Article

Psicose e depressão na epilepsia do lobo temporal

Journal of Epilepsy and Clinical Neurophysiology 12/2007; 13(4):163-167. DOI: 10.1590/S1676-26492007000400004

ABSTRACT

INTRODUÇÃO: A epilepsia traz consigo um risco aumentado de desenvolvimento de distúrbios psiquiátricos. Pacientes com epilepsia parcial têm um risco maior do que aqueles com epilepsia generalizada idiopática. Além disso, a condição crônica das crises parece ser um fator importante no risco aumentado. Os sintomas resultam de mecanismos psicopatológicos muito diversos entre os pacientes. As classificações são baseadas na sintomatologia psiquiátrica, na presença ou ausência de distúrbios da consciência, em anormalidades do EEG e na relação temporal entre os sintomas e as crises. RESULTADOS: Comorbidades psiquiátricas em epilepsia são muito freqüentes, especialmente aquelas que têm o lobo temporal como área epileptogênica principal. As desordens com maior prevalência são os distúrbios de humor como depressão maior, ansiedade e psicose. CONCLUSÃO: A epilepsia do lobo temporal per se, não pode ser considerada um fator de risco para o desenvolvimento de sintomas psiquiátricos, ou mais severos, dentre os pacientes com epilepsia parcial. Fatores concomitantes como duração da epilepsia e freqüência de crises podem ter um papel adicional importante. O reconhecimento mais acurado das comorbidades psiquiátricas poderá ajudar no desenvolvimento e implementação de programas apropriados de diagnóstico e tratamento, assim como melhorar o devir e a qualidade de vida dos pacientes com epilepsia.

Download full-text

Full-text

Available from: Ludmyla Kandratavicius