Article

Estado e planejamento econômico no Brasil

Authors:
To read the full-text of this research, you can request a copy directly from the authors.

Abstract

No livro Estado e Planejamento Econômico no Brasil, Ianni faz uma análise das políticas do Estado para o desenvolvimento da economia brasileira. O autor delimita esta análise considerando o período compreendido entre o golpe de Vargas em 1930 e o golpe militar de 1964. As políticas de planejamento econômico relevantes dos governos que compuseram este período, juntamente com uma contextualização histórica, são apresentadas na obra. Ianni inicia seu estudo caracterizando o contexto político e econômico brasileiro que antecede o governo Vargas. A depressão econômica de 1929 simbolizou uma ruptura do antigo modelo político que permitia que as oligarquias agrárias tivessem total controle sobre a economia brasileira. O autor situa Vargas como um inovador, que deu um novo rumo à economia. A burguesia urbana brasileira, grupo que deu sustentação ao golpe e ascende ao poder, teve oportunidade, naquele momento, de propor um novo modelo econômico para o Brasil, baseado em planejamento e urbanização. A prioridade do novo governo foi desenvolver o processo industrial brasileiro, o que significou uma ruptura com o antigo modelo econômico agroexportador e com a oligarquia cafeeira que controlava a economia do país até então. O autor tem uma postura conservadora em relação ao tema proposto. Apesar de falar do modelo econômico, não dá ênfase em seus estudos ao contexto social, citando-o apenas de maneira superficial. Uma possível justificativa para esta postura é o contexto político no qual o livro foi publicado, que foi o da ditadura militar. Neste período, nenhuma forma de oposição era admitida, o que levou Ianni a expor suas críticas às políticas econômicas de forma extremamente sutil. Este artifício é revelado principalmente quando 1 Professor emérito da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. Falecido em 4 de abril de 2004. Nascido em 1926, Ianni se formou em Ciências Sociais na USP, onde fez mestrado, doutorado e livre-docência. Foi professor em universidades brasileiras e em outros países, como México, Estados Unidos, Espanha e Itália. É considerado um dos principais sociólogos do País, ao lado de Florestan Fernandes e do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Durante o regime militar, Ianni foi proibido de dar aulas na USP e encontrou refúgio na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Ianni participou da chamada escola de sociologia paulista, que traçou um panorama novo sobre o preconceito racial no País. Nos últimos anos, dedicou seus estudos à globalização, deixando claro sua visão crítica em artigos e livros. Mesmo doente, nos últimos meses de vida, o professor continuava atendendo alunos e pesquisadores em sua sala no Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Suas principais obras são: Cor e mobilidade social em Florianópolis (1960, em colaboração); Homem e sociedade (1961); Metamorfoses do escravo (1962); Industrialização e desenvolvimento social no Brasil (1963); Política e revolução social no Brasil (1965); Estado e capitalismo no Brasil (1965); O colapso do populismo no Brasil (l968); A formação do Estado populista na América Latina (1975); Imperialismo e cultura (1976); Escravidão e racismo (1978); A ditadura do grande capital (1981; Revolução e cultura (1983); Classe e nação (1986); Dialética e capitalismo (1987); Ensaios de sociologia da cultura (1991); A sociedade global (1992). * Licenciada em historia pela UNESC e Especialista em políticas publicas pela UDESC.

No full-text available

Request Full-text Paper PDF

To read the full-text of this research,
you can request a copy directly from the authors.

... Nesse sentido, são elucidativos os trabalhos de Bresser-Pereira (2005, 2007, 2009, Diniz e Boschi (2004, 2007, 2013, 2014. Em terceiro lugar ficam os pesquisadores da Ciência Política e da História cujos trabalhos debruçaram-se sobre o estudo do Estado, do corporativismo estatal, da burocracia governamental e do empresariado no Brasil: Abranches (1978) Costa (2008), Cruz (1988Cruz ( , 1995Cruz ( , 1997, Diniz (1978), Diniz e Boschi (1991), Figueiredo (2010), Gomes e Pinho, (2019), Ianni (1991), Lafer (2002), Lima Jr. (2014), Macarini (2008a;2008b), Martins (1985), Nunes (2003), Pessanha (1981), Pinheiro (1995). Por fim, pesquisas mais recentes nos âmbitos da Economia e da Ciência Política que analisam temas como, coalizões político-institucionais e societais, economia política, poder político do empresariado, hegemonia do capital financeiro improdutivo, crise dos governos desenvolvimentistas e esfacelamento do Estado de Bem-Estar Social: Bastos (2017) O artigo está dividido em quatro seções, além desta introdução. ...
... Tais medidas possibilitaram simplificação e agilidade de procedimentos na gestão de recursos humanos e materiais, o que era impossível no âmbito da pessoa jurídica de direito público. A despeito da distância entre as metas estabelecidas e os objetivos cumpridos, o Decreto-Lei nº 200 contribuiu para a consolidação do modelo de administração para o desenvolvimento no Brasil (ABRANCHES, 1978;ABRUCIO, PEDROTI;PÓ, 2010;AMORIM NETO, 2007;ARAÚJO FILHO, 2016;CARVALHO, 2011;COSTA, 2008;FIGUEIREDO, 2010;IANNI, 1991;LAFER, 2002;REZENDE, 1987). ...
Article
Full-text available
Based on a comparative analysis and mobilization of the literature on political science, economics, and political economy of development, this article analyzes the relations between the Brazilian state, economic bureaucracy, industrial entrepreneurship, and financial capitalism in two similar development strategies, but processed in antipodal political regimes: the authoritarian national developmentalism (1974-1979) and the new democratic developmentalism (2011-2016). Results show that, in the first case, the II National Development Plan (II PND) consisted of a deliberate state action to structurally transform industrial capitalism and deepen import-substituting industrialization (ISI) from a development model based on structural change with debt. Such paradigm refutes the free-market ideology, but confronts the powerful interests of mainstream press and financial capitalism materialized in the “campaign against the nationalization of the economy.” In the second case, which marks the primacy of rent-seeking and unproductive financial capital - fruit of the profound changes in the international economy in the 1970s -, President Rousseff’s government tried to invert the traditional “distributive equation” in Brazil, based on the “privatization of gains” and “socialization of losses,” which dates back to presidents Vargas and Goulart. It also sought to reinforce the productive/industrializing development model but succumbed to the power of financial capital politically articulated a powerful liberal-conservative coalition that represented a socially regressive agenda seeking to destroy the foundations of the 1988 Federal Constitution. Both experiments show the structural obstacles imposed by the financial system to a long-term development strategy directed to the productive sector. KEYWORDS: development strategies; authoritarian national developmentalism; new democratic developmentalism; distributive conflict; Brazil
... As suposições relacionam-se à cognição da lógica causal das políticas públicas, o que funciona ou não, o aprendizado da experiência, o domínio do conhecimento teórico: "as suposições podem ser a mais importante e a menos compreendida das correntes no fluxo político presidencial...ajudam a prever o futuro, compreender o presente e analisar o passado" (Light, 1985, p. 534 (Rezende,201,p. 180) Há na literatura sobre a trajetória do planejamento público a ideia subjacente de que pelo menos para um tipo de planejamento absolutamente normativo, topdown e vertical, haveria uma identidade quase perfeita entre o produto das agências de planejamento e a agenda estratégica do núcleo de governo, do presidente da República (Rezende, 2011;Lafer, 1970;Ianni, 1986 (1975)(1976)(1977)(1978)(1979). O sistema de planejamento federal, criado legalmente em 1972, "alcançava todas as dimensões relevantes da ação governamental" (Rezende, 2011), era, nesse sentido, totalizante. ...
... As metodologias (que incluem técnicas, ferramentas e artefatos) de planejamento governamental no Brasil seguiram de um modo geral a tradição do planejamento econômico ou do desenvolvimento econômico, como era conhecido pelas recomendações da CEPAL. Segundo Ianni (1986) Ao mesmo tempo que se apoiava nas agências insuladas para realizar as tarefas do desenvolvimento, Juscelino utilizava a política tradicional de empreguismo para consolidar apoio político: protegia as agências insuladas e lhes garantia acesso aos recursos, enquanto geria o resto do sistema político de modo a reduzir potenciais contestações às metas desenvolvimentistas e às suas formas de alcançá-las. (Nunes, 1999, p. 112) Com o final do período desenvolvimentista e o processo de redemocratização, os "planos" que seguiram, apesar do nome, nada tinham de natureza estratégica ou de longo prazo, muito menos de uma "visão de desenvolvimento" abrangente para o país. ...
Book
Full-text available
Este caderno é resultado dos conhecimentos gerados pelas pesquisas realizadas no âmbito do Programa Cátedras Brasil, desenvolvido com o objetivo de fomentar e apoiar iniciativas de produção e disseminação de conhecimento aplicado à Administração Pública. As bolsas foram destinadas a estudantes, professores, pesquisadores e profissionais engajados às atividades da Escola. A presente publicação é uma das entregas previstas no Edital nº 05 de 2018.
... 10 Porto Alegre, v. 48, n. 1, p. 1-14, jan.-dez. 2022 | e-42449 criador de legislação econômica do país" (PEREI- RA, 1975, p. 49 (IANNI, 1971;DINIZ, 1978;BOSCHI, 1979). ...
Article
Full-text available
A Constituição de 1937 é vista pela historiografia como o momento central de convergência na materialização da estrutura corporativista e do pensamento autoritário em práticas políticas concretas, estabelecendo, assim, um elo entre os intelectuais, a estrutura estatal, e a prática política. A partir dessa chave de leitura, o objetivo deste texto é analisar os argumentos que dão suporte à criação do Conselho de Economia Nacional (CEN) como órgão central dentro da solução corporativa. A análise se detém, sobretudo, nas formulações no pensamento de Oliveira Viana, Azevedo Amaral e Francisco Campos, expoentes do pensamento político autoritário brasileiro, e na própria Constituição de 1937, em seus artigos que tratam especificamente do CEN, confrontando essas fontes com a análise histórica sobre o órgão e os limites do modelo corporativista. Para tanto, como método de análise, realizou-se um esforço de síntese que priorizou algumas passagens dos referidos autores levando em consideração o caráter díspar e o volume das obras. O enfoque recai sobre as obras que tratam mais diretamente do problema da organização do Estado brasileiro, estabelecendo uma análise do conteúdo dessas obras e seu confronto analítico com a letra da lei da Constituição de 1937, e o contraste com as análises históricas sobre o corporativismo brasileiro. A escolha de trabalhar com o pensamento de Oliveira Viana, Azevedo Amaral e de Francisco Campos, justifica-se pela sugestão do profícuo debate gerado na literatura especializada sobre a história do pensamento autoritário, a partir das análises desses autores, e que suscitam tensões analíticas ainda relevantes e válidas para se pensar o caso brasileiro contemporâneo.
... Ao espaço estatal pode-se relacionar o conceito da antiga estrutura territorial do Estado geopolítico. As redes, circuitos e fluxos relativos aos períodos do Estado centralizador (1930do Estado centralizador ( -1989 e do Estado comercial, democrático (1990 -...) no Brasil relacionam-se às estratégias de implantação das infra-estruturas físicas no projeto de integração territorial dos mercados no espaço nacional (nos períodos do nacionaldesenvolvimentismo e do neonacionalismo, conforme Ianni, 1971). Ao período atual correspondem as implantações pelo Estado e pela iniciativa privada e a transição da gestão pública para a gestão privada das infra-estruturas físicas direcionadas para a construção da competitividade internacional. ...
Thesis
Full-text available
RESUMO O problema de investigação desta tese localiza-se no âmbito da reforma do Estado e da gestão territorial no estado do Rio Grande do Sul, Brasil. Indaga-se qual o tipo de reestruturação territorial que estaria emergindo no estado, unidade federativa que conjuga intercessões concomitantes das aberturas externa e interna. O território passa a conter ações, após 1989, que combinam descentralização interna em sua gestão do desenvolvimento com ações de desestatização da infra-estrutura estratégica. O estado, embora com capacidade financiadora limitada, vinha se caracterizando ainda como produtor de insumos e fornecedor das infra-estruturas de transportes e comunicações, i.é, os elementos do núcleo desenvolvimentista do modelo de substituição de importações, até 1995. O território estadual contém múltiplas ações políticas concomitantes de desenvolvimento territorial, onde perpassam-se ações do Estado nacional, do Estado na escala da unidade da federação, do Estado na escala local, da iniciativa privada e de organizações da sociedade civil na escala regional-local, associadas às universidades regionais, principalmente às de caráter comunitário. ABSTRACT The problem of investigation of this thesis is delimited within the scope of the State reform and territorial management in the state of Rio Grande do Sul, Brazil. The main question is about what kind of territorial reestructuring would be emerging in the state, federative unit that combines concomitant intersections of internal and external openings. The territory contains actions, progressively, after 1989, which combine internal political decentralization with development management actions of privatization of its strategic infrastructure. The state, although with limited financing capacity, had been an input producer to economy and a supplier of transport and communications infrastructures, that is, the nucleous of the development policies of the import substitution model, until 1995. The state territory contains multiple simultaneous intersected policy actions of territorial administration related to the National State, to the State at the scale of the federative unit, to the local State, to private initiatives and civil society organizations at the regional-local scale, associated with the regional universities, mainly those of community nature.
... Ao espaço estatal pode-se relacionar o conceito da antiga estrutura territorial do Estado geopolítico. As redes, circuitos e fluxos relativos aos períodos do Estado centralizador (1930do Estado centralizador ( -1989 e do Estado comercial, democrático (1990 -...) no Brasil relacionam-se às estratégias de implantação das infra-estruturas físicas no projeto de integração territorial dos mercados no espaço nacional (nos períodos do nacionaldesenvolvimentismo e do neonacionalismo, conforme Ianni, 1971). Ao período atual correspondem as implantações pelo Estado e pela iniciativa privada e a transição da gestão pública para a gestão privada das infra-estruturas físicas direcionadas para a construção da competitividade internacional. ...
Thesis
Full-text available
INTRODUÇÃO A posse e o controle do território têm, classicamente, sustentado a construção do Estado no Brasil, o qual têm sido o principal ator a produzir o espaço nacional. Nesse sentido, a relação clássica entre Estado e território aponta para a implantação das formas estruturantes do território pelo papel dirigente do poder unidimensional do Estado. No pós-30, o Estado Desenvolvimentista consolida as principais infra-estruturas estratégicas nacionais e, com isso, assume o papel de principal artífice da construção da nação. O Estado Desenvolvimentista brasileiro, de corte cepalino, implementa, a partir dos anos 40, um núcleo de consenso desenvolvimentista análogo ao keynesianismo europeu. De corte explicitamente geopolítico no pós-64, o Estado autoritário brasileiro enfrenta, a partir dos anos 80, o esvaziamento de suas propostas e viabilidades com a agonia do Estado Desenvolvimentista. A crise do petróleo de 1973 e a emergência do sistema financeiro internacional globalizado provocam, na maioria dos países que adotam modelos semelhantes de desenvolvimento, modificações nos campos da economia, das ideias e das instituições. O Brasil, um dos maiores exemplos do projeto desenvolvimentista de corte cepalino chega aos anos 90 sem ter mudado tal projeto, o qual vinha mantendo o país ainda dentro dos moldes do processo substitutivo de importações. O processo de globalização já em curso nos anos 80, as transformações do sistema capitalista como um todo, a falência do planejamento centralizado e o fim dos padrões tecnológicos dominantes desde o pós-guerra, associados ao ideário político-econômico liberal, passam a fornecer as grandes linhas em que passam a se inspirar as ações que visam às reestruturações econômicas e territoriais. A crise do nacional-desenvolvimentismo, a tendência às economias flexíveis e à "flexibilização dos lugares", pela alta mobilização do capital, e a emergência dos processos políticos descentralizantes na face do processo de redemocratização apontam para a necessidade de compreensão das diferenciações territoriais emergentes e da flexibilização da gestão dos territórios. Nesta tese, ao se reconhecer a flexibilização do Estado e suas novas formas territoriais, procura-se identificar quais são os sentidos dessa flexibilização e que relações são estabelecidas com o território nesse processo, considerando-se diversas políticas de desenvolvimento. Para tanto, investiga-se a composição dos cenários contemporâneos da reforma do Estado e sua relação com o território, no caso específico, do estado do Rio Grande do Sul
... As frustrações brasileiras tornaram-se mais evidentes quando o Brasil, tradicional aliado dos EUA, recusou-se a enviar tropas para a Guerra da Coreia (1950Coreia ( -1953. Especialistas de história econômica também destacam a relevância da iniciativa, afirmando que a CMBEU era crucial para a implementação do Plano Nacional de Reaparelhamento Econômico da administração Vargas, elaborado pelo Ministro da Fazenda Horácio Lafer (1951Lafer ( -1953 (Bastos 2012;Ianni 1971;Malan 2007;Vianna 1987Vianna e 1986. ...
Article
Full-text available
Este artigo explora como a Comissão Mista Brasil-Estados Unidos para o Desenvolvimento Econômico (CMBEU) (1951-1953) refletiu as concepções do programa Ponto Quatro de Harry Truman (1945-1953). Com base em arquivos brasileiros e norte-americanos, demonstra-se que o enquadramento da CMBEU no Ponto Quatro se deu por meio da coordenação das múltiplas atividades do programa no Brasil, da concepção de que investimentos privados teriam um papel fundamental no processo de desenvolvimento e das preocupações de segurança internacional dos norte-americanos na Guerra Fria. Nesse sentido, os EUA fizeram esforços para aliar os projetos de desenvolvimento da CMBEU às necessidades de acesso a materiais estratégicos brasileiros.
... Es necesario no perder de vista algunos otros pensadores, como Fernandes (1981), Ianni (1986), Oliveira (1988), Tavares (1983) y Cardoso (1970Cardoso ( , 1995. Ellos, entre otros, problematizaron la transición del modelo primario-exportador al urbano-industrial, con énfasis en la política económica (orientada hacia adentro o hacia afuera, como en el modelo cepalino), como expresión de las estrategias adoptadas para el desarrollo económico y social brasileño. ...
Article
Full-text available
Resumen: El presente artículo analiza de qué manera conciben el desarrollo, el Estado y la democracia tres instituciones relevantes en el panorama sociopolítico brasileño contemporáneo: a) Fundación Fernando Henrique Cardoso; b) Centro Internacional Celso Furtado; c) Instituto Millenium. Se destacan las aproximaciones, distancias e incluso oposiciones entre los posicionamientos de las instituciones mencionadas, así como de los intelectuales a ellas ligados. ¿Qué quieren decir con desarrollo, Estado y democracia? ¿Qué objetivos se proponen al respecto? ¿Qué piensan acerca de cómo alcanzarlos, mantenerlos o extenderlos? La propuesta tiene como objetivo establecer un diálogo entre dos áreas de conocimiento, a saber: la sociología del desarrollo y los estudios sobre el pensamiento social brasileño y, a través de ello, establecer una interpretación sociológica de cómo piensan e influyen estas instituciones a través de las interpretaciones que producen. Palabras clave: Pensamiento sociopolítico y económico, Estrategias para el desarrollo, think tanks, Estado, Democracia. Abstract: Our paper analyses how development, the state and democracy are conceived by three relevant institutions in the contemporary Brazilian socio-political landscape: a) the Fernando Henrique Cardoso Foundation; b) the Celso Furtado International Centre; c) the Millenium Institute. We highlight the approximations, distances and even oppositions between the positions of the aforementioned institutions, as well as those of the intellectuals linked to them. What do they mean by development, the state and democracy? What are their objectives? What do they think about how to achieve, maintain or extend them? Our proposal aims to establish a dialogue between two areas of knowledge, namely, sociology of development and Brazilian social thought studies, and, through this, to put forward a sociological interpretation of how these institutions think and influence through the interpretations they produce.
... Esse consenso promoveu uma série de intervenções governamentais na economia, que consequentemente levaram a criação de direitos e instrumentos de estabilidade para os cidadãos (Hobsbawm, 1995;Bresser-Pereira, 2008). Outro exemplo está no desenvolvimentismo brasileiro, o período que compreende os anos de 1930 a 1980, foi estruturado (e iniciado com a ascensão de Getúlio Vargas a presidência da república em 1930) em torno do processo de industrialização e com base em diversos pactos políticos (entre governo, burguesia nacional, classes trabalhadoras e burocracias públicas) (Ianni, 1971;Bresser-Pereira, 2009;Bresser-Pereira, 2014). ...
Article
Full-text available
A BR-163/MS foi concedida a CCR MSVia em março de 2014 como parte do Programa de Investimento em Logística (PIL). A previsão era de que fossem investidos R$ 3,5 bilhões no projeto e que a concessionária realizasse a ampliação da capacidade operacional da rodovia em cinco anos. No entanto, o Golpe de 2016 e a ascensão do governo Temer alterou todos os prognósticos e instalou um processo caótico no contexto de descentralização da rodovia, em especial, pois os recursos públicos que seriam destinados para viabilizar as obras foi interrompido. Assim, uma série de embates políticos na cena política (atos da superfície) passaram a ocorrer entre CCR MSVia (classe dominante), ANTT (pessoal do Estado) e parlamentares (classe reinante), enfrentamentos que culminaram no processo de relicitação da BR-163/MS. Portanto, o objetivo deste artigo é verificar a relação de forças em torno do processo de concessão da BR-163/MS, mais especificamente os “Atos da superfície” que levaram ao fracasso do mencionado processo de descentralização. Para tal, fizemos uso de levantamento bibliográfico e documental, bem como realizamos trabalho de campo.
... Por meio do reaparelhamento e fomento econômico na esfera federal, o Plano de Metas, visava o aumento contínuo da capacidade de investimentos no país, mediante a conjugação de esforços do capital privado (nacional e estrangeiro) com assistência do setor público, suplementando esforços e produzindo incentivos para o capital estrangeiro(Lafer, 2002). Ao lado do Plano de Metas, o período em questão também teve o Plano Salte(1949)(1950)(1951)(1952)(1953)(1954) e o Plano Trienal(1963)(1964)(1965) (Ianni, 1989). ...
Article
Full-text available
Este artigo problematiza a relação entre o projeto desenvolvimentista brasileiro, dimensionado para o país nas décadas de 1950 e 1960, e o ensino secundário, a partir do ideário de modernização orientado para o progresso social e econômico, com ênfase na escola e na docência como elementos capazes de viabilizar as mudanças pretendidas, conforme os preceitos da teoria do Capital Humano. Para isto, a metodologia utilizada envolveu a análise documental, de acordo com os pressupostos de Cellard (2008), tendo como princípios metodológico-interpretativos as teorizações de Popkewitz (1997), envolvendo a ‘epistemologia social’. Com base nestes apontamentos, foram analisados três materiais impressos destinados aos docentes do ensino secundário: revista ‘Escola Secundária’, publicada entre 1958 e 1963, e os livros ‘Manual do professor Secundário’, de Theobaldo Miranda Santos, publicado em 1961 e ‘Escola Secundária Moderna’, de Lauro de Oliveira Lima, publicado em 1962. Os resultados da pesquisa indicam a emergência de novas racionalidades para a docência do ensino secundário no Brasil, denominadas de ‘neodocência’, pautadas pelos imperativos de desenvolvimento econômico, seguindo os moldes empresariais de performatividade, competitividade e inovação permanente. Tais configurações, derivadas da perspectiva economicista neoliberal, posicionam o professor como facilitador da aprendizagem, com base no ideal de modernização e renovação do ensino, orientado para a eficiência pedagógica.
... Usada por OtávioIanni (1971), quando caracterizou o movimento de forças brasileiras entre um projeto de desenvolvimento nacional próprio, autônomo e soberano em relação às nações e outro, que defendia um projeto de desenvolvimento associado e dependente do grande capital. ...
Article
O estudo tem, como objetivo, analisar a atuação do Instituto Federal Fluminense (IFFluminense) no Norte Fluminense (NF), um equipamento público de educação, ciência e tecnologia que traz, como missão, concorrer para o desenvolvimento local e regional. O recorte que se estabelece neste artigo, como um indicativo do “ir ao encontro” da sociedade como um vetor do desenvolvimento, é a oferta de formação técnica e tecnológica nos campi localizados nessa mesorregião. Assim, na escrita do artigo, apresenta-se, em linhas gerais, o pari passu da trajetória das instituições federais de educação profissional e tecnológica no contexto do crescimento brasileiro, com uma ênfase na constituição dos Institutos Federais e na expansão da Rede Federal, que proporcionou uma interiorização da oferta de formação. E, considerando a diversidade social e cultural e a diferenciação produtiva características dos municípios brasileiros, a exemplo do Norte Fluminense, pode-se falar também em vários interiores no interior do território brasileiro, caracterizados, muitas vezes, como núcleos urbanos que, contemplados com grandes investimentos, configuram-se, por um lado, como ilhas de prosperidade e, de outro, a periferia, os que se encontram fora do raio de alcance dos benefícios e que demandam ações em direções e sentidos diferentes, sendo esses territórios que dão sentido à presença de um Instituto Federal.
... O esgotamento do modelo de desenvolvimento associado (IANNI, 1975) imposto pela ditadura empresarial-militar articulado ao ajuste neoliberal durante os anos 1990 produziu um contexto de intenso refluxo da atividade industrial no país. Todavia, os 20 anos de crise econômica e social encontraram, na primeira década do século XXI, um momento de exceção. ...
... O esgotamento do modelo de desenvolvimento associado (IANNI, 1975) imposto pela ditadura empresarial-militar articulado ao ajuste neoliberal durante os anos 1990 produziu um contexto de intenso refluxo da atividade industrial no país. Todavia, os 20 anos de crise econômica e social encontraram, na primeira década do século XXI, um momento de exceção. ...
... Atualmente, para reverter este cenário, os países em desenvolvimento passaram a criar política industrial como mecanismo para promover o crescimento da produtividade por meio de inovação, sendo esta, uma forma de criar condições para competição internacional. Para Ianni (1971), Lessa (1985), Fonseca (2010) "Neste período, o setor principal da indústria era o de bens de consumo não durável seguido em menor proporção pelo de bens intermediários e pelo de bens de consumo durável e de capital, de reduzida expressão" (CANO, 1998, p. 73). Em defesa do Processo de Substituição de Importações (PSI), com objetivo de acelerar a industrialização brasileira, o governo Vargas entendia que os bens de capital, como insumos básicos ao setor industrial e à modernização agrícola deveriam ser importados. ...
Research
Full-text available
FERREIRA, Jonathan Dias. The insertion of brazilian industry in international markets: dutch disease, industrial policy and the global value chain. 2015. 112 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento regional e do Agronegócio) - Universidade Estadual do Oeste do Parana, Toledo, 2015. http://tede.unioeste.br:8080/tede/handle/tede/2178
... Atualmente, para reverter este cenário, os países em desenvolvimento passaram a criar política industrial como mecanismo para promover o crescimento da produtividade por meio de inovação, sendo esta, uma forma de criar condições para competição internacional. Para Ianni (1971), Lessa (1985), Fonseca (2010) "Neste período, o setor principal da indústria era o de bens de consumo não durável seguido em menor proporção pelo de bens intermediários e pelo de bens de consumo durável e de capital, de reduzida expressão" (CANO, 1998, p. 73). Em defesa do Processo de Substituição de Importações (PSI), com objetivo de acelerar a industrialização brasileira, o governo Vargas entendia que os bens de capital, como insumos básicos ao setor industrial e à modernização agrícola deveriam ser importados. ...
Thesis
Full-text available
O objetivo deste estudo foi analisar os fatores que afetaram a inserção da indústria brasileira no mercado internacional, mais especificamente o câmbio, políticas industriais e a situação do Brasil perante a cadeia global de valor, com aplicação do Índice de Vantagem Comparativa Revelada (IVCR) para as exportações da indústria brasileira em relação à mundial, a partir dos anos 2000. Pode-se constatar que ocorre no Brasil uma desindustrialização como perda de participação do setor industrial no PIB brasileiro. A liberalização comercial e financeira abrupta nos anos 90, combinado a uma política cambial sobrevalorizada nos anos 2000, em decorrência do fenômeno Dutch disease no Brasil, podem estar afetando negativamente o setor industrial. Mesmo que os governos Lula e Dilma, tenham criado políticas industriais para fomentar o setor e mesmo que tenha sido válida, contudo não foi suficiente, diante de um ambiente macroeconômico desfavorável, principalmente em função do câmbio apreciado e de juros altos que inibem os investimentos necessários para o crescimento da indústria. Em função disso, o país passou a direcionar sua produção e exportações em recursos naturais e a participar na cadeia global de valor como um dos principais países no fornecimento de matérias primas. Em decorrência disso, a indústria brasileira perdeu participação nas exportações brasileiras e o setor industrial apresentou baixo dinamismo tanto externo quanto interno, uma vez que houve uma crescente importação de produtos industriais.
... E como estes valores influenciavam nas decisões ou aspirações vocacionais para escolher pelo magistério ou buscar outras profissões. Na terceira e última seção, retorno para a produção de Luiz Pereira (1969) Ianni (1971), teria sido a partir da implementação do Estado Novo, em 1937, e o segundo, nos anos de 1956 a 1960, período do governo de Kubitschek. No referido período, de acordo com o pesquisador, ocorreu um processo de substituição de importações e o Brasil passou a produzir mais bens duráveis, de capital e bens intermediários. ...
Book
Full-text available
Nesta obra, à docência brasileira é colocada sob investigação, a partir de perspectiva histórica. São descritas as principais tendências da literatura pedagógica brasileira acerca da docência desde a década de 1960 até o início dos anos 2000. Mostra-se que temas como o tradicionalismo, a competência técnica e o compromisso político e a centralidade na prática têm sido centrais para descrever a docência brasileira.
... revista brasileira de estudos urbanos e regionais, v.22, e202040pt, 2020 https://doi.org/10.22296/2317-1529.rbeur.202040pt 17 27"tecnoestrutura estatal"(IANNI, 1976), como parte das ações do Governo Vargas pós-1930, ainda que com o apoio de instituições integrantes das estruturas do controle autoritário e centralizado, como foi o caso do Dasp, criado em 1938.Assim, ao lado da crítica feita pelos municipalistas, havia também considerações apresentadas pelos sujeitos que estiveram vinculados às instituições administrativas do Governo Vargas. Portanto, e apenas para amplificar as interpretações(contraditórias e complexas) sobre a centralização administrativa e o controle sobre a autonomia dos municípios entre 1930 e 1945, é possível trazer para o debate as "defesas" (ideologicamente comprometidas?) das ações daquele governo a respeito desses pontos, nas quais se evidencia não a negação do municipalismo e da autonomia municipal, mas sim a explicitação dos "erros" que os consubstanciaram. ...
Article
Full-text available
Este artigo aborda o debate que ocorreu em São Paulo durante o I Seminário Interamericano de Estudos Municipais, realizado em 1958, sob a coordenação de Antônio Delorenzo Neto. O eixo central da análise compõe-se das discussões sobre os conceitos de planejamento e planificação entre os participantes da sessão “O município em face do planejamento regional” após a apresentação da conferência La organización del plan regulador de la ciudad de Buenos Aires y el planeamento del gran Buenos Aires. Da mesma forma, o artigo problematiza, ainda que indiretamente e em termos mais gerais, a trajetória, nas décadas de 1950 e 1960, de Antônio Delorenzo Neto, idealizador do referido seminário, que ocorreu no Instituto de Estudos Municipais da Escola Livre de Sociologia e Política de São Paulo. Foi nesse período que sua trajetória profissional original no campo do direito se aproximou do campo do planejamento, e com ele se articulou, para pensar o desenvolvimento municipal no Brasil e na América Latina.
... revista brasileira de estudos urbanos e regionais, v.22, e202040pt, 2020 https://doi.org/10.22296/2317-1529.rbeur.202040pt 17 27"tecnoestrutura estatal"(IANNI, 1976), como parte das ações do Governo Vargas pós-1930, ainda que com o apoio de instituições integrantes das estruturas do controle autoritário e centralizado, como foi o caso do Dasp, criado em 1938.Assim, ao lado da crítica feita pelos municipalistas, havia também considerações apresentadas pelos sujeitos que estiveram vinculados às instituições administrativas do Governo Vargas. Portanto, e apenas para amplificar as interpretações(contraditórias e complexas) sobre a centralização administrativa e o controle sobre a autonomia dos municípios entre 1930 e 1945, é possível trazer para o debate as "defesas" (ideologicamente comprometidas?) das ações daquele governo a respeito desses pontos, nas quais se evidencia não a negação do municipalismo e da autonomia municipal, mas sim a explicitação dos "erros" que os consubstanciaram. ...
Article
Full-text available
This article examines the debate that took place in São Paulo during the 1st Inter-American Seminar on Municipal Studies, held in 1958, under the coordination of Antônio Delorenzo Neto. The main thrust of the analysis is focused on the discussion amongst the participants regarding the concepts of planning and planification in the session “The municipality in the face of regional planning”, after the presentation of the conference La organización del plan regulador de la ciudad de Buenos Aires y el planeamento del gran Buenos Aires. Similarly, the article also discusses, albeit indirectly and in more general terms, the trajectory, during the 1950s and 1960s, of Antônio Delorenzo Neto, creator of the abovementioned seminar, which occurred at the Instituto de Estudos Municipais da Escola Livre de Sociologia e Política in São Paulo. It was during this period that his original professional career in the field of law approached the field of planning in order to consider municipal development both in Brazil and across Latin America.
... Nos breves interregnos em que o Poder Legislativo assumiu maior participação nessas decisões, a coordenação da política econômica torna-se mais difícil, especialmente quando divergências políticas e posições ideológicas distintas são exacerbadas.(REZENDE, 2011, p. 180) Há na literatura sobre a trajetória do planejamento público a ideia subjacente de que pelo menos para um tipo de planejamento absolutamente normativo, topdown e vertical haveria uma identidade quase perfeita entre o produto das agências de planejamento e a agenda estratégica do núcleo de governo, do presidente da república(REZENDE, 2011;LAFER, 1970;IANNI, 1986). Os Planos Nacionais de Desenvolvimento (PNDS), por exemplo, elaborados a partir de 1972, e os "Orçamentos Plurianuais de Investimento" (OPI), expressariam as prioridades máximas do governo. ...
Chapter
Full-text available
Planejamento Governamental, formação da agenda presidencial e planejamento plurianual: análise das relações, processos e hierarquias na experiência brasileira das últimas duas décadas.
... De acordo com Ianni (1996) e Draibe (1985), o processo de industrialização verificado a partir da Revolução de 1930 respondeu a uma política intencional adotada pelo gabinete varguista, não tendo sido, portanto, meramente um produto involuntário da política keynesiana de proteção ao café como sustenta Celso Furtado em sua interpretação clássica. Fonseca (1987Fonseca ( , 2003 corrobora essa percepção ao ressaltar a intencionalidade subjacente à criação de diversas instituições voltadas à promoção da indústria ainda na década de 1930 6 . ...
Article
Full-text available
RESUMO: A política de industrialização levada a cabo a partir da década de 1930 consagrou-se na literatura, entre outras características, pelo esforço deliberado de substituir importações. A balança comercial tornou-se, a partir de então, a variável que nortearia e ditaria o êxito desse projeto. Assim sendo, este trabalho propõe-se a analisar e aferir se o desempenho das transações comerciais com o exterior e dos termos de troca constituíram um impulso ou uma restrição ao crescimento da economia brasileira durante as cinco décadas do nacional-desenvolvimentismo. Palavras-Chave: Desenvolvimentismo. PSI. Balança comercial. Termos de troca. ABSTRACT: The industrialization policy adopted from the 1930s on is characterized by the government effort to substitute imported goods. Trade balance has become, since then, the variable that would guide the success of that policy. Therefore, this paper aims to analyze whether the performance of trade balance and terms of trade were an impulse or a restriction to Brazilian GDP growth during the five decades of national developmentalist policies. 1. INTRODUÇÃO As ideias que deram origem ao nacional-desenvolvimentismo foram concebidas no final do século XIX, quando, no desenrolar dos acontecimentos políticos e econômicos que emolduraram o fim do regime imperial, atores e autores passaram a pensar o Brasil e a problematizar os caminhos para suplantar os desafios impostos a uma nação que havia pouco se reconhecia como tal. Desde então, o desenvolvimentismo tornou-se um dos objetos de estudo mais debatidos pela literatura especializada em diversas áreas do conhecimento das ciências sociais. Fenômeno de magnitude histórica e de relevância inconteste para a atual configuração social, política e econômica do país, a pesquisa sobre as particularidades do desenvolvimentismo requer análise exaustiva não apenas por motivação de cunho historiográfico, mas principalmente para fazer avançar o debate acerca dessa ideologia tão cara à constituição do Brasil contemporâneo. Ideário imanente ao processo deliberado de industrialização verificado a partir da ascensão de Vargas ao poder central, o alcance das políticas de orientação desenvolvimentista
... Deve também estabelecer as estruturas e funções militares, de defesa, da polícia e legais requeridas para garantir direitos de propriedade individuais e para assegurar, se necessário, pela força, o funcionamento apropriado dos mercados (HARVEY, 2008, p. 12) Nos países periféricos do mundo capitalista, a atuação do Estado na manutenção da ordem e da garantia de realização dos negócios se dá de modo mais explícito. Conforme Ianni (1977), em momentos de crises internacionais, que atingem mais violentamente às economias dependentes diretamente do mercado externo, tornam-se mais evidentes os processos econômicos e os conflitos sociais. E o Estado capitalista precisa responder a estes situações, e o faz da seguinte forma: "Antes de mais nada, o que entra em jogo é a preservacao do regime; isto é, das relacoes e estruturas de dominacao e apropriacao vigentes." ...
... Durante a ditadura militar iniciada com o Golpe de 1964, este discurso ganhou maior fôlego. Segundo Octavio Ianni (1986Ianni ( , p. 229-255???, grifo do autor), entre 1964Ianni ( e 1970 o poder público foi levado a interferir praticamente em todos os setores do sistema econômico nacional [...]", reelaborando "[...] as condições de funcionamento dos mercados de capital e força de trabalho como 'fatores' básicos do processo econômico". Dispondo de um controle completo das variáveis políticas, o governo passou à planificação da economia, à criação de incentivos fiscais e de ampla tecnoestrutura (agências de fomento) para atrair e subsidiar a iniciativa privada. ...
Article
Full-text available
This article is centered on guidelines and actions of the Indústria e Comércio de Minérios SA (Icomi) in the educational field. Icomi is a mining company that for more than four decades extracted and sold manganese from Serra do Navio, in the center of the current State of Amapá, located in the extreme North of Brazil. The main source of the research was the company's monthly magazine called Icomi-Notícias, from 1964 to 1967. When we related the texts (articles) and the context (opening of new fronts for the exploration of Amazonian natural resources), it was possible to understand that the education was thought and conducted in the company towns of Icomi as a strategy of formation of a new type of man and local society. The centrality of work and professional specialization were perceived as pillars of a new way of life to be forged. In order to reach this goal, Icomi has built two schools and two training centers. It also promoted professional courses, granted scholarships, among other actions. In addition, the company used to encourage, through the published texts in the magazine, the engagement of the workers in this démarche.
Article
Full-text available
O artigo tem como objetivo geral de investigação o campo do planejamento regional no Brasil no contexto da década de 1950, especialmente no governo JK. Nesse sentido, Brasília e SUDENE são entendidas como parte de um programa de desenvolvimento com forte atuação do Estado sobre o território. A análise parte de uma estruturação conceitual-metodológica que organizou o planejamento regional em três perspectivas analíticas: o planejamento regional como instrumento de conciliação política, o planejamento regional como facilitador do desenvolvimentismo associado, a institucionalização do planejamento regional. Como resultado, buscou-se entender de que forma essas três perspectivas se coadunaram dentro das duas principais frentes de ação regional, e como contribuíram para alavancar o progresso industrial: a própria criação da SUDENE e a decisão política de se transferir a capital nacional para Brasília.
Article
O presente trabalho propõe-se a apresentar uma síntese acerca da política econômica brasileira na primeira metade dos anos de 1960, tendo como espectro a atuação do Estado brasileiro na execução do Plano Trienal (1963 – 1965) e do Programa de Ação Econômica do Governo (1964 – 1966). Para tanto, revisitamos os processos de elaboração e execução dessas duas políticas econômicas de matrizes ideológicas distintas com o objetivo de compreendermos o papel do Estado neste período. Os resultados obtidos com este estudo sugerem que para além dos possíveis avanços da política econômica pró-industrialização, ocorreram mudanças significativas na própria concepção de planejamento perseguida ao longo deste período.
Article
Full-text available
Esta pesquisa objetivou analisar a contribuição do planejamento estratégico dos governos de Rondônia, Amazonas e Acre, para o Desenvolvimento Regional e foi analisada considerando os Planejamentos Estratégicos desses estados, em execução na legislatura vigente. Esta pesquisa básica, de abordagem qualitativa do problema e com a finalidade descritiva da relação entre planificação governamental e desenvolvimento regional, valendo-se do método indutivo, adotou, o procedimento de pesquisa documental. Considerou-se no estudo, o Planejamento Estratégico do Estado de Rondônia referente ao período de 2019 a 2023 (5 anos), o Planejamento Estratégico do Estado do Amazonas referente ao período de 2014 a 2030 (16 anos), e o Plano Plurianual do Estado do Acre referente ao período de 2020 a 2023. Autores como Fischer (1984), Keinert (1994), Torres (2004), Bresser (2006) Tenório; Saraiva (2006) e Matias-Pereira (2010), subsidiam o pensamento da planificação nacional. Boisier (1996), Mattos (1998), Barquero (2001), Santos (2002), Oliveira e Lima (2003), Bastos (2005), Benko, (2005), Bellingieri (2017), trazem contribuições teóricas para o tema de desenvolvimento regional. Conclui-se que o planejamento estratégico é um instrumento essencial da Administração Pública para o desenvolvimento local e regional.
Article
Although the volume of research on latin america has increased markedly in the past decade or so, major topics remain neglected. One of these encompasses the urban working class (wage labor) and worker organizations. This situation, however, is changing. Scholars today are opening new lines of investigation and are applying fresh criteria to existing data in order to formulate working hypotheses and test older theories about organized labor and the working class in Latin America. This article presents a brief, highly selective analysis of new and traditional materials available for Argentina, Brazil, and Chile. It treats the urban sectors and labor in modernized enclaves in rural areas almost exclusively; related topics such as peasant unions and rural labor in general fall outside its scope. It outlines areas and problems that future investigators might probe and also presents some hypotheses. Perhaps most important, it attempts to orient future investigators in the field.
Article
Esse artigo tem o objetivo de contar a história do ensino superior do estado de Alagoas a partir da perspectiva do desenvolvimento regional. Nesse sentido, a cronologia dos eventos está ligada à história de cada instituição. Com o intuito de facilitar o posicionamento da história das instituições e, portanto, da história do ensino superior em Alagoas, uma linha do tempo foi elaborada para resumir os achados. A metodologia é de base qualitativa interpretativista realizada a partir de roteiro de entrevista semiestruturado e interpretado a partir da análise conteúdo por categoria de análises. Os resultados mostram que o ensino superior em Alagoas, desde sua gênese na década de 30, esteve vinculado a elite do estado, que muito pouco fez para democratizar o seu acesso. Essa história pode ser desmembrada em três momentos específicos, a saber: um primeiro momento de busca pelo saber, um segundo de luta pela democratização do acesso, especificamente para o interior do estado, e um terceiro de consolidação do ensino superior.
Article
Full-text available
O objetivo deste trabalho é compreender o papel de Francisco Campos e do pensamento autoritário na criação da legislação concorrencial brasileira. A hipótese é de que Campos é figura central, apesar de usualmente a literatura concorrencial lembrar, sobretudo, das atuações de Nelson Hungria e Agamemnon Magalhães. A metodologia tem por base pesquisa bibliográfica e documental. Os resultados apontaram não só a importância de Campos, como o legado do pensamento autoritário à formulação concorrencial brasileira. A conclusão é a de que o antitruste no Brasil teve sua origem vinculada à imaginação institucional de um homem público que, nos anos 1930 – quando foi o principal responsável pela primeira lei brasileira com conteúdo concorrencial, o Decreto-Lei nº 869, de 18 de novembro de 1938 –, encontrou no autoritarismo sua expressão intelectual.
Article
Full-text available
Este trabalho busca examinar a contribuição de Washington Peluso Albino de Souza para a afirmação do monopólio estatal do petróleo e a criação da Petrobrás, consubstanciada na elaboração da “Tese Mineira do Petróleo”, documento cujo conteúdo foi plasmado na Lei n.º 2.004/1953. Para a realização desse objetivo, analisa-se o conceito de soberania, assim como sua importância na atualidade. A partir desse contexto, pretende-se desenvolver a noção de soberania econômica, em suas notas conceituais, sua positivação na Constituição de 1988 e o caráter fundamental para autonomia da política econômica do Estado. Em seguida, analisa-se a relação entre soberania econômica e o controle estatal sobre os recursos minerais estratégicos, concebidos como a “espinha dorsal da economia de um país”. Traçado esse quadro, examina-se o processo de disputas e de conflitos de interesses, bem como o pano de fundo histórico, jurídico e econômico, que culminaram na elaboração da “Tese Mineira do Petróleo”.
Article
Full-text available
Esse artigo investiga a política de desenvolvimento regional da SUDECO. Entender como as diferenciações regionais delineadas pelo sistema capitalista nacional foram abordadas pelo Estado e como essas distinções determinaram o modo de intervenção governamental sobre o território nacional. Com base nessa compreensão, avançaremos para uma leitura das características do Centro-Oeste e da forma como essa região foi inserida no modelo de desenvolvimento traçado a partir de 1964 e o papel da SUDECO nesse processo de reestruturação territorial regional. Por fim, buscaremos investigar os principais fatores motivadores da configuração espacial de Brasília enquanto aglomerado urbano nas duas primeiras décadas que sucederam a sua construção e suas vinculações com as medidas traçadas pelo Estado brasileiro para o Centro-Oeste.
Chapter
In this chapter, there is a summary presentation of the historical background for both countries, beginning with the transition from agro-export economies, and culminating in the process of import substitution industrialization (ISI). A description of the agro-export period is presented, followed by the period of transition through WWI and the Great Depression. The different phases of industrialization are considered; from the first phase of light consumer goods, then consumer durables and eventually the third phase of capital goods. In the case of Brazil, the periods of Vargas and Kubitschek are presented, followed by the third phase of industrialization with Geisel, under the military dictatorship. In the case of Argentina, the particular role of Perón and unions, for industrialization is assessed, followed by the subsequent phases of Argentine industrialization, with the government of Frondizi, among others are considered.
Article
Este artigo pretende abordar o papel educativo da cooperação e do cooperativismo do Movimentos Sem Terra na luta pela construção do trabalho emancipado e contra o Estado capitalista. A primeira parte do artigo faz um breve retrospecto histórico da economia política do campo no Estado de São Paulo. A segunda parte recupera a história do cooperativismo no movimento e mostra os limites e as contradições da cooperação e do cooperativismo nos assentamentos do MST diante da nova ofensiva do agronegócio no Estado.
Article
Full-text available
O ensaio propõe debater os problemas relativos aos impasses estruturais da formação da sociedade brasileira, tentando refletir a ideologia do atraso como um modelo básico de explicação das contingências das ausências do presente e do seu encontro com o futuro prometido. Retoma a simbiose entre o moderno e o arcaico para tentar explicar as conexões entre economia e política à guisa das formas de dominação instituídas desde o regime da Colônia ao Império à República.PROBLEMS IN PARADISE: phenomenology of delay and the “Brazilian feeling of the world”Abstract The essay proposes to debate the problems related to the structural impasses in the formation of Brazilian society, trying to reflect the ideology of backwardness as a basic model for explaining the contingencies of the absence of the present and its encounter with the promised future. It retakes the symbiosis between the modern and the archaic to try to explain the connections between economy and politics in the guise of the forms of domination instituted from the Colony regime to the Empire to the Republic.Keywords: Problems in Paradise. Delay. The Brazilian feeling of the world.
Book
Full-text available
Los trabajos que se agrupan en este volumen colectivo abordan una problemática central, no solo para el análisis teórico sino para las prácticas políticas concretas: el Estado en América Latina.
Book
Full-text available
En conjunto, los autores de este libro destacan acertadamente que la “especificidad histórica del Estado” en América Latina estaría dada por la heterogeneidad estructural y el carácter subordinado y dependiente de su inserción en la economía mundial, mientras que las múltiples especificidades nacionales devendrían de los procesos de conformación particular de sus clases fundamentales, sus intereses antagónicos, sus conflictos, sus luchas y sus articulaciones, en tensión permanente con su forma de inserción en los ciclos históricos de acumulación a escala global.
Article
Full-text available
El presente texto propone establecer una reflexión crítica sobre la profesionalización de la enseñanza en Brasil, revisando los primeros estudios sociológicos de Luiz Pereira sobre la escolarización en nuestro país. Utilizando el procedimiento metodológico de análisis documental y trabajando con el concepto de práctica de los estudios de Foucault, es posible trazar y describir algunas afirmaciones sobre la profesionalización de la enseñanza en la década de 1960 en Brasil. El primero se refiere al declive de la concepción artesanal-misionera relacionada con la enseñanza en sustitución de concepciones más burocráticas de esta profesión. La segunda declaración se refiere a las capacidades integradoras que muestran cómo la integración de los roles domésticos y profesionales en la enseñanza ha fortalecido la feminización de la profesión docente en el período analizado. PALABRAS CLAVE: Educación básica. Profesionalidad de la profesión docente. Análisis documental. Historia de la educación. Feminización de la enseñanza.
Chapter
Full-text available
Empreende sua análise ancorada em quatro reflexões comuns com as quais os discentes de graduação e de pós-graduação enfrentam sua formação no campo da produção de conhecimento em Serviço Social. Segundo a autora, tais ideias correspondem ao fato de que a produção de conhecimento é um atividade tediosa, que permite tirar notas baixas com muito esforço; que é um trabalho periférico para o Serviço Social; que a estratégia para superar com sucesso o processo de produção do conhecimento é o treinamento constante até que a mecanização seja alcançada; e que a produção de conhecimento sócio crítico é uma atividade inerente ao Serviço Social. A autora se propõe a desafiar essas ideias usuais, através da transmissão do charme por produzir conhecimento; a expansão das fronteiras profissionais / disciplinares; da vigilância epistemológica e da elaboração de trajetórias analíticas para desconstruir tais ideias.
Article
Esse trabalho tem como objetivo resgatar e analisar as ideias econômicas apresentadas por Heitor Ferreira Lima nas obras publicadas nos anos 1950 e 1960. Assim, foram apresentadas Evolução Industrial de São Paulo (1954), Formação Industrial do Brasil: período colonial (1961), Mauá e Roberto Simonsen (1963) e Do Imperialismo à Libertação Colonial (1965) discutindo as especificidades de cada uma delas e a maneira como o autor se apropriou de conceitos como formação, evolução, indústria, técnica etc. Esses trabalhos apresentaram como ideia fundamental a importância do conhecimento do passado. O argumento central do autor ligou a ideia de progresso e a superação do atraso do Brasil ao estabelecimento de uma indústria nacional.
Article
Full-text available
O artigo examina o debate entre os economistas Antônio Gouveia de Bulhões e Celso Furtado a respeito do planejamento econômico, ensejado pela apresentação do relatório da Comissão Econômica para a América Latina (CEPAL), intitulado “Estudio preliminar sobre la tecnica de programación del desarollo económico”. Essa controvérsia fez com que os economistas mobilizassem diversos aspectos da teoria econômica. Contudo, argumentamos que os elementos principais do debate foram: o diagnóstico sobre o processo de desenvolvimento econômico em curso e o papel que o Estado deveria assumir frente a ele.
Article
Full-text available
O presente texto propõe-se a estabelecer uma reflexão crítica sobre a profissionalização do magistério no Brasil, revisitando os primeiros estudos sociológicos de Luiz Pereira acerca da escolarização em nosso país. Utilizando-se do procedimento metodológico da análise documental e operando com o conceito de prática a partir dos Estudos Foucaultianos, é possível mapear e descrever alguns enunciados que se referem à profissionalização do magistério na década de 1960, no Brasil. O primeiro desses enunciados mapeados se refere ao declínio da concepção artesanal-missionária relacionada à docência em processo de substituição por concepções mais burocratizadas dessa profissão. O segundo enunciado relaciona-se com as capacidades integrativas, mostrando como a integração de papéis domésticos e profissionais no magistério fortaleceu sua feminização no período analisado.
Article
Full-text available
Este artigo busca fornecer algumas pistas analíticas que permitam clarificar o modo como o Estado brasileiro e suas finanças se articulam com o capital financeiro. Não se trata de buscar explicações gerais, mas, antes, de compreender o padrão de interação que foi sendo construído no Brasil a partir do regime militar e que foi se modificando ao longo do tempo, a culminar no padrão pós Plano Real. A maneira de captar a interação entre as finanças do Estado e as finanças privadas é analisar a política econômica estatal naquilo que se tornou essencial no período pós estabilização monetária: a política fiscal e a política monetária. A preocupação que orienta a análise é a de captar o sentido político da política econômica e o papel que a dívida pública exerceu nos períodos em questão. Uma longa reconstrução histórica é feita com o objetivo de iluminar os caminhos que levaram ao plano de estabilização monetária e, posteriormente, à eleição de Lula, buscando clarificar as dificuldades que este governo enfrentou para empreender uma ruptura no padrão de política econômica herdado.
Article
Full-text available
This article addresses the theme of authoritarianism in Brazil, by reflecting on three fundamental concepts: anti-Semitism, Bolsonarism and education. For the development of the argumentation that supports the article thesis, three aspects will be highlighted: the first relates to the understanding of the historical-cultural configuration of Brazilian society, which amalgamates a kind of Brazilian-style authoritarianism; the second addresses the possible link between Bolsonarism and the elements of anti- Semitism, which were developed by Horkheimer and Adorno in 1947; and the third reinforces the need for critical self-reflection, as a practical manifestation of non-conformity and combating the diverse authoritarianisms in Brazil.Resumo Esse artigo aborda o tema do autoritarismo no Brasil, mediante a reflexão de três conceitos fundamentais: o antissemitismo, o bolsonarismo e a educação. Para o desenvolvimento da argumentação que sustenta a tese desse artigo, três aspectos serão destacados: o primeiro relaciona-se à compreensão da configuração histórico-cultural da sociedade brasileira, que amalgama o autoritarismo à brasileira; o segundo aborda a possível vinculação entre o bolsonarismo e os elementos do antissemismo, que foram desenvolvidos por Horkheimer e Adorno em 1947; e o terceiro insiste na necessidade da autorreflexão crítica, como manifestação prática de inconformismo e combate aos autoritarismos diversos no Brasil.ResumenEste artículo presenta el tema del autoritarismo en Brasil, a partir de la reflexión sobre tres conceptos fundamentales: antisemitismo, bolsonarismo y educación. Para el desarrollo de la argumentación que sostiene la tesis del artículo, se destacan tres aspectos: el primero se refiere a la comprensión de la configuración histórico-cultural de la sociedad brasileña, que concreta el autoritarismo al “estilo brasileño”; el segundo se refiere a un posible vínculo entre el bolsonarismo y los elementos del antisemitismo, que fueron desarrollado por Horkheimer y Adorno en 1947; y el tercero refuerza la necesidad de autorreflexión crítica, como una manifestación práctica de no conformidad y de lucha contra los diversos tipos de autoritarismo en Brasil.Palavras-chave: Autoritarismo, Antissemitismo, Bolsonarismo, Teoria Crítica e Educação. Keywords: Authoritarianism, Anti-Semitism, Bolsonarism, Critical Theory and Education.Palabras claves: Autoritarismo, Antisemitismo, Bolsonarism, Teoría Crítica y Educación.ReferencesADORNO, Theodor W. Educação após Auschwitz in ADORNO, Theodor W. Educação e Emancipação. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995. (pp. 119-138).ADORNO, Theodor W. Educação Contra a Barbárie in ADORNO, Theodor W. Educação e Emancipação. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995. (pp. 155-168).ADORNO, Theodor W. Teoria da Semiformação in PUCCI, Bruno; ZUIN, Antonio A. S; LASTÓRIA, Luiz A. C. Nabuco. Teoria Crítica e Inconformismo. Campinas: Autores Associados, 2010.ARENDT, Hannah. Origens do Totalitarismo: anti-semitismo, imperialismo, totalitarismo. São Paulo: Companhia da Letras, 1989.ARENDT, Hannah. A condição humana. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2017.BLANC, Aldir e BOSCO, João. Essa Mulher – Elis Regina, Rio de Janeiro: Warner, 1979. BRASIL, Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 2000.BRESCIANI, Maria Stella “A casa em Gilberto Freyre: síntese do ser brasileiro?” em CHIAPPINI, Ligia e BRESCIANI, Maria Stella (orgs.). Literatura e cultura no Brasil. São Paulo: Cortez, 2002.COHN, Gabriel Cohn. “Esclarecimento e Ofuscação: Adorno e Horkheimer hoje”. Revista Lua Nova: revista de cultura e política, no número 43, ano 1998.DARDOT, Pierre e LAVAL, Christian. A nova razão do mundo: Ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo, 2016.DARDOT, Pierre e LAVAL, Christian. Comum: Ensaio sobre a revolução no século XXI. São Paulo: Boitempo, 2017.DUNKER, Christian Ingo Lenz. Psicologia das massas digitais e análise do sujeito democrático in ABRANCHES, Sérgio et al. Democracia em Risco? São Paulo: Companhia das Letras, 2019.FAORO, Raymundo. Os Donos do Poder: Formação do patronato político brasileiro. São Paulo: Globo, 2001.FOLHA DE SÃO PAULO. Matéria de 17/01/2020 “Em vídeo, Alvim copia Goebbels e provoca onda de repúdio nas redes sociais” in: https://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2020/01/em-video-alvim-cita-goebbels-e-provoca-onda-de-repudio-nas-redes-sociais.shtml. Acesso em 23 de maio de 2020.FOLHA DE SÃO PAULO. Matéria de 26/01/2020 “Veja falas preconceituosas de Bolsonaro e o que diz a lei sobre injúria e racismo” in https://www1.folha.uol.com.br/poder/2020/01/veja-falas-preconceituosas-de-bolsonaro-e-o-que-diz-a-lei-sobre-injuria-e-racismo.shtml. Acesso em 23 de maio de 2020.FOLHA DE SÃO PAULO. Matéria de 27/05/2020 “Decisão do supremo cita ‘gabinete do ódio’ do Planalto e indica possível associação criminosa” in: https://www1.folha.uol.com.br/poder/2020/05/decisao-de-moraes-para-operacao-contra-fake-news-cita-gabinete-do-odio-e-assessores-de-bolsonaro.shtml. Acesso em 03 de junho de 2020.FREIRE, Paulo. Educação como Prática da Liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1974.FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982.FREYRE, Gilberto. Casa Grande e Senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. São Paulo: Círculo do Livro, 1933. FREYRE, Gilberto. Sobrados e Mucambos. São Paulo: Global, 2006.FURTADO, Celso. Formação Econômica do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.GOMES, Luiz Roberto. Autoritarismo y educación en Brasil. In: Miguel Vedda; Renato Franco; Antônio Álvaro Soares Zuin. (Org.). Estado de excepción en Argentina y Brasil: una perspectiva a partir de la teoría crítica. 1ed. Buenos Aires: Ediciones Herramienta, 2020.HOLLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.HONNETH, Axel. Luta por Reconhecimento: a gramática moral dos conflitos sociais. São Paulo: Editora 34, 2009.HORKHEIMER, Max e ADORNO, Theodor W. Elementos do Anti-semitismo: limites do esclarecimento in HORKHEIMER, Max e ADORNO, Theodor W. Dialética do Esclarecimento. Rio de Janeiro: Zahar, 1985 (pp. 157-194).HORKHEIMER, Max e ADORNO, Theodor W. Dialética do Esclarecimento. Rio de Janeiro: Zahar, 1985.IANNI, Octavio. Estado e Planejamento Econômico no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1991.KANT, Immanuel. Crítica da Razão Pura. Rio de Janeiro: Vozes, 2015.LASTÓRIA, A. C. Nabuco e GOMES, Luiz Roberto. Educação para a emancipação ou para a personalidade flexível: uma análise política das expectativas em relação ao sistema In: LASTÓRIA, L. A. C. N; ZUIN, A. S.; GOMES, L. R e GRUSCHKA, A. (orgs). Teoria Crítica - Escritos sobre Educação: Contribuições do Brasil e Alemanha. São Paulo: Nankin, 2015.LEAL, Victor Nunes. Coronelismo, Enxada e Voto: o município e o regime representativo no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1997.NEGT, Oskar e KLUGE, Alexandre. O que há de político na política? São Paulo: UNESP, 1999.PRADO JÚNIOR. Caio. Formação do Brasil Contemporâneo: colônia. São Paulo: Brasiliense; Publifolha, 2000.RIBEIRO, Darcy. O povo brasileiro: a formação e o sentido do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.ROCHA, João Cesar de Castro. “As origens e os equívocos da cordialidade brasileira” em Nenhum Brasil Existe – pequena enciclopédia. Rio de Janeiro: UniverCidade Editora, 2003 (p. 205-219).SOUZA, Jessé. A radiografia do Golpe: entenda como e porque você foi enganado. Rio de Janeiro: Leya, 2016.SOUZA, Jessé. A Elite do Atraso: da escravidão a Bolsonaro. Rio de Janeiro: Estação Brasil, 2017.SOUZA, Jessé. A Classe Média no Espelho: sua história, seus sonhos e ilusões, sua realidade. Rio de Janeiro: Estação Brasil, 2018. WEINSTEIN, Marc. Pensar el Totalitarismo Neoliberal: seis teses sobre totalitarismo. Constelaciones: Revista de Teoria Crítica. Madrid. Número 10 (2018), pp. 74-115.e4532136
Thesis
Full-text available
Este trabalho investiga as causas do processo de desindustrialização no Brasil e discute os impactos de tal processo para a indústria nacional. Inicialmente, caracteriza-se o processo de industrialização do Brasil e se comparam a desindustrialização ocorrida em países desenvolvidos, tida como normal, e a desindustrialização precoce, verificada em países subdesenvolvidos. Entende-se que a desindustrialização brasileira teve início na década de 1980 e se fortaleceu no decênio seguinte, a partir da mudança do papel do Estado na economia brasileira, verificado pela abertura comercial e financeira, e, principalmente, após o Plano Real. Além disso, considera-se determinante o aumento do grau de dependência tecnológica e, consequentemente, a lacuna de desenvolvimento industrial entre o Brasil e as nações desenvolvidas para a ocorrência da desindustrialização no país. Para compreensão do processo, buscou-se caracterizar a industrialização brasileira e identificar as origens da desindustrialização para, enfim, analisar a especificidade do caso brasileiro: o paradoxo de crescimento econômico com desindustrialização. Conclui-se que a indústria brasileira se tornou obsoleta após décadas de impasses, tendo o paradoxo do caso brasileiro progredido em um contexto de políticas de estímulo à indústria nacional que, no entanto, foram combinadas com políticas macroeconômicas prejudiciais ao setor.
Article
Full-text available
Resumo: O desenvolvimentismo é um dos fenômenos mais marcantes da história econômica latina do século XX. Política responsável pelas mais altas taxas de crescimento econômico já auferidas pela economia brasileira, passou a ser publicamente incriminado e politicamente desconstruído a partir dos anos 1980. O desenvolvimentismo, suas virtudes e vícios voltaram a pautar o debate econômico nacional nos últimos anos, de modo que se faz relevante resgatar seus principais aspectos históricos, a fim de se contribuir para um melhor entendimento da realidade social, política e econômica do Brasil. Palavras-chave: Desenvolvimentismo; Brasil; século XX Abstract: Developmentalism is one of the most important phenomena of the latin economic history of the twentieth century. It was responsible for high rates of economic growth ever reached by the Brazilian economy, it became publicly incriminated and politically deconstructed from the 1980s on. Developmentalism, its virtues and vices is guiding the national economic debate in recent years, so it is relevant to rescue its main historical aspects in order to understand social, political and economic reality of Brazil. 1. Introdução Assunto recorrente na literatura econômica, mas longe de ser consensual, o desenvolvimentismo latino-americano passou a ocupar a agenda da academia quando seu significado histórico como fenômeno econômico e político tornou-se objeto de estudo, já na segunda metade do século XX, para economistas e cientistas sociais, em especial da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL). Se o desenvolvimentismo tomou corpo teórico a partir de 1950, sua concepção remonta ao final do século XIX, quando, nos contornos da recém-instalada República, passa-se a pensar as formas para superar o atraso e alcançar um futuro desejável para o país nesse novo momento. É nos anos 1930, todavia, que o desenvolvimentismo se materializa como política econômica na América Latina, com destaque às experiências históricas do Brasil, Argentina, México e Chile. Essa década representou para o continente a ruptura com o modelo econômico vigente baseado na exportação de produtos primários e a gênese da economia e da sociedade "assentadas na industrialização, no mercado 1 Bacharel em Economia (UFRGS).
Chapter
Full-text available
No intuito de delimitar uma concepção de urbanização para a análise da estruturação territorial do interior fluminense em minha tese de doutorado, parto da compreensão da urbanização como um processo espaço temporal de estruturação de um território e simultaneamente como resultante deste mesmo processo. Para fundamentar a argumentação do presente texto, antes de tratar da escala territorial da urbanização e das lógicas que a regem, retomo aqui, de forma abreviada, a relação entre urbanização e estruturação do território, que encerra o segundo capítulo da tese após a revisão conceitual das principais vertentes teóricas, até meados da década de 1990, sobre o espaço, o urbano e a urbanização (LIMONAD, 1996, 1999).
Article
Full-text available
O presente artigo tem como objeto de estudo as publicações e pesquisas desenvolvidas pelo Centro Brasileiro de Pesquisas Educacionais (CBPE) - no período de 1956 a 1964 - que tiveram como centralidade as relações entre Educação e Sociedade numa trama que conduziu ao cotejamento entre o “mundo rural” e o “mundo urbano” numa perspectiva histórica, educacional e sociológica. Trata-se de uma pesquisa histórica e documental com aportes da História Cultural no que tange aos impressos do CBPE como estratégia de legitimação institucional no campo da pesquisa no arco de tempo em tela. Os objetivos estão assentados na compreensão da metodologia de pesquisa utilizada pelo CBPE, no trabalho de campo realizado pelos/as pesquisadores/as na construção dos relatórios finais de pesquisa e no exame destes relatórios. As fontes utilizadas para a sustentação desta tese são a Revista Educação e Ciências Sociais, o Boletim Mensal do CBPE e os livros publicados pela instituição. Desta forma, temos a seguinte problematização: como resultados e ações de desdobramentos das pesquisas, a instituição manteve-se no posicionamento tradicional e dicotômico de um mundo urbano como signo de progresso e um mundo rural como sinônimo de atraso ou abriu espaço para um pensamento e ações pedagógicas plurais em consonância com um olhar menos classificatório e mais preocupado com os possíveis diálogos entre o rural e o urbano?
Article
Full-text available
A relação entre a indústria automobilística e o Estado é marcada por diversas particularidades, apresentando uma trajetória histórica de iniciativas colaborativas e relações conflitivas. O foco deste artigo recai sobre as políticas industriais indutoras direcionadas ao setor automobilístico, sobretudo as mais recentes, como o programa Inovar-Auto e a Rota 2030. Os procedimentos metodológicos abrangeram levantamento bibliográfico, levantamento de dados secundários em bancos de dados (ANFAVEA, FENABRAVE, RAIS) e informações em revistas especializadas, sistematização e análise dos dados. O Inovar-Auto e o Rota 2030 favorecem as empresas com diversos benefícios, porém, o retorno do ramo automobilístico aos benefícios fiscais é pouco demonstrativo, apresentando números relacionados ao emprego, à produção e à exportação aquém do esperado.
ResearchGate has not been able to resolve any references for this publication.