ThesisPDF Available

Portugal, destino turístico da população idosa europeia. Abordagem geográfica do turismo sénior internacional

Authors:
A preview of the PDF is not available
... O destino Açores é um destino emergente, quer a nível nacional, quer europeu (Ferreira, 2006), que tem um património paisagístico de grande riqueza para oferecer a quem procura o sossego repousante na contemplação de uma natureza ainda mantida relativamente intocada pela mão humana. Também, o mergulho no azul oceânico pode tornar os praticantes contemplativos das maravilhas subaquáticas e a composição das águas proporcionar uma nova terapia através do mar. ...
... Hoje, mais do que em qualquer outro momento anterior, as previsões e projeções constituem um auxiliar de atuação e de controlo. Não obstante a atual conjuntura de confinamento e restrições internacionais que imprimem fortes constrangimentos e transformações no setor do turismo, é uma evidência o facto de que o turismo tem manifestado um crescimento sem precedentes até ao último ano e, dentro dele, tem sido o segmento dos mais idosos a destacar-se (Cavaco, 2009;Ferreira, 2006). E a causa já era nitidamente percebida pelos analistas da mobilidade no território, como remetendo para aspetos da estrutura social e dos modos de viver em sociedade. ...
... A mobilidade socioprofissional aumentou, redefinindo o ciclo de vida. No dizer de Handszuh (1995, in Ferreira, 2006) "(...) social mobility, changing frequently jobs and residence during work life, will result in a higher inclination to travel after retirement (...)". A mobilidade e o alcance da questão espacial, transpostas para a problemática da globalização, são aspetos cruciais a considerar em termos de turismo sénior. ...
Book
Full-text available
Na contemporaneidade, parece haver uma maior consciência das consequências do envelhecimento demográfico mundial, o qual se encontra em crescimento acelerado, com implicações políticas, económicas, sociais e sanitárias, quer seja ao nível global, quer ao nível das comunidades, das famílias e das pessoas. Hoje, os centenários são da ordem dos milhões, transmitindo-nos a ideia de que as conquistas sobre a doença levaram ao recuo da morte. Desígnio de todas as eras, a procura de um elixir para a eterna juventude converteu-se no “morrer jovem o mais tarde possível”, dando-nos a vã esperança da imortalidade, a qual alimenta o nosso imaginário criativo e nos faz viajar internamente (dentro de nós) pelos lugares vividos, cheiros sentidos, experiências únicas e recordações significativas e emotivas da nossa trajetória de vida. O progressivo aumento da longevidade, as conceções de Aprendizagem ao Longo da Vida (longlife learning), a par das políticas sociais e de trabalho, que concebem o direito ao descanso e ao tempo de lazer remunerados, contribuíram, também elas, para a expansão do turismo sénior, como parte do estilo de vida globalizado, configurando um paradigma de envelhecimento positivo, construtivo e saudável. Este novo paradigma estimula na vivência da adultez e da velhice a capacidade de aventura, o desejo de fruir experiências únicas e memoráveis, a expetativa de prazer intenso e contribui para o sonho das viagens, sonhadas, idealizadas, pensadas e programadas, vividas e, inevitavelmente mais tarde, recordadas. Parafraseando o Doutor António Simões (2006), ilustre Professor da Universidade de Coimbra, pela mão de quem dei os primeiros passos no conhecimento da Psicologia do Adulto, os “novos” idosos vivem mais, são mais ativos, são mais produtivos e mais escolarizados, em suma, têm menos limitações e mais atividade. Longe vão os tempos em que a esperança de vida era de 18 anos (Grécia, cinco séculos a.C.) ou 25 anos (Roma, século I d.C.); hoje, esperamos viver muito mais, vacinados e cuidados, diminuindo a nossa fragilidade pessoal, com a expetativa de conhecer mais, saborear outros paladares, ver para além do que já vimos, tendo como base a segurança, o conforto, o convívio e a saúde. Queremos viajar! Sair do lugar. Queremos ser turistas. Transformámo-nos no Homo Turísticus até à idade avançada. A experiência dramática de contacto efetivo com a morte e de isolamento que o SARS-CoV-2 impôs nas nossas vidas, sacrificando as viagens e, desta forma, a possibilidade de fazer turismo, fez-nos redefinir a importância de viajar. Experienciámos que os confinamentos tolham a cognição e a emoção, limitam a opção.
... O destino Açores é um destino emergente, quer a nível nacional, quer europeu (Ferreira, 2006), que tem um património paisagístico de grande riqueza para oferecer a quem procura o sossego repousante na contemplação de uma natureza ainda mantida relativamente intocada pela mão humana. Também, o mergulho no azul oceânico pode tornar os praticantes contemplativos das maravilhas subaquáticas e a composição das águas proporcionar uma nova terapia através do mar. ...
... Hoje, mais do que em qualquer outro momento anterior, as previsões e projeções constituem um auxiliar de atuação e de controlo. Não obstante a atual conjuntura de confinamento e restrições internacionais que imprimem fortes constrangimentos e transformações no setor do turismo, é uma evidência o facto de que o turismo tem manifestado um crescimento sem precedentes até ao último ano e, dentro dele, tem sido o segmento dos mais idosos a destacar-se (Cavaco, 2009;Ferreira, 2006). E a causa já era nitidamente percebida pelos analistas da mobilidade no território, como remetendo para aspetos da estrutura social e dos modos de viver em sociedade. ...
... A mobilidade socioprofissional aumentou, redefinindo o ciclo de vida. No dizer de Handszuh (1995, in Ferreira, 2006) "(...) social mobility, changing frequently jobs and residence during work life, will result in a higher inclination to travel after retirement (...)". A mobilidade e o alcance da questão espacial, transpostas para a problemática da globalização, são aspetos cruciais a considerar em termos de turismo sénior. ...
Chapter
Full-text available
Resumo A expansão turística conduz a fatores inesperados num universo, por si só, muito dinâmico e em profunda transformação, ao nível mundial. Assim acontece com os espaços insulares e com os Açores, em particular. Em consonância com o que apuramos pela análise qualitativa quer nas respostas dos decisores e agentes económicos do setor, quer nas narrativas e depoimentos de turistas que nos visitam, o destino Açores deverá ser divulgado mais pelas suas potencialidades paisagísticas singulares, natureza relativamente "intacta" e preservada na procura da fruição local, do que pela oferta massificada de atividades lúdicas de outras paragens. Mas na questão central de que produtos e atividades dinamizar, as vias de resposta não são assim tão claras. Este capítulo apresenta as sugestões para a dinamização de produtos culturais para o segmento sénior, decorrentes da reflexão e síntese dos estudos empreendidos junto de stakeholders do turismo (empresários, gestores e decisores políticos). Da análise das respetivas perceções, ressalta a predominância da preferência pela atração de segmentos seniores e de turistas mais qualificados, mais capacitados para desfrutar de uma oferta de qualidade, mas também exigentes e seletivos, a que se corresponderia com uma maior dinamização de itinerários ecocentrados e culturalmente fundamentados na tradição e nos costumes insulares. As preocupações de sustentabilidade com o turismo sénior deverão constituir (e fundamentar-se) também numa alicerçada preocupação de sustentabilidade das próprias atividades turísticas em conformidade com os modos de vida locais, ainda relativamente
... Não obstante, como se entende que os resultados continuam a ter interesse e atualidade, optou-se por publicá-los na íntegra através do presente relatório. A focalização no turista sénior decorre de este segmento populacional ser crescentemente expressivo na procura turística, interna e externa (Ferreira, 2006;Cavaco, 2009;Turismo de Portugal, 2013), e apresentar algumas características distintivas dos demais segmentos (Urhausen, 2008;Garcia, 2011). ...
... 1) De acordo com estudos anteriores, os turistas seniores ficam maioritariamente alojados em estabelecimentos destas categorias (Ferreira, 2006); 2) Os hotéis de 4 e 5 estrelas devem possuir um amplo leque de valências para obterem a sua ...
Technical Report
Full-text available
The report presents the results of a study that aimed to contribute for the knowledge of the factors that explain the attractiveness of the Algarve tourism product and the satisfaction of the tourists who seek it. In this context, a survey was conducted with 538 senior national and foreign guests housed in seventeen 4 and 5 star hotels in this region during the low season of 2011/2012 (September 2011 to May 2012). The results are globally useful to support strategies aimed at improving the satisfaction of senior guests with their stay in Algarve, wishing to contribute to face the effect of seasonality in tourism in this region. This report is organized in the following chapters: 1) introduction, 2) ageing and tourism, 3) description of the analysis model, 4) explanation of the instruments and fieldwork, 5) description of the use of hotels by senior guests, and 6) conclusions, discussion and future developments. The Portuguese version of the questionnaire and the sample characteristics are included in the annexes.
... No estudo que desenvolveu em áreas não metropolitanas dos EUA, este autor refere que 20% dos aposentados inquiridos tinham demonstrado preferência pela área devido a uma experiência turística prévia (Idem: 349). Também na Europa, com especial enfoque no contexto Ibérico, é possível assinalar uma dinâmica análoga, destacando-se o papel do turismo sénior enquanto elemento captador de residentes sazonais e/ou permanentes (Ferreira, 2004;. ...
... Na maior parte destes casos tratou-se de um processo desencadeado por promotores britânicos (em 1963 em Monchique e, por volta de 1969, na Praia da Luz), que se traduziu posteriormente na formação de pequenas "colónias", inicialmente quase exclusivamente britânicas (Williams e Patterson, 1998). Ferreira (2004; reforça estas ideias, destacando a relevância da região algarvia como área de recepção de turismo sénior, possuindo um posicionamento cimeiro na captação de fluxos de turistas idosos, nacionais e estrangeiros, o que se traduz no atenuamento da sazonalidade da procura turística e forte diferenciação do perfil dos turistas em época baixa. De acordo com este autor, a experiência turística é sequenciada, por vezes, pela aquisição de residência secundária (ou de permanência por períodos alargados), um fenómeno que reflecte o reforço dos laços que unem o turista ao destino de férias. ...
Thesis
Full-text available
--- English Version --- Despite the growing interest and evolving academic debate on international retirement migration, little is still known about its impacts to the process of revitalisation and local development. In a context in which high-amenity rural areas in Portugal seem to attract an increasing number of foreign pensioners, a comprehensive study drawing attention to these pensioners' international mobility to sparsely populated areas seems to be lacking. This dissertation aims, therefore, to characterise the individuals moving to low density areas of the Algarve for retirement, discussing their potential contribution to local (economic and social) development processes. The analysis is focused on two central themes – direct contribution to the local economy and attraction of investment. The contextual information provided is based on data from the Foreign Nationals and Borders Service (SEF) and Statistics Portugal (INE), whilst the primary data presented is drawn from a questionnaire-based survey. Overall, the study suggests that retired migrants are indeed relevant local actors likely to enhance local development processes in sparsely populated and economically less developed areas. This is mostly visible in terms of the local consumption patterns and positive impacts to the local labour market (mostly domestic activities). Furthermore, this research underlines the relevance of identifying different profiles of foreign pensioners. Finally, some reflections are drawn as to how positive dynamics may be further encouraged as a result of later-life international mobility. --- Portuguese Version --- Não obstante o crescente interesse e debate académico em torno da temática das migrações pós-reforma, pouco está ainda explorado no que se refere aos seus impactes para o processo de revitalização e desenvolvimento local dos territórios. Num contexto em que as áreas rurais, pelas amenidades que as caracterizam, atraem fluxos cada vez mais numerosos de pensionistas estrangeiros, é de assinalar a inexistência, a nível nacional, de um estudo que aborde o fenómeno da migração internacional de aposentados em áreas de baixa densidade. A dissertação apresentada procura, desta forma, examinar tendências, caracterizando os pensionistas que realizam estes movimentos, bem como discutir o seu potencial contributo para a revitalização e desenvolvimento económico e social das áreas de baixa densidade do Algarve (ABDA). Neste último ponto, a análise focar-se-á em dois aspectos de particular relevância – contributo directo para a economia local e atracção de investimento. O enquadramento geral do tema fundamenta-se em dados disponibilizados pelo Instituto Nacional de Estatística, bem como pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras; a análise empírica dos resultados tem por base a aplicação de um inquérito aos migrantes pós-reforma residentes em ABDA. Partindo destes recursos de investigação, o estudo sugere a relevância destes pensionistas como elementos susceptíveis de impulsionar o processo de desenvolvimento local em áreas fracamente povoadas e economicamente débeis, particularmente no que se refere a padrões de consumo e estímulo do mercado de trabalho (principalmente actividades domésticas). Para além disso, a investigação aponta ainda para a necessidade de identificar, relacionando com o ponto anterior, diferentes perfis de aposentados estrangeiros. Finalmente, são esboçadas algumas reflexões, no sentido de se induzir e potenciar as dinâmicas positivas resultantes da mobilidade internacional de reformados.
... "Os idosos, agora com mais vigor sico, estão viajando com mais frequência" (Oliveira, 2000). Podemos estruturar 4 subsegmentos em termos de procura de turismo sénior internacional que se dirige ao Algarve (Ferreira, 2006): (i) "Novo" turista sénior: seniores mais novos, mais instruídos e mais a vos, com maior fragmentação dos períodos de férias, maior diversifi cação dos des nos de viagem e maior proporção de solteiros e divorciados; (ii) Turista sénior estereó po: idade média mais elevada, menor autonomia, signifi ca va proporção de viúvas, viagens na companhia de amigos, menor nível de instrução e rendimento, valorização dos preços nas escolhas dos des nos e no formato das viagens internacionais, viagens nas estações intermédias, fi delização aos des nos; (iii) Turista sénior endinheirado: turistas recentemente reformados, com grande disponibilidade de tempo e de rendimentos, sem compromissos familiares, com boa condição sica e, manifesta, propensão para viajar, predominantemente na meia estação; (iv) Jovem sénior veraneante: seniores de menor idade, dos 55 aos 64 anos, com preferência para a realização de férias durante o Verão e em família, já que com agregados familiares mul geracionais, e em apartamento; muitos ainda são a vos e gozam de grande disponibilidade fi nanceira. ...
Article
On a cold and misty winter morning we were warmly greeted by Carminda Cavaco on her Lisbon apartment. Serenely on her couch, lighting a cigarette at regular intervals, Carminda happily answered our endless questions and calmly (re)counted various episodes of her life. We chatted for about three hours, scribbling some notes hastily, and travelled to her youth, to her voyages and initial papers, to the development of her early career, attempting to understand the paths that brought her to become the pioneer and the most influential Portuguese academic in the field of tourism. Some weeks earlier, from the other end of the Mediterranean, Metin Kozak approached us to write her portrait, an idea to which we were immediately attracted. Both authors are part of the same research group as Carminda – TERRITUR, Centre for Geographical Studies, University of Lisbon – and while one of us (João) is a geographer with interests in tourism like herself, the other (Ana) has a background in tourism management, communication and geography, has worked with her since 1998 in various research projects and publications (Inácio & Cavaco, 2010; Inácio & Joaquim, 2008), and is one of her few former PhD students (Inácio, 2008). Despite all our enthusiasm, we quickly realised that condensing almost 50 years of intense scholarship and publications in the field of tourism into a short paper like this would not be an easy task. Yet, it is critical to write a profile for an international audience. Firstly because Carminda’s CV and academic path eludes most google endeavours. Secondly, since most of her published works are not in English (remarkable exceptions are Cavaco, 1993a, 1995b, 1995c). Thirdly, because the only publication that comprehensively reviews and analyses her life and work in detail, and perhaps the single printed document with some biographic information on Carminda Cavaco, was published in Portuguese by Luís Moreno, one of her former PhD students, on the occasion of her jubilation, ten years ago (Moreno, 2006).
Chapter
Full-text available
In the aging process religiosity has been shown to be associated with important benefits. In this paper we seek to analyse the agency factors of religiosity in optimism and its mediation in satisfaction with life in both healthy and ill elderly people. The sample surveyed by the CROP Questionnaire, consisting of 376 Portuguese elderly people, 238 classified as healthy and 138 as ill, showed that there is a positive relationship between religiosity and optimism only for the group of healthy elderly people. For the ill elderly, optimism was only promoted by satisfaction with life. The distinction between optimism of internality and externality showed that the healthy elderly anchor their optimism in internality beliefs, while the ill elderly base their optimism on external factors. The establishment of a self-regulating system is discussed with beliefs and religious practices as perpetuators. Confrontation with personal frailty, powerlessness, and fear were discussed as predetermining factors to disembedding, as described by Giddens (1991, 1997), while reembedding occurs with the elderly regaining self-control, as a result of divine factors prone to optimism. Keywords: Religiosity; Optimism; Healthy elderly; Ill elderly.
ResearchGate has not been able to resolve any references for this publication.