Revista Eletrônica Acervo Saúde

Published by Revista Eletronica Acervo Saude
Online ISSN: 2178-2091
Publications
Objective: The study aimed to evaluate the potential effects of flaxseed in atherogenesis on rabbits submitted to a hypercholesterolemic diet to 0,5% of cholesterol. Methods: The experiment lasted eight weeks and 32 male New Zealand rabbits were randomized into three groups (G1=11, G2=10 and G3=11). All of them received, during the trial period, the diet Nuvilab® increased with 0.5% cholesterol from lyophilized egg. From the 5th to 8th week, in the G2, was added in the hypercholesterolemic diet 8g/kg of crushed flaxseed, totaling an average of 30g/day. The same amount of crushed flaxseed was added since the beginning of the experiment to G3. Blood samples were collected in the beginning and end of the study to analyze total cholesterol, LDL-C, HDL-C and triglycerides. The euthanasia was performed on the sixty-fifth day to remove the aorta. Despite the increase in TC and LDL-C that occurred in the three experimental groups, it was statistically lower in G3. Morphometric analysis of the intima layer showed a statistically significant difference between groups (p=0.030). Results: There was no statistical evidence in immunohistochemical analysis of inflammatory markers. Conclusion: The consumption of crushed flaxseed showed anti-atherogenic effects on the intimal thickening.
 
Objetivo: Despertar nos profissionais e acadêmicos de Enfermagem e outras áreas das ciências da saúde a conscientização e importância na leitura da obra para processo de identificação, cuidados e tratamento no atendimento ao paciente séptico. Métodos: Análise descritiva. Discussão: A análise da obra Sepse: um problema de saúde pública - A atuação e colaboração da Enfermagem na rápida identificação e tratamento da doença demonstra um aumento significativo de casos de sepses em unidades de saúde e pouco conhecimento das equipes sobre o assunto. Considerações finais: Faz-se necessário que os profissionais da enfermagem e de outras áreas das ciências da saúde, estejam em constante desenvolvimento profissional, aprimorando seus conhecimentos, principalmente em agravos a saúde humana. No caso da sepse, sendo hoje considerada um grave problema de saúde pública, a obra apresentada vem proporcionando aos seus leitores grandes contribuições para o planejamento da assistência e para a tomada de decisão clínica baseada em evidências.
 
Objetivo: Relatar o caso de uma paciente com ascite causada por hipotireoidismo associado com a elevação do marcador tumoral CA-125. Detalhamento do caso: Paciente feminina de 45 anos, com histórico de epilepsia secundaria a traumatismo crânio encefálico e de etilismo pesado em abstinência alcoólica há cerca de 3 meses foi encaminhada ao serviço de hepatologia da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará para elucidação etiológica de ascite. Durante investigação, foram descartadas doenças hepáticas, neoplásicas e infecciosas, sendo observado TSH >100UI/ml com ascite refratária. Após a introdução da terapia hormonal com levotiroxina em doses mais elevadas com 75 mcg/dia, houve resolução do quadro clínico de ascite da paciente. Considerações finais: Este caso é notável, porque a ascite causada por hipotiroidismo é uma condição clínica rara. Sendo essa causa incomum de ascite, uma doença de fácil diagnóstico e tratamento, que deve ser pesquisada quando outras etiologias mais comuns não explicam o quadro clínico do paciente em questão.
 
Objetivo: avaliar a influência da mídia nos hábitos alimentares de adolescentes de 13 a 14 anos de idade em escola privada. Métodos: participaram da pesquisa 94 adolescentes de ambos os sexos, de 13 a 14 anos de uma instituição privada de Montes Claros – MG. Os dados foram coletados por meio do questionário de frequência de consumo alimentar associado às horas despendidas em frente aos meios eletrônicos (televisão, videogame e computador). E realizou-se a aferição do peso e da altura para cálculo e classificação do Índice de Massa Corporal. Resultados: a propagada referente aos alimentos que os adolescentes mais assistem é o McDonalds (42,6% / n=40). A série La Casa de Papel foi a mais assistida no momento da refeição (22,3% / n=21) pelos adolescentes. Verifica-se que 52,1% (n=49) dos alunos apresentam sobrepeso. O computador é o meio eletrônico mais utilizado, seguida pela televisão. Percebe-se que os adolescentes com sobrepeso utilizam mais o computador, assistem à televisão e jogam videogame com maior frequência do que os adolescentes com o peso normal. Conclusão: a educação nutricional deve ser continuada para todas as faixas etárias, visando à melhoria da autonomia dos adolescentes na escolha dos alimentos e na consciência crítica e reflexiva.
 
Objetivo: Evidenciar as possíveis complicações do tratamento do hipertireoidismo com radioiodo 131. Revisão bibliográfica: O hipertireoidismo é uma síndrome clínica resultante da exposição dos tecidos corporais a altas concentrações de hormônios tireoidianos. As etiologias mais comuns são a Doença de Graves, adenomas hiperfuncionantes únicos, bócio multinodular tóxico e tireoidite de Hashimoto. Além disso, acomete cerca de 0,8% da população na Europa e 1,3% nos EUA, sendo mais prevalente entre o sexo feminino e pessoas brancas. O radioiodo 131 é a primeira linha de tratamento para o hipertireoidismo, sendo considerado seguro, de fácil manuseio, baixo custo e eficiente para a terapêutica de patologias benignas e malignas da tireoide. Considerações finais: Embora essa terapia disponha diversos benefícios, foi identificado algumas complicações, como o desenvolvimento de hipotireoidismo, alterações hematológicas, pulmonares, aparecimento de tumores, cardiomiopatias, dano na tireoide de fetos, além de risco aumentado de exacerbação da oftalmopatia. Desse modo, é imprescindível que o profissional tenha atenção redobrada aos pacientes com contraindicações e avalie o risco-benefício individualmente para que o tratamento ideal seja escolhido.
 
Objetivo: Analisar prevalência e identificar perfil dos pacientes acometidos por acidentes por animais peçonhentos no território brasileiro. Métodos: Estudo transversal descritivo através de dados epidemiológicos. Informações foram obtidas no DATASUS, nas subseções do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) e Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM). Resultados: Foram notificados 2.456.217 acidentes com animais peçonhentos no Brasil. O sexo mais acometido foi masculino (56%), a faixa etária mais comum é 20 e 39 anos, a raça predominante foi parda (42,8%) e escolaridade do 5° ao 8° anos incompletos (11,4%). O agente agressor de destaque foi escorpião (51,2%) e na evolução, houve predomínio da cura sem sequelas (91,5%). No SIM, a região Nordeste se destacou quanto à quantidade de falecimentos (14,3%) e 2019 obteve maior soma de mortes (4,6%). O maior número de óbitos acometeu a população masculina (33,79%), acima dos 60 anos (8,7%), pessoas pardas (25,8%) e com 1 a 3 anos estudados (12,3%). Conclusão: Há alta prevalência de acidentes e correlação com urbanização, ocupação e bioma. Acometidos são jovens do sexo masculino, com baixa escolaridade e cor parda. Mortalidade associa-se a idade, espécies e atendimento.
 
O objetivo deste estudo foi avaliar as taxas e os desfechos de peritonite, além de características gerais de pacientes submetidos à diálise peritoneal automatizada em um centro de diálise de Passo Fundo, RS, Brasil. Foi realizado um estudo retrospectivo descritivo onde foram avaliados dados sociodemográficos, clínicos e laboratoriais. De 213 pacientes analisados, 88 apresentaram 181 episódios de peritonite. A idade média foi de 51,7 anos, 53,4% eram do sexo feminino e 36% eram diabéticos. Bactérias Gram-positivas foram a causa mais frequente (37,7%), com predominância de Staphylococcus coagulase-negativos (SCN) em 14,7% e Staphylococcus aureus em 13% dos casos. Em 32% dos episódios não houve detecção de micro-organismos. A taxa global de peritonite foi de 0,33 episódio/paciente/ano (ep./ano) e por micro-organismo foi de 0,048 para SCN, 0,042 para S. aureus e de 0,057 para bactérias Gram-negativas. Quanto aos desfechos, houve maior percentual de cura em peritonites por bactérias Gram-positivas (82%) do que por Gram-negativas (60,6%), infecções mistas (50%) e fungos (18%). Remoção de cateter e óbito foram mais frequentes nos casos de peritonite fúngica, polimicrobianas e por Gram-negativos. As taxas de peritonite encontram-se dentro dos limites preconizados pelas diretrizes internacionais.
 
Objetivo: Descrever as formas de enfrentamento e de operacionalização do trabalho na Atenção Primária à Saúde frente à pandemia de COVID-19. Revisão bibliográfica: A pandemia da COVID-19 trouxe um desafio para o sistema de saúde e a sociedade com inúmeras repercussões sobre a estrutura do processo de trabalho nos serviços de saúde. Impôs a organização e adequação dos serviços de atenção à saúde, com a definição de papeis e fluxos, seja no atendimento da COVID-19 ou para o enfrentamento das diversas necessidades de saúde que se apresentaram. Questões imprescindíveis como estabelecer protocolos adequados aos diferentes cenários sociais, a contratação de novos profissionais, o trabalho multiprofissional, as educações em saúde, assim como, o trabalho realizado através de mídias sociais tem sido fundamental para o período de pandemia. Considerações finais: A Atenção Primária à saúde organizada e com profissionais capacitados pode contribuir para mitigação dos efeitos de uma crise como a pandemia da COVID-19. Portanto, é de extrema relevância que esse importante instrumento seja fortalecido e priorizado pelos gestores públicos.
 
Objetivo: Compreender as repercussões da pandemia da covid-19 na saúde mental dos adultos, durante o período de isolamento social. Revisão bibliográfica: O distanciamento social adotado para reduzir a infecção pelo SARS-CoV-2 provocou grandes mudanças no dia a dia, na economia e nas relações entre as pessoas. Além disso, a rotina dos indivíduos mudou durante o período de isolamento social levando a problemas do sono, apetite, conflitos familiares, uso de drogas lícitas e ilícitas, assim podendo desencadear ou agravar os transtornos de ansiedade e depressão. Durante a pandemia e consequentemente com o isolamento social, é natural que haja uma desordem emocional e psíquica na população, agravando sintomas de compulsão alimentícia, bem como ansiedade e depressão. Considerações finais: Assim, por meio da instauração da pandemia, é possível averiguar a desestruturação da população frente ao quadro, acompanhando assim o aumento na incidência e prevalência dos transtornos mentais no decorrer da pandemia do coronavírus.
 
Objetivo: Descrever as etapas para a produção de material didático anatomoclínico por alunos do curso de Medicina no período da pandemia da COVID-19. Relato de experiência: O material didático correlacionou pontos de referência e/ou vias de acesso de estruturas anatômicas abordadas no 1º semestre do curso de medicina com o contexto das práticas médicas cirúrgicas. A elaboração do material envolveu duas etapas: 1º: revisão dos tópicos teórico-práticos da Anatomia I, 2º: seleção de imagens cadavéricas, artigos científicos, casos clínicos e questões relacionadas a cada procedimento cirúrgico dos tópicos: cabeça, pescoço, tórax, membros superiores e inferiores. A produção do material de ensino gerou uma apostila teórico-prática com descrições detalhadas de cada procedimento, imagens sequenciais com legendas das regiões de referência ou vias de acesso necessárias para a realização do procedimento ou técnica cirúrgica, casos clínicos com questões norteadoras acerca do procedimento e/ou estrutura anatômica. Considerações finais: O material didático desenvolvido complementará os estudos teórico-práticos da disciplina Anatomia Humana e Cirúrgica, proporcionando em um único material correlações da ciência Anatomia com a futura prática do profissional médico.
 
Objetivo: Descrever e comparar variáveis de morbimortalidade dos casos de COVID-19 nos estados brasileiros. Métodos: Trata-se de um estudo ecológico descritivo e quantitativo. As informações coletadas foram obtidas no dia 14 de julho e agosto de 2020, por meio dos boletins epidemiológicos das Secretarias de Saúde dos 26 estados brasileiros e do Distrito Federal. Além disso, os elementos populacionais foram coletados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os dados obtidos foram analisados por estatística descritiva e dispostos em gráficos, com auxílio do software Microsoft Excel 2016. Resultados: Foi evidenciada ampla divergência de letalidade, incidência e taxa de recuperação entre os estados brasileiros conforme o recorte temporal, com variação conforme aspectos socioeconômicos e sanitários, densidade demográfica, renda, integração às políticas de prevenção, bem como acesso à saúde pública. Conclusão: Desse modo, houve a explanação do conteúdo epidemiológico acerca da doença causada pelo novo coronavírus, permitindo uma reflexão comparativa entre os estados, a qual, dentro dos limites gerados pela subnotificação, foi capaz de caracterizar variáveis de morbidade e mortalidade, expressando valores que influenciam nas estratégias de intervenção da saúde pública relativas ao contexto da pandemia mundial.
 
Objetivo: Revisar e descrever os impactos da pandemia da doença por coronavírus 2019 (COVID-19) nas crianças e adolescentes em seu cotidiano, saúde mental e física, abordando especialmente a perspectiva do isolamento social. Revisão bibliográfica: A pandemia da COVID-19 provocou diversas consequências sociais, econômicas, psicológicas e físicas, especialmente em populações mais vulneráveis como as crianças e os adolescentes. Observou-se mudanças desde os hábitos alimentares, até os padrões de saúde mental. Desse modo, o estudo optou por selecionar cinco principais impactos mencionados na literatura, como o uso de telas, o fechamento das escolas, a saúde mental, a alimentação e a violência doméstica. Considerações finais: O cotidiano das crianças e adolescentes foi significativamente afetado com a pandemia da COVID-19, devido a problemas financeiros e de saúde enfrentados por familiares. Nesse sentido, é de suma importância atentar-se à tal população nesse momento tão delicado, a fim de amenizar os impactos da pandemia em suas vidas.
 
Objetivo: Descrever a experiência de uma instituição de alta complexidade no acolhimento das famílias e dos pacientes hospitalizados durante a pandemia de COVID-19. Relato de experiência: Estudo qualitativo descritivo, do tipo relato de experiência, acerca do acolhimento hospitalar na pandemia de COVID-19 em um hospital universitário de alta complexidade do norte do Paraná. O estudo foi realizado por uma comissão de acolhimento multidisciplinar entre junho e novembro de 2020 e discutido em duas categorias, sendo a primeira “Proposta Articulada de Acolhimento”, e, a segunda, “O que aprendi acolhendo você e a sua família”. Considerações finais: A experiência fortaleceu o vínculo entre profissional, família e paciente, na forma como eles se constroem e a na potência de afetar a vida. A iniciativa promoveu o acolhimento do indivíduo e de seus familiares, propiciando, assim, uma experiência mais afetiva durante o período de hospitalização do paciente na pandemia. Espera-se que essa experiência sirva de exemplo para outras instituições implementarem ações de acolhimento durante e após a pandemia de COVID-19.
 
Objetivo: Analisar as repercussões clínicas e terapêuticas em portadores de doença reumática diante a coinfecção por SARS-CoV-2. Revisão bibliográfica: O surgimento do SARS-CoV-2 em dezembro de 2019 gerou uma mobilização internacional da comunidade científica a fim de elucidar repercussões clínicas e farmacológicas da COVID-19. Em portadores de doenças reumáticas, apesar de lesão tecidual relacionada a um estado de hiperinflamação do organismo pela COVID-19, estes apresentam um amplo espectro de disfunção imunológica, tornando a gravidade desta infecção altamente variável e potencialmente de maior risco. Esta condição determina certo desafio, visto que infecções graves são formalmente conhecidas como causa de mortalidade em diversas condições reumáticas. Considerações finais: A revisão visa auxiliar a prevenir complicações e ampliar a segurança aos portadores de doenças reumáticas que, apesar de dados majoritariamente preliminares e observacionais, corroboram com um desfecho favorável embora algumas observações acerca do tratamento devem ser salientadas além de seus potenciais fatores de risco.
 
Objetivo: Realizar uma revisão narrativa da literatura sobre as complicações cardíacas associadas a COVID-19, assim como os efeitos que o vírus provoca no coração. Revisão bibliográfica: Dentre os achados na literatura a respeito das complicações cardíacas destacaram-se aspectos sobre os fatores de risco, relacionados não só a COVID-19 de forma geral, mas também ao sistema cardíaco, foco da pesquisa. Entre os fatores de risco a presença de DM, de HAS e idade avançada foram as mais frequentes. Além disso, as comorbidades mais encontradas foram as complicações por danos no miocárdio, alterações na Troponina I cardíaca, lesões cardíacas agudas, tromboses venosas e arritmias e estão, na maioria das vezes, relacionadas a mortes durante a hospitalização. Considerações finais: Percebeu-se a relevância das consequências da COVID-19 no sistema cardíaco em pacientes com ou sem DCV prévias. Compreender esses efeitos do vírus no sistema cardíaco possibilita a existência de uma melhor intervenção na atuação profissional, tendo como objetivo a redução de mortes causadas por comorbidades cardiovasculares.
 
Objetivo: Destacar e revisar os principais aspectos relacionados à infecção pela Covid-19 e a manutenção ou interrupção do tratamento de pacientes hipertensos em uso de Inibidores da Enzima Conversora de Angiotensina (IECA) e Bloqueadores dos Receptores de Angiotensina (BRA). Revisão bibliográfica: A Covid-19 é uma doença infecciosa e possui diversas de manifestações clínicas, principalmente devido à expressão da Enzima Conversora de Angiotensina 2 (ECA 2). Alguns fármacos atuam diretamente nos receptores dessa enzima, como os IECA e os BRA, que atuam no Sistema Renina Angiotensina Aldosterona (SRAA) controlando os níveis pressóricos. Tais medicamentos aumentam a expressão da ECA2, favorecendo a via da angiotensina 1-7, diminuindo a pressão sanguínea, inflamação e fibrose. Pessoas hipertensas em uso do IECA/BRA têm essa via favorecida. Considerações finais: Os medicamentos anti-hipertensivos IECA/BRA diminuem a ação da angiotensina II e aumentam a expressão da ECA2, evidenciando-se a hipótese dos potenciais efeitos benéficos aos pacientes com COVID-19, através da diminuição da carga viral de pacientes internados, e da melhora do prognóstico do quadro.
 
Objetivo: Analisar a violência doméstica contra a mulher em tempos de pandemia COVID-19 descrita na literatura científica. Métodos: Trata-se de uma revisão integrativa realizada em seis etapas, utilizando a questão norteadora: “Qual o comportamento da violência contra a mulher frente à pandemia do COVID-19?”. O levantamento bibliográfico foi realizado nas plataformas BVS, SciELO, LILACS e MEDLINE nos meses de abril e maio de 2021, sendo obtido 3.183 artigos, que após os critérios estabelecidos, foram selecionados 14 estudos. Resultados: O distanciamento social cria as condições ideais para que os elementos da violência sejam ampliados e muitas vítimas tenham dificuldade em denunciar o agressor. O aumento da violência tem graves repercussões físicas, mentais, reprodutivas, emocionais, de saúde e segurança para as mulheres e seus filhos. Como forma de combater esse tipo de violência, é necessário o apoio do Estado com maior agilidade, bem como seu papel no fortalecimento da segurança das mulheres em situação de vulnerabilidade. Considerações finais: Portanto, as denúncias devem ser incentivadas para combater a impunidade do agressor e buscar reduzir a subnotificação dos casos.
 
Objetivo: Realizar a comparação do perfil epidemiológico da Tuberculose (TB) no Estado do Pará, fazendo uma comparação da doença em momentos distintos, antes e após o surgimento da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS-COV-2). Métodos: Trata-se de um estudo observacional descritivo com abordagem quantitativa, realizado pelo levantamento de dados do Sistema de Informações de Agravos de Notificação (SINAN), referente a casos de TB no cenário pré e pós Covid-19 (2016 a 2021). Resultados: Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) o Brasil consta entre os 20 países com as mais altas incidências por casos absolutos de TB do mundo, o Pará apresenta uma média anual de 4.166 casos de tuberculose, estar relacionado a questões no desenvolvimento social, precariedade na saúde; deficiência da gestão pública, que limitam as ações de prevenção, por consequência, tem-se aumento dos casos da doença. Em 2020, observou-se uma queda de 16% na notificação de casos novos em comparação a 2019. Esses números podem ser explicados, pelas medidas preventivas adotadas durante a pandemia. Conclusão: O estado do Pará apesar das adversidades sociais e econômicas tem demostrado redução nos índices da TB e do novo coronavírus, segundo os boletins epidemiológicos, isso pode estar ligado as medidas de distanciamento social.
 
Objetivo: Discutir a saúde mental no contexto da pandemia da doença do Coronavírus 2019 (COVID-19). Revisão bibliográfica: diante da pandemia causada pela COVID-19, declarada em março de 2020, pela Organização Mundial da Saúde, vários estudos vêm demonstrando um maior risco de desenvolvimento de síndromes psiquiátricas nos pacientes com COVID-19, bem como nos profissionais da saúde da “linha de frente”. As causas propostas incluem alterações neurológicas, consequentes à infecção pelo vírus e o estresse gerado pela situação pandêmica, como as medidas de isolamento social adotadas, o receio de transmitir a doença inadvertidamente para amigos e familiares e as perdas financeiras. Outro fator considerado importante é a sobrecarga de trabalho com a grande quantidade de pacientes e perda de médicos e enfermeiros por morte ou afastamento por doença. Considerações finais: É imprescindível a estruturação de uma rede de apoio psicológico e psiquiátrico para os indivíduos mais afetados pela pandemia, de modo a possibilitar intervenções precoces, se necessárias.
 
Objetivo: descrever achados relatados na literatura de alterações sensoriais da função auditiva, olfativa e gustativa presentes em pacientes com Covid-19. Revisão Bibliográfica: Registros científicos têm apresentado alterações neurológicas em pacientes com Covid-19. Os distúrbios olfativos e gustativos têm sido prevalentes entre eles, afirmando que a súbita anosmia ou ageusia precisam ser reconhecidas pela comunidade científica como sintomas importantes para o rastreio da infecção. Quanto à função auditiva, sintomas primários como perda auditiva neurossensorial, além de alterações significativas de limiares de tons puros de alta frequência e amplitudes das emissões otoacústicas evocadas transientes foram identificados em pacientes com teste positivo para a Covid-19. Os estudos relatam que apesar de complicações audiológicas pelo novo coronavírus ser pouco mencionadas na literatura, estudos mais aprofundados sobre essas possíveis manifestações clínicas na Covid-19 é de extrema relevância afim auxiliar no diagnóstico precoce da doença. Considerações finais: Diante do exposto, podemos considerar que os sintomas auditivos, bem como de anosmia e ageusia podem se apresentar como a única manifestação da infecção pelo novo coronavírus sendo importante a investigação desses sintomas além do conhecimento a partir de novas pesquisas sobre os mecanismos patogênicos que levam ao envolvimento dessas afecções.
 
Objetivo: Compreender a interação fisiopatológica bidirecional entre a Covid-19 e o diabetes mellitus e como interfere na homeostase do indivíduo. Revisão bibliográfica: O sistema imune inato é a primeira linha de defesa contra a Covid-19 e em pacientes com diabetes mellitus o sistema está comprometido. Além disso, no paciente com diabetes mellitus a infecção por Covid-19 altera a morfologia e funcionamento das células pancreáticas reduzindo a quantidade de grânulos secretores de insulina e estimula a secreção desse hormônio por glicose prejudicada. Ademais, a ineficácia da insulina provoca no diabético um estado de hiperglicemia e a Covid-19 pode levar ao agravamento da resistência à insulina, essa resistência é caracterizada por uma desregulação entre a quantidade de insulina produzida e o funcionamento. Portanto, é imperioso o controle da taxa glicêmica nestes pacientes para reduzir a incidência de complicações que o vírus pode causar. Considerações finais: O Coronavírus 2019, é um vírus novo e que ainda precisa ser melhor estudado devido a sua influência direta ou indireta nos diversos sistemas orgânicos bem como a associação com outras comorbidades como o diabetes mellitus.
 
Objetivo: Analisar os dados da COVID-19 entre as regiões do Brasil, comparando as realidades distintas, levando em consideração as taxas de mortalidade, letalidade, incidência e isolamento social. Métodos: Trata-se de um estudo observacional analítico. Foram analisadas a partir da densidade demográfica, as taxas de incidência, mortalidade, letalidade e isolamento social. Ademais, foram levantados dados referentes ao número de leitos público e privados disponíveis para COVID-19 em cada estado do país. Para análise das associações foi utilizado a correlação de Spearman entre as variáveis densidade populacional, número de casos, número de leitos e quantidade de óbitos nos estados brasileiros. Resultados: O estudo avaliou 3.817.904 casos confirmados e 120.530 óbitos em todo o Brasil, sendo que a letalidade geral foi de 3,15. A Região Norte apresentou as maiores taxas de incidência e a região Sul apresentou as menores taxas de incidência. Com esses dados, foi possível verificar a existência de uma relação positiva entre as taxas de incidência e mortalidade. Conclusão: O estudo demonstrou uma enorme discrepância epidêmica e socioeconômica entre as regiões brasileiras, implicando diretamente na incidência e mortalidade por COVID-19.
 
Objetivo: Relatar a experiência de estudantes do 9° período do curso de enfermagem de instituição de ensino privada em uma instituição de ensino do fundamental I do DF após a pandemia da Covid-19. Relato de experiência: As consultas foram realizadas do dia 2 a 14 de junho de 2022, mediante ficha de atendimento pré-elaborado para pré-adolescentes para nortear os acadêmicos de enfermagem na condução da assistência sobre diversos temas como: dinâmica familiar, hábitos alimentares, higiene corporal e bucal, antecedentes patológicos pessoais e familiares, avaliação psicológica, fatores de risco como violências, automutilação e autoextermínio. Considerações finais: O estágio na escola foi importante pois os acadêmicos puderam perceber as necessidades de saúde corriqueiras das crianças e adolescentes e o aumento dessas demandas advindas do isolamento social pela pandemia da Covid-19. Assim como a atuação protagonista do enfermeiro em reconhecer sinais de risco para essa população e estabelecer as devidas intervenções no intuito de garantir a proteção à saúde.
 
Objetivo: Abordar e revisar o risco de infecção dos profissionais de saúde durante os procedimentos laparoscópicos em pacientes infectados pelo SARS-CoV-2, além de salientar as medidas para minimizar a chance de contaminação. Revisão bibliográfica: Sabe-se que o SARS-CoV-2 apresenta capacidade de infectar diferentes tecidos do corpo humano, como os gastrointestinais. À vista disso, cirurgias abdominais executadas em tecidos infectados pelo vírus podem acarretar a suspensão deste patógeno nos aerossóis liberados pela fumaça cirúrgica ou pelo pneumoperitônio. Dessa forma, o contato da equipe cirúrgica com essa fumaça constitui um fator de risco para a infecção pelo SARS-CoV-2. Todavia, dentre as técnicas disponíveis, a abordagem laparoscópica, apesar de também demonstrar risco de disseminação de partículas virais, possibilita a construção de um ambiente cirúrgico mais seguro, sobretudo se associado às medidas de proteção individual e às técnicas cirúrgicas adequadas. Nesse sentido, é imprescindível a qualificação da equipe, a fim de minimizar a dispersão dos gases potencialmente contaminados. Considerações finais: Por ser um tema recente e controverso, são necessários novos estudos a fim de elucidar a menor dispersão de gases cirúrgicos durante os procedimentos laparoscópicos no paciente com COVID-19.
 
Objetivo: Descrever sobre a atenção às pessoas com hanseníase frente à pandemia da COVID-19 por meio de uma revisão narrativa. Revisão Bibliográfica: A hanseníase constitui uma doença que requer tratamento prévio, completo e sem interrupção, evitando assim, deformidades e incapacidades físicas permanentes. Com a pandemia por COVID-19 houve mudanças na vida das pessoas para adequação da nova realidade vivenciada mundialmente no intuito de conter a disseminação da doença o que em sobremaneira afetará também, outros agravos, inclusive a estratégia de eliminação da hanseníase. Sendo assim, para garantir o tratamento da hanseníase assim como a descoberta de casos novos, os serviços de saúde precisaram estabelecer adequações nos processos de trabalho dos profissionais e estratégias para atendimento aos pacientes. Além disso, o Ministério da Saúde liberou notas técnicas para as Unidades Federativas sobre condutas a serem adotadas com os pacientes de reação hansênica. Considerações finais: Os profissionais de saúde devem trabalhar em conjunto, adotando ações de assistência para que a eliminação da hanseníase não se perca com o direcionamento de recursos para a COVID-19.
 
Objetivos: Avaliar através de uma revisão narrativa a relação risco-benefício do uso da cloroquina e do sulfato de hidroxicloroquina no tratamento da COVID-19, nas dosagens preconizadas pelo Ministério da Saúde, levando em consideração o possível prolongamento do intervalo QT. Revisão bibliográfica: Os estudos analisados demonstraram tanto resultados benéficos quanto nenhum resultado no combate ao SARS-Cov-19. Entretanto, explicitaram a ocorrência do prolongamento do intervalo QT em 9,1% a 25% dos pacientes, sendo este efeito adverso e suas consequências dose-dependentes. Esta repercussão adversa apresenta caráter grave, sendo potencialmente fatal. Considerações finais: Apesar de os trabalhos serem divergentes entre si, o prolongamento do intervalo QT foi frequente, evidenciando a necessidade de um monitoramento eletrocardiográfico subsequente dos pacientes. Além disso, é necessário produzir maior quantidade de estudos para uma conclusão segura acerca do uso seguro da terapia avaliada, visto que os riscos do uso da cloroquina e do sulfato de hidroxicloroquina devem ser superados pelos benefícios do tratamento, que ainda apresenta sua eficácia em discussão.
 
Objetivo: Abordar os benefícios antivirais e imunológicos do uso de probióticos no combate de infecções respiratórias virais agudas, como as causadas pelo Coronavírus da Síndrome Respiratória Aguda Grave 2 (SARS-CoV-2). Revisão Bibliográfica: Em 2 de abril de 2020 o SARS-CoV-2, causador de infecções respiratórias virais agudas, já era uma pandemia com o número mundial de casos confirmados de 900.306, em 206 países, com um total de mortes de 45.693. Em virtude da falta de vacinas e tratamentos disponíveis até o momento, o uso de alternativas como os probióticos, é uma estratégia viável baseada em comprovados resultados positivo. Probióticos são moduladores do sistema imunológico do hospedeiro, tendo ação antiviral por interferir na fixação, invasão e até na inibição da replicação viral. Resultados in vitro revelaram ainda, que produtos metabólicos da linhagem N4 de Lactobacillus plantarum apresentaram atividade significativa anti-TGEV, um membro dos Coronavírus. Considerações finais: Apesar de ainda não existirem dados do efeito de probióticos em pacientes com a COVID-19, estudos sobre os efeitos de probióticos em infecções causados por outros vírus causadores de Infecção do trato respiratório superior (URI), sugerem potencial efeito benéfico na saúde da população em meio a pandemia.
 
Objetivo: Analisar as mudanças comportamentais e de compreensão da higiene devido a Covid-19. Métodos: Misto, adotando um primeiro momento uma análise quantitativa e, subsequente, uma qualitativa. Realizada a aplicação de um formulário em que os participantes classificaram suas medidas sanitárias antes e durante a pandemia por meio da escala de Likert, seguida de entrevistas com os participantes de resultados mais relevantes na etapa anterior. Dados analisados de acordo com a análise de conteúdo de Bardin. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de ética e pesquisa. Resultados: Constatou-se um expressivo aumento de medidas sanitárias. Foram separados 3 grupos: Aqueles que tiveram alta adesão, os de regular adesão e os de baixa adesão. Se destacaram as expressões reforçando a importância da higiene das mãos e do uso das máscaras, mas com desconexão entre o comportamento adotado e o conhecimento sobre o vírus. A análise também constatou uma relação de culpa e obrigação moral atrelada as medidas de isolamento físico. Conclusão: As mudanças são notórias, mas não é claro se serão medidas que permanecerão após a pandemia, além de um claro descompasso entre as vias de transmissão e as estratégias de proteção mais adotadas.
 
Objetivo: Observar o risco de transmissão da COVID-19 durante a amamentação e os principais cuidados necessários em sua execução. Métodos: Revisão sistemática, realizada em julho de 2020, na Biblioteca Virtual em Saúde, com os descritores “Lactante”, “Recém-Nascido” e “COVID-19”, disponíveis na íntegra. Assunto principal: infecção por coronavírus, publicados em 2020. Resultados: Foram localizados 172 artigos; após remoção dos duplicados, indisponíveis, uso dos filtros e critérios de elegibilidade, restaram 9 para análise. Observou-se que o leite materno é o melhor alimento para o neonato, sendo importante também para o desenvolvimento do seu sistema imunológico. Quanto à COVID-19, as evidências foram insuficientes para afirmar a transmissão do vírus, embora não tenha sido encontrado nas amostras de leite analisadas. Há controvérsias nos textos quanto aos riscos e benefícios da amamentação no contexto pandêmico. No entanto, muitos autores recomendam o alojamento conjunto e a prática da amamentação. Considerações Finais: Não há evidências robustas da presença do vírus no leite materno ou do risco de transmissão durante a amamentação. Recomenda-se que as puérperas infectadas sejam orientadas quanto aos cuidados para prevenir que gotículas com vírus cheguem ao neonato por vias aéreas. As informações encontradas na literatura são limitadas, é necessário que mais estudos sejam realizados.
 
Objetivo: Realizar um apanhado na literatura das informações mais recentes acerca do risco de infecção cruzada durante atendimento odontológico, bem como abordar cuidados de prevenção da contaminação por COVID-19. Métodos: Revisão Sistematizada da Literatura. Foi realizada uma busca completa por estudos recentes nas bases de dados PubMed, Science Direct, Scielo e Lilacs, a partir dos Descritores em Ciências da Saúde “DENTISTRY, CROSS INFECTION, COVID-19”, inseridos na plataforma de maneira cruzada adotando a expressão booleana AND. Dos 40 artigos identificados e selecionados para análise, 34 foram excluídos por apresentarem um ou mais critérios de exclusão. Portanto, seis artigos foram qualificados para inclusão nesta revisão. Resultados: Todos os trabalhos consultados apontam que apesar do alto risco de contaminação devido à proximidade com o paciente durante o atendimento e formação de aerossóis, a utilização de equipamentos de proteção individual e seguir normas de segurança tendem a reduzir drasticamente o índice de contaminação. Considerações finais: A pandemia do COVID-19 tem causado efeitos negativos em todo o mundo. Cabe a cada indivíduo seguir e respeitar as orientações de saúde para uma melhora dessa condição.
 
Objective: To evaluate the consumption of vitamin, flu, antibiotic, anti-inflammatory and antiparasitic medications before and during the COVID-19 pandemic in a community pharmacy in Teresina, in the state of Piauí, Brazil. Methods: This retrospective observational case study evaluated the consumption of five classes of medications, including vitamins, flu, antibiotics, anti-inflammatory and antiparasitic drugs, in the period before and in the pandemic. Data analyses were performed using the SPSS program, and p<0.05 was significant. Results: During the pandemic period, vitamin (36%), flu (34%), and antiparasitic (22%) drugs were the most consumed during the study period. The chi-square test of independence showed an association between medication consumption (influenza, ivermectin, antiparasitic, multivitamins, and vitamin C) and the COVID-19 pandemic. When comparing the period before and during the pandemic, it was observed that only the drug ivermectin used as off-label had an increase in consumption of 917.65%. Conclusion: The study corroborated the national and international results that observed a significant increase in the consumption of some medications, especially ivermectin and multivitamins. Then, our results reinforce the importance of the correct use of drugs, the risks of self-medication and the monitoring of patients using drugs in an off-label regimen.
 
Objetivo: Relatar a implantação de uma farmácia satélite, bem como a elaboração de protocolos, ações gerenciais e farmacêutico-clínicas no enfrentamento da pandemia COVID-19, em um hospital público de alta complexidade da região amazônica, referência em atendimento a pacientes acometidos pela COVID-19. Relato de experiência: Este relato concerne sobre as atividades clínicas e gerenciais desenvolvidas pelos farmacêuticos de um hospital público da região amazônica durante a pandemia causada pelo SARS‐CoV‐2, ações que se fizeram notáveis e de suma importância, baseadas na criação de protocolos clínicos, estruturação de setores, adequação de rotinas e comunicação efetiva com a equipe multiprofissional, buscando atualização contínua e adaptação aos desafios que foram surgindo. Considerações finais: A pandemia pelo vírus SARS‐CoV‐2, trouxe diversos desafios e expôs as fragilidades na assistência em saúde, por ser algo sem precedentes, entretanto também reforçou a importância do farmacêutico na equipe multidisciplinar para melhora da assistência prestada através de atividades clínicas e gerenciais.
 
Objetivo: Revisar a produção científica nacional sobre a magnitude dos efeitos físicos e mentais da Síndrome de Burnout (SB) em profissionais de saúde, com ênfase na comparação das características antes e durante a pandemia da COVID-19. Métodos: Trata-se de uma revisão integrativa da literatura, efetivada por artigos originais e completos publicados nas bases de dados: SCIELO, LILACS e GOOGLE ACADÊMICO, em língua portuguesa, espanhola e inglesa, publicados entre 2015 a 2020. Resultados: Foram incluídos 15 artigos na amostra final do estudo. Observou-se que os profissionais de saúde são os mais propensos ao desenvolvimento da SB e que durante uma pandemia, como da COVID-19, os fatores deliberativos para o acometimento ou intensificação dos sintomas se tornam constantes no cotidiano, permeando em um estado grave de exaustão física e emocional que ocasiona no desenvolvimento e progressão da síndrome no decorrer do período. Considerações finais: O presente estudo constatou que a efetividade do trabalho de profissionais da saúde depende de seu bem-estar, portanto, a sua saúde mental é fundamental para a qualidade de vida, sendo necessário o maior enfoque nesta ciência para uma excelente assistência a população, principalmente em momentos de emergência.
 
Objetivo: Realizar uma revisão integrativa da literatura sobre o uso de medicamentos no manejo da COVID-19 provocada pelo novo coronavirus. Métodos: Foi realizado uma revisão sistemática da literatura das publicações sobre COVID-19 e o tratamento associado nas bases de dados Scientific Eletronic Library Online (SciElo) e Publicação de Medicina (PubMed), utilizando critérios de inclusão para coleta de artigos e descritores “COVID” e “Medicamento”. Resultados: Foram encontrados 6 artigos na SciElo, após critério de recorte temporal não foi excluído nenhum, contudo após critério de temática foi escolhido apenas um (1) artigo para análise. Já analisando o PubMed, foram encontrados 5.225 resultados e dentre esses, ficaram 2.200 após critério de recorte temporal, 1.173 após critério de texto completo sem custo para os autores desses, 76 continuaram no processo de escolha após passar pelo critério de assunto e temática e, por fim, foram encontrados 18 com maior nível de relevância dentro do PubMed. Considerações finais: Foram encontradas diversas pesquisas que tentam associar medicações com taxas de cura, contudo não foi possível encontrar uma pesquisa conclusiva que associasse um medicamento relacionado à cura do COVID-19.
 
Objetivo: Discorrer sobre possíveis relações da Ventilação Não Invasiva (VNI) para pacientes com COVID-19 e o enfisema subcutâneo. Revisão bibliográfica: Entre as medidas de intervenção utilizados e recomendadas para a Covid-19, está a pressão positiva não-invasiva. A literatura indica uma melhora no desfecho clínico com a utilização da pressão positiva não-invasiva, entretanto a presença de efisema subcutâneo foi uma realidade para alguns pacientes submetidos ao procedimento de ventilação não-invasiva. Essa associação entre ventilação não-invasiva com o desenvolvimento de efisema subcutâneo foi intensificada para pacientes com a Covid-19. Considerações finais: O enfisema subcutâneo pode ser ocasionado tanto pelo aumento da pressão intratorácica promovida pelo uso da VNI, quanto por fragilidade do parênquima pulmonar e mecanismos inflamatórios causados pela doença. Alguns autores sugeriram que o mecanismo de formação do enfisema subcutâneo pode ser provocado pela Covid-19, que gera um dano alveolar tão intenso que torna a parede alveolar propensa a ruptura e que pode ser potencializado por qualquer fator que aumente a pressão intra-alveolar, sendo os mecanismos possíveis causadores: a tosse, o esforço inspiratório e uso da VNI.
 
Objetivo: Relatar a experiência de uma ação educativa remota sobre prevenção da COVID-19 no município de Parnaíba-PI. Relato de experiência: Trata-se de um estudo descritivo do tipo relato de experiência abordando a experiência de nove discentes do curso de Medicina de uma universidade pública do Nordeste do Brasil. O grupo desenvolveu estratégias educativas em saúde acerca da prevenção da COVID-19 e avaliou o efeito da implementação destas estratégias. O público-alvo das ações constituiu-se em estudantes do 1º ao 9º ano do ensino fundamental, de 11 escolas públicas e privadas. Desenvolveram-se estratégias educativas remotas como vídeos, músicas, teatro de marionetes e jogos acerca de ações preventivas da COVID-19. Participaram da intervenção 359 alunos. Além disso, foram aplicados dois formulários para avaliar o conhecimento dos alunos sobre o tema antes e depois da intervenção educativa. Considerações finais: A ação possibilitou a disseminação de medidas preventivas em relação à pandemia de COVID-19 com o intuito de mitigar a transmissão nos ambientes escolares. Também proporcionou uma evolução significativa no conhecimento dos alunos participantes com melhoria das habilidades para criação de atividades lúdicas no novo contexto de forma remota.
 
Objetivo: Descrever o impacto do COVID-19 na prática odontológica mediante os métodos de prevenção adotados aos desafios decorrentes da fácil transmissibilidade viral. Métodos: Trata-se de uma revisão de literatura, onde foram utilizados artigos nacionais e internacionais publicados nos últimos três meses (janeiro-março de 2020), indexados em duas bases de dados: PubMed e MEDLINE. Para seleção dos artigos utilizou-se os descritores “Coronavírus (Coronavirus)” and “Prática Odontológica (Dental Practice)”, resultando em uma amostra de (n=5) artigos para leitura completa. Resultados: Os profissionais da Odontologia se enquadram em grupos de grande exposição ao Covid-19, considerando que o ambiente odontológico favorece a infecção cruzada permitindo um maior índice de contagio viral, devido a uma comunicação face a face, exposição a aerossóis compostos de saliva, sangue e outros fluidos. Protocolos rigorosos e eficientes são necessários para o controle da transmissão. Para tanto, os profissionais da Odontologia necessitam possuir conhecimento sobre os requisitos de prevenção e controle do Covid-19. Considerações finais: Os cirurgiões-dentistas desempenham importante papel no controle e prevenção do Covid-19, dessa forma, durante a pandemia deve-se priorizar os atendimentos de urgência, além de reforçar as medidas de biossegurança e anamnese detalhada em busca dos sintomas da doença.
 
Objetivo: Relacionar os impactos da COVID-19 sobre os profissionais de saúde no contexto pandêmico. Métodos: Realizou-se uma revisão literária nas seguintes bases de dados científicos da área médica: SciELO, PUBMED e BVS-Bireme. Como critérios de inclusão, foram filtrados apenas artigos originais, revisões, diretrizes e recomendações de órgãos científicos oficiais publicados em 2020 com os descritores “Pessoal de Saúde”, “Infecções por Coronavirus”, “Impactos na Saúde”, “Pandemias”, e excluídos artigos anteriores ao ano de 2020. Resultados: Foram relatados os números de profissionais de saúde mortos e infectados através dos artigos revisados e pelos órgãos governamentais de saúde dos países consultados, além da constatação dos impactos relacionados à disponibilidade de material hospitalar, afecções psicossociais e surgimento ou agravo de doenças pré-estabelecidas. Considerações finais: Os profissionais de saúde representam um grupo de grande vulnerabilidade diante da atual pandemia de COVID-19. Os impactos mais relevantes se concentraram na escassez de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), falta de apoio de instituições e autoridades públicas, carência de suporte psicológico e o risco de contágio que eleva sensações de medo e pânico generalizados nessas pessoas.
 
Objetivo: Analisar através de uma revisão as apresentações clínicas mais relevantes da infecção pelo SARS-CoV-2. Revisão Bibliográfica: O COVID-19 possui um espectro amplo de apresentações. A forma assintomática é um desafio diagnóstico, levando à subnotificação. Acredita-se que ocorram em indivíduos com eficiente defesa antiviral e resposta imune efetiva, mas incapazes de bloquear completamente o vírus. A Síndrome Gripal Leve representa 80% dos casos sintomáticos, manifestados através de febre, tosse, fadiga, dispneia e mialgia. Os casos graves, de 5-10% dos sintomáticos, geralmente se expressam por pneumonia, com alterações de sinais vitais, dispneia ou disfunção orgânica; além disso, podem evoluir para uma Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo, com complicações respiratórias, alterações radiográficas e da PaO2/FiO2. A Sepse e Choque séptico por COVID-19 possuem ainda maior chance de desfecho desfavorável, condições que indicam permanência do paciente em ambiente de terapia intensiva. Considerações Finais: Pouco ainda se sabe sobre o COVID-19, mas seu alto potencial de transmissibilidade e sua variabilidade de apresentações clínicas são reconhecidos como fatores complicadores do controle da epidemia.
 
Objetivo: Compreender através de uma revisão integrativa a respeito das complicações atípicas e características clínico-epidemiológicas sobre o COVID-19. Métodos: Esse estudo trata-se de uma revisão da literatura do tipo integrativa, cujo objetivo é uma abordagem ampla referente às revisões bibliográficas, além da inclusão de estudos experimentais a respeito da COVID-19. Resultados: A disseminação da patologia dá-se principalmente por gotículas, contato direto com fômites, além de outras formas recém-descobertas de transmissão como a fecal oral, principalmente em crianças. Os sinais clínicos principais da doença em questão são: febre, tosse, mialgia, leucopenia, linfopenia, podendo causar também afecções em outros órgãos como o rim. O COVID-19 pode levar a danos alveolares maciços e insuficiência respiratória progressiva e ao óbito. Sendo importante ressaltar o surgimento de um quadro atípico como anosmia, conjuntivite, manifestações cutâneas, alterações renais e dor abdominal. Considerações finais: Por isso, o entendimento dos profissionais da saúde, acerca dos sintomas atípicos e dos aspectos clínico-epidemiológicos dessa patogênese são necessários, a fim de melhorar as estratégias clínicas de atenção e cuidados contra a doença.
 
Objetivo: Avaliar as diferenças sexuais na resposta imunológica a COVID-19 relacionadas a influência hormonal. Métodos: Foi realizada uma pesquisa bibliográfica, de caráter exploratório, do tipo revisão integrativa de literatura. A busca dos artigos foi realizada nas bases eletrônicas de dados PubMed, Biblioteca Virtual em Saúde (BVS) e Scientific Electronic Libray Online (SciELO) no período de fevereiro a maio de 2021. Foram incluídos artigos originais, publicados entre 2020 e 2021 e redigidos em português, inglês ou espanhol. Excluíram-se qualquer publicação que não fosse artigo científico original, completo e que se distanciou da discussão. Resultados: O estrogênio diminui a expressão do receptor da enzima conversora da angiotensina 2 (ECA2), enquanto a testosterona aumenta a expressão em células do músculo liso das vias aéreas. Os andrógenos regulam a expressão dos receptores de ECA2, superfície celular transmembrana protease serina 2 (TMPRSS2) e receptor de andrógeno (RA) em células epiteliais pulmonares. As concentrações de testosterona são inversamente associadas à gravidade da doença e concentrações de citocinas inflamatórias circulantes em homens. Considerações finais: Os hormônios sexuais atuam na resposta imunológica tendo grande influência na disparidade sexual existente na vulnerabilidade e mortalidade da COVID-19, sendo que hormônios sexuais femininos atuam como fator protetivo contra infecção por SARS-CoV-2.
 
Objetivo: Investigar as implicações na saúde mental em decorrência de surtos e de pandemias, com enfoque na COVID-19. Revisão bibliográfica: A presença atual da COVID-19, em adição de outras pandemias/epidemias anteriores ou outros eventos de acometimento global, é uma importante causa de impactos negativos para a saúde mental da população, desencadeando ou agravando sintomas de ansiedade, depressão, estresse, medo, e até alguns transtornos, como transtorno de estresse pós traumático (TEPT), entre outros. Estes sintomas são frequentemente relatados por trabalhadores de serviços essenciais - profissionais da área da saúde, porteiros, caixas de supermercado etc - indivíduos acometidos pela doença e seus familiares. Além disso, a instituição de medidas de isolamento como forma de prevenção às doenças em tempos de pandemia impacta diretamente na saúde mental da população como um todo. Pouco tem sido relatado, contudo, sobre o assunto. Considerações finais: A literatura é clara no que se refere aos impactos na saúde mental de toda a população durante uma pandemia, sendo capaz de repercutir na qualidade de vida tanto individualmente quanto coletivamente.
 
Objetivo: Identificar impactos da pandemia no consumo de bebidas alcoólicas pelos estudantes de medicina de uma faculdade particular da capital de Minas Gerais. Métodos: Estudo transversal, quantitativo, realizado através do questionário AUDIT, com amostra de estudantes matriculados na faculdade particular de medicina em questão no primeiro semestre de 2020. Para a busca científica da escrita do artigo, foram usados artigos publicados nos últimos cinco anos, em Português, Inglês e Espanhol, nas bases de dados Pubmed, Scielo e Lilacs. Resultados: Apesar da constatação de consumo de risco, foi encontrado redução do padrão de consumo e das consequências relacionadas ao uso abusivo da substância durante o período de isolamento. Conclusão: Os desdobramentos da pandemia como a diminuição do convívio social impactaram na redução do consumo de álcool. Apesar dos resultados, como os estudantes de medicina fazem parte deste cenário que potencializa vulnerabilidades e danos psicológicos, intervenções precoces para os casos de consumo de risco encontrados são consideradas importantes para prevenção e promoção de saúde.
 
Objetivo: Descrever como foram implementados e adaptados os leitos de recuperação semi-intensiva, dentro de um Centro Cirúrgico, durante a pandemia da COVID-19. Relato de experiência: Estudo descritivo, realizado em maio de 2021, que relata a experiência de enfermeiras atuantes em um Centro Cirúrgico de um hospital público universitário de grande porte, localizado no Sul do Brasil, sobre as adaptações que ocorreram durante a pandemia da COVID-19. Uma sala cirúrgica foi transformada em leitos de unidade de terapia semi-intensiva, auxiliando na recuperação de pacientes cirúrgicos. Diante da avassaladora pandemia, o hospital teve que enfrentar a ausência de recursos disponíveis, estruturando áreas e capacitando funcionários de forma súbita. Considerações finais: Com o agravamento da pandemia, os hospitais são obrigados a tomar medidas drásticas para atender o maior número de pessoas vítimas da COVID-19. Com os leitos de UTI lotados, muitos hospitais vislumbraram o Centro Cirúrgico como sendo um local onde este cuidado complexo pode ser realizado, utilizando a estrutura e os equipamentos desses locais.
 
Objetivo: Observar a atuação do fisioterapeuta no âmbito hospitalar perante a assistência aos pacientes acometidos pela COVID-19, em um hospital de referência no interior da Amazônia Legal. Métodos: Pesquisa transversal de caráter descritivo, exploratório, com abordagem quantitativa. Os dados foram coletados através de um questionário online, com a participação dos profissionais da área de fisioterapia, a coleta consistiu por um período de um mês em um hospital público do interior de Rondônia. Resultados: Foi possível constatar a presença de profissionais jovens, com predominância de atuação em unidade de terapia intensiva com carga horária de 24h/dia. Devido a pandemia da covid-19, foi observado a contratação de profissionais emergenciais. Os fisioterapeutas desta instituição, 96,7% relataram que receberam treinamentos para o manejo dos pacientes infectados por SAR-CoV-2 e 33,3% destes profissionais já sofreram infecção por este vírus. Conclusão: O fisioterapeuta vem atuando na condução do suporte ventilatório invasivo e não invasivo, manejo da oxigenoterapia e da posição prona, realizando exercícios com ênfase na otimização e reabilitação da função motora e respiratória, auxiliando em procedimentos corriqueiros dos cuidados intensivos como a intubação orotraqueal, extubação, reanimação cardiopulmonar.
 
Objetivo: Destacar, através de uma revisão narrativa, o manejo e medidas de controle da COVID-19 para as gestantes e os possíveis riscos durante a transmissão vertical e a amamentação. Utilizaram-se bases de dados PubMed e Science Direct que retrataram artigos sobre infecções virais, COVID-19, gestação e amamentação. Revisão bibliográfica: Alterações fisiológicas, metabólicas e vasculares podem agravar a apresentação clínica da COVID-19, promovendo disfunção endotelial, ativação do sistema complemento e um efeito pró-trombótico nas gestantes. Não há relatos da detecção do novo coronavírus nos líquidos amniótico e placentário, sangue do cordão umbilical ou no leite materno. No entanto, alguns estudos sugerem que é possível a transmissão vertical do vírus e uma maior prevalência de partos prematuros tem sido notificada. O tratamento inicia-se quando possíveis benefícios superam os potenciais riscos da terapia ao feto. Considerações finais: Procedimentos devem ser implementados para contornar as lacunas de conhecimento sobre o efeito da COVID-19 na gravidez, incluindo estratégias das vigilâncias sanitária, epidemiológica, pesquisas socioeconômicas e de soroprevalência.
 
Objetivo: Relatar a experiência de atuação de uma Liga Acadêmica de Cuidados à Saúde da Mulher durante o ano de 2020 apresentando as dificuldades e facilidades encontradas frente às atividades remotas. Relato da experiência: A Liga Acadêmica estudada pertencente a um curso de graduação em Enfermagem de uma universidade pública brasileira e ao longo do primeiro ano da pandemia da COVID-19, precisou se adaptar frente ao novo modelo de atividades. Nesse período, houve a mudança do ensino presencial para o ensino remoto com a utilização de plataformas digitais e redes sociais, o que proporcionou facilidades e dificuldades para o desempenho das atividades. Isso acarretou no alcance de público maior e mais variado, permitindo atender aos preceitos que devem ser seguidos por uma Liga Acadêmica, entretanto, o acesso às atividades dependia de maior nível de concentração e ambiente propício a isso, internet disponível e aparelhos eletrônicos, o que pode ter dificultado o desempenho da Liga. Considerações finais: A atuação da Liga Acadêmica demonstrou ser uma experiência desafiadora, porém, exitosa, que foi possível pela incorporação das Tecnologias da Informação e Comunicação e por meio da utilização de plataformas que permitiram manter ativas as atividades desenvolvidas e alcançar espaços antes pouco possíveis.
 
Objetivo: Conhecer a situação da saúde mental dos profissionais da área da saúde da linha de frente na pandemia do COVID-19, e quais consequências para os serviços de saúde. Métodos: Trata-se de uma revisão integrativa de literatura e foi realizada nas bases de dados LILACS, MEDLINE pela biblioteca virtual da Saúde, na PUBMED e Scielo, usando descritores: Saúde mental / Mental health / Salud mental, Covid – 19 / Covid – 19 / Covid – 19, Profissional de saúde/ Health Personnel / Personal de Salud, Serviços de Saúde / Health Services / Servicios de Salud. Resultados: Foram selecionados 8 artigos para essa revisão. A partir da leitura dos artigos percebeu-se a fragilidade na saúde mental do trabalhador da saúde, dentro de incertezas do futuro e da cura do vírus COVID-19. Dessa forma, percebe-se altos índices de ansiedade, estresse, depressão, medo, angústia e sono alterado, doenças e muitas vezes esse profissional não procura ajuda para si mesmo. Considerações finais: O índice de sintomas psiquiátricos que já é alarmante normalmente no trabalhador da saúde, durante a pandemia tem se agravado. As organizações de Saúde precisam se atentar a isso e organizar maneiras de melhorar o bem-estar desses profissionais.
 
Objetivo: Compreender os principais sintomas dermatológicos decorrentes da infecção da Covid-19 em crianças. Revisão Bibliográfica: A infecção da Covid-19 não se restringe apenas à árvore respiratória, e cada vez mais tem se identificado manifestações dermatológicas, mostrando que a pele também é um órgão do corpo humano afetado pela infecção do coronavírus. Além disso, o tempo de desenvolvimento da erupção cutânea varia de três a cinco dias após as primeiras manifestações, e duram de 7 a 21 dias. Há cinco padrões de achados cutâneos encontrados como erupções máculo-papulares, urticariformes, tipo pseudo eritema pérnio, vesico-bolhosas e livedo/necrose. Ademais, reconhecer esses diferentes padrões são de grande importância pois podem ajudar os profissionais da área da saúde a terem uma melhor compreensão, e maior poder diagnóstico mediante um quadro viral inespecífico, assim, permitindo a implantação precocemente, de medidas de segurança para conter a disseminação do vírus. Considerações finais: É possível afirmar que os achados dermatológicos têm sido cada vez mais frequentes. Entretanto, ainda há muitos questionamentos sobre como suas reações são desencadeadas, sua prevalência no território brasileiro, e se possuem o SARS-CoV-2 como etiologia definitiva.
 
Objetivo: Esse artigo buscou relatar a experiência de profissionais da área da saúde que trabalhavam em um hospital público no combate ao COVID-19 através de um estudo descritivo, tipo relato de experiência, elaborado no contexto de estágio curricular obrigatório da disciplina de Doenças Infecciosas, durante o curso de Graduação em Enfermagem, Fisioterapia e Medicina de uma Universidade pública do estado do Pará. Relato de experiência: Percebeu-se durante o surgimento dos primeiros casos de Coronavírus em Belém-PA que muitos ambientes de trabalho na área assistencial não estavam preparados para o enfrentamento da nova pandemia, principalmente, na preparação psicológica dos profissionais de saúde, pois detectou-se entre enfermeiros, fisioterapeutas e médicos, o medo e a ansiedade que se mostravam presentes em todos os setores hospitalares. Considerações finais: Fica explícito que a nova pandemia modificou o cotidiano assistencial no Brasil, no estado do Pará foi possível observar que muito profissionais não foram assistidos ao ponto de explicitarem seus medos e ansiedades, ou seja, uma grande parcela desses profissionais foi exposta a diversos riscos ocupacionais, principalmente, ao estresse ocupacional, tal risco modificou a rotina de trabalho e até o relacionamento interpessoal fora dos hospitais.
 
Top-cited authors
Luana Scalia
  • Universidade Federal de Uberlândia (UFU)
Francisco Lucas De Lima Fontes
  • Universidade Federal do Piauí
Francisco Prado Reis
  • Universidade Tiradentes
Sônia Oliveira Lima
  • Universidade Tiradentes
Cristiane Oliveira
  • Universidade Tiradentes