir com o avanço dessa discussão, apresentando os conceitos
básicos sobre as métricas alternativas e sua aplicação na avaliação da produção científica,
descrevendo as principais ferramentas para captação e geração detricas alternativas
disponíveis atualmente e explorando formas como os bibliotecários podem aplicar e incorporar
esses recursos à sua prática profissional.
2 MÉTRICAS ALTERNATIVAS
O estudo e o uso de métricas alternativas de impacto acadêmico baseadas no registro de
atividades realizadas em ambientes online que incluem interações em blogs, redes sociais,
ferramentas de gerenciamento bibliográfico e de colaboração acadêmica surgiu como uma
resposta à crise dos principais filtros da ciência, quais sejam, a revisão por pares, a contagem de
citações e o fator de impacto, frente ao movimento de migração dos pesquisadores para o
ambiente online (PRIEM et al., 2010).
O termo altmetrics abreviação de alternative metrics (métricas alternativas) foi
cunhado por Jason Priem em 2010, em uma postagem em sua conta do Twitter, e em seguida
consolidado no artigo Altmetrics: a manifesto (PRIEM et al., 2010), onde se sugere que a
altmetria pode ser uma solução mais adequada para medir e avaliar o impacto da produção
científica, considerando a atual velocidade da comunicação e o uso de tecnologias pela
comunidade acadêmica. Em outro artigo, Priem e outros autores definem a altmetria como “o
estudo e uso das métricas de impacto acadêmico baseado em atividade em ferramentas e
ambientes online” (PRIEM; GROTH; TARABORELLI, 2012), lembrando que o termo
altmetria também tem sido usado para descrever as próprias métricas.
Os estudos de altmetria se diferenciam daqueles da cientometria ou da webometria,
sendo na maioria dos casos um subconjunto desta última, já que se concentram especificamente
na mensuração da influência de produtos acadêmicos registrada em ferramentas e ambientes
online, ao invés de usar dados de uso da web de maneira geral (PRIEM; GROTH;
TARABORELLI, 2012).
O uso de métricas alternativas para a avaliação da produção acadêmica é uma tendência
que vem crescendo e sendo adotada por diversos atores da comunicação científica, a começar
pelos próprios pesquisadores, e mais recentemente por periódicos acadêmicos e outros serviços
de publicação e disseminação da produção científica, como repositórios institucionais,
gerenciadores de referências bibliográficas e redes sociais acadêmicas, como um complemento
às métricas e indicadores de avaliação tradicionais baseados na contagem de citações
bibliográficas.
A adoção exclusiva de indicadores bibliométricos baseados na contagem de citações e
do fator de impacto como principal indicador de qualidade da produção acadêmica têm sido
alvo diversas críticas e questionamentos da comunidade acadêmica. Algumas críticas
comumente encontradas na literatura incluem o uso incorreto desses indicadores em virtude do
desconhecimento de sua real aplicação, levando a erros de julgamento (GOUVEIA, 2013;
SEGLEN, 1997), a possibilidade de manipulação de dados para aumentar o fator de impacto de
uma publicação, sem que isso necessariamente represente uma melhora na qualidade do
periódico (ARNOLD; FOWLER, 2011), a presença de variáveis no cálculo do fator de impacto,
como o tipo e idioma do artigo e a ocorrência de autocitação, que o estão diretamente
relacionados com a qualidade dos artigos (SEGLEN, 1997), o fato de os indicadores baseados
em contagem de citações serem considerados muito lentos e limitado diante do atual cenário da
ciência (BRODY; HARNAD; CARR, 2006; MCFEDRIES, 2012), bem como a questão de que
muitos periódicos acadêmicos de prestígio dentro de sua área de especialidade não possuem um
fator de impacto conhecido por não estarem indexados na base de dados Web of Science
(ROEMER; BORCHARDT, 2015c), de onde provêm os dados para o cálculo do fator de
impacto.
Garfield (1994) havia advertido que o fator de impacto deve ser aplicado com
discrição e não deve ser utilizado isoladamente como critério de avaliação de periódicos, além
de ser um indicador inapropriado para avaliação de artigos individuais ou autores. Mais
recentemente, um grupo de pesquisadores de vários países assinou a Declaração de São
Francisco sobre Avaliação da Pesquisa (AMERICAN SOCIETY FOR CELL BIOLOGY, 2012),
que ratifica essa visão e recomenda que métricas como o fator de impacto de periódicos não
devem ser usadas como medida da qualidade de artigos individuais ou para avaliar as
contribuições de um pesquisador em particular.
No Brasil, uma das principais críticas ao fator de impacto é a falta de representação de
periódicos brasileiros entre os tulos indexados na Web of Science, pois a ausência de um
conjunto significativo de periódicos brasileiros nessa base de dados desfavorece o
posicionamento de impacto de nossos periódicos, uma vez que não leva em conta as citações
recebidas de periódicos locais (NASSI-CALÒ, 2013).
A avaliação da qualidade da produção científica inclui o conhecimento de como este
trabalho está sendo útil à sociedade em um dado momento (SPINAK, 1998), e os indicadores
científicos que tomam como produto da ciência somente a comunicação escrita, particularmente
aquela publicada em periódicos, restringem de forma significativa a estimativa de impacto da
ciência na sociedade (MUGNAINI; CARVALHO; CAMPANATI-OSTIZ, 2006). A contagem
de citações como principal, e muitas vezes único, indicador de impacto da produção científica
limita a observação do real alcance dos resultados produzidos pelos pesquisadores, ao ignorar
situações de uso não-acadêmico e desvinculado de citações em canais de comunicações
formais, como a divulgação de resultados científicos em jornais e revistas ou citações em
documentos de políticas públicas, assim como o impacto e influência de outros produtos de
pesquisa não-convencionais, como trabalhos apresentados em congressos, dados de pesquisa,
programas de computador, vídeos ou postagens em blogs.
Em algumas áreas, como nas Ciências da Saúde, por exemplo, o impacto não-acadêmico
da produção científica ocorre na prática de diversas formas que vão além da citação em artigos
científicos, como por exemplo, na adoção de melhores práticas na clínica médica, na criação de
políticas públicas de Saúde, na discussão de resultados pela comunidade de profissionais de
saúde ou de leigos, ou na menção de resultados de pesquisa em matérias publicadas em jornais e
revistas não-acadêmicos de grande circulação.
As tricas alternativas ajudam a revelar novas e diferentes dimensões do impacto da
produção científica e descobrir evidências sobre o alcance de uma pesquisa tanto na esfera
acadêmica como fora dela, junto ao público não-especializado.
O surgimento das métricas alternativas também torna possível medir práticas comuns na
comunidade acadêmica que atualmente foram transpostas para o ambiente online como o
compartilhamento de artigos, as discussões informais e o uso de resultados de pesquisas fora do
âmbito acadêmico. Durante séculos, pesquisadores e outros estudiosos trocam recomendações
sobre os artigos que leem, comentam resultados de estudos, enviam cópias de trabalhos,
endossam descobertas, etc. Com a tecnologia atual, finalmente podemos medir e reportar a
quantidade e a qualidade dessas interações, complementando os resultados e análises que se
baseavam somente na contagem de citações.
Dessa forma, a altmetria o pretende substituir, mas complementar as métricas
tradicionais baseadas somente na contagem de citações.
Em termos de resultados, a altmetria pode fornecer diversos tipos de indicadores da
interação do público com o resultado de pesquisa. Dependendo da fonte onde a menção foi
coletada e da forma de apresentação escolhida pelo provedor da ferramenta de altmetria, as
métricas disponíveis podem incluir o número de visualizações, downloads e compartilhamentos,
a existência ou volume de comentários e discussões sobre o artigo na web e em redes sociais e
até mesmo incluir a contagem de citações em bases de dados como Pubmed, Scopus e Web of
Science (QUADRO 1).
QUADRO 1
Tipos de interação online medidos pela altmetria
Métrica Descrição Fontes (sites)
Visualização / Download Downloads ou visualizações de
artigo na web e em sites de rede
social
Figshare, Slideshare, Dryad,
Facebook, YouTube, LinkedIn
Compartilhamento / Menção Post público para compartilhar
notícias sobre um artigo ou
resultado de pesquisa
Twitter, Facebook, Google+,
Youtube, Figshare, Mendeley,
sites de notícias, postagens em
blogs,
Salvo / Favorito Salvo em um site de bookmark
social ou marcado como favorito em
um site de rede social ou gestor de
referência
Mendeley, CiteULike, delicious,
Github, Twitter, Slideshare
Resenha / Comentário Discussão sobre artigo ou inclusão
de comentário adicional
Faculty of 1000, Research Gate,
comentário na página do artigo,
em blogs, no Facebook
Adaptações Criação de trabalhos derivados
usando dados de pesquisa ou
código de programação existentes
Github, Dryad
Citações Citações de artigos em literatura
acadêmica
Pubmed, Scopus, Web of
Science, Wikipedia
Fonte: Adaptado de KONKIEL, 2013; TANANBAUM, 2013.
A adoção e uso da altmetria no Brasil esbarra em desafios tanto tecnológicos como
culturais e políticos. Primeiramente, a falta de padronização e de qualidade dos metadados das
publicações nacionais impede o correto reconhecimento de itens individuais da produção
acadêmica e o rastreamento das citações recebidas online. As ferramentas de altmetria utilizam
identificadores únicos para coletar dados (como o DOI para artigos e ORCID para autores), a
fim de rastrear e medir de forma inequívoca a produção de um autor ou o desempenho de um
artigo. No entanto, o uso do DOI ainda é fortemente concentrado em periódicos de países
desenvolvidos, devido às barreiras econômicas e idiomáticas que dificultam a sua adoção no
resto do mundo (ALPERIN, 2013). Para se ter uma ideia, em 2014, dos 32 periódicos em
Ciência da Informação publicados no Brasil, somente 5 títulos possuíam DOI associado a seus
artigos (NASCIMENTO; ODDONE, 2014).
Outro ponto importante é a necessidade de maior engajamento da comunidade
acadêmica nos ambientes e ferramentas online. Segundo Holmberg (2016), os estudos sobre o
uso de ferramentas de mídia social pela comunidade acadêmica mostram que não são muitos os
pesquisadores que estão utilizando essas ferramentas extensivamente na sua comunicação
científica ou para outras atividades acadêmicas, porém aqueles que as estão usando reconhecem
que elas são benéficas para o seu trabalho. Tanto assim que, embora o uso dessas ferramentas
para fins de disseminação científica seja modesto, nota-se que pesquisadores que possuem perfil
em uma rede social acadêmica são mais propensos a criar perfis em outras redes (BARROS,
2015; MAS-BLEDA et al., 2014).
No entanto, o maior desafio para a implementação das métricas alternativas no Brasil é a
falta de reconhecimento e apoio institucional às novas práticas de pesquisa por parte das
universidades e dos órgãos de financiamento e avaliação acadêmica. Enquanto os artigos de
periódicos continuarem a ser o principal produto de pesquisa utilizado para julgar processos
admissionais, promoções e concessões de subvenções e bolsas, existe o risco de não haver
adoção em larga escala das ferramentas de altmetria para avaliar resultados de pesquisa
(BARROS, 2015).
3 FERRAMENTAS DE ALTMETRIA
Existem várias ferramentas que produzem métricas alternativas, porém quatro
provedores se destacam como os mais utilizados atualmente pela comunidade acadêmica:
Altmetric, ImpactStory, PLOS ALM e Plum Analytics.
Todos os provedores são estrangeiros e estão voltados exclusivamente para a produção
de métricas alternativas, porém cada um deles tem buscado diferenciar-se dos demais,
dedicando-se a atender a um determinado segmento acadêmico.
A Altmetric (http://www.altmetric.com) é a principal empresa que produz e fornece
métricas alternativas, atendendo tanto ao público individual de pesquisadores e bibliotecários,
como também a periódicos e instituições, para os quais desenvolveu produtos específicos
adequados às suas demandas. A empresa atua em três frentes principais: (1) coletar citações,
menções, comentários e downloads de artigos acadêmicos a partir de diversas fontes online,
incluindo gestores bibliográficos, sites de notícia, jornais e revistas comerciais, blogs
acadêmicos, mídias sociais e documentos de políticas públicas; (2) desenvolver soluções
tecnológicas para a consulta e visualização dos dados obtidos, incluindo tratamento dos dados e
agregação de informações demográficas e de perfis para melhor classificação dos resultados; e
(3) popularizar a adoção e uso das métricas alternativas, através da publicação de textos
temáticos em seu blog, realização de seminários online abertos ao público sobre temas ligados a
avaliação do impacto acadêmico, e ações de apoio a pesquisadores e profissionais que se
dedicam a estudar e divulgar as métricas alternativas ao redor do mundo. Esse último ponto
mostra-se particularmente interessante, pois apesar de ser uma empresa comercial, alguns de
seus produtos podem ser utilizados gratuitamente por determinados públicos, como por
exemplo, bibliotecários e administradores de repositórios institucionais.
A ImpactStory (https://impactstory.org/) surgiu em 2011, lançada inicialmente sob o
nome de total-impact. A partir de 2012, o projeto passou a receber financiamento externo, mas
ainda se mantém como uma entidade sem fins lucrativos. Sua ferramenta é voltada para
usuários individuais, e permite que pesquisadores criem um perfil online e adicionem itens de
sua produção acadêmica, como artigos, livros, apresentações em congressos, pôsteres, vídeos,
conjuntos de dados, programas de computador, entre outros, e monitorem as menções recebidas
online por esses itens. Para usar o ImpactStory, é necessário que o pesquisador tenha cadastrado
seus dados de perfil e produção acadêmica no sistema de identificação de autores ORCID.
Assim, cada vez que um produto de pesquisa é incluído no ORCID, a ferramenta ImpactStory
sincroniza os dados do novo item e passa a coletar as menções recebidas. A ImpactStory usa os
dados produzidos pela Altmetric, juntamente com o número de leitores no Mendeley e de
citações na base de dados CrossRef, e então agrega e apresenta os indicadores de atenção online
na página de perfil do pesquisador.
Os grandes periódicos e editoras acadêmicas – como Nature, Highwire Press e Springer,
entre outros – também têm se preocupado em incorporar métricas alternativas em seus websites.
Entre os periódicos de acesso aberto, um dos primeiros a adotá-las, em 2009, e o primeiro a
desenvolver sua própria ferramenta de métricas de artigo, foi o periódico Public Library of
Science (PLoS), com a ferramenta PLOS Article-Level Metrics, ou PLOS ALM (http://article-
level-metrics.plos.org/). As métricas de artigo da PLOS ALM são geradas a partir de um
conjunto de fontes que incluem o número de citações e downloads no PubMed Central, citações
em bases de dados como Scopus, Web of Science, Google Acadêmico e CrossRef, além de
menções nos serviços de gestão bibliográfica Mendeley e CiteULike, blogs, redes sociais e
comentários no próprio site. Outros periódicos, tanto comerciais como de acesso aberto,
publicam métricas de seus artigos usando a ferramenta PLOS ALM, através de um aplicativo de
código aberto, o Lagotto. Os periódicos que utilizam a plataforma do Sistema Eletrônico de
Editoração de Revistas (SEER) para publicação eletrônica também podem instalar um módulo
que permite gerar e publicar métricas de artigo com a ferramenta PLOS ALM.
Outra empresa que vem se expandindo nessa área é a Plum Analytics
(http://plumanalytics.com/), que foi fundada por pesquisadores e adquirida em 2014 pela
EBSCO. Seu principal público-alvo são as universidades e outras instituições acadêmicas, para
as quais oferece serviços como implementação de métricas alternativas em repositórios
institucionais, criação de perfis acadêmicos online para professores e pesquisadores, análise de
desempenho na pesquisa em comparação com outras instituições acadêmicas, métricas de
impacto para pesquisas realizadas com financiamento público ou institucional, e consulta a
editais públicos para financiamento de pesquisa com base no perfil dos pesquisadores.
4 ALTMETRIA E OS BIBLIOTECÁRIOS
Tradicionalmente, os bibliotecários têm sido responsáveis por boa parte dos recursos e
ferramentas que chegam às mãos – e aos resultados de pesquisa – de pesquisadores, professores
e estudantes. Somos responsáveis pelo desenvolvimento do acervo da instituição, pela seleção e
indicação de fontes de pesquisa, pela obtenção de documentos dentro e fora da biblioteca,
apoiamos os pesquisadores na identificação de canais para a publicação de seus artigos e na
obtenção de indicadores de avaliação acadêmica.
Muitos bibliotecários também dão suporte à produção de publicações institucionais,
garantindo o atendimento a normas e critérios próprios e externos, sendo também responsáveis
pela indexação dos periódicos em bases de dados nacionais e internacionais. Muitas vezes, os
bibliotecários também dão suporte à gestão institucional, apoiando os processos de seleção e
aquisição de sistemas de informação e ferramentas bibliométricas, ou envolvidos com outros
aspectos da avaliação institucional.
Em todas essas tarefas, os bibliotecários têm a chance de atuar como um agente de
mudança junto a diferentes públicos, proporcionando avanços tanto no conhecimento da área de
pesquisa como sobre o próprio processo da comunicação científica (ROEMER; BORCHARDT,
2015a). Os bibliotecários podem ter um papel fundamental na promoção, mediação e
implementação do uso das métricas alternativas, que se intersecta com outros temas comuns à
rotina acadêmica, como o acesso aberto, as bases de dados e os repositórios institucionais. Cabe
ao bibliotecário manter-se a par dessas novas tendências para saber como melhor aplicá-las ao
seu dia a dia profissional.
Existem diversas ações que podem ser desenvolvidas pelos bibliotecários usando as
ferramentas de altmetria disponíveis atualmente, aplicadas tanto aos processos internos da
biblioteca, como no apoio a pesquisadores, na editoração científica ou na avaliação
institucional, complementando ou renovando atividades onde se utilizam métricas tradicionais
de avaliação acadêmica.
As atividades na biblioteca que podem se beneficiar ou ser desenvolvidas com o apoio
da altmetria incluem o suporte à tomada de decisão para o desenvolvimento de coleções, a
identificação de potenciais novos títulos para o acervo e a indicação de artigos e outros
resultados de pesquisa em evidência para os usuários. Também pode-se trabalhar a educação de
usuários sobre temas ligados a impacto e métricas de avaliação, criando materiais de orientação
e referência para o público, ou organizando palestras e minicursos sobre impacto e métricas
tradicionais e alternativas, assim como orientar estudantes, professores e pesquisadores na
construção do seu perfil online e ensinar-lhes como monitorar e compartilhar as métricas de uso
de suas pesquisas (ROEMER; BORCHARDT, 2015a).
No apoio aos pesquisadores, os bibliotecários podem prestar assessoria para a
preparação de artigos acadêmicos e outros produtos de pesquisa, orientando os autores sobre a
melhor maneira de usar títulos, resumos, palavras-chave e outros elementos a fim de
potencializar a visibilidade e facilitar a recuperação do artigo em bases de dados e na web,
identificar os canais mais adequados para publicar resultados de pesquisa, aconselhar sobre
onde e como promover seus trabalhos em comunidades específicas de sua área de conhecimento
e como vinculá-los ao perfil online do pesquisador em diversos serviços (MICHALEK;
BUSCHMAN; MCEVOY, 2014).
Outro aspecto onde o uso da altmetria pode ser valioso para autores e gestores
institucionais é na implementação de métricas alternativas em repositórios institucionais.
Alguns repositórios reportam o número do visualizações e downloads dos trabalhos, mas incluir
dados de interação dos usuários com esses trabalhos nas redes sociais pode ser importante para
demonstrar diferentes usos dos produtos de pesquisa da instituição e ressaltar a relevância e
importância dos repositórios (KONKIEL; SCHERER, 2013; SOUZA, 2015).
Na área da editoração científica, os bibliotecários podem ajudar os editores a explorar as
possíveis alternativas para implementar o uso de métricas de artigo e métricas alternativas em
periódicos online, cobrindo desde o atendimento aos padrões de metadados e infraestrutura
requeridos, até a escolha, avaliação e implementação de ferramentas e serviços para a geração
de métricas alternativas. Também podem apoiar a implantação de outras medidas que
colaboram para melhorar o desempenho online dos artigos publicados, como construir e manter
uma presença oficial nas redes sociais, investigar as plataformas e os tipos de interação
predominantes entre seus leitores e identificar os tipos de conteúdo que recebem mais atenção
como estratégia de divulgação.
A altmetria também pode ser uma ferramenta útil, quando usada juntamente com as
métricas tradicionais, para orientar os tomadores de decisão quanto ao financiamento de
pesquisas (SCOTTI et al., 2016). Muitos bibliotecários estão diretamente ou indiretamente
envolvidos nos processos de suporte para obtenção de financiamento, acompanhamento e
medição de desempenho e avaliação da qualidade das atividades da instituição, onde podem
educar os gestores sobre a importância da incorporação de métricas alternativas às políticas
institucionais e orientá-los quanto a formas adequadas de representar as várias dimensões do
impacto da pesquisa institucional.
O estudo das métricas alternativas ainda é relativamente novo e pouco conhecido, com
mudanças ocorrendo praticamente a cada dia. No entanto, o valor potencial da altmetria para a
comunicação científica atual faz com que o envolvimento dos bibliotecários seja um
investimento rentável, não só para o futuro do campo, mas também para o futuro do impacto
acadêmico, da comunicação científica e da diversidade intelectual (ROEMER; BORCHARDT,
2015a).
5 CONSIDERAÇÕES FINAIS
As métricas alternativas complementam os indicadores tradicionais de avaliação
baseados em contagem de citações e oferecem uma nova perspectiva sobre o impacto da
produção científica, dentro e fora dos círculos acadêmicos.
Apesar de as métricas de avaliação acadêmica tradicionais enfrentarem reiteradas
críticas e questionamentos por parte da comunidade acadêmica, os indicadores de qualidade
acadêmica baseados na contagem de citações devem continuar existindo por muito tempo, e
métricas como o fator de impacto continuarão sendo adotadas e valorizadas, devido à
importância que representam para a comunidade acadêmica, mas devem ser complementadas
com outras medidas de atenção e influência online.
O estudo das tricas alternativas e do seu uso na avaliação da produção acadêmica
ainda está em um estágio inicial de desenvolvimento, sobretudo no Brasil, mas sabemos que os
principais atores da comunicação científica internacional – incluindo pesquisadores,
bibliotecários, editores científicos e instituições acadêmicas – já estão adotando a altmetria, em
maior ou menor grau, como um recurso para a avaliação da produção acadêmica.
Para que a altmetria possa ser plenamente adotada pela comunidade acadêmica
brasileira, é necessário que os atores da nossa comunidade científica obtenham um maior
conhecimento sobre as características e aplicações destas novas tricas e das ferramentas
existentes para produzi-las. Também vemos como um requisito básico a atualização das práticas
de publicação eletrônica dos periódicos científicos nacionais, incluindo a adoção de padrões
internacionais e a melhoria da qualidade e disponibilidade dos metadados online, permitindo o
rastreamento e captura dos dados necessários para a geração de métricas alternativas.
Outro fator importante para o sucesso das métricas alternativas no Brasil é a ampliação
do uso de ambientes e ferramentas online nas práticas de produção e comunicação do
conhecimento pela comunidade acadêmica – como interações em redes sociais acadêmicas e
blogs científicos, uso de ferramentas de gerenciamento bibliográfico e de colaboração
acadêmica – a fim de que a influência e atenção online gerada em um contexto local possa ser
medida e avaliada. O maior desafio, porém, passa pela institucionalização dessas novas práticas
de pesquisa e o seu reconhecimento pelos órgãos de financiamento e avaliação acadêmica.
Os bibliotecários, pela própria natureza de sua formação e atuação profissional, devem
estar qualificados para assumir o papel de informar e influenciar o público acadêmico sobre as
melhores práticas e tendências da comunicação científica, incluindo o estudo e a aplicação
prática da altmetria como ferramenta de avaliação acadêmica em nosso contexto local.
REFERÊNCIAS
ALPERIN, Juan Pablo. Ask not what altmetrics can do for you, but what altmetrics can do for
developing countries. Bulletin of the Association for Information Science and Technology,
Maryland, v. 39, n. 4, abr./maio 2013. Disponível em: <http://www.asis.org/Bulletin/Apr-
13/AprMay13_ Alperin.html>. Acesso em: 13 out. 2013.
AMERICAN SOCIETY FOR CELL BIOLOGY. San Francisco Declaration on Research
Assessment. 2012. Disponível em: <http://www.ascb.org/dora/>. Acesso em: 12 maio 2015.
ARAÚJO, Ronaldo Ferreira. Cientometria 2.0, visibilidade e citação: uma incursão altmétrica
em artigos de periódicos da Ciência da Informação. In: Encontro Brasileiro de Bibliometria e
Cientometria, 4., 2014, Recife. Anais... Recife: UFPE, 2014. Disponível em:
<http://dx.doi.org/10.6084/m9.figshare.1047057>. Acesso em: 20 jan. 2015.
ARAÚJO, Ronaldo Ferreira et al. Does the Global South have altmetrics? Analyzing a
Brazilian LIS journal. In: International Society for Scientometrics and Informetrics
Conference, 15., Istambul, 2015. Anais… Istambul: Bogaziçi University, 2015. Disponível
em: <http://www.issi2015.org/files/downloads/all-papers/0111.pdf>. Acesso em: 15 nov.
2015.
ARNOLD, Douglas N.; FOWLER, Kristine K. Nefarious numbers. Notices of the AMS, v. 58,
n. 3, p. 434-437, 2011.
BARROS, Moreno. Altmetria: métricas alternativas de impacto científico com base em redes
sociais. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 20, n. 2, p. 19-37,
abr./jun. 2015. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/1981-5344/1782>. Acesso em: 03
jan. 2016.
BORNMANN, Lutz. Do altmetrics point to the broader impact of research? An overview of
benefits and disadvantages of altmetrics. Journal of Infometrics, v. 8, p. 895-903, 2014.
Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1016/j.joi.2014.09.005>. Acesso em: 29 jan. 2015.
BRODY, Tim; HARNAD, Stevan; CARR, Leslie. Earlier web usage statistics as predictors of
later citation impact. Journal of the American Society for Information Science and
Technology, Maryland, v. 57, n. 8, p. 1060-1072, 2006.
FREIRE, Gustavo Henrique; GARCIA, Joana Coeli Ribeiro. Avaliação científica: a visão do
pesquisador. Informação e Sociedade, João Pessoa, v. 12, n. 2, 2002. Disponível em:
<http://www.ies.ufpb.br/ojs/index.php/ies/article/view/150>. Acesso em: 12 jul. 2016.
GARFIELD, Eugene. The Thomson Reuters impact factor. Current contents, [S.l.], v. 25, p.
3-7, 1994. Disponível em: <http://wokinfo.com/essays/impact-factor/?utm_source=false&
utm_medium=false&utm_campaign=false>. Acesso em 12 fev. 2015.
GOUVEIA, Fábio Castro. Altmetria: métricas de produção científica para além das citações.
Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v. 9, n. 1, p. 214-227, maio 2013. Disponível em:
<http://liinc.revista.ibict.br/index.php/liinc/article/view/569>. Acesso em: 10 ago. 2013.
HOLMBERG, Kim. Altmetrics for information professionals: past, present, future.
Kidlington, UK: Chandos, 2016. 158 p.
KONKIEL, Stacy. Altmetrics: A 21st century solution to determining research quality. Online
Searcher, [S.l.], v. 37, n. 4, p. 10-15, 2013. Disponível em:
<http://www.infotoday.com/OnlineSearcher/Articles/Features/Altmetrics-A-stCentury-
Solution-to-Determining-Research-Quality-90551.shtml>. Acesso em: 18 ago. 2014.
KONKIEL, Stacy; SCHERER, Dave. New opportunities for repositories in the age of
altmetrics. Bulletin of the American Society for Information Science and Technology,
Maryland, v. 39, n. 4, p. 22-26, 2013. Disponível em:
<http://dx.doi.org/10.1002/bult.2013.1720390408>. Acesso em: 27 nov. 2015.
LAPINSKI, Scott; PIWOWAR, Heather; PRIEM, Jason. Riding the Crest of the Altmetrics
Wave. College & Resource Libraries News, v. 74, n. 6, p. 292-300, 2013. Disponível em:
<http://crln.acrl.org/content/74/6/292.full >. Acesso em: 12 ago. 2013>.
LETA, Jacqueline. Indicadores de desempenho, ciência brasileira e a cobertura das bases
informacionais. Revista USP, São Paulo, n. 89, 2011. Disponível em:
<http://rusp.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-99892011000200005&lng=pt&
nrm=iso>. Acesso em: 29 mai. 2016.
MAS-BLEDA, Amalia et al. Do highly cited researchers successfully use the social web?
Scientometrics, [s.l.], v. 101, n. 1, p. 337-356, October 2014.
MCFEDRIES, Paul. Measuring the impact of altmetrics. IEEE Spectrum, [S.l.], v. 49, n. 8,
p. 28., aug. 2012. Disponível em: <http://spectrum.ieee.org/at-work/tech-careers/measuring-
the-impact-of-altmetrics>. Acesso em: 30 mai. 2016.
MICHALEK, Andrea; BUSCHMAN, Mike; MCEVOY, Kathleen. Analyze this: Altmetrics
and your collection – Statistics & Collection development. Against the grain, [S.l.], v. 26, n.
2, p. 80. 2014. Disponível em: <http://www.against-the-grain.com/2014/05/v26-2-analyze-
this/>. Acesso em: 10 jan. 2016.
MUELLER, Suzana Pinheiro Machado. Métricas para a Ciência e Tecnologia e o financiamento
da pesquisa: algumas reflexões. Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e
Ciência da Informação, Florianópolis, n. esp., 1º sem. 2008.
MUGNAINI, Rogério. Caminhos para adequação da avaliação da produção científica
brasileira: impacto nacional versus internacional. 2006. Tese (Doutorado) – Escola de
Comunicação e Artes, Universidade de São Paulo, 2006. Disponível em:
<http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/27/27151/tde-11052007-091052/>. Acesso em: 29
jun. 2016.
MUGNAINI, Rogério; CARVALHO, Telma; CAMPANATI-OSTIZ, Heliane. Indicadores de
produção científica: uma discussão conceitual. In: POBLACIÓN, Dinah, WITTER, Geraldina
Porto, SILVA, José Fernando Modesto. Comunicação & produção científica: contexto,
indicadores e avaliação. São Paulo: Angellara, 2006. p. 313-340.
MUGNAINI, Rogério; SALES, Denise Peres. Mapeamento do uso de índices de citação e
indicadores bibliométricos na avaliação da produção científica brasileira. In: ENANCIB -
Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação, 12., 2011, Brasília. Anais...
Brasília: Thesaurus, 2011. p. 2361-2372.
NASCIMENTO, Andréa Gonçalves; ODDONE, Nanci. Uso de indicadores altmétricos na
avaliação de periódicos científicos brasileiros em Ciência da Informação, In: Encontro
Brasileiro de Bibliometria e Cientometria, 4., 2014, Recife. Anais... Recife: UFPE, 2014.
Disponível em: <https://dx.doi.org/10.6084/m9.figshare.1146279.v1>. Acesso em: 27 nov.
2015.
NASCIMENTO, Andrea Gonçalves do; ODDONE, Nanci. Uso de altmetrics para avaliação
de periódicos científicos brasileiros em Ciência da Informação. Ciência da Informação em
Revista, Maceió, v. 2, n. 1, p. 3-12, jan./abr. 2015. Disponível em:
<https://dx.doi.org/10.6084/m9.figshare.1402366.v1>. Acesso em: 23 mai. 2015.
NASSI-CALÒ, Lilian. Declaração recomenda eliminar o uso do Fator de Impacto na
Avaliação de Pesquisa. SciELO em Perspectiva. 16 jul. 2013. Blog. Disponível em:
<http://blog.scielo.org/blog/2013/07/16/declaracao-recomenda-eliminar-o-uso-do-fator-de-
impacto-na-avaliacao-de-pesquisa/#.V09KZvkrLIU>. Acesso em: 27 abr. 2015.
PRIEM, Jason et al. Altmetrics: a manifesto. 2010. Disponível em:
<http://altmetrics.org/manifesto/>. Acesso em: 13 out. 2013.
PRIEM, Jason; GROTH, Paul; TARABORELLI, Dario. The altmetrics collection. PLOS
One, [S.l.], v. 7, n. 11, p. e48753, nov. 2012. Disponível em:
<http://dx.doi.org/10.1371/journal.pone.0048753>. Acesso em: 27 nov. 2015.
ROEMER, Robin Chin; BORCHARDT, Rachel. Altmetrics and the role of librarians.
Library Technology Reports, [S.l.], v. 51, n. 5, p. 31-37, jul. 2015a. Disponível em:
<https://journals.ala.org/ltr/article/view/5748>. Acesso em: 21 set. 2015.
ROEMER, Robin Chin; BORCHARDT, Rachel. Issues, controversies and opportunities for
altmetrics. Library Technology Reports, [S.l.], v. 51, n. 5, p. 20-30, jul. 2015b. Disponível
em: <https://journals.ala.org/ltr/article/view/5748>. Acesso em: 21 set. 2015.
ROEMER, Robin Chin; BORCHARDT, Rachel. Meaningful Metrics: A 21st Century
Librarian's Guide to Bibliometrics, Altmetrics, and Research Impact. Chicago, Illinois:
Association of College and Research Libraries, 2015c.
SANTOS, Raimundo Nonato Macedo dos. Produção científica: por que medir? O que medir?.
Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v. 1, n.1, p. 22-38,
jul./dez. 2003. Disponível em:
<http://www.sbu.unicamp.br/seer/ojs/index.php/rbci/article/view/285>. Acesso em: 09 set.
2014.
SEGLEN, Per O. Why the impact factor of journals should not be used for evaluating research.
British Medical Journal, London, v. 314, n. 7079, p. 498-502, 1997. Disponível em:
<http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2126010/>. Acesso em: 13 ago. 2015.
SCOTTI, Valeria et al. Novel bibliometric scores for evaluating research quality and output: a
correlation study with established indexes. The International Journal of Biological
Markers, 2016 (Advance Online Publication). Disponível em:
<http://dx.doi.org/10.5301/jbm.5000217>. Acesso em: 15 jun. 2016.
SOUZA, Iara Vidal. Altmetrics ou métricas alternativas: conceitos e principais características.
AtoZ: novas práticas em informação e conhecimento, [S.l.], v. 4, n. 2, p. 58-60, 2015.
Entrevista. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.5380/atoz.v4i2.44554>. Acesso em: 03 jan.
2016.
SPINAK, Ernesto. Indicadores cienciometricos. Ciência da Informação, Brasília, v. 27, n. 2,
p. 141-148, 1998. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S0100-19651998000200006>.
Acesso em: 30 jul. 2013.
STREHL, Letícia. O fator de impacto do ISI e a avaliação da produção científica: aspectos
conceituais e metodológicos. Ciência da Informação, Brasília, v. 34, n. 1, p. 19-27, jan. 2005.
Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S0100-19652005000100003>. Acesso em: 29 jul.
2015.
TANANBAUM, Greg. Article-level metrics: a SPARC primer. Washington, DC: SPARC,
2013. Disponível em: <http://www.sparc.arl.org/sites/default/files/sparc-alm-primer.pdf>.
Acesso em: 02 fev. 2015.
TORRES, Daniel; CABEZAS, Álvaro; JIMÉNEZ, Evaristo. Altmetrics: New Indicators for
Scientific Communication in Web 2.0. Comunicar, v. 21, n. 41, p. 53-60, 2013. Disponível
em: <http://www.revistacomunicar.com/index.php?contenido=detalles&numero=41&
articulo=41-2013-05>. Acesso em: 04 out. 2013.
VELHO, Lea. Como medir a ciência? Revista Brasileira de Tecnologia, v. 16, n. 1, p. 35-41,
1985.
ZAHEDI, Zohreh; COSTAS, Rodrigo; WOULTERS, Paul. How well developed are altmetrics?
A cross-disciplinary analysis of the presence of ‘alternative metrics’ in scientific publications.
Scientometrics, v. 101, n. 2, p. 1491-1513, 2014. Disponível em:
<https://arxiv.org/ftp/arxiv/papers/1404/1404.1301.pdf>. Acesso em: 18 jul. 2016.
Article
Full-text available
As métricas alternativas utilizam medidas do impacto acadêmico com base nas atividades e ferramentas online. A Altmetria ocorre mediante o uso de plataformas que desempenham a função de agregar indicadores tradicionais e alternativos, a fim de monitorar a interação do usuário com a pesquisa. A ferramenta Altmetric Badges for Books surge com intuito de avaliar a produção científica em livros. O presente estudo visa apresentar conceitos básicos sobre as métricas alternativas, apontar algumas plataformas que utilizam altmetrics e descrever as funcionalidades das ferramentas de métricas alternativas para livro.
Conference Paper
Full-text available
RESUMO O objetivo deste estudo foi mapear o uso dos índices de citação e indicadores bibliométricos pelas se que 37 áreas de avaliação (ou 80,4% do total) pautam-se na Web of Science/Journal Citation Reports A1. O nível do Fator de Impacto mínimo exigido no referido de estrato varia de 6,0 (Astronomia / Física) mapeamento dos critérios das áreas de avaliação, nota-se alguma uniformidade nas grandes áreas. A utilização generalizada dos índices de citação inclui áreas de menor tradição de publicação internacional – Ciências Humanas e Ciências Sociais Aplicadas – que apesar de não se basear num indicador exige a indexação dos periódicos nos índices internacionais. O Índice H evidencia sua utilidade complementar ao Fator de Impacto (principalmente nas áreas da Saúde), mostrando assim o uso que vem se fazendo da Scopus, e sugerindo que outras áreas podem vir a fazer uso desta alternativa. Finalmente, destaca-se a importância de uma análise comparativa dos critérios de avaliação das diferentes áreas, uma vez que muitas críticas vêm sendo feita pelos pesquisadores da própria área, mas nem sempre pautadas nos logros já evidenciados por outras áreas de avaliação. ABSTRACT This study aimed to map the usage of citation indexes and bibliometric indicators, by the diverse scientific areas, in the evaluation of the Brazilian scientific output. Through the content analysis of the documents of each Qualis area, it was identified the function of the citation indexes and bibliometric indicators to compose the classification criteria of scientific journals of stratum A1. It was observed that 37 evaluation areas (80.4%) propose their criteria based in Web of Science/Journal Citation Reports (WoS/JCR), 18 (39.1%) in Scopus and 17 (37%) in SciELO to attribute to a journal the A1 classification. The minimum level of Impact Factor required by the stratum varies from 6.0 (Astronomy/Physics) to 0.5 (Business Administration, Accounting & Tourism and Geography). Most of the areas do not mention the JCR edition used. Despite of the diversity of the presented scenario showed by the the mapping of evaluation scientific areas, some similarity is found inside the broad scientific areas. The generalized utilization of citation indexes includes areas less internationally productive – Humanities and Applied Social Sciences – that require journal indexing in international indexes, instead of setting a level to an indicator. H index begins to be used to complement the Impact Factor (principally in Health Sciences), showing the Scopus utilization, and suggesting an alternative way to other areas. Finally, we highlight the importance of a comparative analysis of the evaluation criteria of different areas, since many criticisms have been made by researchers of their own area, but has not always been as evidenced by achievements in other areas of evaluation.
Article
Full-text available
Apresentam-se os conceitos e características das métricas alternativas (ou altmetria, em português), com especial destaque para a relação destas com as métricas tradicionais e potenciais riscos de manipulação de dados. Discutem-se os desafios para tais métricas e as ferramentas disponíveis para tal contagem.
Article
Full-text available
Introduction: Novel bibliometric indexes (commonly known as altmetrics) are gaining interest within the scientific community and might represent an important alternative measure of research quality and output. Aims: We evaluate how these new metrics correlate with established bibliometric indexes such as the impact factor (IF), currently used as a measure of scientific production as well as a criterion for scientific research funding, and how they might be helpful in assessing the impact of research. Methods: We calculated altmetrics scores for all the articles published at our institution during a single year and examined the correlation between altmetrics scores and IFs as a measure of research quality and impact in all departments. Results: For all articles from the various departments published in a single year, the altmetrics score and the sum of all IFs showed a strong and significant correlation (Spearman's rho 0.88). The correlation was significant also when the major components of altmetrics, including Facebook, Twitter and Mendeley, were analyzed. The implementation of altmetrics has been found to be easy and effective at both the researcher and librarian levels. Conclusions: The novel bibliographic index altmetrics is consistent and reliable and can complement or be considered a valid alternative to standard bibliometric indexes to benchmark output and quality of research for academic and funding purposes.
Article
Full-text available
Explora a aplicação de métricas alternativas para avaliação de periódicos científicos brasileiros na área de Ciência da Informação. Empregando a ferramenta Altmetric Explorer, identifica as citações recebidas pelos artigos publicados nos periódicos da área no período de 2011 a 2015. Os resultados encontrados demonstram que ainda são poucos os periódicos científicos brasileiros na área de Ciência da Informação para os quais é possível gerar métricas alternativas de citação. No entanto, dentro desse reduzido universo, observou-se um aumento progressivo, a cada ano, na ocorrência de citações aos artigos nas fontes alternativas medidas pelo serviço Altmetric.com, indicando o crescimento do uso de redes sociais para divulgação e compartilhamento de informações pela comunidade acadêmicos.
Poster
Full-text available
The research explores the application of new impact assessment metrics - known as altmetrics - for evaluation of Brazilian scientific journals in the field of Information Science. The results indicate that few Brazilian scientific journals in the Information Science field are available to generate alternative metrics. However, there was an increase in the use of these citations each year, evidencing a preference for Twitter and Mendeley as the most frequent alternative citation channels.
Article
Full-text available
Métricas alternativas ou “altmetrics” podem ser definidas como o estudo e uso de medidas de impacto acadêmico com base na atividade de ferramentas e ambientes online. Altmetrics visam medir as diferentes formas e padrões de significado e uso dos produtos científicos, verificando não apenas a publicação em veículos tradicionais, mas também o processo mais amplo de disseminação em ambientes emergentes. Seu objetivo é atualizar o conceito de influência científica em um século caracterizado pela rápida disseminação de informações e adoção de mídias sociais em escala global. O presente trabalho apresenta as altmetrics e analisa sua aplicação para avaliar o impacto acadêmico.
Book
The goal of any research assessment is to evaluate the value or quality of the research in comparison to other research. As quality is highly subjective and difficult to measure, citations are used as a proxy. Citations are an important part of scholarly communication and a significant component of research evaluation, with the assumption being that highly cited work has influenced the work of many other researchers and hence it is more valuable. Recently we have seen new online data sources being researched for this purpose and disruptive ideas with the power to change research assessment, and perhaps even science as a whole, have been born. Altmetrics is the new research area that investigates the potential of these new data source as indicators of the impact that research has made on the scientific community and beyond, and thus possibly also as indicators of the societal impact of research. This book will present some of these new data sources, findings from earlier altmetrics research, and the disruptive ideas that may radically change scholarly communication. Presents some of the key ideas and innovations in earlier research that have been driving the evolution from bibliometrics to webometrics, and with the advent of social media to altmetrics. Discusses the shortcomings and pitfalls of bibliometrics in research evaluation and the potential of altmetrics to overcome some of these shortcomings. Presents some of the most important data sources of altmetrics, the aggregators, and the different stakeholders. Reviews current research about altmetrics and discusses possible future trends. Presents a way to measure and aggregate altmetrics according to the level of impact or type of impact they represent. © 2016 Kim Holmberg. Published by Elsevier Ltd. All rights reserved.
Article
Resumo Resumo Métricas baseadas em citações têm sido historicamente utilizadas para avaliação da produção científica. Entretanto, diante da revolução da Web 2.0 surge uma Cientometria 2.0, que busca celeridade na percepção do impacto das publicações científicas, bem como de campos emergentes e estratégicos. Neste contexto se inserem os estudos com métricas alternativas (altmétricas) que tem o potencial de aprimorar o entendimento das dinâmicas de citação, levando em consideração o contexto e o papel das diferentes publicações na academia. Neste artigo apresentamos uma discussão sobre o campo da “altmetria” propondo sua definição como uso de dados webométricos e cibermétricos em estudos cientométricos. Palavras-chave Altmetria, Cibermetria, Webometria, Cientometria, Bibliometria. Abstract Citations based metrics have historically been used to evaluate scientific production. However, before the revolution of Web 2.0 arises Scientometrics 2.0, which seeks to expedite the perception of the impact of scientific publications, as well as strategic and emerging fields. In this context fall within studies with alternative metrics (altmetrics) that has the potential to enhance the understanding of the citation dynamics, taking into account the context and the scholarly role of different publications. This article presents a discussion on the field of “altmetrics” proposing its definition as webometrics and cybermetrics data usage in scientometric studies. Keywords Altmetrics, Cybermetrics, Webometrics, Scientometrics, Bibliometrics