ArticlePDF Available

Heterogeneidade estrutural e diversidade de pequenos mamíferos em um fragmento de mata secundária de Minas Gerais, Brasil

Authors:

Abstract

STRUCTllRAL IIETEROGENErrV AI"D DIVERsrrv OI' SMALL MAMMAL~ IN A SECONDARY FOREsr FRAGMENTOF MINAS GERAIS. BRASIL. The aim is lo delermine lhe rclalionship helween lhe diversily of small mammals and the slructural helerogeneity and/or seeondary suceessional slages in an Atlantic foresl fragment aI Viçosa (Minas Gerais). We used Sherman and hook live traps lo sample this fauna, monthly from may 1992 to april 1993 in lhree arcas: an ahandoned planlation ofMelinis mil1llliJInra (campo) and lwo distincl forest arcas (capoeira and mala). The slruelural hclerogeneily was delermined as a funclion of lhe presence of dead lrees. pioneer species. epiphytes. lhe distances helween trees. lhe lree heighl and bas.11 area measured hy a modified quadrant sample melhod (ConAM & CURTtS 1945). It was sampled a lotai of 340 individuais bclonging to 17 species. The homogeneous plantalions had the highesl diversily (H" = 1.67). Among lhe lWO foresls stands lhe lcss helerogeneous capoeira had similar diversity (H" = 1.19) lhan lhe more helerogeneous stand. lhe mala (H' = 1.13). The unexpected higher diversily and species richness in lhe more homogeneous habitat may he explained hy some hidden faclor which decrease lhe compclilion for resources in lhis communily.
A preview of the PDF is not available
... Os baldes foram espaçados com uma distância média de 15 metros entre si. As demais armadilhas foram dispostas em transectos lineares pelo interior dos fragmentos florestais estudados, em pontos espaçados em cerca de 15 metros um do outro, sendo alternadas suas posições, onde uma era disposta sobre o folhedo e outra a aproximadamente, 1,5 metros do chão, respeitando os procedimentos padrões adotados para os grupos (Fonseca, 1989;Paglia et al., 1995). ...
... Este valor, ainda que menor, era esperado, de acordo com o que se sabe sobre estudos desenvolvidos em florestas tropicais (Voss & Emmons, 1996). Os resultados de espécies raras podem ter se dado pelo uso complementar de armadilhas de queda e pela amostragem em todas as estações do ano (Lessa et al., 1999;Paglia et al., 1995;Voss & Emmons, 1996). A utilização de armadilhas de queda é importante em estudos com roedores e marsupiais por capturar indivíduos que habitam ambientes terrestres, como os de Monodelphis, e os semi fossoriais como Blarinomys e Oxymycterus (Bonvicino et al., 2008;Cáceres et al., 2012), e que dificilmente são amostradas em armadilhas tipo Sherman e Tomahawk (Umetsu & Pardini, 2007;Voss & Emmons, 1996). ...
Article
Full-text available
Resumo: Ainda que fragmentada, a Mata Atlântica contém uma biodiversidade elevada e diversificada, devido, principalmente à heterogeneidade de ambientes e microambientes; sendo os marsupiais e pequenos roedores os mamíferos mais representativos ao longo da extensão territorial deste domínio. Considerando o grau de fragmentação da Mata Atlântica no sudeste mineiro, o presente estudo teve como objetivo listar espécies de pequenos mamíferos não-voadores registrados em fragmentos das Regiões Imediatas de Carangola e Manhuaçu (IBGE, 2017), contribuindo para a ampliação do conhecimento da distribuição geográfica destes dois grupos. O inventário foi realizado em quatro áreas protegidas e em uma quinta localidade fora de Unidade de Conservação (UC). Para a captura foram utilizadas armadilhas tradicionais do tipo Sherman e Tomahawk, além de armadilhas de queda (Pitfall). Foram capturados 425 indivíduos, pertencentes a 34 espécies. Observou-se uma maior riqueza em regiões montanas, e uma das cinco áreas apresentou registros de espécies pouco conhecidas para a comunidade científica, como Drymoreomys sp. e Phyllomys lundi, além de espécies de difícil registro, como Rhagomys rufescens e Blarinomys breviceps. Estes resultados evidenciam o potencial da área como detentora de alta riqueza, indicando que, apesar da intensa devastação da Mata Atlântica mineira, as áreas ainda preservadas abrigam alta relevância biológica. Palavras-Chave: Levantamento; Comunidade de mamíferos; Conservação; Regiões Imediatas de Carangola e Manhuaçu. Abstract: Marsupials and small rodents of the Atlantic Forest of Minas Gerais. Although mostly fragmented, the Atlantic Forest contains a high and diversified biodiversity, mainly due to its heterogeneity of environments and microhabitats, where marsupials and small rodents are one of the most representative groups of this Biome, throughout the geographic distribution of this biome. Even though considering the high degree of fragmentation in the Atlantic Forest, Southeastern of Minas Gerais, the present study aimed to list species of non-flying small mammals recorded in the remaining fragments located in the Immediate Regions to Carangola and Manhuaçu (IBGE, 2017), contributing to the improvement of the knowledge about the geographical distribution of these two groups, as well as indicating few recommendations for their conservation. The inventories were carried out in four legally Protected Areas (PAs) and in a fifth area outside the PAs. Data collection was made using traditional types of traps, like Sherman, Tomahawk and Pitfall. A total of 425 individuals was captured, distributed in 34 species. It was observed a greater richness in mountain regions, and one of the areas has presented records of species very poorly known to the scientific community, such as Drymoreomys sp. and Phyllomys lundi, plus some rare species, such as Rhagomys rufescens and Blarinomys breviceps. Our results reinforce the need for taxonomic studies of the lineages that occur in the Atlantic Forest; in addition to highlighting its potential as a high biodiversity anchor, indicating that despite the intense devastation of the AF in Minas Gerais, those areas are still well preserved and have high biological relevance.
... Os baldes foram espaçados com uma distância média de 15 metros entre si. As demais armadilhas foram dispostas em transectos lineares pelo interior dos fragmentos florestais estudados, em pontos espaçados em cerca de 15 metros um do outro, sendo alternadas suas posições, onde uma era disposta sobre o folhedo e outra a aproximadamente, 1,5 metros do chão, respeitando os procedimentos padrões adotados para os grupos (Fonseca, 1989;Paglia et al., 1995). ...
... Este valor, ainda que menor, era esperado, de acordo com o que se sabe sobre estudos desenvolvidos em florestas tropicais (Voss & Emmons, 1996). Os resultados de espécies raras podem ter se dado pelo uso complementar de armadilhas de queda e pela amostragem em todas as estações do ano (Lessa et al., 1999;Paglia et al., 1995;Voss & Emmons, 1996). A utilização de armadilhas de queda é importante em estudos com roedores e marsupiais por capturar indivíduos que habitam ambientes terrestres, como os de Monodelphis, e os semi fossoriais como Blarinomys e Oxymycterus (Bonvicino et al., 2008;Cáceres et al., 2012), e que dificilmente são amostradas em armadilhas tipo Sherman e Tomahawk (Umetsu & Pardini, 2007;Voss & Emmons, 1996). ...
Article
Full-text available
Resumo: Ainda que fragmentada, a Mata Atlântica contém uma biodiversidade elevada e diversificada, devido, principalmente à heterogeneidade de ambientes e microambientes; sendo os marsupiais e pequenos roedores os mamíferos mais representativos ao longo da extensão territorial deste domínio. Considerando o grau de fragmentação da Mata Atlântica no sudeste mineiro, o presente estudo teve como objetivo listar espécies de pequenos mamíferos não-voadores registrados em fragmentos das Regiões Imediatas de Carangola e Manhuaçu (IBGE, 2017), contribuindo para a ampliação do conhecimento da distribuição geográfica destes dois grupos. O inventário foi realizado em quatro áreas protegidas e em uma quinta localidade fora de Unidade de Conservação (UC). Para a captura foram utilizadas armadilhas tradicionais do tipo Sherman e Tomahawk, além de armadilhas de queda (Pitfall). Foram capturados 425 indivíduos, pertencentes a 34 espécies. Observou-se uma maior riqueza em regiões montanas, e uma das cinco áreas apresentou registros de espécies pouco conhecidas para a comunidade científica, como Drymoreomys sp. e Phyllomys lundi, além de espécies de difícil registro, como Rhagomys rufescens e Blarinomys breviceps. Estes resultados evidenciam o potencial da área como detentora de alta riqueza, indicando que, apesar da intensa devastação da Mata Atlântica mineira, as áreas ainda preservadas abrigam alta relevância biológica. Palavras-Chave: Levantamento; Comunidade de mamíferos; Conservação; Regiões Imediatas de Carangola e Manhuaçu. Abstract: Marsupials and small rodents of the Atlantic Forest of Minas Gerais. Although mostly fragmented, the Atlantic Forest contains a high and diversified biodiversity, mainly due to its heterogeneity of environments and microhabitats, where marsupials and small rodents are one of the most representative groups of this Biome, throughout the geographic distribution of this biome. Even though considering the high degree of fragmentation in the Atlantic Forest, Southeastern of Minas Gerais, the present study aimed to list species of non-flying small mammals recorded in the remaining fragments located in the Immediate Regions to Carangola and Manhuaçu (IBGE, 2017), contributing to the improvement of the knowledge about the geographical distribution of these two groups, as well as indicating few recommendations for their conservation. The inventories were carried out in four legally Protected Areas (PAs) and in a fifth area outside the PAs. Data collection was made using traditional types of traps, like Sherman, Tomahawk and Pitfall. A total of 425 individuals was captured, distributed in 34 species. It was observed a greater richness in mountain regions, and one of the areas has presented records of species very poorly known to the scientific community, such as Drymoreomys sp. and Phyllomys lundi, plus some rare species, such as Rhagomys rufescens and Blarinomys breviceps. Our results reinforce the need for taxonomic studies of the lineages that occur in the Atlantic Forest; in addition to highlighting its potential as a high biodiversity anchor, indicating that despite the intense devastation of the AF in Minas Gerais, those areas are still well preserved and have high biological relevance.
... An alternative to evaluating the efficiency of a vegetation recovery program is to measure the local biodiversity of the area under recovery and compare it to a nearby preserved environment (Paglia et al., 1995). Functional diversity is useful in assessing the structure of biological communities (Cadotte et al., 2011). ...
Article
The advance of land-use change processes in the Amazon rainforest has modified its natural landscape, resulting in losses of biodiversity and ecological functions. Under this scenario, some reforestation methods have been proposed and tested in degraded areas aiming to reverse environmental damage. We assess the efficiency of three reforestation methods by investigating the taxonomic and functional diversity of birds in a post-mining landscape located in the eastern Brazilian Amazon. We counted birds in 56 sites located in both forest and areas under the process of ecological restoration through natural regeneration, planting seedlings, and nucleation. Species composition and richness differed significantly between forests and areas under recovery. Nucleation showed distinct species composition from planting seedlings or natural regeneration areas, which can be explained by the difference in environmental structure in the areas recovering by this method. Although age did not influence species richness, we observed different species composition between old and young areas that received planting of seedlings. In general, we found no differences in functional diversity and functional richness between the methods of recovery. We conclude that the three recovery strategies evaluated herein showed a similar efficiency. However, it is necessary to consider that perhaps eight years is a short period to observe significant differences in the structure of the areas recovered by the different methods and, consequently, the structure of bird communities. Also, the diversity patterns of the current bird communities located in the post-mining areas were far from those found in forest areas, indicating the need for maintaining long-term recovery programs.
... A mastofauna do interior paulista, embora rica em diversidade e endemismos devido aos contatos entre o Cerrado e a Floresta Estacional, encontra-se bastante alterada no que diz respeito a composição de espécies, principalmente em regiões onde o histórico de fragmentação foi mais intenso. Atualmente é constituída por fragmentos florestais isolados de diversos tamanhos e em diferentes estágios de sucessão secundária, formando um mosaico de paisagens altamente modificadas (PAGLIA, et al., 1995). ...
Chapter
Full-text available
O objetivo desta pesquisa foi avaliar a diferença da temperatura superficial terrestre (LST) do zoneamento e uso e cobertura do solo do município de Sorocaba-SP, por meio de sensoriamento remoto. Foram obtidas duas cenas do sensor Landsat 8, sendo uma do mês de fevereiro e outra de outubro, ambas de 2017, assim como arquivos vetoriais do zoneamento e do uso e cobertura do solo. Realizou-se correções atmosféricas, radiométricas e a transformação da temperatura superficial (utilizando a banda do infravermelho termal) e uma análise exploratória foi realizada. Com as sobreposições das imagens termais os vetores foram calculados as LST. O zoneamento municipal é dividido em onze classes e o uso e cobertura do solo em nove. Com os resultados obtidos, notou-se que o mês de fevereiro apresenta temperaturas mais amenas e com menores variações quando comparada ao mês de outubro. As zonas Predominantemente Institucional e Central são ambientes sem vegetação e que apresentaram as maiores temperaturas em ambos meses. Sendo assim, as ilhas de calor podem estar relacionadas à quantidade de vegetação em uma determinada área. O que corrobora com o uso e cobertura do solo, em que ambientes urbanizados chegam aproximadamente 10ºC de diferença entre a vegetação e edificação. Assim, espera- se que estes resultados contribuam para a tomada de decisão para futuros planejamento em políticas públicas relacionadas a planos de arborização do município a fim de melhorar a qualidade de vida da população.
... A mastofauna do interior paulista, embora rica em diversidade e endemismos devido aos contatos entre o Cerrado e a Floresta Estacional, encontra-se bastante alterada no que diz respeito a composição de espécies, principalmente em regiões onde o histórico de fragmentação foi mais intenso. Atualmente é constituída por fragmentos florestais isolados de diversos tamanhos e em diferentes estágios de sucessão secundária, formando um mosaico de paisagens altamente modificadas (PAGLIA, et al., 1995). ...
Chapter
Full-text available
As Unidades de Conservação (UCs) representam a principal ferramenta de conservação da biodiversidade. No entanto, sua efetividade em proteger e garantir a manutenção das espécies nativas a longo prazo depende da conectividade destas com outros elementos na paisagem (outras UCs, fragmentos florestais menores e matas ripárias), além da permeabilidade da matriz. No ambiente urbano, a conectividade das UCs muitas vezes é dificultada pela baixa permeabilidade da matriz e pela falta de elementos naturais dispersos na paisagem. O município de Sorocaba possui UCs municipais criadas para contribuir com a conservação da biodiversidade regional. A conectividade dessas UCs na paisagem e com UCs de níveis estadual e federal do entorno (Floresta Nacional de Ipanema e parte da Área de Proteção Ambiental de Itupararanga) é necessária para a efetividade destas áreas protegidas. Nesse sentido, esse estudo apresenta uma proposta de rede ecológica entre as UCs de Sorocaba e entorno, avaliando a estrutura da paisagem e dos fragmentos florestais e identificando áreas para restauração florestal que aumentem a conectividade entre elas. Para tanto, gerou-se um mapa de uso e cobertura do solo e calculou-se métricas de Ecologia de Paisagem para os fragmentos florestais. A rede ecológica foi traçada com base na aplicação da Teoria dos Grafos para identificação de caminhos de ligações ótimas (CLOs) entre as UCs, utilizando informações de espécie de aves florestais endêmicas da Mata Atlântica. O uso do solo predominante de Sorocaba e entorno é o urbano, com 25% da área total, seguido por campos antrópicos (20,4%). Os remanescentes florestais estão localizados principalmente nas zonas periféricas do município. Sorocaba e entorno possui 22,9% de cobertura florestal, sendo a FLONA de Ipanema o maior fragmento florestal na paisagem. Os fragmentos florestais pertencentes às propriedades privadas representam 80% da cobertura florestal e os 20% restantes estão sob proteção na forma de UCs. As UCs municipais representam 3,60% das florestas sob proteção. Os CLOs traçados entre as UCs indicaram áreas importantes para ações de conservação de fragmentos florestais existentes e restauração de áreas importantes para o aumento da conectividade entre as UCs na paisagem. A rede ecológica traçada com base nos CLOs é formada predominantemente por áreas de baixa impedância (86%, de áreas florestais, campos antrópicos de vegetação pioneira e várzea / zonas ripárias), com 7,6% de áreas agrícolas de média impedância (Eucalyptus sp. ou Pinus sp., culturas agrícolas temporárias e anuais), e apenas 6,4% formado por áreas de alta impedância, como as áreas urbanizadas e corpos d’água. O planejamento de redes ecológicas que conectam UCs é atualmente reconhecido como uma ação estratégica mundial para a manutenção da biodiversidade e dos serviços ecossistêmicos. A rede ecológica proposta para Sorocaba e entorno pode contribuir para o melhor planejamento da paisagem garantindo essas conexões entre as UCs.
... A mastofauna do interior paulista, embora rica em diversidade e endemismos devido aos contatos entre o Cerrado e a Floresta Estacional, encontra-se bastante alterada no que diz respeito a composição de espécies, principalmente em regiões onde o histórico de fragmentação foi mais intenso. Atualmente é constituída por fragmentos florestais isolados de diversos tamanhos e em diferentes estágios de sucessão secundária, formando um mosaico de paisagens altamente modificadas (PAGLIA, et al., 1995). ...
... Além de ser um grupo muito diverso, os pequenos mamíferos exercem influência na dinâmica das florestas neotropicais e são bons indicadores tanto de alterações locais do habitat, como de alterações da paisagem (Lessa et al., 1999;Paglia et al., 1995). A influência deste grupo na dinâmica florestal ocorre através da predação de sementes e plântulas, e da dispersão de sementes e fungos micorrízicos (Mangan & Adler, 2000), ao passo que o uso de espécies como bioindicadoras está relacionado à especificidade das mesmas no uso de micro-habitats (Vieira & Monteiro-Filho, 2003). ...
Article
Full-text available
Non‑volant small mammals (Didelphimorphia and Rodentia): environmental impact study in Atlantic Forest-Caatinga ecotone region, Brazil. The State of Minas Gerais covers areas of three biomes (Atlantic Forest, Cerrado, and Caatinga), which, despite their high biologicalimportance, are constantly under pressure from a variety of anthropogenic activities. This studyaimed to investigate the species of non-volant small mammals during an environmental study for the elaboration of the Environmental Impact Assessment and Report of Environmental Impact (EIA-RIMA) necessary for the expansion of the federal highway BR-116 in the state of Minas Gerais, Brazil. The inventory was carried out in four forest fragments (three Atlantic Forest-Caatinga ecotone areas and one Atlantic Forest site) during the rainy and dry seasons in 2015. Traditional methods of pitfall, Sherman and Tomahawk traps were used for capturing the rodents and marsupials. Were capture 297 small mammals, belonging to 18 species. Rodents showed greater species richness and abundance. Among them, Trinomys sp. and Guerlinguetus b. ingrami presented the greatest and lowest abundance, respectively. Among marsupials, Marmosops incanus was most abundant, while Didelphis aurita was the least abundant species. We found differences in species richness and composition between studied areas, of which the Atlantic Forest site was the most dissimilar. This finding may be related to distinct factors (or to their sum), such as differences in altitude, latitude and phytophysiognomies between areas, historic of fragmentation, and to unequal sampling effort. It is also evidenced on the highly biological potential of the areas and suggest that their conservation should be considered during the highway expansion.
... A mastofauna do interior paulista, embora rica em diversidade e endemismos devido aos contatos entre o Cerrado e a Floresta Estacional, encontra-se bastante alterada no que diz respeito a composição de espécies, principalmente em regiões onde o histórico de fragmentação foi mais intenso. Atualmente é constituída por fragmentos florestais isolados de diversos tamanhos e em diferentes estágios de sucessão secundária, formando um mosaico de paisagens altamente modificadas (PAGLIA, et al., 1995). ...
Book
Full-text available
Os governos locais através de suas agências ambientais têm o dever de desenvolver políticas públicas de proteção à biodiversidade. Para se efetivar tal processo, conhecer a biodiversidade existente em um município é fundamental. Para tanto o envolvimento das universidades e os seus laboratórios de pesquisa aliado aos esforços dos pesquisadores é de extrema importância nesse processo. A publicação da segunda edição do livro “A Biodiversidade de Sorocaba” amplia o número de espécies conhecidas, inventaria novos grupos que não haviam sido estudados como as abelhas nativas e a paleobiodiversidade e aborda novas meto- dologias para o estudo e incremento da biodiversidade do município, além de uma proposta de conexão de fragmentos e unidades de conservação. O presente livro apresenta 495 novas espécies inventariadas do que a pri- meira edição, sendo 195 espécies vegetais, 117 espécies de abelhas nativas, 10 espécies de peixes, 9 espécies de anfíbios e répteis, 30 espécies de aves e 17 espé- cies de mamíferos. Além disso, fornece capítulos que subsidiam os tomadores de decisão a elaborar leis, decretos, programas e projetos para conservar a biodiver- sidade do município bem como seus serviços ambientais. Esta obra diminui ainda mais a lacuna de conhecimento e contribui para que a proteção da biodiversidade seja ampliada no município a partir de ações concretas a serem desenvolvidas pelo poder público e por todos os seguimentos da sociedade.
... A mastofauna do interior paulista, embora bastante rica em diversidade e endemismos, devido aos contatos entre o Cerrado e a Floresta Estacional, encontrasse bastante alterada no que diz respeito à composição de espécies, principalmente em regiões onde o histórico de fragmentação foi mais intenso, atualmente é constituída por fragmentos florestais isolados de diversos tamanhos e em diferentes estágios de sucessão secundária, formando um mosaico de paisagens altamente modificadas (PAGLIA, et.al., 1995). ...
Book
Full-text available
Livro organizado por vários autores relatando a biodiversidade do município de Sorocaba-SP
... Em áreas florestais alteradas e fragmentadas na Mata Atlântica, Oligoryzomys nigripes é uma espécie comum (FONSECA; KIERULFF, 1989;PARDINI;UMETSU, 2006), podendo ser a mais abundante, como registrado por Paglia et al. (1995) FORNES, 1964;PARDIÑAS et al., 2005), e Oligoryzomys sp. em Los Santiagos, um mosaico de áreas florestais e antropizadas no Equador (BRITO et al., 2015). ...
Article
Full-text available
A análise e identificação de pequenos mamíferos em egagropilos de coruja, em especial do gênero Tyto, são consideradas uma ferramenta útil e complementar na mastozoologia. No entanto, poucos estudos deste tipo têm sido desenvolvidos no sul do Brasil. Foram analisados os fragmentos cranianos e mandibulares de pequenos mamíferos encontrados em egagropilos de Tyto furcata coletados em sete localidades dos três estados do sul do país. Ao todo, foram contabilizados 2.382 indivíduos pertencentes a 29 táxons, incluindo cinco marsupiais (Didelphidae; 1,39% dos indivíduos), quatro quirópteros (Molossidae, Phyllostomidae e Vespertilionidae; 0,25%) e 20 roedores (Cricetidae, Muridae, Caviidae e Echimyidae; 98,36%). Os roedores Akodon spp., Oligoryzomys sp. e Mus musculus foram os táxons mais comuns. A amostra inclui espécies com poucos registros para o sul do Brasil, como Bibimys sp., Calomys tener e Wilfredomys oenax. A riqueza de pequenos mamíferos obtida nessas amostras corrobora a utilidade e importância da análise de egagropilos de aves de rapina. Ainda assim, são necessários estudos mais detalhados sobre a morfologia e identificação das espécies, como de Akodon e Oligoryzomys, considerando-se a natureza fragmentária do material nos egagropilos.
Article
Full-text available
We investigate the relationships between vegetational structure, spatial heterogeneity, avian community structure, and the ecological responses of the breeding bird populations in the structurally simple steppe vegetation of North America. We examined the effect of variation in several measures of both horizontal and vertical patchiness in vegetation distribution on bird distribution and abundance, then integrated these measures into a smaller subset of variables using Principal Component Analysis (PCA). We interpreted the new PCA variables as reflective of proximate niche parameters to which bird species responded. Out of 550 structure/bird abundance bivariate correlations, 18.5% achieved a significant level of at least P
Article
Full-text available
Data on avian community structure and vegetation structure for Illinois, Panama, Texas, and Bahama study areas are discussed. Bird species diversity is linearly related to foliage height diversity and sigmoidally related to the percent vegetation cover. Under some circumstances, the volume of vegetation in addition to the layering and distribution among the layers is important as a predictor of bird species diversity. Historical factors seem to be of importance in some phases of the evolution of avian diversity. Horn's Rh, an inverse measure of overlap, applied to tropical and temperate bird and vegetation data, and other considerations indicate that horizontal habitat selection is more precise in mature tropical habitats than in temperate or less mature tropical habitats. These differences are attributed to restriction of species to narrower adaptive peaks in diverse faunas than in less diverse ones. Data indicating more precise vertical habitat selection in tropical habitats are more equivocal. Earlier suggestions of increased microspatial heterogeneity in homogeneous tropical habitats as compared with similar temperate areas, and distinctions between standing crop diversity and existence energy diversity regressed on foliage height diversity are not substantiated.
Article
Small mammals were sampled along altitudinal gradients in two mountain localities, the Swartberg and Baviaanskloof, in the southern Cape in summer 1977–1978. Species composition varied according to altitude and aspect with a total catch of six rodent and two shrew species. Correlations were found between abundance of rodent species and habitat variables, particularly vegetation structure and the cover of rock and bare soil. Rodent species diversity was negatively correlated with the proportion of total foliage at low to mid heights (40 - 80 cm). Factors controlling apparent habitat preferences are discussed together with modes of rodent niche separation. Extrapolation of the results is limited by the single season and restricted geographical coverage of the survey.Klein soogdiere is gedurende die somer van 1977–1978 langs 'n hoogtegradient in die Swart-en Baviaanskloofberge van die Suidkaap versamel. 'n Totaal van ses knaagdiere en twee skeerbekspesies is gevind. Hoogte en aspek het 'n beduidende invloed op die soortesamestelling gehaal. Korrelasies is tussen knaagdiergetalle en habitatveranderlikes gevind, veral met plantegroeistruktuur en die hoeveelheid bedekking van rotse en kaal grond. Daar was ook 'n verband tussen knaagdier—verskeidenheid en die persentasie van die totale blaarmassa op lae tot medium hoogtes (40 - 80 cm). Die faktore wat oënskynlike habitatvoorkeure beheer, sowel as wyses van nisskeiding, word bespreek. Omdat die opname net oor een seisoen strek en 'n beperkte geografiesegebied dek, is veral- gemening en die wyer toepassing van die resultate egter beperk.
Article
We investigated the relative densities of granivorous, nocturnal desert rodents in small plots within two arid regions of Arizona to study how sympatric species avoid competitive extinction. The most common rodents were kangaroo rats, Dipodomys spp., and pocket mice, Perognathus spp. We attempted correlating the density of each species with several environmental measurements, derived from the soil's i) depth; ii) texture or iii) resistance to sheer stress; or from the plant's i) species diversity; ii) growth forms or iii) foliage density. Successful variables were derived from plant growth form and foliage density. The soil's resistance to sheer stress also seemed important for a few species. In general, kangaroo rats were associated with sparseness of vegetation; pocket mice with denseness. One group of mice, which we term bush mice, seemed to require bushes and included two Perognathus spp., three Peromyscus spp., and probably a harvest mouse (Reithrodontomys fulvescens). Two other Perognathus spp. were taken in grassy habitats. Some suitable habitats tended to be complementary to others, suggesting that species associated with them are competitors. Comparisons of the density and distribution of D. merriami, present in both regions but under different biotic circumstances, reinforces the opinion that competition is responsible for the complementariness of habitats. In some cases the evidence suggests that competitive coexistence is accounted for by the fact that different specializations are needed to escape predation in different environments. We use variables which correlate with the relative density of various species to construct a model of habitat complexity. The rodent species diversities obtained in our plots can be approximately accounted for by this model. The model is based on the premises that the rodents collectively discriminate four qualities of soil surface, and three heights and two densities of vegetation. In general, specializations based on biotic variables appear most important.
Article
Bird species diversity was linearly correlated with foliage height diversity and curvilinearly with total percent vegetation cover. The addition of trees in a vegetational series has a disproportionate effect on the addition of species, primarily by the addition rather than the expansion of guilds. No basic relationship of species-packing within guilds is associated with bill or body size except frequently within two-member guilds. Estimated abundance and biomass of birds does not appear to be related to productivity of the habitats, in contrast to reports form the literature. Similarity of bird species composition is not related to similarity of foilage distribution, when like study areas are compared. Avifaunas of grasslands generally differed more among themselves than did those of forests. Bird species overlaps were correlated with foilage height overlaps only for part of the variational range for two- and three-layered habitats, and little if at all for grasslands. Width of @'habitat-niche@' is not related to numerical dominance, taxonomic or ecological categories. Because many of these results do not coincide with previous attempts at ecological generalization, great care in such attempts seems strongly indicated. Studies should be made of meticulously delineated subcommunities, resource measurement, and reproductive success, as well as events in the nonbreeding season.
Article
Species diversity, microhabitat separation, microhabitat shifts and body size patterns are examined in seven sympatric rodent species. Habitat separation and seasonal shifts are identified by multiple-group discriminate analysis on microhabitat variables representing shrub structure and substrate patchiness. The rodents form two functional groups. Four permanent, year-round residents (Peromyscus eremicus, Neotoma lepida, Neotoma fuscipes, and Dipodomys agilis) show significant separation on habitat structure and some temporal habitat shifts. Three seasonal residents (Peromyscus maniculatus, Peromyscus, and Reithrodontomys megalotis) show no microhabitat shifts and have a greater frequency of microhabitat overlap with one another and with permanent residents. There is no relationship between niche breadth and population density for any given species; however, as a group, seasonal residents show reduced breadth with increased population density. The significance of this pattern is discussed with respect to ecological opportunism of seasonal residents. The pattern of body size differences within the fauna is examined in light of habitat structure. Pairwise differences in habitat structure and body size are positively correlated. The data show that permanent residents are more different from one another in body size and structural habitat than pairs in which at least one species is a seasonal resident. Increased similarity in body size and microhabitat structure may not favor year-round coexistence in some pairs of species. The most similar-sized pair of species are congeneric deer mice (P. eremicus and P. maniculatus), and in addition to seasonal separation, they show niche difference by habitat structure.