Article

Avaliação pré-operatória do pneumopata

Revista Brasileira de Anestesiologia (Impact Factor: 0.51). 02/2003; 53(1). DOI: 10.1590/S0034-70942003000100014
Source: DOAJ

ABSTRACT

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: As complicações pulmonares são as causas mais freqüentes de morbimortalidade pós-operatória, especialmente nos pneumopatas. Por essa razão, esses pacientes devem ser criteriosamente avaliados e preparados no pré-operatório, tanto do ponto de vista clínico como laboratorial. O objetivo da presente revisão é determinar o risco cirúrgico e estabelecer condutas pré-operatórias para minimizar a morbimortalidade per e pós-operatórias, nos portadores de doenças respiratórias. CONTEÚDO: As principais repercussões do ato anestésico-cirúrgico na função pulmonar foram relatadas. Da mesma forma, procurou-se selecionar os pacientes de maior risco, envolvidos ou não em ressecção pulmonar. Para esse fim, utilizou-se da propedêutica clínica e laboratorial. Finalmente, foi apresentada uma proposta de algoritmo pré-operatório para os procedimentos com ressecção pulmonar. CONCLUSÕES: O portador de doença respiratória, especialmente as de evolução crônica, necessita ser rigorosamente avaliado no pré-operatório. A classificação do estado físico (ASA) e o índice de Goldman são fatores de previsão de risco importantes nos pneumopatas não-candidatos à ressecção pulmonar. Somando-se a esses critérios, nos candidatos à ressecção pulmonar, o VO2 max, o VEF1e capacidade de difusão estimados para o pós-operatório, são imprescindíveis, em algumas situações. Os beta2-agonistas e corticóides devem ser considerados nos pré-operatórios desses pacientes.

Full-text preview

Available from: scielo.br