Conference PaperPDF Available

Sensemaking: um Editor de Streaming de Vídeo On-line

Authors:

Abstract

O streaming de vídeo tem se tornado um importante elemento para a pesquisa contemporânea, pois permite que uma atividade possa ser compartilhada por diversos pesquisadores ao mesmo tempo, debatida e avaliada em tempo real. Porém, o streaming gera um volume de dados intenso criando a necessidade de aumento de recursos de hardware para armazenagem dessas gravações, além de um extenso material "bruto", sem narrativa visualizável. Como exemplo pode-se pensar na transmissão de procedimentos cirúrgicos em tempo real, que gera quantidades de dados muito superiores à capacidade de armazenamento padrão. Os conteúdos transmitidos são extensos, tornando difícil a busca, a seleção e, por fim, a visualização de maneira dinâmica pelos interessados. Este artigo apresenta o Sensemaking, uma proposta de editor de streaming de vídeo online, onde o usuário edita e seleciona parte do conteúdo de vídeo que está sendo transmitido ao vivo em tempo real. Com esta ferramenta o usuário poderá criar, num curto espaço de tempo, uma narrativa que faça sentido ao conteúdo que está sendo captado e visualizado em tempo real, por meio da possibilidade de se inserir metadados, imagens de abertura, créditos, imagens estáticas, trilha sonora e legendas nos vídeos.
Sensemaking: um Editor de Streaming de Vídeo Online
Jane de Almeida
LabCine, Universidade Presbiteriana
Mackenzie
Rua da Consolação, 930
São Paulo, SP, 01302-970
janedealmeida@mackenzie.
br
Nilton Gomes Furtado
Telessaúde, Universidade Federal de São
Paulo
Rua Sena Madureira, 1500
São Paulo, SP, 04021-001
furtado@unifesp.br
Maria Amelia Eliseo
FCI, Universidade Presbiteriana Mackenzie
Rua da Consolação, 930
São Paulo, SP, 01302-970
mamelia@mackenzie.br
Victoria Boni von Poser
LabCine, Universidade Presbiteriana
Mackenzie
Rua da Consolação, 930
São Paulo, SP, 01302-970
vicvonposer@gmail.com
Cicero Inacio da Silva
Telessaúde, Universidade Federal de São
Paulo
Rua Sena Madureira, 1500
São Paulo, SP, 04021-001
cicero.silva@unifesp.br
Helena Prates
LabCine, Universidade Presbiteriana
Mackenzie
Rua da Consolação, 930
São Paulo, SP, 01302-970
helena.prates@gmail.com
ABSTRACT
Video streaming has become an important element for
contemporary research because it allows that an activity can be
shared, discussed and evaluated by several researchers at the same
and in real-time. However, the streaming creates an intense
volume of data and generates the need to increase hardware
resources for storing the recordings, and the streaming also
generates extensive "raw" materials without any viewable
narrative. For example, one can thinking in real time transmission
of surgical procedures, that generates much higher amounts of
data to the pattern storage capacity. The transmitted contents are
extensive, making it difficult to search, select, and finally, display
dynamically to interested parties. This article introduces the
Sensemaking a proposal for online streaming video editor, which
the user edits and selects part of the video content being streamed
live in real time. With this tool the user can create in a short time,
a narrative that makes sense to the content being captured and
displayed in real time through the possibility to insert metadata,
opening images, credits, static images, track sound and subtitles
on videos.
Keywords
Streaming, digital video, editing.
Resumo
O streaming de vídeo tem se tornado um importante elemento
para a pesquisa contemporânea, pois permite que uma atividade
possa ser compartilhada por diversos pesquisadores ao mesmo
tempo, debatida e avaliada em tempo real. Porém, o streaming
gera um volume de dados intenso criando a necessidade de
aumento de recursos de hardware para armazenagem dessas
gravações, além de um extenso material "bruto", sem narrativa
visualizável. Como exemplo pode-se pensar na transmissão de
procedimentos cirúrgicos em tempo real, que gera quantidades de
dados muito superiores à capacidade de armazenamento padrão.
Os conteúdos transmitidos são extensos, tornando difícil a busca,
a seleção e, por fim, a visualização de maneira dinâmica pelos
interessados.
Este artigo apresenta o Sensemaking, uma proposta de editor de
streaming de vídeo online, onde o usuário edita e seleciona parte
do conteúdo de vídeo que está sendo transmitido ao vivo em
tempo real. Com esta ferramenta o usuário poderá criar, num curto
espaço de tempo, uma narrativa que faça sentido ao conteúdo que
está sendo captado e visualizado em tempo real, por meio da
possibilidade de se inserir metadados, imagens de abertura,
créditos, imagens estáticas, trilha sonora e legendas nos vídeos.
Palavras-chave
Streaming, vídeo digital, edição.
1. INTRODUÇÃO
Sistemas web estão cada vez mais presentes na rotina das pessoas
disseminando informação e instituindo novas formas de
comunicação. São grandes quantidade de dados, desde textos a
recursos multimídia, disponibilizados nestes sistemas e
consumidos por usuários ao redor do mundo. Apesar de seu
sucesso, ainda são grandes os desafios para tornar sua utilização
mais otimizada e eficiente. Por outro lado, a disseminação de
vídeos como meio de comunicação vem aumentando. Fluxos de
vídeo transmitem informações mais precisas que simples
mensagens de textos ou gráficos. No entanto, este fluxo gera um
volume de dados intenso criando a necessidade de aumento de
recursos de hardware para armazenagem dessas gravações, além
de um aumento de recursos na transmissão destes dados via
Internet. Este problema se agrava quando se trata de Vídeos de
Ultra Alta Definição, os chamados UHDV (Ultra High Definition
Video), 4K ou acima, que nos dois últimos anos atraiu grande
interesse tanto comercial quanto acadêmico, de olho na próxima
geração de serviços web que prometem imagens da mais alta
qualidade.
As transmissões ao vivo geram uma grande quantidade de
imagens e muitas vezes necessitam de edição para dar um sentido
ao conteúdo antes de sua publicação num repositório de vídeos.
Geralmente, uma quantidade significativa de vídeos é gerada
diariamente para atividades tanto de ensino, como de cirurgias,
visualizações avançadas, palestras e registros de experiências,
quanto entretenimento. A edição de um vídeo bruto exige muitas
horas de trabalho, muitas vezes invalidando seu uso devido ao
tempo gasto em visualizar ou buscar o conteúdo desejado [1].
Para diminuir o excesso de imagens de uma transmissão on-
line de aulas, cirurgias, procedimentos científicos e observações
com longa duração, um editor online de vídeo amigável e
manejável, que possa ser utilizado durante o andamento do
streaming, faz-se necessário.
O objetivo deste artigo é apresentar o Sensemaking, um
editor de streaming de vídeo para edições em tempo real de
vídeos que estão sendo transmitidos ao vivo. Por se tratar de um
editor online, repositórios de vídeo, como Video@RNP, poderão
se beneficiar ao oferecer uma ferramenta online no próprio
repositório, que auxiliará nas tarefas de edição dos vídeos antes de
serem publicados, otimizando todo processo de pós-produção.
Com o Sensemaking, a equipe própria responsável por uma
atividade de ensino ou de pesquisa, por exemplo, pode, ao mesmo
tempo em que transmite o vídeo, editar e selecionar partes do
conteúdo, gerando um produto final com narrativa coerente para
sua futura utilização.
2. EDIÇÃO DE STREAMING DE
VÍDEO
O advento do cinema digital disponibiliza o universo
computacional para a realização de um trabalho de produção
bastante extenso e complexo que vai além dos procedimentos
realizados no passado. Abrem-se novas possibilidades de
interatividade e de visualização de dados científicos transmitidos
em tempo real [2]. Diante dessas grandes bases de dados, e
também da necessidade de produzir imagens em movimento que
possam explicar de forma significativa, uma ferramenta de edição
de streaming de vídeo em tempo real irá facilitar a criação de
vídeos que façam sentido para um público amplo.
O streaming de vídeo tem-se tornado um importante
elemento para a pesquisa contemporânea, pois permite que uma
atividade possa ser compartilhada por diversos pesquisadores ao
mesmo tempo, debatida e avaliada em tempo real [3], [4] e [5].
Porém, o streaming gera um volume de dados intenso criando a
necessidade de aumento de recursos de hardware para
armazenagem de suas gravações, além de um extenso material
“bruto”, sem narrativa visualizável. A transmissão em tempo real
de imagem em movimento com alta resolução resulta no excesso
de imagens e de dados que tornam a armazenagem e a
recuperação dos dados (conteúdos) armazenados complexa e cara.
Muitos vídeos são gerados para atividades de pesquisa e ensino,
como gravações de cirurgias, palestras, eventos culturais,
experimentos, etc. No entanto, um vídeo bruto demanda horas de
edição, muitas vezes, inviabilizando seu uso devido ao tempo
gasto na visualização ou na busca pelo conteúdo desejado. Quase
nunca, a partir de um vídeo bruto, todo o conteúdo será
aproveitado. Por exemplo, nas filmagens de um procedimento
cirúrgico para utilização como material didático, nem todo o
conteúdo capturado será utilizado, até mesmo porque a duração do
filme bruto pode chegar a muitas horas. Acredita-se que o
professor dificilmente usará o vídeo bruto em sala de aula, pois
perderá bastante tempo procurando as cenas que interessam ao seu
espectador.
A proposta do Sensemaking é produzir uma ferramenta com
a qual a equipe responsável por uma atividade de ensino ou de
pesquisa, que utiliza e necessita de ferramentas de streaming de
vídeo em tempo real, possa, ao mesmo tempo em que transmite o
conteúdo, editar e selecionar as partes desejadas, gerando um
produto final com narrativa coerente para sua futura utilização.
Nas ferramentas de edição de vídeos existentes, relacionadas ao
streaming, o usuário precisa armazenar o conteúdo após realizado
o streaming para iniciar a sua edição. A plataforma Sensemaking
terá como diferencial a capacidade de realizar a edição online
durante o tempo do streaming, ou seja, consecutivamente ao
streaming, otimizando o tempo de pós-produção.
Neste sentido, o Sensemaking poderá ser utilizado para
otimizar tempo de edição de vídeo, integrar as gravações junto
com a pós-produção e obter um material com narrativa logo após
a filmagem ou streaming. A edição e pós-produção pensadas de
forma on the fly (em tempo real), seja para inserir legenda e
imagens, fazer cortes ou aprimorar a imagem favorecem a
produção de um material com a propriedade de ser visualizável e
compreensível. O usuário poderá editar o material, fazendo os
devidos cortes e inserções (legendas, metadados), com alguns
minutos após a filmagem, tendo o vídeo editado para
publicação logo após o término do streaming. A interface do
usuário do Sensemaking foi pensada levando em consideração,
não apenas o uso por profissionais de edição, mas também
usuários leigos que desejam editar seus próprios vídeos (Figura 1).
Figura 1. Interface do usuário do Sensemaking.
Se compararmos os editores de vídeo existentes, a maior
parte do que existe hoje são sistemas de edição que, relacionados
a streamings, operam somente na pós-produção, ou seja, com
conteúdos gravados. Como exemplos destes softwares,
destacam-se o Kaltura [6], Youtube [7], Bambuser [8], dentre
outros. Avançando os conceitos destes softwares, o Sensemaking
irá otimizar o processo de pós-produção ao permitir uma edição
do vídeo durante o streaming. Constituirá em uma alternativa de
ferramenta de edição de vídeos on the fly permitindo que o
usuário crie uma narrativa que faça sentido ao conteúdo que está
sendo captado e visualizado em tempo real, por meio da
possibilidade de se inserir metadados, imagens de abertura,
créditos, imagens estáticas, trilha sonora, computação gráfica e
legendas nos vídeos.
3. VIDEO ANALYTICS
A grande quantidade de dados audiovisuais representa um desafio
nas pesquisas sobre o processamento automático de informação,
particularmente na representação e indexação de conteúdos de
vídeo [9]. Atualmente, a sistematização do arquivamento e a
otimização dos mecanismos de busca relacionados ao conteúdo
audiovisual digital vem crescendo [10]. Por isso, uma das
funcionalidades a ser acrescentada futuramente ao Sensemaking é
o video analytics. A intenção do video analytics é incorporar um
método de pesquisa online inteligente relacionando o conteúdo de
vídeo em edição com repositórios existentes na Internet.
Durante a edição de streaming do vídeo, poderão ser
inseridos metadados que acrescentarão significado ao conteúdo do
filme, como autoria, título, assunto, classificação, categoria,
descrição, etc. Outros metadados podem ser extraídos a partir do
áudio através de APIs. A partir destes metadados pode-se realizar
a indexação do vídeo através de palavras-chave e atribuição de
semântica.
Como essa nova funcionalidade o Sensemaking será capaz de
sistematizar a produção e o armazenamento do conteúdo de vídeo
para uma publicação e distribuição mais efetiva. Através da
semântica atribuída aos metadados, o sistema poderá realizar uma
busca em repositórios existentes na Internet de artigos científicos
relacionados, facilitando a pesquisa e disseminação do conteúdo.
A Figura 2 mostra um esboço da nova interface do
Sensemaking com a inclusão do video analytics. Enquanto o
usuário assiste ao vídeo, a ferramenta mostra os metatados da
mídia (canto inferior esquerdo da interface) e sugere artigos
científicos relacionados ao assunto apresentado no filme (canto
inferior direito).
Figura 2. Esboço da interface do Sensemaking com o video
analytics implementado.
4. CONSIDERAÇÕES FINAIS
A ideia do Sensemaking, enquanto editor de streaming de
vídeo em tempo real, é introduzir uma maneira de produzir filmes
aplicados à ciência, à tecnologia e à cultura a partir de conteúdos
que normalmente serão perdidos ou apenas armazenados em um
banco de dados onde se demandaria muito tempo de pesquisa na
busca por um tópico ninguém teria tempo buscando específico
para pesquisa contido no em determinado vídeo. Além da simples
edição, o sistema, poderá, no futuro, incorporar a funcionalidade
do video analytics, que, através da semântica atribuída aos
metadados, irá possibilitar uma pesquisa mais eficiente de
conteúdo, incluindo indicação de artigos científicos relacionados
ao tema em questão. Esta característica levará a melhores opções
de arquivamento de vídeo e, como consequência, melhorar a
qualidade de pós-produção, além de gerar vídeos que demandam
uma menor capacidade de armazenamento de dados.
Acredita-se que a otimização do processo de edição de
streaming de vídeo possa ajudar usuários, educadores,
pesquisadores e corporações a criar e armazenar conteúdos
significativos a serem compartilhados, assistidos e distribuídos em
plataformas online para fins de pesquisa e educação.
5. REFERÊNCIAS
[1] de Almeida, J., Eliseo, M. A., da Silva, C. I., Prates, H., Von
Poser, V., Stalbaum, B., & Furtado, N. G. (2016)
Sensemaking: A Proposal for a RealTime on the Fly Video
Streaming Platform. Creative Education, 7, 2515-2523.
DOI= http://dx.doi.org/10.4236/ce.2016.716238.
[2] Stalbaum, B., & da Silva, C. I. (2016). The Sensor Network
Is the Computer. The Internet Freedom Forum Conference,
Valencia.
[3] Lima, B. E. S. d. et al. (2012). Automatic Video Editing for
Video-Based Interactive Storytelling. 2012 IEEE
International Conference on Multimedia and Expo (ICME),
Melbourne, 806-811.
[4] Yoshitaka, A., & Deguchi, Y. (2009). Rendition-Based
Video Editing for Public Contents Authoring. 2009 16th
IEEE International Conference on Image Processing (ICIP),
Cairo, 1825-1828.
[5] de Almeida, J. et al. (2014). Integration of Fogo Player and
SAGE (Scalable Adaptive Graphics Environment) for 8K
UHD Video Exhibition. Journal of Computer and
Communications, 2, 50-55. DOI=
http://dx.doi.org/10.4236/jcc.2014.212006.
[6] Kaltura.org. Disponível em: http://www.kaltura.org/.
[7] Youtube. Disponível em: https://www.youtube.com/editor.
[8] Bambuser. Disponível em: http://bambuser.com/.
[9] Elleuch, N. Ammar, A. B. e Alimi, A. M. (2015). A generic
framework for semantic video indexing based on visual
concepts/contexts detection. Multimedia Tools and
Applications, Volume 74 Issue 4, February 2015, 1397-1421.
DOI= http://dx.doi.org/10.1007/s11042-014-1955-9.
[10] Stringhini, D., Eliseo, M. A., de Almeida, J., & da Silva, C. I.
(2015). Big Data, No Data. A Proposal to Manage Digital
Scientific Films Repositories. Proceedings of the Webmedia
Conference 2015.
ResearchGate has not been able to resolve any citations for this publication.
ResearchGate has not been able to resolve any references for this publication.