ArticlePDF Available

Síndrome de Irlen: um olhar atendo sobre o funcionamento cerebral durante a leitura

Authors:

Abstract

O presente estudo tem como mote a Síndrome de Irlen,uma disfunção perceptual que está relacionada com a fonte de luz, luminância, intensidade, comprimento de onda e contraste de cor, afeta o foco esuscitado portador uma constante adaptação das distorções,causando fadiga e desconforto mediante a uma leitura lenta, ineficiente, pobre em compreensão, além da inabilidade de uma leitura contínua, com tensão, podendo também estar associado com problemas de grafia. Objetivou-se sistematizar o conhecimento acerca da Síndrome de Irlen e o comprometimento da aprendizagem em nível de graduação, num estudo de caso, cujo objeto de pesquisa versará sobre o desenvolvimento de aprendizagem de uma estudante do curso de graduação em Medicina, campus V- Itaperuna/RJ. Pesquisa qualitativa norteada pelo Estudo de caso Único, cujo aporte teórico ancorou-se em autores como Irlen; Lass(1989), entre outros. Concluiu-se que, embora seja uma condição clínica subdiagnosticada pelos principais profissionais envolvidos na área específica da Educação Médica, todos os pacientes diagnosticados com a síndrome, que são tratados de forma adequada, ou com o overlay ou com os filtros espectrais, apresentam melhorias significativas em relação a suas queixas principais, sendo que a grande maioria relata melhora em algum grau de outra condição específica da síndrome que o próprio paciente não se queixava antes do tratamento.
ISSN: 2236-0867
Acta Biomedica Brasiliensia / Volume 6/ nº 1/ Julho de 2015. www.actabiomedica.com.br
35
SÍNDROME DE IRLEN: UM OLHAR ATENDO SOBRE O FUNCIONAMENTO
CEREBRAL DURANTE A LEITURA
Luíza Figueiras BICALHO1*, Margarete Zacarias Tostes de ALMEIDA1, Márcia Reis GUIMARÃES2, João
Romário Gomes SILVA1 & Fábio FULLY1
1 Universidade Iguaçu campus V, Itaperuna, Rio de Janeiro, Brasil.
2 Universidade Federal de Minas Gerais - Departamento de Medicina/Oftalmologia, Belo Horizonte, Minas Gerais,
Brasil.
*Autor para correspondência: luizabicalho@gmail.com
RESUMO
O presente estudo tem como mote a Síndrome de Irlen,uma disfunção perceptual que está
relacionada com a fonte de luz, luminância, intensidade, comprimento de onda e contraste de cor,
afeta o foco esuscitado portador uma constante adaptação das distorções,causando fadiga e
desconforto mediante a uma leitura lenta, ineficiente, pobre em compreensão, além da inabilidade de
uma leitura contínua, com tensão, podendo também estar associado com problemas de grafia.
Objetivou-se sistematizar o conhecimento acerca da Síndrome de Irlen e o comprometimento da
aprendizagem em nível de graduação, num estudo de caso, cujo objeto de pesquisa versará sobre o
desenvolvimento de aprendizagem de uma estudante do curso de graduação em Medicina, campus
V- Itaperuna/RJ. Pesquisa qualitativa norteada pelo Estudo de caso Único, cujo aporte teórico
ancorou-se em autores como Irlen; Lass(1989), entre outros. Concluiu-se que, embora seja uma
condição clínica subdiagnosticada pelos principais profissionais envolvidos na área específica da
Educação Médica, todos os pacientes diagnosticados com a síndrome, que são tratados de forma
adequada, ou com o overlay ou com os filtros espectrais, apresentam melhorias significativas em
relação a suas queixas principais, sendo que a grande maioria relata melhora em algum grau de outra
condição específica da síndrome que o próprio paciente não se queixava antes do tratamento.
Palavras-chave: Síndrome de Irlen, distúrbio de aprendizagem, leitura, eye tracker.
ABSTRACT
Thismainly point of this study is the Irlen Syndrome, a perceptual dysfunction that is related to the
light source luminance, intensity, wavelength and color contrast, affects the focus and carrier raises
constant adjustment distortions, causing fatigue and discomfort by reading slowly, inefficient, poor
understanding, beyond the inability of a continuous reading with tension and can also be associated
with spelling problems. The objective was to systematize knowledge about the Irlen syndrome and
impaired learning at the undergraduate level, a study case, whose object of research will focus on
the development of learning a undergraduate students of campus V- Itaperuna / RJ Medical School.
Qualitative research and case study guided by Unique, whose theoretical contribution was anchored
in authors such as Irlen; Lass (1989), among others. It was concluded that, although it is an
underdiagnosed medical condition by leading professionals involved in the specific field of medical
education, all patients diagnosed with the syndrome, which are treated appropriately, or the overlay
or with spectral filters, show significant improvements in relation to their chief complaints, and the
vast majority reports some degree of improvement in other condition specifies that the syndrome
patient did not complain before treatment.
Keywords: Irlen syndrome, learning disorder, reading, eye tracker.
ISSN: 2236-0867
Acta Biomedica Brasiliensia / Volume 6/ nº 1/ Julho de 2015. www.actabiomedica.com.br
36
1 Introdução
A síndrome de Irlen também conhecida como Síndrome da Sensibilidade Escotópica (SSS),
foi primeiro identificada em 1980 por Meares, seguida de Helen Irlen em 1983, e documentada por
Wilkins em 1995 (HOLLIS; ALLEN, 2006).
A Síndrome da Sensibilidade Escotópica é uma disfunção perceptual que está relacionada
com a fonte de luz, luminância, intensidade, comprimento de onda e contraste de cor. Pessoas com
SSS gastam mais energia e precisam se esforçar mais durante a leitura, porque são leitores
ineficientes, os quais veem a página escrita de forma diferente dos bons leitores. O esforço aplicado
à constante adaptação das distorções, tanto do escrito como as do fundo branco, causa fadiga e
desconforto, e o principal, afeta o foco, diminuindo o período de tempo de leitura, compreensão e
consequentemente a interpretação. O portador da SSS pode ter uma leitura lenta, ineficiente, pobre
em compreensão, além da inabilidade de uma leitura contínua, com tensão ou fadiga, podendo
também estar associado com problemas de caligrafia (IRLEN; LASS, 1989).
Não é incomum estudantes com SSS serem rotulados como disléxicos, preguiçosos,
desmotivados ou agressivos.No entanto, essa síndrome pode coexistir com outras formas de
dificuldades de aprendizagem, sendo que otratamento da SSS não elimina a necessidade de
medicamentos no tratamento de outros problemas com o aprendizado.
Dentre os sintomas físicos inclui dor de cabeça, esforço ocular, sonolência, fadiga e/ou
inabilidade de concentrar e de compreensão (IRLEN; LASS, 1989).
Indivíduos portadores dessa síndrome, são afetados pelo brilhopadrão das páginas,
interferindo na leitura causando sintomas como confusão e a movimentação das linhas.
Consequentemente a SSS é comumente associada a dislexia. A síndrome, no entanto não é a dislexia
sob um rótulo diferente, exemplo disso são os indivíduos sensíveis aos padrões da SSS que sofrem
distorção e estresse visual e que não possuem deficiência específica de leitura (EVANS, 2002).
Segundo Irlen (1989, p.414), existem 5 grupos de sintomas que compreendem a SSS:
Resolução de fundo. Problemas nessa área refere-se a inabilidade de tolerância ao fundo
branco da página escrita. O fundo pode aparecer muito claro e com brilho intenso, isso pode
dominar e até mesmo interferir nas letras de modo que elas perdiam o seu contorno e
distinção.
Resolução visual. Problemas nessa categoria refere-se a dificuldade de ver as letras
claramente sem distorções. As letras são borradas, vibram, pulsam, mudam de posição, se
movimentam e desaparecem. As palavras podem alterar suas posições ao invés de se
manterem igualmente espaçadas.
Intervalo de focagem. Essa categoria refere-se a problemas relacionados a inabilidade de
distinguir grupos de palavras no mesmo momento, é como um tipo deumavisão de túnel,
onde uma pequena área ouum grupo de letrasseria claramentedefinido, mastudo ao
redorserialigeiramente fora de focoou nãoreconhecível.
Problemas relacionados a essa categoria refere-se a inabilidade de ler ou fazer outras
atividades por um período de tempo sem perder o foco, necessitando o uso de energia e
esforço para trazer as palavras a um ponto de convergência e mante-las focalizadas.
Uma condição caracterizada por estresse visual que é aliviada pelo uso de filtros coloridos
prescritos individualmente (EVANS, 2002).
O The International Newsletter (2010) informou que a síndrome de Irlen afeta em algum
grau, de 12% a15% da população em geral, e 45% daqueles com problemas de aprendizagem.
Frequentemente diagnosticada em pacientes com as seguintes condições clínicas: transtorno bipolar,
distúrbiode integração sensorial, TDAH, transtornos de ansiedade, fobia escolar, trauma
ISSN: 2236-0867
Acta Biomedica Brasiliensia / Volume 6/ nº 1/ Julho de 2015. www.actabiomedica.com.br
37
cranioencefálico, dislexia visual, enxaquecas, disturbios de humor, fadiga diurna excessiva,
síndrome do intestino irritável dentre outros.
No ensejo de poder colaborar no campo do conhecimento com novos olhares sobre
Dificuldades de Aprendizagem em diferentes períodos da vida humana, no caso em questão no
Curso de Graduação em Medicina, o foco deste estudo reside num olhar atento sobre o
funcionamento cerebral durante a leitura.
Elegeu-se, como tema balizador das discussões “Síndrome de Irlen: Um olhar atento sobre o
funcionamento cerebral durante a leitura”, sendo norteada pela seguinte questão problema: até que
ponto a Síndrome de Irlen compromete a aprendizagem e o desenvolvimento de estudantes em nível
de graduação?
Objetiva-se nesta pesquisa sistematizar o conhecimento acerca da Síndrome de Irlen e o
comprometimento da aprendizagem em nível de graduação, num estudo caso, cujo objeto de
pesquisa versará sobre o desenvolvimento de aprendizagem de uma estudante do curso de graduação
em Medicina, campus V- Itaperuna/RJ, sob a hipótese de que a dificuldade de aprendizagem e o
baixo rendimento escolar da estudante de medicina, protagonista do estudo de caso em apreço,
estejam relacionados com Sindrome de Irlen.
Partindo de tais pressupostos, este estudo justifica-se por assumir como instrumento de
pesquisa a intencionalidade trazer um olhar sobre o funcionamento cerebral durante a leitura e a
relevante contribuição ao universo acadêmico, no que tange à maior compreensão do complexo
processo de aprender, tanto por parte do docente quanto do discente, numa relevante relação
dialética professor-estudante, visando oportunizar uma maior articulação entre a teoria e a prática, a
metodologia e o lócus de aprendizagem, cujo intento é o de garantir aos estudantes, o acesso ao
conhecimento e à aprendizagem significativa e eficaz.
2 Material e métodos
2.1 Natureza, contexto e sujeitos da pesquisa
Para o êxito desta proposta, será inicialmente realizado um levantamento bibliográfico
através da seleção de autores que assegurem uma fundamentação teórico-metodológica que sirva de
arcabouço ao desenvolvimento do estudo. Pela própria natureza do projeto, far-se-á uma pesquisa de
cunho qualitativo, de caráter experimental, descritivo-analítico. Os aspectos teórico-metodológicos
da pesquisa qualitativa surgem com diferentes enfoques, emergindo como alternativas para a
investigação em Dificuldades de Aprendizagem.
Nesse contexto, mister se faz ressaltar a postura ética que emana da pesquisa qualitativa, com
vistas à emancipação e à autonomia; embora a metodologia sempre possua um lado instrumental
(que se dá através da sistematização e dos procedimentos), o lado ético é fundamental.
Posto isso, tomando como fundamento balizador da proposta do estudo em apreço, elege-se o
Estudo de Caso Único como abordagem que norteará a investigação, por se entender que se está
diante de uma proposta conceitual sólida e uma orientação metodológica coerente. Igualmente, pela
possibilidade de acompanhar de perto o fluxo de acontecimentos na trajetória da pesquisa,
consistindo-se um aporte que transcende a mera obtenção dos dados, busca-se garantir o captar e o
desvelar da problemática da realidade observada.
O estudo de caso, por si só, caracteriza-se por ser um tipo de pesquisa que se apresenta como
“um „sistema limitado‟, chamando a atenção para o fato de se tratar de um objeto e não de um
processo” (STAKE, 2007, p.18), objeto limitado que se possa analisar de forma mais aprofundada.
Nessa esteira, a pesquisa em tela tem como mote a investigação detalhada de um ambiente,
ISSN: 2236-0867
Acta Biomedica Brasiliensia / Volume 6/ nº 1/ Julho de 2015. www.actabiomedica.com.br
38
de uma situação qualquer, ou, ainda, de um determinado objeto, ou, simplesmente de um sujeito ou
de uma situação. Pode, então, ser conceituado como um estilo de coletar informação específica
particularizada, comumente de natureza pessoal, envolvendo o pesquisador, sobre o comportamento
de um indivíduo ou grupo de indivíduos em uma determinada situação e durante um período dado
de tempo.
Segundo Yin (2005) trata-se de uma forma de se fazer pesquisa investigativa de fenômenos
atuais dentro de seu contexto real, em situações cujas fronteiras entre o fenômeno e o contexto não
estão claramente estabelecidos.
O estudo de caso a ser delineado apresenta-se como caminho que pode contribuir para
sistematizar o conhecimento resultante de um processo investigativo acerca do conhecimento e o
reconhecimento, no campo da Saúde, da Síndrome de Irlen, como uma das dificuldades no processo
de leitura e compreensão que interfere no processo de aprender, bem como da necessidade de
identificação para proporcionar um maior aproveitamento e desenvolvimento do estudante.
Segundo Stake (2007, p.24), no estudo de caso “a ênfase é colocada na singularidade”.
Sendo assim, ancorado na metodologia do estudo de caso (STAKE, 2007), a pesquisa terá como
universo amostral Estudo de Caso, cujo sujeito estudado é uma estudante do curso de graduação em
Medicina da Universidade Iguaçu- campus V Itaperuna. Nesse contexto, os sujeitos da pesquisa
serão os pesquisadores e o pesquisado (estudante do sexo feminino, 23 anos de idade),protagonista
do Estudo de Caso, professora Orientadora, professora Assistente, Médica Oftalmologista, 2
estudantes do sexo feminino, idade 23 e 25 anos do curso de graduação em Medicina da
Universidade Iguaçu- campus V Itaperuna.
2.2 Técnicas/Instrumentos de coleta de dados
No âmbito do estudo de caso, no que tange às técnicas de coleta de dados, Bogdan e Biklen
(1997 apud PERES; SANTOS, 2005) apontam que os “estudos de caso observacionais” utilizam a
observação como técnica a coleta de dados, permitindo ao pesquisador um contato próximo com o
ambiente no qual seu objeto encontra-se inserido. Triviños (1992) postula que os “estudos de caso
documentais” são úteis quando o intuito do pesquisador é o de analisar objetos que não podem mais
ser alcançados de forma direta, pois são desenvolvidos mediante a análise de todo e qualquer
registro capaz de servir como fonte de informação.
Nesse sentido, os dados coletados na pesquisa através da observação/ anamnese e exames de
imagem serão preponderantes e significativos para elucidar uma melhor compreensão do universo
pesquisado, bem como consubstanciar a riqueza das descrições e até corroborar os resultados dos
dados coletados junto aos atores sociais.
2.3 Procedimentos de análise de dados
Buscar-se-á suporte para a análise pretendida na Neurologia, Oftalmologia e Psicopedagogia,
donde emergirão as seguintes etapas plurissignificativas. Serão realizadas análise e interpretação dos
dados, emanados da observação, da anamnese, dos exames de imagem, bem como do rendimento de
leitura e compreensão textual, antes e após a utilização do filtro especial para leitura:
Levantamento de dados- anamnese realizado pela oftalmologista.
Avaliação oftalmológica com a devida correção refrativa.
Teste de Screening parte 1 - Questionário padrão
Teste de Screening parte 2 - Seleção do filtro
ISSN: 2236-0867
Acta Biomedica Brasiliensia / Volume 6/ nº 1/ Julho de 2015. www.actabiomedica.com.br
39
DPLC Diagnóstico Padrão de leitura e Cognição sem o Filtro
DPLC Diagnóstico Padrão de leitura e Cognição com o Filtro
Diagnóstico que é feito pelo teste de screening.
Encontro da aluna avaliada com a oftalmologista
Teste de screening + DPLC.
3 Relato da Pesquisa
A paciente foi submetida a uma consulta com oftalmologista, na qual foi realizada a
anamnese. Sob indicativos de possíveis distúrbios relacionados à síndrome de Irlen foi também
realizado o teste de acuidade visual, tendo como resultado a indicação do uso dos óculos com a
devida correção refrativa.
Após a consulta supramencionada, a paciente passou pelo teste de screening para
diagnosticar a síndrome de Irlen, sendo selecionado pela paciente o overlay. Para essa seleção, a
paciente escolheu o overlay que lhe proporcionou maior conforto visual no momento da leitura.
Após essa seleção, foi iniciado o exame de DPLC com Visagraph, sendo entregueà paciente um
texto,cujo nível de leitura era equivalente a um texto para o Ensino Fundamental, para que fosse lido
sem o overlay e outro texto de nível semelhante com a utilização do overlay. Durante as duas etapas
de leitura, o DPLC registra todos os movimentos oculares, a exemplo, regressões, sacadas, número
de palavras lidas por minuto, entre outros. Após a leitura o visagraph, que é um programa
operacional de registro dos dados coletados durante a realização do exame, foi realizado, então, a
arguição sobre a compreensão textual das leituras feitas, com e sem o uso de overlay, sendo a
mesma registrada e comparada. O exame de DPCL da paciente se encontra no anexo1.
No dia seguinte, com a paciente descansada e com a correção visual realizada, a mesma
submeteu-se à experimentação e à seleção dos filtros espectrais (Filtro Irlen). Essa seleção durou em
média uma hora e meia.
A paciente levou ao instituto, os óculos com a correção refrativa devida, depois de conferida
por técnicos e oftalmologistas do referido local para que fosse enviado ai Instituto Irlen, para a
confecção dos filtros sobre as lentes da paciente.
Enquanto os óculos não retornaram ao Brasil, a paciente usou o overlay por 2 meses, sobre o
qual relata lhe trazer grande conforto durante a leitura, melhor produtividade, menos sono, menos
cansaço, melhora do rendimento na aprendizagem, melhora da compreensão de texto, não havendo
necessidade de retornar à leitura do texto lido por muitas vezes, como era antes do diagnóstico e o
uso dos óculos indicados, bem como melhor resistência mental durante a leitura.
A paciente vem usando os óculos de forma contínua desde a entrega do mesmo. Um ano e
quatro meses depois, ela retornou a instituição para novas avaliações com o oftalmologista e realizar
um novo teste de DPLC para fins comparativos e de acompanhamento. Os resultados obtidos de
maior importância foram os a seguir: Número de fixações, 92 olho esquerdo e 92 olho direito para
75 e 72 respectivamente. Numero de regressões de 17 e 19 para 12 e 9. Número de palavras lidas
por minuto de 300 para 333. Nível de compreensão do texto lido de 56% sem intervenção para 90%
com o uso dos filtros Irlen.
O resultado do exame de DPLC traduz o grande impacto dos filtros Irlen diante do
processamento cerebral, fica claro o maior desempenho e compreensão da paciente durante a leitura.
A paciente respondeu o segundo questionário a respeito de sua própria evolução, o que nos permite
entender toda a intervenção de um olhar intrínseco e único sobre a síndrome de Irlen.
ISSN: 2236-0867
Acta Biomedica Brasiliensia / Volume 6/ nº 1/ Julho de 2015. www.actabiomedica.com.br
40
A paciente encontra-se em uso de filtros espectrais desde 22/08/2013. Em dezembro de 2013
e Janeiro de 2015, foi aplicado à paciente um questionário com as seguintes perguntas, sobre as
quais relatou:
3.1 Questionário respondido em dezembro de 2013
1. Tem obtido mais conforto durante a leitura?
Muito
2. Durante a leitura de um texto, ainda precisa seguir com o dedo?
Ainda tenho, mas não necessito como antes.
3. Tem feito menos omissões de palavras e linhas?
Muito menos
4. Durante o processo de leitura, a compreensão está melhor?
Muito melhor
5. Se cansando menos durante leitura?
Muito menos
6. Melhora das dores de cabeça e da fotofobia?
Sim, inclusive as tenho quando não estou com os óculos.
7. Tem feito uso constante dos óculos?
Durante a semana sim. Aos finais de semana somente quando estudo
3.2 Questionário respondido em janeiro de 2015
1. Tem obtido mais conforto durante a leitura?
Para mim ler hoje em dia é algo agradável. Não tenho mais a sensação de querer fugir da
leitura o quanto antes. Desde minha aquisição dos filtros Irlen, li uma média de 5 livros de
500 páginas por ano, algo nunca realizado antes por mim, pois não era prazeroso nem
mesmo interessante.
2. Durante a leitura de um texto, ainda precisa seguir com o dedo?
Não necessito mais do auxílio dos dedos para demarcar as linhas a fim de me localizar
durante a leitura. Apesar de algumas vezes realizar de forma inconsciente. Acredito que
seja em função de um hábito de longos anos.
3. Tem feito menos omissões de palavras e linhas?
Poderia dizer que de 0 a 10, antes eu omitia as palavras com muita frequência, por exemplo
“8”. Hoje isso acontece de forma bastante esporádica, por exemplo “2”.
4. Durante o processo de leitura, a compreensão está melhor?
ISSN: 2236-0867
Acta Biomedica Brasiliensia / Volume 6/ nº 1/ Julho de 2015. www.actabiomedica.com.br
41
Acredito que sim. Apesar de não conseguir mensurar este quesito durante o meu dia-dia,
volto para reler algo que tenha acabado de ler com pouca frequência, uma média de a cada
2 páginas lidas, voltava 1x. Hoje releio 1x ao longo de 10 páginas.
5. Se cansando menos durante leitura?
A minha sensação é que minha leitura rende muito mais. Não me demanda tamanha energia
como há uns anos atrás, enquanto estudava por 2 horas e cochilava por 15 minutos, e assim
subsequentemente. Hoje após estudar 4 horas seguidas não me vejo na necessidade de
dormir após o estudo.
6. Obteve melhora das dores de cabeça e da fotofobia?
As dores de cabeça não eram tão frequentes, mas posso dizer que diminuíram um pouco
sim. Porém quando o assunto é fotofobia, minha melhora é extraordinária. Antes de iniciar
o uso dos filtros Irlen, meu melhor amigo era o meu óculos de sol, pois sair ao ar livre sem
eles me gerava um grande incomodo. Jamais poderia pensar em sair de casa a luz do sol
sem eles. Caso isso acontecesse, era um desconforto imenso que tomava conta de mim,
uma impaciência com tudo e todos, era como se não relaxasse se não tivesse os óculos de
sol sobre os meus olhos me livrando de toda aquela claridade. O fato de ir à praia e dirigir
sem eles, era uma sensação bastante desagradável. Hoje os meus filtros Irlen se tornaram
meu melhor amigo, prefiro eles em qualquer lugar ao invés do óculo de sol. O mais
interessante disso tudo, é que antes eu apenas percebia o quanto a luz incomodava meus
olhos, mas nunca poderia imaginar que esse estresse visual interferia, além disso, como por
exemplo, alterando meu estado de humor e principalmente a minha disposição durante o
dia. Apenas hoje comparando as sensações nos mesmos lugares consigo perceber o quanto
me sinto melhor.
7. Tem feito uso constante dos óculos?
Durante a semana todos os dias. Aos finais de semana somente quando estudo. Porém
venho utilizando cada vez mais durante o fim de semana devido ao intenso conforto que me
proporcionam.
8. Algum outro benefício que queira relatar?
Os benefícios em usar o filtro são inúmeros. O meu maior ganho foi sem sombra de
dúvidas o conforto, rendimento e aproveitamento durante os estudos.
4 Resultados e Discussão
Como conceituada no estudo, a Síndrome de Irlen é definida por uma hipersensibilidade a
um micrômetro específico da luz visível ao olho humano, que afeta o processamento cerebral como
um todo, desde os mecanismos básicos de leitura, impactando no desempenho e compreensão do
texto lido, sintomas físicos exacerbados pela exposição a luz, assim como o organismo desses
pacientes necessitam de uma maior demanda energética durante essas atividades, impactando de
forma negativa no seu estado físico e mental, resultando em alterações de humor ao longo do dia,
cansaço excessivo ao final das atividades diárias, como também afetando as relações interpessoais
em ambientes de trabalho e familiar.
Uma vez que essa patologia afeta o indivíduo de forma ampla, torna-se difícil uma
comparação efetiva entre casos diferentes, a individualidade faz com que o estudo seja a partir da
ISSN: 2236-0867
Acta Biomedica Brasiliensia / Volume 6/ nº 1/ Julho de 2015. www.actabiomedica.com.br
42
especificidade de cada caso. O fato é que todos os pacientes diagnosticados com a síndrome, que são
tratados de forma adequada, ou com o overlay ou com os filtros espectrais, apresentam melhorias
significativas em relação a suas queixas principais, sendo que a grande maioria relata melhora em
algum grau de outra condição especifica da síndrome que o próprio paciente não se queixava antes
do tratamento.
A paciente acompanhada neste estudo segue em tratamento, sendo observada anualmente
com exames clínicos, oftalmológicos e neurológicos periódicos. Em seu relato pessoal citado a
cima, pôde-se observar a satisfação própria com sua evolução clínica e com seus resultados
acalcados no processo de aprendizagem.
5 Considerações Finais
Conclui-se que a Síndrome de Irlen é uma condição altamente prevalente em nosso meio,
sobretudo no acadêmico tornando-se de extrema importância identifica-la, uma vez que compromete
a aprendizagem e o futuro do portador da síndrome de forma negativa e limitante. Condição essa de
fácil diagnostico e intervenção, porém, desconhecida por muitos profissionais. É inegável a melhora
dos sintomas e do rendimento escolar dos pacientes diagnosticados e tratados corretamente, com
ganho instantâneo e progressivo desde que o paciente faça o tratamento respeitando as orientações.
O caso aqui estudado num Programa de Iniciação Científica PIC da Universidade Iguaçu,
campus V Itaperuna, trata-se especificamente de um Estudo de Caso de uma estudante do curso de
graduação em Medicina, o que chamou a atenção para o fato de que é uma condição clínica
subdiagnosticada pelos principais profissionais envolvidos na área específica da Educação Médica,
pelo fato de que o quadro dos docentes é composto, em maioria, por profissionais médicos.
Oftalmologistas e neurologistas em sua grande maioria desconhecem esta patologia, no
entanto vale ressaltar que sua avaliação de rotina não possui ferramentas para a adequada triagem
desses pacientes. Professores e pedagogos também não conhecem o tema o bastante para que essa
patologia faça parte dos diagnósticos diferencias dos alunos atendidos por eles.
Como pesquisadores, deixamos como sugestão um maior investimento na divulgação deste
tema, por ser, de certa forma, “novo”, milhões de crianças com essa síndrome estão hoje sem
diagnóstico e abandonando escolas por não acompanharem a evolução da turma e por serem
frustradas com seu próprio desempenho no processo de aprender.
6 Referências
BOGDAN, Roberto C.; BIKLEN, SariKnopp. Trad. Maria J. Alvarez; Sara B. dos Santos; Telmo M.
Baptista. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto:
Porto, 1994.
EVANS, B. J. W. Dyslexia and Vision.Whurr Publishers, London, 2002.
EVANS, Bruce J. W. ; FLORENCE, Joseph.The effect of coloured filters on the rate of reading
in an adult student population.Ophthalmic and Physiological Optics 2002; 22: 535545.
Disponível em:< http://fundacaoholhos.com.br/artigos>. Acesso em: 13 mai. 2013.
HOLLIS, Jarrod; ALLEN, Peter M. Screening for MearesIrlen sensitivity in adults: can assessment
methods predict changes in reading speed?.Ophthalmic and Physiological Optics 2006; 6: 566-571.
Disponível em:< http://fundacaoholhos.com.br/artigos>. Acesso em: 13 mai. 2013
ISSN: 2236-0867
Acta Biomedica Brasiliensia / Volume 6/ nº 1/ Julho de 2015. www.actabiomedica.com.br
43
IRLEN, Helen; LASS Mary Jo. Improving reading problems dueto symptoms of scotopic
sensitivity syndrome using Irlen lenses and overlays, Education,1989, Vol.109(4), pp.413-417.
Disponível em:< http://fundacaoholhos.com.br/artigos>. Acesso em: 13 mai. 2013
IRLEN, H. Successful treatment of Learning Disabilities. Paper presented at the 91stAnnual
Convention of the American Psychological Association, Anaheim, California, 1983.
IRLEN Institute. IrlenInternational Newsletter. Disponível em:<
http://irlen.com/index.php?s=inewsletters>. Acesso em: 01 mai. 2013.
PERES, R. S.; SANTOS, M. A. dos. Considerações gerais e orientações práticas acerca do emprego
de estudos de caso na pesquisa científica em psicologia. Interações. Vol. X, 20, p. 109-126, jul-
dez 2005.
STAKE, Robert E. A arte da investigação como estudo de caso. Trad. CHAVES, Ana Maria.
Lisboa: Fundação CalousteGulbenkian, 2007.
TRIVIÑOS, A.N.S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em
educação. São Paulo: Atlas, 1992.
YIN, R.K. Estudo de caso. Planejamento e Métodos. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.
ISSN: 2236-0867
Acta Biomedica Brasiliensia / Volume 6/ nº 1/ Julho de 2015. www.actabiomedica.com.br
44
ANEXO I - Exame de DPLC da paciente em estudo
... Estes déficits podem causar problemas no processo de leitura como um todo, dificultando a compreensão do que está sendo lido, gerando problemas de caráter sociocultural e pedagógico. Estima-se que aproximadamente 17% da população mundial possui problemas de leitura [2], e, excluindo os casos de dificuldades pedagógicas (condições socioculturais e problemas de ensino) e transtornos neuropsiquiátricos (paralisia cerebral, epilepsia), estimase que a maioria destes casos esteja associado a transtornos neurológicos como a Dislexia ou TDAH [1], [3]. ...
... Dentre os distúrbios da capacidade de leitura, existe a possibilidade do déficit estar presente em uma capacidade visual-perceptiva, relacionado a uma deficiência na retina que causa uma desordem no processamento das informações captadas [2], denominada Síndrome de Meares-Irlen (SMI) [6]. A SMI pode vir acompanhada de outros distúrbios, o que dificulta seu diagnóstico, que muitas vezesé deixado de lado por possuir sintomas muito próximosà Dislexia e ao TDAH. ...
... Os exames oftalmológicos tradicionais não conseguem detectar essa síndrome, requerendo o desenvolvimento de novos métodos para obter um diagnóstico preciso. Estudos recentes [1], [2] pesquisam como quantificar dados relacionadosà visão para que possam ser comparados com dados obtidos de indivíduos com suspeitas de portar a síndrome, na intenção de detectar as características exclusivas dos portadores da síndrome de Irlen. Com estas características identificadas, e possível realizar exames para a detecção da síndrome. ...
Conference Paper
This work investigates reading patterns based on effects of the Meares-Irlen Syndrome (SMI), a visual-perception deficit that affects indirectly our cognitive system. The most common symptoms related to SMI in reading tasks are visual stress, sensation of moving letters and distortions in the text. Theseeffectshavebeencomputationallysimulatedhereandusing eye-tracking information of a number of participants we have been able to linearly classify each effects with high accuracy.
... O estresse visual (também referido como síndrome de Irlen) é um distúrbio do processamento visual, caracterizado por distorções visuoperceptuais e desconforto visual progressivo na leitura, que pode dificultar a aquisição e o desenvolvimento da leitura (Bernal, 2015;Bicalho et al., 2015;Chouinard et al., 2012;Evans et al., 1996;Faria, 2011;Kruk, Sumbler & Willows, 2008;Nandakumar & Leat, 2008;. ...
Article
Full-text available
O estresse visual é definido como uma disfunção do processamento visual, de base neuronal, com um déficit do sistema magnocelular e no córtex visual primário. Ele é caracterizado por distorções visuoperceptuais e desconforto visual progressivo na leitura. O presente estudo verificou a prevalência do estresse visual entre escolares do 3º e 4º ano do ensino fundamental (7 a 10 anos) com dificuldade de leitura, assim como investigou o efeito do uso de lâminas espectrais na habilidade de leitura. Todos os participantes elegíveis (n = 58) apresentavam dificuldade de leitura e adequada acuidade visual binocular. As lâminas espectrais foram selecionadas e distribuídas aos alunos para uso por três meses. A Escala de Percepção Visual de Leitura, o Teste de Taxa de Leitura e o Teste de Leitura - Compreensão e Sentença caracterizaram as condições pré e pós-intervenção. Os resultados indicaram prevalência de 12% de estresse visual (sintomas severos). Após a intervenção, foi verificado que o uso das lâminas espectrais promoveu incremento da compreensão de sentenças e da taxa de leitura. Assim, conclui-se que o estresse visual é uma disfunção muito prevalente entre crianças com dificuldade de leitura e que as lâminas espectrais são um método eficaz de intervenção para reduzir o estresse visual na leitura. ABSTRACT Visual stress is defined as a neuronal-based dysfunction of visual processing, with a deficit in the magnocellular system and in the primary visual cortex. It is characterized by visual-perceptual distortions and progressive visual discomfort in reading. The present study verified the prevalence of visual stress among students from 3rd and 4th grades of elementary school (7 to 10 years old) with reading difficulties, as well as investigated the effect of the use of overlays on reading ability. All eligible participants (n = 58) had reading difficulties and adequate binocular visual acuity. Overlays were selected and distributed to students for use for three months. The Visual Reading Perception Scale, the Reading Rate Test and the Reading Test - Comprehension and Sentence characterized the pre- and post- intervention conditions. The results indicated a 12% prevalence of visual stress (severe symptoms). After the intervention, it was verified that the use of spectral slides promoted an increase in sentence comprehension and reading rate. Thus, it is concluded that visual stress is a very prevalent disorder among children with reading difficulties and that overlays are an effective method of intervention to reduce visual stress in reading.
Thesis
Full-text available
Esta dissertação aborda a experiência brasileira na definição do público-alvo das ações afirmativas para pessoas com deficiência a partir da internalização da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência com status equivalente ao de emenda constitucional. O objetivo geral é investigar a aplicação doméstica da definição de pessoas com deficiência adotada pela Assembleia Geral das Nações Unidas naquelas que tendem a ser as medidas mais efetivas no combate à discriminação e na promoção da igualdade de oportunidades para esse grupo vulnerável. Os objetivos específicos são identificar o modelo de deficiência adotado pelo direito brasileiro, investigar as características e as consequências da luta pelo reconhecimento jurídico das pessoas com deficiência no Brasil, identificar as condições inequivocamente reconhecidas pelo direito interno como categorias, subcategorias e espécies de deficiência, apresentar um panorama das ações afirmativas voltadas a pessoas com deficiência para acesso ao ensino superior e ao mercado de trabalho e estimar o potencial de exclusão dos critérios de elegibilidade para a reserva constitucional de cargos e empregos públicos para pessoas com deficiência. A pesquisa pode ser classificada como descritiva quanto aos objetivos e quantitativo-qualitativa quanto à abordagem. Utilizando-se do método comparativo, confronta, no plano internacional, o ordenamento jurídico brasileiro com os dos outros países lusófonos, bem como com os de outros 19 países ibero-americanos; e no plano interno, confronta os ordenamentos jurídicos de 54 entes federativos (a União, os 26 Estados, o Distrito Federal e os 26 Municípios-sede das Capitais dos Estados). Em relação aos concursos públicos, a amostra é formada por 25 processos seletivos abertos após 26 de agosto de 2009, para ingresso nas carreiras de Diplomata, Procurador da República, Defensor Público Federal e Juiz Federal Substituto. Os resultados apontam que, muito embora o modelo de deficiência formalmente adotado pelo direito brasileiro seja o de direitos humanos (biopsicossocial e aberto), mais de uma década após a internalização da Convenção, ainda há grande resistência à aplicação da cláusula geral e a crença de que o modelo é fechado. Com isso, a luta pelo reconhecimento jurídico tem se caracterizado como uma luta pelo reconhecimento jurídico inequívoco. Essa luta, associada a fatores estruturais da Federação brasileira, tem como consequência um quadro de máxima pulverização de modelos de reconhecimento entre os entes federativos pesquisados (54 em 54 possíveis) e de status jurídico entre as condições reconhecidas inequivocamente (47 em 47 possíveis). Nos processos seletivos pesquisados, os critérios de elegibilidade às vagas reservadas às pessoas com deficiência, que ainda se baseiam no modelo individual ou médico, tiveram como potencial de exclusão o percentual de 84,93%, o que significa que a proporção de candidatos admitidos à ação afirmativa foi 6,63 menor que a proporção de pessoas com deficiência na população brasileira. Conclui-se que a efetivação do modelo de direitos humanos nas ações afirmativas universais da Política Nacional para a Inclusão da Pessoa com Deficiência é insatisfatória, recomendando-se, ao final, a “solução da porta entreaberta”, que admite distinções proporcionais, mas veda a exclusão de qualquer indivíduo que possa se enquadrar na definição do artigo 1(2) da Convenção.
Article
Full-text available
Resumo: Os estudos de caso vêm sendo cada vez mais empregados como estratégia metodológica na pesquisa em Psicologia e, em um sentido mais amplo, nas ciências humanas e sociais em geral. Paradoxalmente, contudo, a maioria dos manuais de metodologia científica especializados dedica maior atenção a outras estratégias de pesquisa. Assim sendo, elaborou-se o presente artigo com dois objetivos básicos, a saber: a) apresentar considerações gerais acerca da utilização de estudos de caso em trabalhos científicos; e b) delinear algumas orientações práticas para o planejamento e a execução de estudos de caso em Psicologia. Abstract: Case studies have more and more been used as methodological strategy in research on psychology, and in the humanities and social sciences in general. However, most scientific methodology handbooks devote more attention to other research strategies. This paper a) presents general considerations regarding the use of case studies in scientific research, and b) delineates some practical orientations for planning and execution of case studies in psychology.