Article

Garantia de qualidade em citopatologia: aspectos da correlação cito-histopatológica

Revista da Associação Médica Brasileira (Impact Factor: 0.93). 09/1997; 43(3). DOI: 10.1590/S0104-42301997000300005
Source: DOAJ

ABSTRACT

Os autores avaliaram a concordância diagnóstica cito-histológica de lesões de colo uterino e discutiram as eventuais discrepâncias. OBJETIVO. Averiguar o nível de concordância cito-histológica nos casos da Divisão de Patologia do Instituto Adolfo Lutz (IAL) e aprimorar a estratégia de garantia de qualidade na instituição. MATERIAL E MÉTODO. Estudaram 157 casos consecutivos dos arquivos do IAL em que foram enviadas citologia cérvico-vaginal e biópsia. RESULTADO. Houve concordância absoluta em 119 (75,8%) casos; nos demais, a citologia superestimou 11 lesões (7,0%) e subestimou 27 (17,2%). Observou-se que em 5 casos, inicialmente diagnosticados como inflamatório pela citologia, dois foram, à revisão, considerados como NIC 1; os demais foram ratificados como inflamatórios, apesar de suas respectivas biópsias terem diagnóstico de neoplasia intra-epitelial cervical. CONCLUSÃO. Tais resultados demonstram a importância da correlação cito-histológica para o sistema de garantia de qualidade em diagnóstico citológico e apontam para a colheita como um dos fatores determinantes nas discrepâncias diagnósticas.

  • Source
    • "Nos casos de lesão mínima ou micro-lesão o processo desenvolve-se no sentido vertical no tecido, dificultando sua visualização na análise colposcópica, invariavelmente a coleta de material para análise histológica pode ser obtida de um foco fora da lesão, provocando discordância com o resultado da citologia, onde a coleta é mais abrangente e a possibilidade de obtenção de material da lesão é maior 14 . Loreto et al, 1997, demonstrou em seus estudos a importância da correlação cito-histológica para o diagnóstico das lesões do colo uterino e, que um dos fatores de discrepância diagnóstica é a coleta de material. Apesar da necessidade de material histológico para estabelecer o diagnóstico definitivo, esta situação ideal nem sempre é alcançada através de biópsia dirigida devido a ocasional impossibilidade de se detectar colposcopicamente áreas representativas da real lesão que acomete o colo 14 . "
    [Show abstract] [Hide abstract]
    ABSTRACT: 4 ; VITURI, Cidônia de Lourdes 5 RESUMO - O objetivo deste trabalho foi avaliar as discrepâncias observadas nos exames colposcópicos, citológicos e histológicos em um caso de micro-lesão cervical. Este é um estudo de acompanhamento de uma paciente com lesão cervical uterina. Os autores revi- saram o prontuário médico da paciente quanto aos dados clínicos e exames colposcópicos de colo uterino, exame citológico de raspa- do cervical uterino, exame histológico cervical uterino e biologia molecular para HPV de raspado cervical. Durante o acompanhamen- to da paciente estudo encontramos discrepâncias na tríade colposcopia-citologia-histologia em várias etapas da evolução do quadro. O diagnóstico final da paciente depois de oito avaliações durante 1 ano e meio foi de Lesão intra-epitelial escamosa de alto grau e neoplasia intra-epitelial cervical, nos exames citológicos e histológicos respectivamente, e foi encaminhada para conização. É um caso de micro-lesão cervical, onde a coleta mesmo orientada pela colposcopia, não foi satisfatória em algumas etapas do diagnóstico, difi- cultando o exame histológico. A utilização da tríplice diagnóstica colposcopia-citologia-histologia bem como teste de biologia mole- cular durante todo acompanhamento da paciente forneceu abordagem segura aos procedimentos terapêuticos, evitando desta forma a progressão para o câncer cervical uterino invasivo. PALAVRAS-CHAVE - Citologia, Colposcopia, Histologia, HPV. SUMMARY - The objective of this work was to evaluate the discrepancy observed in the colposcopic, cytology and histology examina- tions in a case of cervical micron-injury. This is a study of accompaniment of a patient with uterine cervical injury. The authors had revised the medical handbook of the patient how much to the clinical data and uterine examinations colposcopic, cervical scraped cytological examination of uterine, uterine cervical histology examination and molecular biology for scraped HPV of cervical. During the accompaniment of the patient study we find discrepancies in the triad colposco-cytology-histology in some stages of the evolution of the picture. The final diagnosis of the patient after eight evaluations during 1,5 years it was of HSIL degree and cervical intra- epithelial neoplasic, in the cytology and histology examinations respectively, and was directed for conization. It is a case of cervical micron-injury, where the collection exactly guided by the colposcopia, became imperfection making it difficult the histology examina- tion. The use of the diagnostic triad colposcopic-cytology-histology as well as test of molecular biology during all accompaniment of the patient supplied safe boarding the therapeutically procedures, preventing of this form the progression for the invasive uterine cer- vical cancer. KEYWORDS - Cytology, Colposcopic, Histology, HPV.
    Preview · Article ·

  • No preview · Article ·
  • Source
    [Show abstract] [Hide abstract]
    ABSTRACT: CONTEXT: Cervical cytology continues to be the most appropriate method for investigating cervical neoplasia and its precursors. Greater diagnostic acuity is obtained by combining cytology, colposcopy and guided biopsy methods. OBJECTIVE: To analyze the diagnostic acuity of cyto- and histopathological exams and causes of diagnostic error. DESIGN: Retrospective study. SETTING: A public tertiary referral center. SAMPLE: Reports on 219 patients submitted to cone biopsy and/or hysterectomy due to diagnosis of cervical intraepithelial neoplasia (CIN) in the period between January 1982 and March 1997 were reviewed, comparing. MAIN MEASUREMENTS: cytological and histological exams (guided biopsy and surgically-removed tissue). In cases of discordance, the cyto- and histological preparations were reviewed to try to evaluate the causes of errors. RESULTS: In 193 cases (88.1%) there was cyto-histological agreement but none in 26 (11.9%). Review of the discordant cases showed that in 2 (0.9%) there was invasion of the stromata to a depth greater than 3mm, and in 7 (3.2%) microinvasion, unsuspected via cytology; in 2 (0.9%) microinvasion was suspected via cytology but not confirmed by the final histological exam; and in 15 (6.8%) there was disagreement about the degree of CIN. CONCLUSION: The principal causes of error in the cytological exam were the lack of reliable morphological criteria for microinvasion, absence of sampling of the squamocolumnar junction, and scarcity of neoplastic cells in the sample. As for the histological exam, the errors were related to inadequate technical processing and underestimation of focal lesions.
    Full-text · Article · Mar 1999 · Sao Paulo Medical Journal
Show more