ArticlePDF Available

Potencialidades das TIC no ensino das Ciências Naturais - um estudo de caso

Authors:

Abstract and Figures

This paper is an exploratory study of mixed nature and aims at demonstrate the potentialities of ICT, concerning Natural Sciences Teaching, particularly in what concerns students' pawning, motivation, rigour and learning. A case study was conducted, involving elementary school students and several strategies were implemented based on the use of technologies and collecting evaluation topics through: (i) questionnaires' administration in different moments, particularly at the beginning of the study, in order to characterize the class; during the study, after the implementation of each strategy supported by technologies, and at the end of the study in order to gather the final opinions related to the implementation of new strategies; and (ii) analysis of contents of several proposed works to students. In a general way, the strategies have shown positive results in terms of behaviour, motivation, learning outcomes and development of behavioural and technological competences.
Content may be subject to copyright.
Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias Vol.8 Nº2 (2009)
527
527
Potencialidades das TIC no ensino das Ciências
Naturais – um estudo de caso
Tânia Martinho
1
e Lúcia Pombo
2
1
Escola Pedro Teixeira, Cantanhede (Portugal). E-mail: martinhot@gmail.com
2
Centro de Investigação em Didáctica e Tecnologia na Formação de Formadores,
Departamento de Didáctica e Tecnologia Educativa. Universidade de Aveiro.
Portugal. E-mail: lpombo@ua.pt
Resumo: Este artigo insere-se num estudo exploratório de natureza
mista e pretende demonstrar as potencialidades das TIC, ao nível do ensino
das Ciências Naturais, nomeadamente no que se refere ao empenho,
motivação, rigor e aprendizagem dos alunos. Foi realizado um estudo de
caso, onde participaram alunos do Ensino Básico, sendo implementadas
diversas estratégias baseadas na utilização das tecnologias e recolhidos
elementos de avaliação através de: (i) aplicação de questionários em vários
momentos, nomeadamente no início do estudo, de forma a caracterizar a
turma; durante o estudo, depois da implementação de cada estratégia
apoiada nas tecnologias; e no final do estudo de forma a reunir as opiniões
finais relativas à implementação das novas estratégias e (ii) análise de
conteúdo dos diferentes trabalhos propostos aos alunos. De forma geral, as
estratégias revelaram resultados positivos em termos de comportamento,
de motivação, de aproveitamento e de aquisição de competências
tecnológicas e atitudinais.
Palavras-chave: Ciências Naturais, CTS, ensino das Ciências, TIC
Title: Potentialities of ICT in Natural Sciences teaching – a case study
Abstract: This paper is an exploratory study of mixed nature and aims at
demonstrate the potentialities of ICT, concerning Natural Sciences
Teaching, particularly in what concerns students’ pawning, motivation,
rigour and learning. A case study was conducted, involving elementary
school students and several strategies were implemented based on the use
of technologies and collecting evaluation topics through: (i) questionnaires’
administration in different moments, particularly at the beginning of the
study, in order to characterize the class; during the study, after the
implementation of each strategy supported by technologies, and at the end
of the study in order to gather the final opinions related to the
implementation of new strategies; and (ii) analysis of contents of several
proposed works to students. In a general way, the strategies have shown
positive results in terms of behaviour, motivation, learning outcomes and
development of behavioural and technological competences.
Key words: Natural Sciences, CTS, Science teaching, ICT
Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias Vol.8 Nº2 (2009)
528
528
Introdução
As tecnologias de informação e de comunicação (TIC) podem constituir
um elemento valorizador das práticas pedagógicas, já que acrescentam, em
termos de acesso à informação, flexibilidade, diversidade de suportes no
seu tratamento e apresentação. Valorizam, ainda, os processos de
compreensão de conceitos e fenómenos diversos, na medida em que
conseguem associar diferentes tipos de representação que vão desde o
texto, à imagem fixa e animada, ao vídeo e ao som. Contudo, o entusiasmo
e a esperança que se deposita nas tecnologias, não podem ser tomados,
por si só, como o elixir para todos os males de que a escola padece.
Das várias ferramentas, métodos e técnicas que coexistem nas escolas
no domínio das TIC, o computador destaca-se, pois é o elemento em
relação ao qual existe uma maior interacção. Segundo Ponte (1997) muitos
professores vêem o computador como um potencial substituto. Tal visão é
infundada, porque o computador não tem qualquer possibilidade de
desempenhar as funções mais delicadas e mais importantes na educação
das crianças. O computador é apenas um instrumento que cria novas
possibilidades de trabalho e novas responsabilidades ao professor e o obriga
a um esforço permanente de actualização e formação.
A introdução das TIC no Ensino, e em particular, no Ensino das Ciências
Naturais, origina uma alteração nos papéis de todos os intervenientes do
processo de ensino e de aprendizagem. Esta alteração traz a resolução de
várias questões que “perseguem” o ensino, na procura da melhoria da sua
qualidade, como sejam, o combate à indisciplina e ao insucesso, o despertar
da motivação e o desenvolvimento de competências. Parece-nos, assim,
que um dos papéis que sofrerá mais alterações será o do professor, o qual
passará de uma exposição do conteúdo para o aluno assimilar, para um
papel mais mediador. Cabe ao professor promover a aprendizagem do
aluno, para que ele possa construir o seu conhecimento num ambiente que
o desafie e o motive para a exploração, a reflexão e a descoberta de
conceitos relacionados com os problemas que desenvolve (Papert, 1998).
Também o papel do aluno deverá sofrer algumas alterações, na direcção de
apurar o seu sentido crítico, a sua capacidade de análise e síntese e a sua
autonomia. Deve ser um utilizador hábil e eficiente das novas tecnologias,
um construtor do seu conhecimento, um solucionador de problemas reais,
um consumidor e produtor de informação, e um editor daquela que ele
próprio produz, sendo esta acção, talvez a faceta mais inovadora de todo
este processo.
As TIC e o ensino das Ciências
A ênfase do ensino das ciências é colocada na resolução de problemas
autênticos, na pesquisa e nas actividades experimentais, no trabalho
colaborativo e na abordagem interdisciplinar de temas contemporâneos,
dando particular relevância às inter-relações entre a Ciência, a Tecnologia e
a Sociedade (Chagas, 2001). Nesta perspectiva, o movimento CTS para o
ensino das Ciências releva a importância do ensinar a resolver problemas, a
confrontar pontos de vista, a analisar criticamente argumentos, a discutir os
limites de validade de conclusões alcançadas, a saber formular novas
questões (Martins, 2002). Relativamente a este contexto, Lokken et al.
Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias Vol.8 Nº2 (2009)
529
529
(2003) afirmam que o uso da tecnologia na sala de aula é uma ferramenta
útil para atingir aqueles objectivos.
Numa abordagem CTS, para Fontes & Silva (2004), o ensino das ciências
é organizado em torno de assuntos e temas científicos com implicações
sociais, promovendo a curiosidade, a exploração de possíveis explicações
para diversos factos, a pesquisa e a discussão, realçando, assim, a questão
da responsabilidade e autonomia do aluno e dando mais importância ao
processo de aprendizagem do que ao produto. Também segundo estas
autoras (Fontes & Silva, 2004), na mesma lógica, o aluno deixa de ser um
sujeito passivo e passa a explorar as formas de procurar, seleccionar,
analisar e discutir informação.
O ensino das ciências numa abordagem CTS é referido por Aikenhead
(1994) como o ensinamento acerca de fenómenos naturais que se torna
numa forma de firmar a ciência no ambiente tecnológico e social do aluno,
tal como evidencia o esquema da figura 1.
Figura 1.- A essência da educação CTS (Ciência, Tecnologia e Sociedade), adaptado
de Aikenhead (1994)
Este autor argumenta que o ensino das ciências deve ser orientado para
os alunos, e que na essência da educação CTS está a compreensão das
experiências quotidianas através da integração de conhecimentos do
ambiente social, tecnológico e natural, o que constituirá uma tendência
natural dos alunos.
O potencial das TIC, quando utilizadas no ensino das ciências, está
relacionado com a reestruturação do currículo e a redefinição das
pedagogias de ensino. Estas tecnologias facilitam o acesso a um imenso
conjunto de informação e recursos cuja utilização implica o
desenvolvimento de capacidades de avaliação, de interpretação e de
reflexão crítica (Osborne & Hannessy, 2003). O modelo actual de utilização
das TIC no ensino das ciências resume-se a uma abordagem interactiva e
investigativa que se socorre de ferramentas de recolha e processamento de
dados, software multimédia, sistemas de informação, ferramentas de edição
de texto e de apresentação, tecnologia para projecção (Osborne &
C
IÊNCIA
T
ECNOLOGIA
S
OCIEDADE
Aluno
Ambiente
N
atural
Ambiente
Social
Ambiente Construído
Artificialmente
Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias Vol.8 Nº2 (2009)
530
530
Hannessy, 2003). Na óptica destes autores a utilização apropriada das TIC
tem claramente um potencial de transformação na educação em ciência e
na aprendizagem do aluno, sendo apenas encontrado em alguns
professores pontuais. Como tal, as TIC, necessitam de se enraizar nas
estratégias de todos os professores.
Em relação à utilização da Internet, no ensino das ciências como fonte de
informação e meio de interacções que possibilita actividades de
aprendizagem autênticas e um maior envolvimento e controlo das
aprendizagens por parte dos alunos, Hargis (2001) refere que os
professores de Ciências reconhecem o seu potencial como ferramenta
educativa.
Segundo Murphy (2003) as TIC podem ser integradas no ensino das
ciências como uma ferramenta, como uma fonte de referência, como um
meio de comunicação e como um meio para exploração. As TIC podem ser
utilizadas como uma ferramenta no preenchimento de tabelas e na
construção de gráficos e bases de dados adequadas à faixa etária dos
alunos; como uma fonte de referência utilizando informação contida em CD-
ROM e na Internet; como um meio de comunicação através do uso do
correio electrónico, da discussão online, das apresentações em PowerPoint,
da apresentação de imagens digitais e da utilização de quadros interactivos;
e como um meio para exploração com recurso a programas de programação
básica e de simulação (Murphy, 2003).
Em suma, e segundo Santos (2007) os principais benefícios do uso das
TIC no ensino das ciências são que: (i) o ensino das ciências torna-se mais
interessante, autêntico e relevante; (ii) mais tempo dedicado à
observação, discussão e análise e (iii) existem mais oportunidades para
implementar situações de comunicação e colaboração.
O estudo de caso
No estudo empírico deste trabalho, foi implementado, na Escola Pedro
Teixeira, em Cantanhede, um estudo exploratório de natureza mista,
qualitativo e quantitativo (Creswell, 2003), entre os meses de Janeiro e
Fevereiro de 2008, com uma turma de alunos do 7º ano de escolaridade, do
Ensino Básico, na disciplina de Ciências Naturais, com o intuito de avaliar as
potencialidades das TIC no Ensino das Ciências Naturais.
Este estudo teve como principal objectivo avaliar as potencialidades das
TIC no Ensino das Ciências Naturais no que se refere ao empenho,
motivação, rigor e aprendizagem dos alunos. Desenharam-se diferentes
estratégias, durante a leccionação do conteúdo Dinâmica Interna da Terra,
com base na utilização das TIC, que incluíram:
Projecção de vídeos educativos;
Projecção de imagens em PowerPoint;
Elaboração de trabalhos em PowerPoint;
Resolução de fichas formativas digitais;
Pesquisa na Internet;
Entrega do trabalho de casa utilizando o email;
Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias Vol.8 Nº2 (2009)
531
531
Realização de um documentário;
Criação e dinamização do blog da disciplina;
Disponibilização dos melhores trabalhos no blog da disciplina.
Para avaliar os resultados recorreu-se a: (i) análise quantitativa e
qualitativa de cinco questionários aplicados aos alunos em diferentes
momentos após a concretização de cada conjunto de estratégias apoiadas
na exploração das tecnologias e (ii) análise qualitativa de vários trabalhos
propostos aos alunos assim como dos resultados da ficha de avaliação.
Assim, com o questionário I (aplicado no início do estudo de caso),
pretendeu-se caracterizar a turma; classificar o interesse dos alunos pela
disciplina de Ciências Naturais; caracterizar as suas competências em TIC;
contabilizar os alunos que têm acesso à Internet, em casa; conhecer a
frequência com que a ela acedem e qual a utilização que dela fazem.
A aplicação do questionário II teve como objectivos identificar a
importância da projecção de imagens no cativar da atenção dos alunos;
perceber a contribuição da pesquisa na Internet para o empenho e
curiosidade dos alunos; perceber a contribuição da disponibilização da
informação no blog da disciplina para o empenho, motivação e rigor dos
alunos na execução das tarefas; compreender se ocorre alteração no
empenho na realização dos trabalhos de casa quando para isso é solicitada
a utilização do computador e da Internet.
Com o questionário III pretendia-se atingir os seguintes objectivos:
avaliar a motivação e empenho dos alunos na realização do documentário;
perceber a contribuição da disponibilização da informação no blog da
disciplina para o empenho, motivação e rigor dos alunos, na execução das
tarefas; identificar o contributo dos vídeos educativos na concentração dos
alunos.
O questionário IV pretendia verificar se alteração nos resultados de
aprendizagem, quando os trabalhos de casa necessitam da utilização do
computador; perceber se as tarefas que envolvem a utilização do
computador motivam mais o aluno de forma a facilitar a aquisição das
competências inerentes ao conteúdo em questão.
Na última aula, pertencente ao estudo de caso, foi aplicado aos alunos o
questionário V, em jeito de balanço final, cujos objectivos foram identificar
as alterações que as estratégias implementadas potenciaram nos alunos,
em termos de empenho, interesse e aprendizagem; perceber o que os
alunos destacam como mais negativo e mais positivo no conjunto das aulas
do estudo de caso e conhecer as suas sugestões para a melhoria das aulas,
no futuro, com recurso a estas tecnologias.
Resultados
A turma envolvida no estudo de caso era constituída por 22 alunos, com
idades compreendidas entre os 12 (maioritariamente) e os 14 anos, dos
quais 12 eram rapazes. Através da análise do questionário inicial, verificou-
se que vinte elementos, antes da implementação das novas estratégias,
manifestaram “gostar muito” da disciplina de Ciências Naturais e os dois
restantes referiram “gostar mais ou menos”.
Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias Vol.8 Nº2 (2009)
532
532
Quando questionados relativamente às dificuldades ao trabalhar com o
computador, 81% apontou poucas ou nenhumas dificuldades. A maioria dos
alunos (60%) tem computador com acesso à Internet em casa, utilizando-o
para diversos fins, sendo os mais comuns: escrever textos, pesquisar para a
realização de trabalhos da escola, jogar, ver vídeos no Youtube, e fazer
conversações no MSN. Os restantes 9 alunos acedem à Internet na escola,
na Junta de Freguesia ou em casa de amigos e familiares.
Durante o estudo de caso, a maioria dos alunos (92%), de acordo com os
dados da figura 2, resultantes do cruzamento de dados entre os
questionários II e III, considerou que tanto a projecção de imagens em
PowerPoint, como o visionamento de vídeos educativos, bem como a
pesquisa na Internet, influenciou positivamente a sua aprendizagem;
apontando, como razões principais, o facto de estas estratégias melhorarem
a atenção e aumentarem o entusiasmo de aprender.
0
2
4
6
8
10
12
14
16
18
Nº de alunos
Nada Pouco Mais ou menos Muito
Resposta
Projecção de imagens
em ppt
Pesquisa na Internet
Visionamento de vídeos
educativos
Figura 2.- Importância atribuída pelos alunos em diferentes actividades, com
recurso às tecnologias.
O facto das melhores produções realizadas pelos alunos terem divulgação
no blog da disciplina fê-los, de uma maneira geral, mudar de atitude
perante as actividades solicitadas, como se demonstra através da análise do
gráfico da figura 3, que resulta do cruzamento de dados dos questionários
II e III. Assim, veja-se que, na pesquisa dos argumentos de Wegener, com
recurso à Internet, cerca de dois terços dos alunos (14) referiram que
modificaram muito a sua atitude, melhorando a atenção, ficando mais
empenhados e realizando uma pesquisa mais rigorosa.
Na realização do documentário, acerca do movimento das placas
tectónicas, todos os grupos apresentaram um texto, como sugestão de
locução explicativa na utilização de um modelo. Apenas quatro daqueles
Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias Vol.8 Nº2 (2009)
533
533
grupos conseguiram aprovação e gravaram um excerto dos seus textos. No
entanto, 90% dos alunos (20) referiu que devido ao facto do resultado final
ser divulgado no blog da disciplina mudaram a sua atitude perante o
trabalho, como mostra o gráfico da figura 3. Apontaram como justificação o
aumento da atenção, o maior empenho, produzindo assim textos com maior
rigor.
Na realização do PowerPoint “Consequências da mobilidade das placas
tectónicas”, cerca de metade dos alunos (12) indicaram que a sua atitude
mudou “mais ou menos”. No geral, apontaram como motivo para essa
mudança o facto de estarem mais atentos e serem mais rigorosos.
0
2
4
6
8
10
12
14
Nº alunos
Nada Pouco Mais ou menos Muito
Resposta
Pesquisa, na Internet, com
resultado disponibilizado no
blog
Realização de um
documentário
disponibilizado no blog
Realização de um
PowerPoint, com
disponibilização no blog
Figura 3.- Mudança de atitude perante os trabalhos cuja divulgação é feita no blog
da disciplina.
Pela análise do gráfico da figura 4 e de acordo com o questionário IV,
aproximadamente dois terços dos alunos inquiridos (15) manifestaram
preferência pela realização do trabalho de casa, com recurso à Internet e
apontaram como principal razão o facto do trabalho se tornar mais
motivante e haver a possibilidade de estar a estudar Ciências enquanto
trabalham no computador, actividade que lhes dá prazer.
Quando questionados relativamente à melhoria dos resultados no
trabalho de casa, cerca de dois terços (15), responderam de forma positiva,
apontando, essencialmente que o maior empenho indicado anteriormente
gera melhores resultados. Indicam, ainda, que a realização do trabalho de
casa, nestes moldes, pode ser feita recorrendo ao apoio não só do manual e
do caderno diário, mas também do blog da disciplina e da Internet. É de
referir, ainda, a resposta de um aluno que indica que recorrendo ao
computador “evito dar erros”, sendo assim influenciado positivamente nos
seus resultados.
Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias Vol.8 Nº2 (2009)
534
534
Dos alunos que indicaram não preferir realizar o trabalho de casa desta
forma (5) apontaram o facto de não terem acesso à Internet em casa, como
justificação, e os outros 2 acham que, desta forma, acabam por se distrair.
Alguns dos alunos (5), cujos resultados não foram tão positivos quanto
desejariam, indicaram como dificuldade o facto de não lidarem com o
computador da forma mais célere, sendo esse um factor de destabilização.
Figura 4.- Preferência, manifestada pelos alunos, na realização do trabalho de casa,
recorrendo à utilização do computador com acesso à Internet.
Como balanço final do estudo de caso, e de acordo com os resultados do
questionário V (figura 5), verifica-se que as novas estratégias utilizadas
pela professora, durante o estudo de caso, aumentaram muito a sua
atenção/concentração, o seu entusiasmo e motivação, o rigor na execução
das tarefas, a vontade de fazer mais e melhor e a sua aprendizagem.
Figura 5.- Grau de alteração de diferentes factores com a implementação de novas
estratégias.
0%
20%
40%
60%
80%
100%
Distracção DesinteresseConcentração/
atenção Entusiasmo/
motivação Rigor nas
tarefas Vontade de
fazer mais e
melhor
Aprendizagem
Respostas
Percentagem
Muito
Mais ou menos
Pouco
Nada
0
2
4
6
8
10
Sim, é uma
maneira de ter
acesso à Internet
em casa
Sim, o trabalho
torna-se mais
mo tivante
Sim, aproveito
para mexer no
computador
enquanto estudo
Ciências
Sim, aproveito e
treino a trabalhar
no computado r
Não , não tenho
acess o à Internet
em casa
Não, acabo por
me distrair
Razões
Nº alunos
Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias Vol.8 Nº2 (2009)
535
535
Também através da aplicação do questionário V percebeu-se que mais
de três quartos dos alunos (17) apontou “gostar muito” das aulas com
tecnologias, e elegeu como estratégias preferenciais a utilização do
computador combinado com o data show e a combinação entre o
computador e a máquina de filmar, como se mostra nas figuras 6 e 7.
0
3
6
9
12
15
18
Não gosto Gosto pouco Gosto mais ou menos Gosto muito
Respostas
de alunos
Figura 6.- Manifestação da preferência pelas aulas com recurso à utilização de
tecnologias.
Todos os alunos defenderam que, tanto eles, como os colegas e a
professora, devem utilizar e usufruir em simultâneo das tecnologias, pois
desta forma a “professora ajuda os alunos a organizarem-se e estes podem
ajudar-se uns aos outros”, para além de que assim se sentem mais
motivados a participar.
0
2
4
6
8
10
12
Rtproj +
DataS Rtproj + PC Rtproj +
MaqFilmar Rtproj +
Outra DataShow
+ PC DataShow
+
MaqFilmar
DataShow
+ Outra PC +
MaqFilmar PC + Outra MaqFilmar
+ Outra
Respostas
Nº de alunos
Figura 7.- Manifestação da preferência relativa às tecnologias utilizadas no decurso
das aulas.
Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias Vol.8 Nº2 (2009)
536
536
Quando solicitados, no questionário V, a indicar o aspecto mais negativo,
durante o estudo de caso, cerca de três quartos (15 alunos) referiu não
haver nenhum a apontar. Dos sete que fizeram referência àqueles aspectos,
três apontaram o facto de nem sempre a sala de informática estar
disponível ou, quando estava, ocorria por vezes uma falha de electricidade
que interrompia o normal decorrer dos trabalhos.
Quanto aos aspectos mais positivos, cerca de três quartos (16 alunos)
indicaram o maior empenho e/ou atenção criados, quatro alunos realçaram
o trabalho de grupo, realizado com a utilização de computadores, um a
criação do blog e outro a utilização da máquina de filmar.
Ao ser solicitado que apontassem sugestões para que as aulas deste tipo
funcionassem melhor, cerca de metade dos inquiridos (12) referia que seria
ideal que a sala de informática se encontrasse sempre disponível, com
acesso à Internet e que a electricidade não falhasse. Indicaram, ainda, que
devem ser propostos mais trabalhos em grupo, mais realizações de
trabalhos em PowerPoint e trabalhos de pesquisa.
Quanto à análise dos trabalhos que foram propostos aos alunos,
verificou-se um aumento considerável no rigor e empenho nos trabalhos
cuja disponibilização seria feita na Internet, relativamente aos que eram
realizados sem recurso às tecnologias. Esta melhoria em termos de
conteúdo e de aprendizagem reflectiu-se também numa avaliação mais
positiva. Os alunos interiorizaram a noção de que o seu trabalho tanto
poderia ser consultado pelo colega como pelo mundo e tal facto fez-lhes
crescer o sentido de responsabilidade. Assim, recorrendo à pesquisa na
Internet, à consulta do blog da disciplina, do manual e do caderno diário em
simultâneo, os alunos conseguiram trabalhos mais cuidados em termos de
organização de ideias e mais ricos em termos de linguagem e de rigor
científico, atingindo mais facilmente os objectivos propostos em cada tarefa.
No que diz respeito aos resultados obtidos na ficha de avaliação,
efectuada no final da aplicação das novas estratégias, verificou-se uma
melhoria nos resultados, que em termos quantitativos se traduziu numa
subida de 10% na média da turma e nenhum aluno obteve classificação
negativa.
Conclusões
Este trabalho, apesar de se constituir como um estudo exploratório, e
tomando consciência das limitações inerentes a este tipo de estudos,
nomeadamente relativas ao instrumento de recolha explorado, ao número
de respondentes e ao facto de ter sido aplicado a uma única disciplina, foi
possível verificar que a implementação das TIC na Educação em Ciências
proporcionou a criação de um ambiente de trabalho mais motivador, onde
os alunos focalizaram mais a sua atenção, ficaram mais empenhados e
rigorosos no desenvolvimento dos seus trabalhos,
conseguindo-se também
melhores resultados em termos de avaliação.
Notou-se, ainda, que os alunos desenvolveram maior versatilidade no
manuseamento do computador, verificando-se uma melhoria quanto à
aquisição de competências específicas, gerais, tecnológicas e atitudinais. Os
alunos ansiavam a ida para a sala de informática e que lhes fossem
Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias Vol.8 Nº2 (2009)
537
537
propostos trabalhos em que tivessem de utilizar as TIC como suporte.
Várias vezes acharam que a aula passou rápido demais. Pode, portanto,
considerar-se que as estratégias revelaram, de uma forma geral, resultados
bastantes satisfatórios.
Acreditamos que a natureza inovadora das práticas lectivas com recurso
às ferramentas Web 2.0 suscite aos professores uma actividade prática e
reflexiva que possam induzir a implementação de novas perspectivas de
utilização das TIC junto dos alunos, contribuindo, assim para a integração
das TIC em contexto educativo de forma (mais) efectiva.
No entanto, estas estratégias exigem mais dos professores, no que diz
respeito, não só ao desenho do plano de aula, como à obtenção de
condições logísticas para o desenvolver. Como referiram López y Morcillo
(2007) a incorporação destas tecnologias nas aulas supõe um desafio para
os professores que encontram inúmeras barreiras para a sua utilização.
Neste caso, exigiu da professora requisição atempada dos materiais
necessários e da sala de informática, o que por vezes implicou negociação
entre pares. Daí que o factor motivação que envolve este tipo de
estratégias não tenha apenas de atingir os alunos, mas também os
professores, para que estes não baixem os braços perante diferentes
adversidades, que por vezes atravessam o percurso previamente
desenhado.
Este trabalho deixa em aberto algumas questões que poderão ser
abordadas em paralelo, nomeadamente a perspectiva da família quanto às
novas estratégias e metodologias de ensino. Será que o facto de ser
solicitado aos alunos a utilização da Internet, a partir de casa, para fins
educativos, altera o acompanhamento dos encarregados de educação?
Deixá-los-á mais curiosos, atentos e/ou preocupados? Essas alterações
serão positivas ou revelar-se-ão um entrave?
Referências bibliográficas
Aikenhead, G. (1994). STS Education: International Perspectives on
Reform. New York. Teachers College Press. Em
http://www.usask.ca/education/people/aikenhead/sts05.htm
Chagas, I. (2001). Utilização da Internet na Aprendizagem da Ciência
Que Caminhos Seguir?. Inovação, 14, 3.
Creswell, J. (2003). Research Design: Qualitative, Quantitative, and
Mixed Methods Approaches (2nd Edition). USA, Sage Publications.
Fontes, A. e I. Silva (2004). Uma Nova Forma de Aprender Ciências A
Educação em Ciência / Tecnologia / Sociedade (CTS). Porto: Edições ASA
Hargis, J. (2001). Can Students Learn Science Using the Internet?
Journal of Research on Computing in Education. Em
http://www.accessmylibrary.com/coms2/summary_0286-9185619_ITM
Lokken, S., Cheek, W. e S. Hastings (2003). The Impact of Technology
Training on Family and Consumer Sciences Teacher Attitudes Toward Using
Computer as an Instructional Medium. Journal of Family and Consumer
Science Education, 21, 1, Spring/Summer. Em
http://www.natefacs.org/JFCSE/v21no1/v21no1Lokken.pdf
Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias Vol.8 Nº2 (2009)
538
538
López Garcia, M. e J.G. Morcillo Ortega (2007). Las TIC en la enseñanza
de la Biologia en la educación secundaria: los laboratórios virtuales. Revista
Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, 6, 3: 562-576. Em
http://saum.uvigo.es/reec/volumenes/volumen6/ART5_Vol6_N3.pdf
Martins, I (2002). Problemas e Perspectivas Sobre a Integração CTS no
Sistema Educativo Português. Revista Electrónica de Enseñanza de las
Ciências, 1, 1.
Em http://www.saum.uvigo.es/reec/volumenes/volumen1/Numero1/Art2.pdf
Murphy, C. (2003). Literature Review in Primary Science and ICT. Em
http://www.futurelab.org.uk/download/pdfs/research/lit_reviews/Primary_S
chool_Review.pdf
Osborn, J. e S. Hennessy (2003). Literature Review in Science Education
and the Role of ICT: Promise, Problems and Future Directions. Em
http://www.futurelab.org.uk/download/pdfs/research/lit_reviews/Secondary
_School_Review.pdf
Papert, S. (1998). A Família em Rede. Relógio d’Água Editores.
Ponte, J.P. (1997). As Novas Tecnologias e a Educação. Lisboa. Texto
Editora.
Santos, A. (2007). As TIC e o Desenvolvimento de competências para
aprender a aprender, (Dissertação em CD ROM).
... Os professores devem, por isso, atuar como facilitadores, conduzindo os alunos ao longo do processo de aprendizagem e providenciando-lhes a oportunidade de se exprimirem através da aprendizagem (Warren et al., 2013). Por seu lado, o papel do aluno também sofrerá algumas alterações, no sentido de abandonar práticas passivas, de receção de informação e conhecimento, e assumir um papel central na própria aprendizagem (Carvalho, 2007;Martinho & Pombo, 2009). ...
... As investigações realizadas por vários investigadores, incluindo no ensino das ciências em Portugal, tem permitido verificar que a introdução das tecnologias digitais pode contribuir para o desenvolvimento do trabalho em equipa, da interação e da colaboração entre os jovens, do envolvimento e da criatividade. Por fim, as investigações também demonstram que o uso deste tipo de tecnologias se pode traduzir em melhorias a nível da motivação, dos resultados de aprendizagem e do próprio desenvolvimento de competências digitais e atitudinais(Jacinto, 2011;Martinho & Pombo, 2009). ...
Thesis
Full-text available
Com a presente investigação pretendeu-se desenvolver (conceber, produzir, implementar e avaliar) um conjunto de atividades transmedia para a abordagem de um dos temas da disciplina de Ciências Naturais do ensino básico. Estas atividades, consentâneas com a perspetiva CTS (Ciência-Tecnologia-Sociedade), pretendiam contribuir para a diversificação dos recursos educativos para o ensino e aprendizagem daquela disciplina e o desenvolvimento, nos estudantes, de competências cruciais, incluindo na cidadania. Estas atividades foram divididas em três fases, nomeadamente antes da saída de campo, na saída de campo e depois da saída de campo. As atividades em causa foram enquadradas numa narrativa transmedia relacionada com a utilização que o Ser Humano faz das rochas no quotidiano, cujo objetivo final se prendia com a construção online de um puzzle na plataforma Campus e, em casos pontuais, a recolha de crachás digitais. Este estudo, de natureza predominantemente qualitativa, assenta na metodologia educational design research, uma vez que envolve a conceção, desenvolvimento e avaliação de um conjunto de atividades segundo um processo cíclico e reflexivo. A investigação contou com a participação de 104 alunos, 21 no primeiro ciclo de investigação e 83 no segundo ciclo de investigação, que frequentavam, respetivamente, os 7.º e 5.º anos de escolaridade. Na fase inicial da investigação foram analisadas as características didático-pedagógicas dos recursos educativos existentes para aquela disciplina e aplicado aos estudantes um questionário que pretendia determinar as suas práticas digitais. A fase antes da saída de campo era essencialmente introdutória e destinou-se a fornecer informação aos alunos acerca do modo de funcionamento das atividades em que estavam a participar. A fase saída de campo envolveu a realização de uma saída de campo, na proximidade da escola dos alunos, em que estes tinham de realizar um conjunto de tarefas, concretamente registar informação em foto e numa folha de registos fornecida previamente para o efeito. Esta informação era partilhada na fase depois da saída de campo com os restantes alunos num grupo fechado da plataforma Campus. A análise efetuada aos dados recolhidos através de diferentes instrumentos sugere que os alunos evidenciaram possuir algumas competências em áreas como “relacionamento interpessoal”, “saber científico, técnico e tecnológico” e “informação e comunicação”, embora neste caso as mesmas possam ser consideradas reduzidas. Desta forma, as atividades transmedia desenvolvidas constituem um contributo para o conhecimento sobre o modo como estas podem ser desenvolvidas e implementadas, nomeadamente no ensino básico.
... Among the various possibilities of using ICTs in schools, computer stands out, since it is a tool that allows great interactivity and easy access to various data types (Martinho and Pombo 2009). In this context, the Brazilian government has donated funds to computerize the schools throughout the country, arguing that students need to learn computation to meet new market needs (Brasil 1999). ...
Article
Full-text available
Investments in policies for science teachers, as well as their adaptation to new realities andtechnologies are essential, since the teacher is the key to changing mindsets and attitudes of theirstudents. Thus, conceptual discussions are proposed between chemistry teachers in a virtualenvironment on the Moodle platform on topics previously chosen by the education teacher. Theobjective is to analyze the process of creating meanings of participants of the forum on the theme"nature of science." It was noticed that new media can help building students' knowledge andmotivate them to expand their research and scientific readings; however, rules must be preestablishedso that a real interaction and mediation could occur. Initiatives like these are useful forthe understanding of scientific and technical fields, and may also facilitate communication andinteraction between teachers and students
... métodos adequados para um ensino de Ciência voltado para Alfabetização Científica pode ser desenvolvido em espaços formais e não formais de aprendizagem, espaços esses capazes de proporcionar experiências significativas que contribuirão para a formação de qualidade tanto do professor quanto do aluno.Ao abordar os recursos para o Ensino de Ciências, merece destaque a importância e eficácia dos vídeos educativos como método elucidativo do processo de ensino-aprendizagem e do abandono das aulas tradicionais por aulas inovadoras e atrativas (CARVALHO;GONÇALVES, 2000). As TICs também são vistas como um excelente recurso, pois além de apresentarem-se como meio capaz de promover os conhecimentos em sala de aula, estão presentes nos mais distintos espaços, visto que vivemos em um mundo cada vez mais influenciado pela tecnologia(SCHNORR et al, 2017;MARTINHO, 2008). Nesse seguimento, Ferreira e Queiroz (2012) apresentam os Textos de Divulgação Científica -TDC -como uma ferramenta facilitadora e de grande importância no Ensino de Ciências por representar um recurso complementar ao livro didático. ...
... De maneira mais específica, evidenciamos neste momento, alguns pormenores que denotem o uso das TIC para o ensino das Ciências Naturais, o que gera uma alteração nos papéis de todos os intervenientes do processo de ensino e de aprendizagem. Essa alteração traz a resolução de várias questões que "perseguem" o ensino, na procura da melhoria da sua qualidade, como sejam, o combate à indisciplina e ao insucesso, o despertar da motivação e o desenvolvimento de competências" (MARTINHO; POMBO;2009, p.528). ...
Conference Paper
Full-text available
O presente trabalho discute o uso de novas tecnologias nas aulas de ciências, mais especificamente da Física, por meio de uso de softwares como Scilab e Stellarium. Assim, destacamos a importância do uso das Tecnologias da Informação e Comunicação para um melhor desenvolvimento humano e educacional, por meio de um reposicionamento do papel do docente de modo a buscar alternativas viáveis para os problemas que se colocam para o cenário da instituição escolar.
Article
A experimentação é parte fundamental nos processos de ensino-aprendizagem relacionados ao ensino de Física e representa um grande desafio, particularmente, para o ensino de Física Moderna e Contemporânea. Neste trabalho, apresentamos um produto educacional baseado na tecnologia da videoanálise enquanto estratégia para levar à sala de aula o experimento de difração de elétrons. Trata-se de iniciativa concreta de utilizar o programa Tracker para permitir a estudantes e professores a visualização de um fenômeno fundamental da Física, concebido teoricamente pelo físico francês de Broglie e reportado experimentalmente no começo do século XX por Davisson, nos Estados Unidos, e Thomson, no Reino Unido, os três agraciados com o prêmio Nobel. O material didático é associado à comprovação do comportamento ondulatório dos elétrons, com implicações para explorar o conceito de dualidade onda-partícula, fundamental para a Mecânica Quântica. Ocorre que os custos para realização desse experimento são muito elevados, de modo que a videoanálise foi utilizada para produzir um material acessível, versátil e com o condão de dar a professores e estudantes a possibilidade de realizarem a atividade em diversos contextos, configurando um exemplo objetivo de utilização de uma Tecnologia de Informação e Comunicação, no caso, a videoanálise com o Tracker, no Ensino de Física Moderna e Contemporânea fomentar atividades investigativas e de experimentação.
Thesis
Full-text available
Conhecer para conservar é o que inspira esta tese, cujo objetivo central é incentivar a conservação de abelhas através de ações de formação científica em escolas da Educação Básica. Entender a percepção dos estudantes sobre abelhas, colaborar com a construção de conhecimento sobre elas, com o entendimento e aproximação com essas polinizadoras. O estudo está organizado em três capítulos. O primeiro deles investiga a percepção dos estudantes sobre abelhas e polinização, e relaciona essa percepção com o tipo de escola (municipal, estadual ou federal), sexo (feminino e masculino) e faixa etária (10 a 15 anos de idade). Os resultados desta investigação mostram que os estudantes reconhecem principalmente Apis mellifera (50%), seguida de abelhas sem ferrão (39%) e abelhas solitárias (11%). A maioria dos estudantes pensam que as abelhas deveriam ser protegidas (93,14%), mesmo que vários deles não as reconhecerem como importantes para as pessoas (33,33%). Os resultados sugerem que quase metade dos estudantes (42%) não sabem ao certo o que é polinização, apesar de 72,28% acreditarem que sim. Essa pesquisa oferece um panorama da percepção de estudantes sobre as abelhas, sugere possíveis lacunas no conhecimento sobre abelhas que podem ser utilizadas como ponto de partida para ações educativas para a conservação de polinizadores. O segundo capítulo descreve a experiência de um projeto que aconteceu em uma escola municipal em Uberlândia - MG e busca compreender se a aproximação dos estudantes com a ciência pode tornar positiva a visão destes sobre as abelhas procurando estimular a conservação dessas polinizadoras. Os estudantes participantes do projeto passaram a reconhecer a importância da polinização e das abelhas, tornando-se aliados importantes, o que pode contribuir para o estabelecimento de ações de preservação da diversidade de abelhas. Já o terceiro capítulo, relata um projeto virtual sobre as abelhas com estudantes de uma escola federal, abordando Ciência Cidadã e Ensino por Investigação. O capítulo trata de uma investigação de criação de um protocolo de coleta de dados de interação, por estudantes, envolvendo abelhas e usando a plataforma iNaturalist como base de dados. Além disso, foi criado o projeto “Abelhas de Uberlândia” no iNaturalist, agrupando todos os registros de abelhas na cidade. Como consequência, um protocolo foi criado e melhorado e os participantes do projeto se tornaram mais conscientes sobre as abelhas no município de Uberlândia-MG.
Article
Atualmente, o uso das Tecnologias Digitais de Informação e de Comunicação (TDICs), que são conjuntos de recursos tecnológicos, está cada vez mais presente em nosso cotidiano. Com o surgimento e a alta utilização destas tecnologias, principalmente devido ao cenário pandêmico, vivemos, hoje, uma nova realidade, onde professores e alunos tendem a se adequar ao uso destes meios para fins didáticos educativos. Diante deste cenário, as videoaulas, exemplos de TDICs, vêm sendo cada vez mais utilizadas como recurso didático, sobretudo no ensino remoto e/ou híbrido. Para Moran, elas são sensoriais, visuais, linguagem falada, musical e escrita, proporcionando e enfatizando a possibilidade de mostrar e informar a objetividade, qualidade e clareza do objeto do conhecimento em estudo, auxiliando na eficiência da aprendizagem significativa, além também de favorecer uma maior proximidade dos alunos desta atual geração, visto que possuem grande familiaridade com recursos tecnológicos, especialmente com a imersão em vídeos. Desse modo, a presente pesquisa trata-se de um levantamento bibliográfico utilizando as palavras-chaves “videoaula” e “vídeo” a partir da análise de dois periódicos Qualis (A2 e A3), com publicações entre 2018 e 2022, provenientes da classificação da lista disponibilizada pela plataforma Sucupira. Destaca-se como objetivo analisar 16 artigos científicos para uma reflexão a respeito do uso e potencial das videoaulas no ensino de Ciências. Em suma, foram encontrados 314 artigos, onde, a partir da análise, observou-se que apenas 8 artigos continham a palavra-chave “videoaula” e 20, artigos com a palavra “vídeo”. Ainda, pôde-se encontrar, por meio da análise bibliográfica, que as videoaulas apontam ser um recurso que pode ser utilizado para sala de aula invertida e ensino remoto, especialmente em caráter pandêmico e de formação docente.
Article
Full-text available
Neste trabalho, apresentamos uma análise das produções acadêmicas veiculadas nas edições dos ENEQ e ENPEC de 2000 a 2020 acerca das redes sociais como ferramentas de aprendizagem da Química. A análise visa compreender quais os focos dos estudos existentes sobre as redes sociais e seus usos no ensino. A partir dos resultados encontrados, evidenciou-se além de uma carência de trabalhos sobre essa temática que, as pesquisas vêm acontecendo conforme a rede social ganha popularidade entre o público jovem; o que revela que estas investigações contam com recursos capazes de contribuir para a aprendizagem de Ciências e, mais especificamente, da Química. Discutimos ainda que é preciso pesquisas futuras que investiguem outras redes sociais que estão surgindo e ganhando aceitação entre os jovens e os impactos destas na aprendizagem de Química e na divulgação da ciência.
Article
Full-text available
Science educators recognize the potential of the Internet as an educational tool. However, little research based on educational theory has been conducted to determine how they can maximize the learning potential of this relatively new teaching tool. A constructivist and an objectivist instructional format containing the same information was created and presented online. The online study examines the effect on learning of variables such as age, gender, racial identity, attitude, aptitude, self-regulated learning, and self-efficacy. The only significant interaction showed that older participants perform better using an objectivist approach. Therefore, it appears that these characteristics should not be roadblocks to online learning.
Article
Full-text available
Introdução Em Portugal todas as escolas do 5º ao 12º anos possuem, actualmente, pelo menos um computador multimédia com ligação à Internet. Prevê-se que, muito em breve, todas as escolas do 1º ciclo possam dispor do mesmo equipamento (MSI, 1997). A existência de programas de apoio a projectos de escola envolvendo a utilização das TIC como recurso educativo (DAPP, 1996), assim como de outras fontes de financiamento, tem permitido que um número considerável de estabelecimentos de ensino tenha vindo a aumentar a disponibilidade e a melhorar o acesso à Internet que faculta aos seus alunos e professores. Apesar de se observarem grandes assimetrias quanto ao número de alunos por computador entre as escolas do nosso país, cuja média é de 35 alunos por computador (DAPP, 1999), existem algumas em que a razão é de 6 alunos por computador com ligação à Internet! (Chagas, Mano, Tripa & Sousa, 2001) Estas escolas, fruto de um conjunto de factores que seria importante identificar e compreender, estão a desenvolver culturas próprias de utilização das TIC que evidenciam a relevância que os seus membros atribuem a estas tecnologias no domínio da educação. Contudo, em duas workshops que tiveram como participantes professores coordenadores de projectos Nónio das escolas associadas ao Centro Nónio FCUL e investigadores em educação, a questão que todos os professores enunciaram ser essencial como objecto de investigação foi a seguinte: "Quais os efeitos da utilização das TIC (incluindo a Internet) na aprendizagem dos nossos alunos?" (Chagas, Mano, Tripa, & Sousa, 2000a; 2000b). A "mesma velha questão" como nós (a equipa do Centro Nónio FCUL) lhe chamámos e a insistência com que era formulada parecia reflectir, pelo menos duas coisas: a) um distanciamento entre os professores e a investigação educacional; e b) a falta de * Chagas, I. (2001). Utilização da Internet na aprendizagem da ciência. Que caminhos seguir? Inovação, 14 (3), 14-26.
Article
Full-text available
This review focuses on the development of primary science since it was first introduced in 1989 as a compulsory, core subject in the primary curriculum in England and Wales. It considers the impact of ICT in primary science in relation to the role of teacher and learner, teachers' subject knowledge, the balance between process skills and science content, and the application of formative assessment. It also provides a critical evaluation of ways in which ICT is currently being used to promote good science teaching. While the importance of informal learning is recognised, this review focuses on the development of science learning particularly in primary schools.
Article
Full-text available
Today, what "counts" as science and science teaching is in a state of flux. This, however, is not new - for 150 years there have been debates about the purpose, nature and role of science education in our society. Any designer of resources and tools for the teaching of science therefore needs to be able to understand these debates, and to be aware of the origins and reasons for the changes that are currently taking place.
Article
Full-text available
La integración de las TIC en las asignaturas de ciencias adolece de falta de materiales concebidos para desarrollar el trabajo práctico con los alumnos. Los laboratorios virtuales constituyen un recurso que permite simular las condiciones de trabajo de un laboratorio presencial superando algunas de las limitaciones de estas actividades y propiciando nuevos enfoques. Los ejemplos recopilados en este artículo pretenden mostrar algunas de sus posibilidades.
Article
Full-text available
O ensino das ciências tem vindo a ser alvo de críticas por parte deeducadores e construtores de opinião pública por se constatar que está longede satisfazer as necessidades da sociedade actual dados os reduzidos níveis deliteracia científica apresentados pelas populações.A orientação dos currículos de ciências segundo perspectivas CTS de carizmais humanista porque ligada a contextos reais, assume-se como uma viapromissora para minimizar esse desfasamento. No entanto, a mudança não éfácil. Analisam-se alguns constrangimentos à implementação dessa orientaçãopara o caso português: a diversidade de significados de CTS, a organização dosistema de ensino e as finalidades da educação em ciências em cada um dostrês níveis de ensino( básico obrigatório, secundário pós-obrigatório esuperior), os obstáculos decorrentes dos modelos e práticas de formação dosprofessores de ciências de cariz excessivamente disciplinar, os programasescolares e o modo como os professores os encaram e, ainda, os recursosdidácticos reflectindo visões de ensino e de aprendizagem das ciências nãoconsentâneas com um quadro de orientação CTS.
Uma Nova Forma de Aprender Ciências-A Educação em Ciência / Tecnologia / Sociedade (CTS)
  • A I Fontes
  • Silva
Fontes, A. e I. Silva (2004). Uma Nova Forma de Aprender Ciências-A Educação em Ciência / Tecnologia / Sociedade (CTS). Porto: Edições ASA Hargis, J. (2001). Can Students Learn Science Using the Internet?Journal of Research on Computing in Education. Em http://www.accessmylibrary.com/coms2/summary_0286-9185619_ITM
A Família em Rede. Relógio d'Água Editores
  • S Papert
Papert, S. (1998). A Família em Rede. Relógio d'Água Editores.