Article

Exaustão emocional: relações com a percepção de suporte organizacional e com as estratégias de coping no trabalho

Estudos de Psicologia (Natal) 01/2002; 7(1). DOI: 10.1590/S1413-294X2002000100005
Source: DOAJ

ABSTRACT

A exaustão emocional é considerada como o fator central do burnout. Diversas pesquisas mostram que características do ambiente de trabalho e do trabalhador estão associadas ao desenvolvimento da exaustão emocional. Este trabalho apresenta os resultados de uma investigação sobre dois aspectos importantes para o estudo da exaustão emocional: a percepção de suporte organizacional (PSO) e o coping no trabalho. 369 trabalhadores responderam uma escala de exaustão emocional, uma de PSO e outra de coping no trabalho. Os fatores gestão de desempenho, sobrecarga, suporte social e ascensão e salários da escala de PSO e o fator escape da escala de coping revelaram-se preditores significativos da dimensão exaustão psicológica da escala de exaustão emocional. A segunda dimensão desta escala, percepção de desgaste, só foi predita significativamente pelos fatores suporte social e sobrecarga da escala de PSO. Recomendações para lidar com a exaustão emocional são apresentadas.

Download full-text

Full-text

Available from: Bartholomeu Tôrres Tróccoli, Dec 23, 2014
  • Source
    • "A relação entre burnout e fatores psicossociais e organizacionais corroboram resultados de outros estudos (Chou et al., 2014), demonstrando a complexidade de fatores em torno dos processos de adoecimento dos trabalhadores. Dentro deste estudo, clima de suporte foi a dimensão mais correlacionada a todos os fatores do contexto de trabalho, reforçando o fato de que a percepção de suporte possui papel fundamental para a exaustão emocional do burnout, evidenciando relações semelhantes às encontradas nos estudos de estresse, que demonstram o papel crucial do suporte social como fator protetor ao transtorno (Alves, Chor, Faerstein, Lopes, & Werneck, 2004; Tamayo & Tróccoli, 2002). Pode-se compreender, nesta exposição, que a abordagem da saúde dos profissionais dessa área necessita englobar, entre outras, as dimensões psicossociais do processo saúde-doença, onde as construções psicossociais , organizacionais e culturais sejam apreendidas, sem apagar simultaneamente as necessidades individuais, uma vez que a confluência permite maior motivação profissional, equilíbrio mental, bom humor e satisfação no desempenho das atividades cotidianas (Madureira, 2012; Minayo-Gomez & Thedim-Costa, 1997). "
    [Show abstract] [Hide abstract]
    ABSTRACT: This study presents results from a theoretical- empirical model that assembles aspects of the work context, safety climate, and psychosocial work variables in a hospital setting, and their consequences in the manifestation of burnout syndrome. Burnout is a disorder related to work associated with severe occupational stress. The syndrome is characterized by emotional exhaustion of workers and is established by means of certain associations among individual, environmental, and work characteristics. The goal of this study is to developand test a structural theoretical model linking dimensional variables of work, burnout, and mental health. This is a survey type of design with a convenience sample of 200 health professionals, 174 of whom were female (87%), mean age was 34.4 years, and with a mean of 6.5 years of work in the profession. The instrument for this research was composed of psychological scales for the following constructs: a) work security climate, b) work conditions, c) burnout, and d) socio-demographic aspects. The results indicate the existence of relationships between different aspects of work, safety climate, and health as observed through two integrative theoretical models of psychosocial variables, safety climate, and health for workers in hospital environments. These data help guide policies for worker health protection and prevention taken as a core strategy to ensure the provision of care within the daily routine of the hospital environment.
    Full-text · Article · Jan 2015
  • Source
    • "" Falta de reconhecimento e apoio pela chefia " . A percepção da falta de suporte organizacional já tem sido apontada como um fator importante de estresse dos trabalhadores (Tamayo & Tróccoli, 2002). Estudo realizado com 190 psicólogos clínicos australianos, conduzido por Emery, Wade e McLean (2009), relata que os profissionais que exercem atividades com vínculo empregatício eparticularmente , em instituições públicas experimentam maior desgaste profissional. "

    Full-text · Article · Jan 2015
  • Source
    • "501). Têm sido encontrados na literatura indícios de que esta percepção está fortemente relacionada à síndrome de burnout (Tamayo e Tróccoli, 2002). A percepção do trabalhador sobre o suporte que a organização lhe oferece para desempenhar suas atividades poderia ser um fator determinante para a ocorrência do burnout. "

    Preview · Article · Jun 2014
Show more