PARC Pesquisa em Arquitetura e Construção

Published by Universidade Estadual de Campinas
Online ISSN: 1980-6809
Publications
A norma brasileira NBR 15.575 estabelece que a avaliação de desempenho térmico de uma edificação por meio de simulação computacional deve ser conduzida pela relação entre a temperatura externa e a temperatura interna do ambiente, para os dias típicos de verão e inverno de forma a quantificar o atendimento aos requisitos dos usuários. Assim sendo, esse artigo tem por objetivo avaliar o desempenho térmico de uma edificação considerando métodos distintos de determinação de dia típico de verão e inverno e diferentes algoritmos de cálculo da irradiação solar (modelo de céu). A metodologia parte de uma edificação implantada em zona bioclimática 7, para a qual três algoritmos de modelo de céu foram testados, por meio de simulação computacional, para os dias típicos de verão e inverno. Verificou-se que, desconsiderando-se a nebulosidade, as temperaturas internas máximas e mínimas sofreram pouca alteração ao se variar os dias típicos obtidos por diferentes métodos, obtendo-se classificação de desempenho térmico Superior para a edificação pesquisada. Ao se considerar os modelos de céu, introduzindo-se a nebulosidade como parâmetro de entrada no dia típico de verão, a classificação de desempenho foi superior nos modelos ASHRAEClearSky e ASHRAETau, e intermediária com o modelo Zhang Huang, concluindo-se que os modelos de céu influenciam a classificação de desempenho. O modelo ASHRAETau forneceu, para o dia típico de verão, temperaturas internas inferiores às obtidas com os outros modelos de céu, não sendo recomendada a sua utilização. Comportamento semelhante foi obtido para o dia típico de inverno. O estudo fornece subsídios para determinação do dia típico para cidades brasileiras não especificadas na norma brasileira, contribuindo com reflexões acerca das lacunas existentes nos parâmetros normativos.
 
Construtor das listas de prioridades dos índices de cada tipo de céuPasso 2.
Comparação de desvios nas iluminâncias difusas horizontais e seleção do tipo de céu específico-Passo 4
A maioria dos programas de simulação de iluminação natural atualmente utilizam o Modelo de Perez, que utiliza dados de arquivos climáticos para determinar um conjunto de oito modelos de distribuição de Luminâncias caracterizando modelos representativos de céus entre inteiramente nublado e inteiramente claro. Geralmente estes simuladores utilizam também o método do ray-tracing em suas simulações, a maioria baseado nos algoritmos consagrados do programa Radiance. Entretanto desde 2004 existe a Norma ISO 15469- 2004 (E)-CIE S 011-E 2003, que estabelece 15 Modelos de Céu, de conceituação similar ao Modelo de Perez, mas com formulação diferenciada. Estes modelos receberam posteriormente tratamento de cálculo em artigos, para apoiar a sua determinação específica usando dados climáticos. Neste trabalho apresenta-se um método novo, baseado nos artigos mencionados, utilizando dados de radiação de arquivos climáticos para determinar, em um conjunto de possibilidades de modelos detectadas como possíveis (a diferenciação entre modelos não é inequívoca), qual o Modelo de Céu da Norma que mais se adequa aos dados originários. Este estudo foi desenvolvido utilizando-se nos cálculos o método da radiosidade, embora outros métodos também sejam aplicáveis. Os cálculos testaram arquivos de várias localidades no Brasil e em outros países, como França, Japão, EUA, chegando a resultados dentro de uma margem de aproximação bastante satisfatória, com divergências médias na maioria abaixo de cerca de 10%, demonstrando a coerência do método.
 
A necessidade de atendimento às exigências dos usuários para um melhor desempenho das edificações tem sido discutida nos últimos tempos, especialmente no Brasil, com a entrada em vigor da norma NBR 15575 – Desempenho de Edificações Habitacionais. A norma estabelece uma série de requisitos a serem atendidos levando a uma mudança na forma como o projeto vem sendo desenvolvido, de maneira geral, no país. O objetivo deste trabalho é levantar e analisar os estudos já realizados referentes à implantação da norma e seu impacto na indústria da construção civil nacional. Como metodologia de pesquisa foi adotada a Revisão Sistemática de Literatura (RSL) de maneira a identificar os estudos de interesse e classificá-los em grupos temáticos segundo os requisitos do usuário estabelecidos pela norma. Os procedimentos metodológicos consistiram basicamente na busca, seleção e avaliação de resultados obtidos em cinco bases de dados nos últimos 10 anos. Cinquenta e um estudos foram selecionados para análise e apontam que, de maneira geral, em que pese os avanços já obtidos alguns obstáculos ainda precisam ser vencidos para uma aplicação mais efetiva da norma. A distribuição dos artigos nos grupos temáticos proporcionou uma visão do atual estágio de desenvolvimento das pesquisas nessa temática podendo ajudar a subsidiar avaliações sobre a natureza das pesquisas realizadas.
 
Tendo em vista a necessidade dos projetistas em realizar especificações da vida útil dos sistemas construtivos que compõe uma edificação habitacional, a presente pesquisa tem como objetivo analisar as especificações que estão sendo elaboradas por projetistas. O método de pesquisa consistiu em uma pesquisa de campo, primeiramente foi realizado um levantamento com profissionais da área de projeto por meio de questionário online dividido em questões diretas e indiretas. Posteriormente, avaliaram-se projetos e memoriais para verificar o nível de especificação atual. Por fim, realizou-se a investigação das especificações dos materiais por parte de seus fabricantes por meio de buscas em páginas da internet de fabricantes e contatos via e-mail dos subsistemas: pisos, revestimentos internos e externos e impermeabilização. Os subsistemas selecionados são considerados básicos e de grande influência visual em uma edificação, tendo como base o Anexo C da NBR 15575-1. Dentre os resultados obtidos, foi possível constatar a falta de informações disponibilizadas pelos fabricantes dos materiais a serem especificados nos projetos, sendo que a maioria dos fabricantes dos materiais selecionados nessa pesquisa não informam dados de durabilidade e vida útil, o que impossibilita os projetistas de cumprirem suas premissas perante a norma de desempenho.
 
Pesquisas sobre ensino e aprendizagem de BIM-2013 a 2018
Este trabalho identifica e analisa teses e dissertações disponíveis no Catálogo de teses e dissertações da CAPES que foram defendidas no Brasil entre 2013 e 2018 e tratam da Modelagem da Informação da Construção ou Building Information Modelling (BIM). Objetiva apresentar um panorama sobre os principais temas abordados nestas pesquisas, assim como identificar onde foram realizadas. Ainda, é feito um recorte sobre aqueles trabalhos que discutem questões sobre o ensino de BIM buscando contribuir com a implantação desta modelagem nos cursos relacionados com a Arquitetura, Engenharia, Construção e Operação de edificações (AECO). A Análise de Conteúdo foi o método de pesquisa qualitativa adotado para realizar tanto a seleção quanto a análise dos trabalhos. Dentre os resultados obtidos, destaca-se que: (a) já existem trabalhos sobre BIM nas diversas fases do ciclo de vida da edificação, mas a maioria deles trata da etapa de projetação; (b) 78,3% das pesquisas encontradas foram produzidas no eixo sul-sudeste do país e em instituições de ensino sediadas nas capitais e grandes cidades, indicando a necessidade de interiorização e difusão do BIM em outras regiões; (c) existe uma diversidade de temas já pesquisados relacionados com o BIM que encaminham questões sobre a modelagem e podem auxiliar na sua adoção tanto em instituições de ensino quanto no mercado de trabalho. Finalmente, este artigo contribui para adoção desta modelagem no país, na medida em que sistematiza informações já disponíveis, auxiliando tanto aqueles que buscam se capacitar quanto aqueles que promovem formações ou pretendem trabalhar com BIM.
 
Esta seção destina-se a publicar a lista dos nomes dos avaliadores dos artigos submetidos à PARC em 2015. Esta seção é publicada ao final do quarto fascículo do ano.
 
Este trabalho procura estabelecer conexões entre as quatro fases da Revolução Industrial e utopias propostas nas áreas de arquitetura e desenho urbano. O artigo começa com uma revisão geral das quatro fases da industrialização, tentando estabelecer conexões com as respectivas tendências arquitetônicas e urbanas em cada etapa. Da mesma maneira que a Segunda Revolução Industrial e seu novo sistema de produção em massa influenciaram as utopias modernas no início do século XX, os métodos da Terceira e Quarta Revoluções Industriais têm impulsionado novas utopias contemporâneas. A fim de ilustrar essa tese, são apresentados exemplos em diferentes escalas: produtos de consumo, componentes construtivos, unidades habitacionais e desenho urbano. Foi possível concluir que a principal diferença entre as utopias modernas e contemporâneas é uma mudança da maneira de pensar "top-down" para processos "bottom-up" nas diferentes escalas. Novos sistemas de CAD paramétrico e novas máquinas de produção pessoal, tais como as fresadoras CNC, cortadoras a laser e impressoras 3D, e o conceito de personalização em massa, estão permitindo que os usuários se tornem mais participantes na produção de seus bens de consumo, residências, e até mesmo os espaços urbanos. O trabalho termina perguntando aos arquitetos e urbanistas quais serão as próximas utopias, com base nas novas tecnologias esperadas para as próximas décadas.
 
Considerando a pertinência do as built para reformas e manutenções e a ascensão de novas tecnologias na Indústria 4.0, foi analisada a contribuição de fotografias 360 graus nas etapas de levantamento de dados e validação de informações para modelagem desse documento, comparando-a com a fotografia tradicional usualmente utilizada. Partindo-se de pesquisa empírica em campo, foram modelados dois as built em software BIM do processo de reforma da edificação da Fundação Nova Vida, em Florianópolis (SC), dedicada à assistência social. Com os as built pré-reforma e pós-reforma foi possível comparar as duas modalidades: fotografias tradicionais na etapa pré-reforma e fotografias com lente esférica 360 graus na etapa pós-reforma. Parâmetros como quantidade de informações contidas e tamanho dos conjuntos de arquivos fotográficos gerados foram considerados no estudo. A fotografia 360 graus apresentou mais dados e maior área de abrangência, reduzindo a quantidade de arquivos gerados e o tamanho do conjunto de arquivos armazenados. A fotografia tradicional, por envolver a tomada de decisão sobre o que registrar, demanda tempo extra em levantamentos em campo, enquanto a fotografia 360 graus faz um registro global. A fotografia 360 graus mostrou-se mais eficaz do que a tradicional, proporcionando maior agilidade na coleta e conferência de dados para a modelagem BIM.
 
Grafo de visibilidade 11 do piso térreo do DECivil (DephtMap, Alasdair Turner). A – zona de  
Mapas de fluxos (ALL) sobrepostos às imagens de teste. Cenários de uso corrente. Correspondem a picos de ocupação (positivos) por número de pessoas. Átrio Sul (uso corrente): 11h. Átrio Norte (uso corrente): 13h.  
Variação horária dos valores máximos para os índices de ocupação: tempo e número de pessoas. Relação entre os respectivos picos de ocupação.  
Eixos que estruturam a configuração da ocupação/movimento nos átrios.  
Desenvolvimento de um software de apoio à análise dos resultados permitindo, por exemplo, calcular o valor do índice associado a um eixo de ocupação.  
Os artefactos arquitectónicos não são apenas objectos físicos, mas objectos sociais que estruturam relações de co-presença e de encontro pelo modo como suportam a distribuição dos fluxos de movimento e, consequentemente, organizam os usos que neles se realizam. Partindo de tal pressuposto e considerando a necessidade de aprofundar a compreensão das relações espaço-uso, neste trabalho desenvolveram-se procedimentos analíticos orientados para o estudo das condições de uso dos artefactos arquitectónicos e, subsequentemente, para um melhor entendimento dos nexos estabelecidos com a condição espacial. Pretendeu-se deste modo contribuir para o desenvolvimento de técnicas baseadas numa visão computacional da mobilidade e interacção dos utilizadores produzindo registos documentais não arbitrários dos seus padrões de movimento/navegação e de ocupação/co-presença e fundamentando a sua análise em termos quantitativos. A tecnologia vídeo permitiu o registo simultâneo do movimento e do espaço que o conforma. A visão computacional da mobilidade em espaços informais de aprendizagem (átrios) permitiu obter e tratar dados em quantidade, condição necessária à fundamentação da relação espaço-uso. O método seguido considerou a instalação de um sistema de aquisição de imagens analisáveis por um algoritmo de detecção e seguimento automático de utilizadores para efeitos de processamento da informação. Os padrões de movimento/navegação e de ocupação/co-presença obtidos foram correlacionados com as propriedades configuracionais obtidas pela aplicação do modelo descritivo da Sintaxe Espacial (Hillier e Hanson, 1984). Foi possível analisar nexos entre a configuração do espaço e os padrões de movimento/navenavegação e de ocupação/co-presença, questão fulcral para o processo conceptual em Arquitectura.
 
Enquadramento cronológico da HfG-Ulm face a outros centros de investigação importantes na emergência de uma perspectiva computacional da arquitectura  
Esquema das ligações dos Protagonistas dos principais Centros de Investigação de Arquitectura e Computação durante os anos 60 e 70, entre a Europa e os Estados Unidos. UC Berkeley-University of California, Berkeley (San Francisco); UCLA-University of California, Los Angeles; RAND -Reasearch and National Development (Santa Monica) Los Angeles; Harvard -Harvard University, Cambridge (Boston); Massachusetts Institute of Technology: MIT, Architecture Machine Group Cambridge (Boston) ; CMU-DRC Carnegie Mellon University, Design Research Center, Pittsburgh; LUBFS – Cambridge The Land Use and Built Studies, University of Cambridge; M. Keynes The Center for ConFigurational Studies at the Open University, Milton Keynes; Royal College of Arts  
Capa da revista de Publicação HfG-Ulm  
-Caderno de Topologia, página 2, 1959-1962, de Horst Rittel (Esquerda) e Tradução(direita).  
Este artigo desenvolve uma análise sobre parte do contexto cultural e tecnológico que contribuiu para o surgimento do pensamento e prática computacional na arquitectura. Pretende-se questionar e demonstrar a relevância da contribuição de Horst Rittel para a abordagem científica ao Projecto no início da era computacional, durante a sua colaboração como professor na Hochschule für Gestaltung - Ulm, Alemanha, no contexto da análise de métodos científicos associados ao projecto, ainda sem a utilização de computadores. Argumenta-se que nesta Escola, através das ideias desenvolvidas por professores tal como Horst Rittel, criaram-se fundamentos que estão na base das posteriores abordagens computacionais na arquitectura, as quais mais tarde vieram a utilizar a computação não como uma ferramenta de desenho geométrico, mas sim como uma ferramenta de desenho computacional. Algumas destas matérias viriam a ser investigadas e ampliadas anos depois em centros de investigação académicos de departamentos de Arquitectura e Design. Para dar resposta à questão levantada durante a investigação do presente artigo, procedeu-se à análise do material da biblioteca da Escola, encerrada em 1968, que se encontra armazenado no Arquivo e Museu da HfG-Ulm, sendo que a recolha de material original das aulas das disciplinas científicas que Horst Rittel leccionava, proveniente desse Arquivo, foi o eixo metodológico fulcral do presente trabalho. Esta investigação contribuiu assim para clarificar alguns territórios não tão investigados, servindo esta de complemento a uma série de outras investigações que analisam as relações e sinergias entre protagonistas e instituições, que conformaram uma perspectiva computacional na arquitetura nos anos 60. Finalmente, este artigo contribuiu assim para cartografar e estudar o papel do matemático e investigador Horst Rittel, suas ideias distintivas, pelo modo como definiram uma nova abordagem ao projecto, marcadamente influenciada por métodos científicos.
 
A investigação analisou o comportamento térmico de diferentes arranjos urbanos na cidade de Maceió (AL), em escala de abordagem microclimática, tomando o canyon urbano como unidade amostral. O estudo foi realizado de forma experimental em nove unidades amostrais urbanas definidas ao longo de um transeto delineado na planície litorânea. A análise foi feita no período de inverno, no qual foram tomados três dias representativos do fato climático, identificados por meio da abordagem dinâmica do comportamento climático da região em estudo. Os resultados mostraram que especialmente a vegetação arbórea presente no canyon urbano condiciona a criação de ambientes termicamente favoráveis à saúde, habitabilidade e uso dos espaços urbanos – variáveis da qualidade ambiental –, expressos por meio dos resultados de temperatura e umidade do ar obtidos na investigação experimental.
 
A FIOCRUZ é uma autarquia fundacional, com presença nacional, que objetiva a produção e o compartilhamento de conhecimentos e tecnologias voltados para a saúde. A adoção do BIM (Building Information Modeling) em gestão de espaços, ativos e manutenção, gestão de processo de projeto e de parque edificado é explorado neste artigo que relata a experiência do Departamento de Arquitetura e Engenharia (DAE), da COGIC-FIOCRUZ. A COGIC é responsável pelo gerenciamento do espaço físico da FIOCRUZ como um todo, prestando desde serviços básicos até executando obras, manutenção civil e de equipamentos. Em edificações atua em todo o seu ciclo de vida: concepção, elaboração de projeto, construção, uso e manutenção, renovação e demolição, sendo o DAE, um dos principais executores dessas ações. O método utilizado foi pesquisa bibliográfica e pesquisa ação. Foi possível a verificação prática de algumas vantagens como a redução do retrabalho no processo de projeto, além da redução no tempo do projeto executivo e uma ampliação do tempo do anteprojeto, em função dos ajustes na compatibilização de todas as disciplinas, já nesta fase. Ao divulgar as experiências e caminhos já trilhados, pode-se auxiliar outros órgãos públicos na implementação de um processo de inovação e de mudança de cultura.
 
Diante das discussões contemporâneas sobre a aplicação dos meios digitais mais recentes na atividade projetual, o presente artigo tem como objetivo contribuir para a compreensão de estratégias para introduzir o processo paramétrico de projeto no ensino de projeto arquitetônico. Considerando levantamento teórico e prático, parte-se da hipótese de que apenas o ensino tutorial de ferramentas não é o suficiente para uma aprendizagem do processo paramétrico em todo o seu potencial, sendo necessário vislumbrar um percurso didático que inclua tanto uma mudança de olhar sobre o objeto projetado, quanto a própria atividade projetual. Apresenta-se e discute-se aqui um dos experimentos pedagógicos realizados na etapa de validação da pesquisa – um curso de extensão de 40 horas, desenvolvido na Universidade Federal do Rio Grande do Norte, com registro do processo e coleta de dados junto aos participantes. O curso incluiu noções introdutórias sobre o tema, exercícios de criação com ferramenta paramétrica e atelier de projeto. As atividades de atelier envolveram o desenvolvimento de um bicicletário em equipe, com realização de brainstorm, desenvolvimento da proposta e apresentação dos produtos finais. Como resultado, percebe-se que, apesar dos participantes não apresentarem experiência prévia com o tema, os processos e produtos são foram satisfatórios, com o desenvolvimento e investigação de algoritmos complexos, além do reconhecimento do potencial da modelagem paramétrica, associada a práticas reflexivas em atelier. Os principais desafios incluem as mudanças da lógica projetual habitual, extrapolando o uso da ferramenta. Observou-se a importância de se introduzir a abordagem paramétrica no ensino para além de experimentos didáticos isolados, distribuída coerentemente com a estrutura curricular dos cursos, demandando a identificação das áreas de conhecimento em que o tema pode ser inserido.
 
A partir da definição das formas de representação como instrumentos mediadores da criação, conceitua-se projeto como uma atividade essencialmente criativa e dependente de processamentos complexos de representações da mente. Os avanços tecnológicos têm permitido o uso de ferramentas inovadoras de auxílio ao processo de projeto também na fase de concepção. Este artigo discute essas ferramentas e faz uma classificação dos tipos de instrumentos voltados ao suporte do projeto arquitetônico, focando especialmente a fase de concepção, onde a atividade projetual depende não apenas da representação gráfica como também de conteúdos conceituais.
 
Este artigo pretende aproximar-se à produção arquitetônica de Lina Bo Bardi buscando captar suas visões de mundo e seus modos de habitá-lo. Procura assimilar de que modo a sua arquitetura incorpora o homem enquanto ente individual e coletivo, de que modo assimila a natureza. Para que isso seja possível, examinam-se as diversas etapas de seis processos criativos executados por Lina Bo Bardi. Trata-se de observar atentamente as permanências e as transformações que sucedem entre as concepções iniciais, os desenhos e as realizações das obras bobardianas. Entende-se que a própria arquitetura e seu procedimento projetual possam fornecer elementos para a compreensão das posturas de Lina Bo Bardi.
 
Distribuição dos trabalhos por ano de publicação e perfil de abordagem
Participação de São Paulo em comparação com os outros estados na produção acadêmica da fabricação digital na arquitetura
A fabricação digital tem atuado de maneira bastante transformadora na arquitetura, alterando a forma como os projetos são concebidos e construídos. A técnica reduz a possibilidade de erros de execução, já que o arquiteto adquire maior controle sobre o processo, seja pela materialização digital ou física da ideia. Desse modo, o presente artigo tem por objetivo avaliar o cenário atual de discussão da fabricação digital nas escolas de arquitetura e urbanismo no Brasil, através da análise da produção bibliográfica dessas instituições. De forma específica, pretende-se conhecer como esse cenário tem evoluído desde a publicação do primeiro estudo sobre o tópico no país, desenvolvido por Regiane Trevisan Pupo no ano de 2008, além de catalogar, seguindo uma lógica temporal, as áreas de abordagem de cada trabalho. Os artigos analisados mostram que houve uma popularização do assunto no âmbito acadêmico, com a multiplicação dos laboratórios de prototipagem rápida e das linhas de pesquisa abordando o tema, o que indica que a fabricação digital tem se consolidado como área de interesse na arquitetura, mesmo com algumas resistências, como a escassez de mão de obra fluente na aplicação da técnica, além do número limitado de professores que trabalham com essas tecnologias nas instituições de ensino.
 
A vasta produção de Henri Lefebvre (HL) sobre a cidade, o urbano, o espaço e a sociedade urbana, poderia indicar sua relevância à arquitetura produzida após o apogeu do ciclo neoliberal e a sua crise em 2008. Este autor introduziu a base prático-sensível na dialética entre os processos espacial e social para discutir as dimensões ideológicas que fundamentam a intervenção urbanística e arquitetônica levada a cabo pela racionalidade do Estado. O objetivo deste artigo é identificar a relação entre os conceitos de HL e a arquitetura no debate acadêmico contemporâneo, no qual a cidade e o urbano são destacados. Como metodologia utilizamos a Revisão Sistemática de Literatura (RSL), com critérios de filtragem que buscavam a relação entre a obra de HL, destacada em revistas especializadas internacionais indexadas, sobre o espaço e a cidade e as preocupações mais diretamente voltadas para a arquitetura e desenho urbano. Conclui-se que a influência da obra lefebvriana nos temas arquitetônicos é pouco expressiva no âmbito acadêmico detectado aqui, e isso é um problema, se considerarmos as possibilidades compreensivas e críticas dessa obra, principalmente sob as determinações da globalização e a mais recente apropriação imediatamente política do “direito à cidade” (DC).
 
O Decreto 10.306/2020 do governo federal se destina a estabelecer o uso de Building Information Modeling (BIM) pela administração pública federal. Nesse sentido, a academia tem papel relevante, uma vez que, entre outras atribuições, prepara os futuros profissionais para o mercado de trabalho na área de Arquitetura, Engenharia e Construção (AEC). No entanto, pesquisas indicam que não é fácil implementar o BIM no ensino, devido à necessidade de modificar a matriz curricular dos cursos e de requerer a adesão dos professores ao paradigma. Em vista do exposto, novas perspectivas de inserção do BIM na academia são necessárias. Adotando a pesquisa-ação como método de pesquisa, este trabalho tem como objetivo discutir os benefícios alcançados com a iniciativa pioneira do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) no processo de implementação do ensino do BIM por meio da pesquisa. A principal contribuição do trabalho são os resultados positivos em termos de preparação de alunos para o mercado de trabalho e o consequente ganho de interesse dos professores, fomentando a adesão ao BIM advindos a estratégia aplicada pelo Grupo de Estudos e Pesquisa em Integração de Projetos (GIP). A pesquisa-ação resultou em plano de implementação do BIM no curso Técnico em Edificações, assim como Planos de Execução BIM em disciplinas, demonstrando o potencial da abordagem para ser replicada em outras instituições de ensino.
 
Pessoas com limitações temporárias, dificuldades de locomoção, cadeirantes, crianças e idosos percebem e utilizam os espaços de diferentes maneiras. Para que isso ocorra, devem-se elaborar projetos arquitetônicos associados ao design de interiores, a fim de tornar esses espaços, sejam eles públicos ou privados, acessíveis a todos ou a maior quantidade de usuários possíveis. O design de interiores representa o contato mais direto entre os usuários e a arquitetura. É através dele que as pessoas interpretam as funções e sensações de determinado ambiente. É aqui que se insere o conceito de desenho universal, responsável por permitir que o usuário utilize os ambientes sem o tratamento discriminatório que a falta de acessibilidade nos edifícios provoca. No design de interiores de supermercado, tema desenvolvido neste artigo, foram aplicados os conceitos de desenho universal com o objetivo de aperfeiçoar o pouco espaço disponível para exposição dos produtos no estabelecimento e garantir a acessibilidade dos clientes. Quanto ao projeto arquitetônico, adotaram-se características similares aos armazéns de antigamente, com a aplicação de materiais rústicos. Essa identidade do projeto deu-se devido às preferências do público-alvo encontrado na cidade de Lucianópolis - SP, onde se localiza o supermercado.
 
-Pontos da coleta de dados para as PCD e os idosos
-Barreiras e frequência de respostas, por grupo estudado
Passados quase 35 anos da criação de uma norma brasileira voltada para a acessibilidade de pessoas com deficiência (PCD), é frequente encontrar espaços públicos de lazer que possuem infraestrutura inadequada para esses usuários. Técnicas de levantamento da percepção ambiental contribuem para compreender as suas preferências e melhorar a qualidade desses espaços. Este artigo objetivou analisar a percepção de pessoas com deficiência física, com deficiência visual e idosos sobre a acessibilidade no Parque João Goulart (PJG), localizado na cidade de Santa Rosa, interior do estado do RS, de modo a colaborar com o planejamento de espaços mais adequados as suas necessidades. O método envolveu duas ferramentas: entrevistas, com perguntas fechadas e abertas, e técnica de preferências por imagens. Participaram da pesquisa 145 pessoas com deficiência física e visual e idosos. Os resultados apontaram diferenças na percepção da acessibilidade do parque, conforme o tipo de limitação (física, visual ou envelhecimento). Os idosos foram os que consideraram o parque mais acessível, e as pessoas com deficiência visual, menos acessível. As opiniões das pessoas entrevistadas refletem suas limitações, ou seja, quanto menos autonomia física a pessoa possui, mais sensível é às questões de acessibilidade. A percepção de usuários com deficiência física, visual e idosos é fundamental para compreender e apontar as falhas do ambiente construído no não atendimento as suas necessidades específicas. Observou-se, nos grupos pesquisados, que o entendimento da acessibilidade se baseia nas experiências pessoais, muitas vezes sem considerar condições físicas que não as suas próprias.
 
O setor siderúrgico brasileiro é reconhecido pela disseminação de ações relacionadas com a reciclagem das escórias siderúrgicas. Há, porém, algumas dificuldades para avaliação da carga ambiental do produto e dos seus co-produtos, ambos formados no mesmo processo. A metodologia da Análise de Ciclo de Vida (LCA) constitui uma ferramenta holística para a distribuição de impactos ambientais entre produtos e co-produtos, possibilitando a alocação de impactos com base em diferentes critérios. Visando à compreensão da influência do critério de alocação de impactos sob os resultados da LCA, e, portanto, a uma visão mais consciente do processo de produção do aço e da reciclagem de suas escórias como matéria-prima para materiais de construção, o presente artigo objetiva a condução de uma LCA simplificada (streamlined LCA) do aço e das escórias siderúrgicas, com a realização de uma avaliação comparativa dos resultados decorrentes do uso de critérios de alocação de impactos com base na massa e no valor econômico; e, mais especificamente, visa analisar a diferença entre resultados obtidos a partir do uso de dados de inventários internacionais e de dados específicos de uma empresa siderúrgica brasileira. Para o tratamento e a interpretação dos resultados foi utilizada a plataforma de apoio SimaPro 7.1 e a avaliação dos impactos foi realizada por meio do EcoIndicator 99. Os resultados encontrados demonstraram a relevância da discussão quanto ao critério de alocação de impactos para avaliar a competitividade mercadológica das escórias siderúrgicas em relação às suas alternativas para a produção de materiais de construção, e, também, comprovaram a importância de utilização de dados específicos de uma determinada empresa, setor ou país para a construção de inventários representativos e para estimular a definição de indicadores e de metas de desempenho ambiental, que impulsionem o crescimento mais sustentável da indústria siderúrgica nacional.
 
Distribuição dos artigos aderentes ao escopo em função dos periódicos e congressos 
Distribuição dos artigos selecionados em função da década de publicação 
Quantidade de artigos que fazem referência a uma característica arquitetônica que propicia o decaimento de energia sonora não exponencial em salas acopladas 
Métodos utilizados nas pesquisas 
Localização do ponto de deflexão da curva 
Nas últimas décadas, o crescente número de salas de concerto construídas com variabilidade acústica impulsionou o estudo acústico de salas acopladas. Esta variabilidade tem sido feita de diversas formas, sendo uma delas o acoplamento de câmaras reverberantes na sala principal de espetáculos. Salas acopladas propiciam um decaimento de energia sonora diferenciado, a energia decai de forma não exponencial. As características arquitetônicas do espaço têm influência direta na formação do decaimento não exponencial de energia sonora. Os objetivos deste trabalho são identificar e analisar, na literatura, as características e parâmetros arquitetônicos propostos ao longo dos anos que influenciam a formação de curvas de decaimento de energia não exponencial em salas acopladas. O trabalho foi desenvolvido empregando a revisão sistemática da literatura (RSL), realizada em três etapas: Planejamento, Condução da Revisão e Análise de Dados. Os resultados mostraram que a combinação de três características arquitetônicas são as responsáveis pela formação de curvas de decaimento não exponencial de energia. A relação entre estas características foi sistematizada em três parâmetros arquitetônicos, a saber: a Área de Acoplamento, que é a razão entre a área de abertura de acoplamento e a área total da sala principal, a Razão de Volumes, que é a razão entre os volumes da sala acoplada e da sala principal e a Razão de Absorção, que é a razão entre a absorção equivalente da sala acoplada e da sala principal. A RSL permitiu avaliar o estado da arte sobre o assunto, identificar o período de maior interesse nas pesquisas sobre salas acopladas e observar a aplicação da teoria de salas acopladas para compreensão da acústica de igrejas e catedrais. Foi possível encontrar lacunas em pesquisas relacionadas à psicoacústica de salas acopladas e dos parâmetros arquitetônicos razão de volumes e razão de absorção além de identificar a necessidade em pesquisas de acoplamento de caixa cênica em teatros. Os resultados deste trabalho fornecem subsídios para serem empregados na elaboração de projetos acústicos de ambientes que se utilizam de salas acopladas para sua adequação acústica.
 
Essa edição da Revista PARC aborda a temática Qualidade Acústica do Ambiente Construído. O tema comemora os 30 anos da Sociedade Brasileira de Acústica (SOBRAC) e a realização do XXV Encontro da SOBRAC na cidade de Campinas (MANNIS, 2014). Os estudos e resultados apresentados demonstram o amadurecimento das pesquisas em acústica realizadas no Brasil e o empenho dos pesquisadores de transformar esse conhecimento em benefícios a comunidade. Os resultados também indicaram que a norma de desempenho NBR15575 foi um avanço para a construção civil contribuindo para a qualidade das edificações brasileiras
 
D2m,nt,w e espessuras totais com intervalo de 1 cm 
O desempenho das edificações tem se tornado preocupação crescente das construtoras, tendo em vista as exigências dos usuários e a competitividade do mercado imobiliário; além da norma brasileira de desempenho de edificações habitacionais. Como uma destas exigências, pode-se citar o isolamento sonoro das vedações verticais, que causam desconforto acústico quando deficiente. O presente trabalho tem por objetivo avaliar a conformidade das vedações verticais internas e externas em campo em relação aos critérios estabelecidos pela norma brasileira de desempenho, analisando os resultados obtidos em relação ao tipo de componente e às espessuras total e do revestimento. Para tanto, foram coletados dados em 15 edifícios de múltiplos pavimentos, que utilizaram os seguintes componentes: tijolo cerâmico, bloco cerâmico, bloco de concreto ou bloco de gesso. Constatou-se que apenas 25% dos componentes avaliados estão em conformidade com a norma, no caso das vedações verticais internas. Para as vedações verticais externas, apenas 10% dos componentes avaliados estão em conformidade com o critério de classe de ruído II e nenhum com o critério de classe de ruído III. Verificou-se também que o bloco de concreto apresenta melhor desempenho para vedações internas e externas, devido ao seu comportamento mais constante na faixa de frequências de 100 a 3150 Hz. As espessuras totais e de revestimento que corresponderam ao melhor desempenho acústico, obtido na amostragem, também foram identificadas.
 
Este artigo apresenta os resultados obtidos na primeira fase de desenvolvimento de uma aplicação que integra a interface de um ambiente de projeto BIM (Building Information Modeling) ao simulador acústico BRASS (Brazilian Room Acoustic Simulator). O objetivo do projeto é obter um ambiente de auralização integrado à ferramenta de concepção do projeto, buscando facilitar o trabalho de simulação acústica. Uma interface de auralização unificada evita que arquitetos e engenheiros tenham que comutar entre diversas aplicações gráficas para ouvir o resultado da simulação, facilitando a tomada de decisão projetual. Para efetuar a auralização de salas, os procedimentos de cálculo utilizados pelo simulador acústico BRASS foram implementados no aplicativo de modelagem BIM Revit, testando duas implementações: scripts programados no ambiente de programação visual Dynamo e funções programadas em C# no ambiente .NET. Como resultado da integração, são obtidos arquivos de áudio biauriculares que consideram a espacialidade do som através das funções de transferência relativas à cabeça e a visualização da posição da fonte sonora e do campo acústico, definido pelo conjunto de raios sonoros que se propagam dentro do ambiente simulado. São apontados problemas referentes ao desempenho necessário para realizar este tipo de simulações e relacionados à classificação dos parâmetros utilizados.
 
A clareza na comunicação, o conforto e a concentração da atenção são fundamentais no desempenho e produtividade dos profissionais que utilizam escritórios em ambientes industriais. A avaliação do conforto acústico nesses escritórios deve considerar a medição de níveis de pressão sonora (NPS), de tempos de reverberação (TR), bem como a quantificação do ruído de fundo e da inteligibilidade da fala. A presente pesquisa teve como objetivo avaliar o conforto acústico de ambientes de escritórios situados na casa de força de uma usina hidrelétrica. Para tanto, a investigação baseou-se na avaliação da interferência do ruído de fundo e do TR na inteligibilidade da fala em seis ambientes de três escritórios, a partir de medições de NPS, da quantificação e análise das curvas critério de ruído NC e RC Mark II, e do Índice de Transmissão da Fala (STI). Os seis ambientes internos também foram avaliados pelo cálculo do TR de Sabine e Eyring. Todos os ambientes não atenderam ao critério de conforto da curva NC 40, apresentando espectros desbalanceados entre 125 e 500 Hz e vibrações perceptíveis nas baixas frequências (16 ou 31,5 Hz) que superaram os 75 dB. Quatro ambientes atenderam aos valores de TR recomendados, mantendo-se entre 0,3 e 0,5 segundo. O STI foi classificado entre ruim e razoável, variando entre 0,2 e 0,5. Conclui-se que ambientes industriais como casas de força de usinas hidrelétricas semelhante as estudadas não favorecem a instalação de escritórios sem interferência no conforto acústico e na comunicação oral dos usuários, sendo necessário um projeto adequado para utilização prolongada em trabalhos intelectuais.
 
-Planta baixa e corte longitudinal das câmaras reverberantes  
– Isolação sonora em bandas de terço de oitava de todos os ensaios realizados, em campo e laboratório  
Com a entrada em vigor da norma de desempenho das edificações habitacionais, valores mínimos de desempenho quanto ao isolamento acústico entre cômodos passaram a ser exigidos. Na busca ao atendimento dessas exigências, muitos construtores têm investido na obtenção de resultados do índice de redução sonora de divisórias em alvenarias de blocos cerâmicos ou concreto. No entanto, elementos construtivos como, por exemplo, paredes em blocos de gesso não têm sido alvo destas investigações com tanto fomento. Na região nordeste do Brasil, onde há uma grande concentração de jazidas naturais de gipsita, muitas construções são feitas em paredes de blocos de gesso, em razão do baixo custo e de condições climáticas da região. Diante da escassez de informações de propriedades acústicas das paredes em blocos de gesso, neste trabalho são apresentados valores do índice de redução sonora ponderado para duas paredes construídas em blocos de gesso maciço com 100mm de espessura, ambas ensaiadas em laboratório conforme métodos preconizados nas normas internacionais ISO 10140. Dos resultados obtidos, as paredes avaliadas em campo atendem a requisitos mínimos da norma brasileira de desempenho (40 dB) apenas nas paredes entre unidades habitacionais autônomas, nas situações onde não há ambiente de dormitório. Em laboratório, a mesma parede atenderá aos requisitos mínimos se for construída como parede cega de salas e cozinhas entre uma unidade habitacional e áreas comuns de trânsito eventual, como corredores e escadaria dos pavimentos (39 db). Os resultados em campo são superiores aos obtidos por ensaio em laboratório, indo de encontro ao que a norma de desempenho prevê. Isso reforça a importância da realização dos ensaios em campo.
 
-a) Mapa parcial de Aracaju, b) Ortofotocarta da Av. AF (Ano: 2004) -Destaque: trecho analisado e c) Foto ponto de medição -Destaque: Posição do medidor de nível de pressão sonora (sonômetro)  
-Planta baixa esquemática – seção da Av. AF  
-Corte esquemática -seção da Av. AF (Destaque: localização do sonômetro)  
O ruído de tráfego é uma das principais questões que afetam o bem - estar e a saúde humana em ambientes urbanos. Este artigo mostra uma aplicação de mapa acústico como ferramenta para avaliação do ruído de tráfego veicular urbano através de simulações acústicas (software Predictor, versão 9.0 - Brüel & Kjær). O objeto de estudo foi um trecho da Av. Augusto Franco, importante avenida na zona urbana da cidade de Aracaju, Brasil. A modelagem acústica e simulações foram baseadas em medições de dados acústicos, de tráfego e geométricos coletados em novembro/dezembro de 2013 e junho de 2014. Os resultados foram discutidos com base em mapas acústicos do cenário atual, seguidos pela criação e simulação de cenários hipotéticos de composição e fluxo de veículos. Foram feitas análises comparativas entre descritores acústicos dos mapas e legislação municipal, normas - internacional e nacional, além da literatura técnica de ruído urbano. Os resultados revelam a existência do impacto do ruído de tráfego no trecho analisado, o que pode causar desconforto ou até mesmo efeitos adversos à saúde da população exposta. Este estudo aponta a importância do desenvolvimento de mapas acústicos para análise do ruído ambiental por meio de diversos cenários com alteração de características de tráfego de uma dada região, visando melhores condições de conforto acústico nas cidades e podendo subsidiar a tomada de decisão de políticas públicas de urbanização.
 
-Estágios e respectivos módulos de avaliação do ciclo de vida de edificações
-Estudo A -Massa e energia primária, no cenário-base e a partir da aplicação das duas regras de corte consideradas na etapa de produto
-Estudo B -Impactos (valor absoluto (VA) e contribuições) por subsistema da edificação, para o cenário-base. Em vermelho, as categorias consideradas pelo LEED v4. A linha tracejada destaca a contribuição dos elementos de estrutura e envelope. A contribuição para a massa no ciclo de vida é indicada para referência.
-Estudo B -Impactos (valor absoluto (VA) e contribuições) por material, para o cenário-base. Em vermelho, as categorias consideradas pelo LEED v4. A contribuição para a massa no ciclo de vida é indicada para referência.
A escassa literatura disponível sobre avaliação do ciclo de vida de edificações (ACVed) aponta a necessidade de reduzir os fluxos considerados. As regras de corte auxiliam a viabilizar a modelagem, mas o efeito de variações na sua aplicação é inexplorado na literatura. O objetivo deste trabalho é investigar a influência da aplicação das duas principais abordagens de corte de inventário utilizadas em ACVed - por massa e energia, indicada pela norma EN 15804, e por subsistema construtivo, como adotado pela certificação LEED v4 - relativamente ao inventário mais completo possível (“best-of-knowledge”). Impactos do berço ao túmulo foram calculados para dois casos. A plataforma SimaPro v8.5/9.0 apoiou a composição dos processos e adaptações da base Ecoinvent. Foram utilizados os métodos CML-IA baseline e CED para avaliação de impacto, e clusterização k-means para prospecção de relações entre categorias ambientais. Enquanto a regra de corte europeia retém uma parcela considerável dos impactos em todas as categorias, os subsistemas excluídos pelo LEED afetam principalmente categorias não avaliadas, mas em que a produção de materiais de construção tem efeito relevante, como ecotoxicidades, toxicidade humana e depleção abiótica. Adicionalmente, a livre escolha de três categorias ambientais propicia redundância de informação, caso elas façam parte de um mesmo cluster. Para equilibrar a viabilidade da ACVed, enquanto se assegura a integridade das conclusões, recomendamos que a certificação adicione subsistemas na avaliação até que mais de 75% dos metais sejam computados, e amplie estrategicamente o conjunto de categorias avaliadas mandatoriamente. Estudos adicionais são agora necessários para confirmar estas proposições.
 
-Crescente número de publicações voltadas para o estudo da utilização da avaliação de ciclo de vida para edificações (Levantamento conforme sugerido por Geng et al. (2017): os termos de busca incluíram "Life Cycle assessment" ou "LCA" e "building" ou "construction", além de considerar aspectos de construções, como sistemas de ar-condicionado e tubulações. Apenas artigos em periódicos foram contabilizados. Dados levantados em abril de 2021, portanto, representam o último ano não finalizado)
-Relação entre atributos das tabelas do banco proposto (à esquerda) e elementos e atributos do arquivo XML para o Quantification (à direita). Na figura é apresentada para o caso dos insumos, para demais elementos, a relação ocorreu de forma análoga. PAG indica o potencial de aquecimento global, cuja correspondência foi nomeada como "GlobalWarming" para atender aos padrões de nomenclatura já estabelecidas pelo arquivo
A indústria da construção civil vem apresentando esforços buscando alcançar os avanços tecnológicos necessários para garantir o constante aumento na qualidade das obras e, consequentemente, melhoria na sustentabilidade de seus produtos. Nesse sentido, a tecnologia Building Information Modeling se destaca como uma forma de permitir que diversas equipes e sistemas se comuniquem e utilizem de uma grande quantidade de informações para avaliar indicadores de desempenho importantes de uma edificação. Por outro lado, a Avaliação de Ciclo de Vida é outra ferramenta importante que pode ser utilizada na seleção de materiais, processos e produtos mais sustentáveis. Portanto, a recente busca pela integração dessas duas tecnologias aparece como uma alternativa viável para garantir que engenheiros, arquitetos e construtores tenham acesso a informações importantes durante qualquer fase no desenvolvimento do projeto e possam, assim, tomar decisões corretas, baseadas em dados providos por sistemas computacionais. Visando essa integração, o presente trabalho apresenta uma abordagem que permite a utilização de bancos de composições de custos para o levantamento de materiais e inventários de ciclo de vida de forma conjunta em ambientes BIM, facilitando a utilização de indicadores ambientais em conjunto com custos. A abordagem é então demonstrada em um estudo de caso de seleção de materiais, demonstrando que, quando comparamos blocos de concreto com blocos cerâmicos para sistemas de alvenarias de vedação, a segunda opção apresenta custos relativamente menores, apesar de ter um maior potencial de influenciar no aquecimento global.
 
O ensino de Building Information Modeling (BIM) deve ser visto como necessário considerando os requisitos atuais da indústria da construção. Estudos anteriores apontaram critérios para identificação de disciplinas que possuam interface com o ensino de BIM, como forma de ministrá-lo de forma integrada, distribuindo conteúdos em diversas disciplinas de um curso de graduação. Entretanto, poucos estudos focam na inserção do ensino de BIM em cursos de graduação em Engenharia Civil a partir do desenvolvimento de competências BIM individuais. Assim, este artigo formula hipóteses para implementação do ensino do BIM no curso de graduação em Engenharia Civil da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. A partir de uma pesquisa de campo exploratória, propõe-se duas categorias de hipóteses para implementação do BIM. A primeira categoria concentra-se na inserção do BIM em pelo menos uma disciplina de cada semestre que possui forte interface com o paradigma baseadas no desenvolvimento de competências BIM individuais. A segunda categoria concentra-se na coordenação e docentes de um curso de graduação, com foco na formação docente e na infraestrutura dos laboratórios.
 
Os benefícios do uso da cobertura das edificações como telhado verde já são bem conhecidos, tanto na escala do edifício quanto na escala da cidade. Para o telhado verde extensivo modular, é interessante considerar as características quanto à flexibilidade e à praticidade, na execução e manutenção. Também é notável quando se utilizam materiais que são coerentes com a proposta de sustentabilidade ambiental. Nessa perspectiva, pode-se destacar o uso de concretos leves com resíduos da indústria de calçados para produzir os módulos a receberem vegetação. Considerando-se esse tipo de telhado verde (extensivo) e tais materiais utilizados nos módulos (pré-moldados cimentícios com resíduos de EVA), apresenta-se, neste artigo um estudo que procura identificar a biodiversidade favorecida e as interações entre os módulos e os vegetais neles cultivados. O referido telhado foi executado na cobertura de uma edificação existente no laboratório e monitorado durante nove meses, na condição de clima tropical quente e úmido. Os resultados demonstraram que várias das plantas do tipo medicinais (porte herbáceo) cultivadas se adaptaram bem ao material e ao projeto do módulo, sobretudo em relação aos espaços das células nos módulos, demandando apenas uma manutenção mensal e irrigação de 3 a 4 vezes/semana, no período com baixa precipitação pluviométrica. No micro-habitat, foram encontrados vários tipos de animais (minhocas, baratas, embuás etc.) e espécies de plantas invasoras, confirmando a hipótese de que tal ambiente auxilia na manutenção da biodiversidade.
 
En las últimas décadas, debido a las alteraciones climáticas y la posible escasez de energía, muchos son los investigadores en los campos de la arquitectura e ingeniería civil que encuentran alternativas y estrategias pasivas que puedan mitigar esos efectos y establecer una relación entre arquitectura y clima. En este contexto, los elementos perforados, específicamente el cobogó, en el caso de gran parte de Brasil son una alternativa arquitectónica que puede ser usada para minimizar las condiciones climáticas adversas, pues pueden proporcionar ventilación natural permanente, así como protección solar, e iluminación natural. Delante de estos aspectos, se presenta una revisión bibliográfica sobre el origen, evolución e importancia de los elementos perforados (cobogós) y algunos aspectos que lo relacionan como elemento arquitectónico que auxilia en la adaptación al clima, influenciando en las condiciones de confort ambiental y eficiencia energética. Se utilizó el método de investigación bibliográfica – documental, con base en la búsqueda de fuente de datos académicos. Fueron analizados documentos en español, portugués e inglés, publicados de 2014 a 2016. Posteriormente fue aplicado el Teorema de Gauss e por fin, realizado el análisis de títulos y resúmenes de los documentos más relevantes sobre el tema. Se observó la importancia de los elementos vazados para la arquitectura, y la necesidad de la realización de nuevos estudios para evaluación de desempeño de este dispositivo, además de cuestiones estéticas muy abordadas.
 
Representação da evolução da transferência de fissura (Crack bridging) do substrato para a membrana aderida
substrato com a MAP aplicada (a esquerda) e substrato com a MASC aplicada (a direita)
Face do substrato sem a membrana com LVDT (a esquerda) e face do substrato com a membrana filmada durante o ensaio (a direita)
Sistemas de impermeabilização aderidos em estruturas de concreto formam barreiras protetoras contra a entrada de fluídos e agentes agressivos. No entanto, se fissuras surgirem no substrato e passarem para a camada impermeável aderida, a estanqueidade do sistema pode ser comprometida. Esse trabalho tem como objetivo a avaliação experimental do comportamento de duas membranas impermeabilizantes, de base acrílica, quando aderidas em substrato de concreto sujeito a fissuração. É proposto um método de ensaio mecânico de tração indireta associado a análise por correlação de imagem (DIC) para avaliação da transferência de fissuras de substratos de concreto para membranas impermeabilizantes aderidas. Os resultados mostraram que esta metodologia permite diferenciar o comportamento das membranas com relação a transferência de fissuras. Além disto, foi possível mensurar quantitativamente, com a técnica DIC, a magnitude da fissura no concreto que resultou em fissuração nas membranas. A membrana de acrilatos puros resultou menor capacidade de absorver os esforços provenientes do substrato do que a membrana de copolímeros acrílicos sem cimento. Esse comportamento pode ser relacionado com a diferença no alongamento dos materiais. A aderência das membranas ao substrato foi elevada e muito superior aos requisitos normativos, e pode ter resultado na dificuldade das membranas de absorver os esforços do substrato, fissurando com maior facilidade.
 
Distribuição espacial da luz admitida em coordenadas X (azimute), Y (altura) e Z (luminância equivalente da janela) para situação de 1 PH. 
O objetivo deste trabalho é apresentar uma avaliação quantitativa e direcional da luz natural admitida através de janelas com elementos de controle solar - ECS, produzindo informações sobre o fluxo luminoso resultante e sua distribuição espacial. O método baseia-se na definição de um modelo virtual análogo ao goniofotômetro, equipamento utilizado em estudos fotométricos laboratoriais. A proposta foi implementada através de um programa de simulação computacional do comportamento da luz natural APOLUX 1.0. Os parâmetros de análise foram o fluxo luminoso admitido e a luminância equivalente da janela voltada ao ambiente interno, caracterizando sua distribuição espacial. O estudo foi realizado com diferentes tipos de ECS, horizontais e verticais. Os resultados obtidos permitem apontar o método desenvolvido como bastante satisfatório para os objetivos propostos, apresentando também vantagens em relação aos métodos experimentais de laboratório, como o menor tempo de análise, menor custo e facilidade de acesso à maioria dos pesquisadores.
 
-Scales of the project  
Scales of the project
-From the Building to Blocks
-Ground Floor Plan of the Block displaying pedestrian movements  
Este artigo apresenta a estratégia na qual as quadras urbanas são adotadas como unidade para projetos de renovação de bairros consolidados. A renovação de edifícios e de bairros visando a sustentabilidade são práticas comuns em diversas cidades e escopo de textos acadêmicos e projetos em elaboração e concluídos. Neste artigo, a renovação de edifícios de apartamentos no Rio de Janeiro, com foco na sustentabilidade e na qualidade de vida, será apresentada a mudança de escala proposta, do edifício para a quadra urbana, com base na pesquisa desenvolvida. No levantamento de objetos para estudo de caso, deparou-se com a uniformidade de características dos edifícios. A quase totalidade dos edifícios tem a mesma técnica construtiva e foram construídos há mais de 50 anos, 10 a 12 pavimentos, enquanto as quadras possuem espaços vazios no interior. Na maior parte dos edifícios são tem afastamentos entre si. A mudança de edifícios para quadras como unidade para projetos de renovação apresenta importantes benefícios: Um novo modelo de administração unificada, força econômica e política para iniciativas e projetos, soluções únicas de infraestrutura e serviços, entre outros. Os conceitos de Smart Grid e Smart Cities podem ser adotados entre os edifícios atuais assim como nas futuras construções nas quadras, com as quadras, atualmente independentes e que podem ser integrados em projetos complementares. Neste estudo, para os projetos de renovação das quadras, os pavimentos que tem áreas comuns, como térreos, subsolo e de cobertura, foram considerados com alto potencial de integração e de projeto único. Serão expostas as soluções selecionadas, viabilizadas pela adoção da quadra como unidade nos estudos conceituais para demonstrar o potencial da estratégia.
 
– Sala de estar apartamento vizinho  
– Partição entre sala de estar e varanda  
– Planta baixa com as posições da fonte e do microfone na situação 1 (Isolamento sonoro entre partições contíguas de apartamentos vizinhos)  
– Planta baixa com as posições da fonte e do microfone na situação 2 (Isolamento sonoro de fachada)  
A arquitetura brasileira tem apresentado constantes mudanças nas técnicas e nos materiais de construção com reflexos na qualidade das construções. No caso do isolamento sonoro de habitações, o resultado, em geral, tem sido negativo. Com o advento da norma de desempenho de edificações habitacionais, a NBR 15575, publicada no ano de 2013 pela Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT e que estabelece os requisitos mínimos para os diversos elementos de construção em favor do desempenho dos edifícios, as empresas de construção civil terão que adequar a nova construção aos limites e aos requisitos estabelecidos pela norma. O objetivo geral deste trabalho é avaliar, por meio de medições de campo, o nível de isolamento sonoro (ruído aéreo) de duas partições verticais da sala de estar de um apartamento em Maceió-AL-Brasil através de dois parâmetros estabelecidos na NBR 15575: a Diferença Padronizada de Nível Ponderada (D’nTw) e a Diferença Padronizada de Nível Ponderada a 2 m de distância da fachada (D’2m,nT,w). Verificou-se que os níveis de isolamento sonoro aéreo encontrados são inferiores aos recomendados pela norma, demonstrando a insuficiência, do ponto de vista acústico, dos materiais utilizados na composição das paredes. É clara a necessidade, não apenas, de avaliar e monitorar o desempenho acústico, mas também de maior preocupação com estratégias de projeto e de intervenções construtivas que proporcionem aos usuários condições adequadas de conforto e de privacidade.
 
Boston Dynamics Big Dog, image Courtesy of Boston Dynamics.
T1000 Robot, Terminator 2, Judgement Day
Scumak 2 by Roxy Paine
Scumak 2 by Roxy Paine  
The main aim of this paper is to explore the manifold planes of possible communication between various fields of expertise triggered by two specific conditions: Artifact and Affect. The relation between the conditions is described by the application of computer numerical control and the artifacts of the process grinded into the surface condition. Resulting in opulent novel conditions which can be read in multiplicious ways.
 
Diferentes formações F: a) formação em L; b) Formação face a face; c) Formação lado a lado; d) formação semicircular; e) Formação retangular
Algumas das imagens coletadas durante o processo de coleta de dados no espaço livre; (2) mapeamento dos fluxos, das situações de formação de grupos e as atividades realizadas; (3) Padrões observados
Demais padrões observados nos espaços livres
mplementação da formação de grupos (2 a 3 agentes) no ambiente Processing e indicação complementar para auxiliar na leitura das imagens
Protótipo físico/digital desenvolvido por estudante para seu trabalho de conclusão de curso
O objetivo deste trabalho é apresentar os resultados de uma pesquisa que busca desenvolver simulações para auxiliar arquitetos e urbanistas a planejar intervenções em espaços livres. Este documento contém os métodos utilizados para coletar dados de dinâmica do usuário em espaços abertos e fechados, os padrões observados durante o processo de coleta de dados e um protótipo de uma simulação implementada usando uma biblioteca de agentes autônomos no ambiente de desenvolvimento Processing. Durante a pesquisa são estudadas as dinâmicas humanas em átrios de edifícios de sala de aula e nos espaços livres próximos ao Restaurante Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina. As simulações, inicialmente desenvolvidas em duas dimensões, possibilitam modificar a dinâmica dos agentes pela inserção de novos objetos em um cenário inicial e pela alteração de parâmetros ambientais, tais como, temperatura umidade, ou situações de céu coberto ou encoberto. A simulação apresentada neste trabalho foca na formação de diferentes grupos de pessoas, o fluxo espacial do usuário e o comportamento em relação a outros objetos presentes em um espaço livre, tais como árvores e bancos. Os resultados desta pesquisa nos ajudarão a desenvolver ferramentas para prever como os padrões de comportamento humano em espaços livres e ajudar estudantes a desenvolver uma compreensão de como pequenas intervenções podem mudar a dinâmica de um lugar.
 
La relación entre ciudad y energía tiende hacia dos situaciones antitéticas: primero, aquella que entiende que las aglomeraciones urbanas deben de ser entes energéticamente autónomos —como es por ejemplo la ciudad de Masdar diseñada por Foster and Partners para Abu Dhabi— y segundo, aquella que entiende que las ciudades no deben estar aislada, sino que deben de estar conectada a redes de energía de rango superior vinculado a la capacidad de soporte de la región sobre la que se enclava —como es el caso de la tendencia hacia los campos eólicos off-shore. Pero si se estudia este asunto en profundidad, queda claro que esta discusión no se puede limitar al grado de autosuficiencia o al grado de centralización de las redes de suministro. Lo ideal es un mix equilibrado que aproveche las ventajas que ofrece cada situación. La realidad es que existen pocas cuestiones inapelables, resultando necesario tener todas las opciones abiertas. Sin embargo sí existe una certeza: es necesario que el debate en torno a ciudad y energía se haga partiendo de los sistemas termodinámicos abiertos dado que, al fin y al cabo, éstos están en la base del funcionamiento de las ciudades. Para conocer la realidad energética de una ciudad resulta necesario entender qué es y cómo funciona un sistema termodinámico abierto, cuál es la relación entre su estructura formal y su funcionamiento, y como afectan éstos intercambios de información a su consumo de materia y energía. Únicamente de esta manera se puede establecer un debate serio acerca de la relación entre la ciudad y la energía.
 
Este artigo assume estudos de caso nos Municípios de Moju e Acará para investigar uma rede de pequenas aglomerações que compõem o território rural do nordeste paraense. Normalmente invisível aos órgãos oficiais e não considerada no desenho das políticas públicas rurais e urbanas, esses aglomerados efetivamente estruturam o território rural, como pode ser apreendido por meio de cartografia social. O objetivo deste artigo é relacionar os níveis hierárquicos dessa rede de aglomerados rurais aos resquícios das políticas colonizadoras. A metodologia utilizada foi qualitativa voltada para a análise de padrões sócio-espaciais, utilizando como ferramentas a cartografia social e a teoria dos grafos para gerar um gradiente urbano-rural e os níveis de hierarquia da rede. Apesar da prevalência de funções agrárias, assumidas como ponto de partida da colonização realizada nos anos 1970, observa-se a disseminação de aglomerados rurais hierarquizados por centralidade, disponibilidade de serviços, estratégias de subsistência e coesão social, que articulam usos rurais a expectativas de consumo e acesso às políticas públicas normalmente associadas ao universo urbano, conectando esses dois mundos. O resultado de tantas superposições é um território híbrido cuja morfologia e padrão socioespacial em rede são pouco compreendidos e valorizados tanto pelo setor público quanto pela iniciativa privada.
 
-Correlação entre a frequência e a velocidade de escoamento da agua
-Representação do escoamento pelo software fluxovento
-Modelo com o domínio computacional
No processo de projeto nota-se a existência de uma lacuna entre a teoria e a prática, principalmente com relação à ventilação natural. Isso requer o uso de métodos que auxilie a visualização do fluxo de ar nos edifícios e sua transferência para os projetos. Muitas das ferramentas confiáveis de predição da ventilação natural, como o túnel de vento e os softwares de Dinâmica dos Fluídos Computacional (Computational Fluid Dynamic – CFD), são complexas e caras, dificultando o seu uso durante o ensino e na prática dos projetistas. Diante disso, o objetivo dessa pesquisa é verificar se ferramentas simplificadas representam o escoamento do ar no projeto arquitetônico de maneira fiel. Para isso, a visualização da ventilação natural através de experimentações simplificadas é comparada com ferramentas complexas e de alta confiabilidade, como simulações CFD. O método foi dividido em 3 etapas. Primeiramente, foi construído um modelo físico modular, baseado na literatura especializada. Em seguida, ensaios na mesa d'água foram executados. Por fim, simulações computacionais em uma ferramenta simplificada (software Fluxovento) e em uma mais complexa baseada na Dinâmica dos Fluídos Computacional (software CFX) foram realizadas. Os resultados demonstram a compatibilidade entre as simulações CFD e os ensaios na mesa d´água, indicando que o ensino com essa ferramenta torna acessível o entendimento de conceitos básicos da ventilação natural. Já no Fluxovento, diferenças significativas foram registradas na análise do fluxo de ar, dificultando o entendimento da ventilação natural. Ressalta-se a característica modular do modelo para elaborar novos casos em estudo de ventilação natural.
 
a) Aparato para análise de retenção e qualidade da água drenada e (b) Sensor de umidade CS616. Com os dados registrados pelo pluviômetro de báscula, será possível aferir o coeficiente de selagem da camada vegetal (relação entre o volume de escoamento superficial e o volume de precipitação médio considerado para o local e tempo de duração) e estimar o potencial para diminuição da vazão no sistema de coleta pública de água pluvial, a partir da comparação entre a vazão de escoamento da água pluvial na célula-teste de referência (cobertura convencional) e as vazões medidas nas células-teste.
O crescimento urbano das cidades em desenvolvimento em diferentes partes do mundo é dinâmico e desordenado, com a utilização de cada vez mais espaços, propiciando impactos ambientais com enchentes e enxurradas. Isso ocorre devido à escassez de áreas de infiltração, que protegem o solo da ação da água evitando processos erosivos, deslizamentos de terra e consequentemente problemas sociais e danos a vida humana. Uma parcela significativa das áreas impermeáveis corresponde às superfícies das coberturas. Nos últimos dez anos as coberturas verdes vêm sendo amplamente pesquisadas para verificar o seu potencial no desempenho térmico, na retenção de água pluvial, na qualidade da água drenada, assim como na recuperação de áreas permeáveis para mitigar os danos causados pelas enchentes. Na Universidade Estadual de Campinas encontra-se em desenvolvimento um experimento que avalia tanto a capacidade de retenção de água pluvial, qualidade da água escoada como o desempenho térmico em coberturas verdes. O presente artigo tem como objetivo apresentar os resultados obtidos para a qualidade da água pluvial escoada em coberturas e o seu potencial para reuso em edifícios. Para analisar a qualidade da água pluvial utilizou-se 09 célulasteste, sendo 04 do tipo extensivo com 0,10m de profundidade do substrato (inclinação de 2%); 2 do tipo extensivo modular com 0,09m de profundidade do substrato (inclinação de 2%); 2 do tipo semiintensivo com 0.25m de profundidade do substrato (inclinação de 2%); 1 célula-teste com cobertura cerâmica (inclinação de 25%). Para a coleta de dados desenvolveu-se um projeto específico para a análise da retenção e do escoamento da água pluvial. Para cada célula-teste instalou-se um balde eletrônico que registra o escoamento superficial. Após o balde eletrônico foram instalados 5 coletores, onde o primeiro serve para a análise do primeiro jato (first flush). Após os 5 coletores foi instalado um filtro em “Y” e uma caixa d’água de 500 l para armazenar a água escoada. Verificou-se inclusive a qualidade da água após permear o filtro em “Y”, tornando possível a análise de um processo simples e econômico de filtragem da água pluvial. As precipitações foram classificadas em leve, moderada e intensa utilizando uma estação meteorológica. Para a avaliação da qualidade da água e o escoamento superficial consideraram-se as propriedades distintas dos substratos utilizados e as geomantas filtrantes.
 
Os problemas de inundação nas vias urbanas, decorrentes da combinação da ocorrência de fortes chuvas e excesso de impermeabilização dos espaços urbanos, têm causado sérios prejuízos às cidades brasileiras. O telhado verde com sua capacidade de retenção da água de chuva é uma interessante alternativa para reduzir as descargas nos sistemas de drenagem urbana. No presente artigo, procura-se analisar o potencial de retenção dessas águas, a partir de um telhado verde, proposto com pré-moldados cimentícios com agregados leves de Etileno Vinila de Acetato (EVA), originados de resíduos da indústria de calçados. Para isso, foram comparados resultados a partir de monitoramentos dos volumes de chuvas sobre o telhado verde proposto e coberturas convencionais, todos instalados em protótipos. Adicionalmente, foi feita simulação para estimar a capacidade de retenção das águas de chuvas num cenário hipotético, no qual uma pequena parcela das coberturas das edificações da cidade fosse instalada o telhado verde proposto. A contribuição adicional na retenção das águas de chuvas devido à presença dos agregados leves nos módulos foi confirmada. Também foi demonstrada que a capacidade de retenção da água de chuva pelo telhado verde proposto pode variar entre 73,3% e 90,5%, conforme o solo esteja seco ou úmido, respectivamente. Os volumes de retenção estimados na simulação para a cidade podem ser de até 4 milhões de litros/dia na condição de solo seco no telhado verde, o que indica que, caso este tipo de cobertura seja incentivado nas edificações, há potencial para mitigar os problemas de enchentes nas vias da cidade.
 
Distribution of the of room's thermal characteristics to which the subjects were exposed before and after the application of the design criteria: a) operative temperature; b) air relative humidity (same key of a) a) 
Mean TP and PMV binned by operative temperature and respective weighted linear regressions. The gray band is the TP and PMV range for thermal neutrality
-Statistics of operative temperature for thermal neutrality
Probabilities from the Kolmogorov-Smirnov test comparing the operative temperature distributions of thermal neutrally for TP and PMV, and the same distribution for the most favorable answers to the questions 2 to 5
Apesar do envelhecimento da população de forma geral e, em particular, no Brasil, não há até o momento pesquisas sobre a percepção térmica do idoso no país. As informações disponíveis são baseadas em estudos realizados em climas diversos dos brasileiros. O objetivo do presente trabalho foi avaliar se existem alterações significativas na percepção térmica de idosos em relação à de indivíduos mais jovens. Numa sala com ar condicionado foram medidas suas variáveis térmicas e aplicado um questionário a uma amostra de idosos. As respostas a questões sobre percepção térmica relatada pelos sujeitos (PT), conforto e preferência térmica, aceitabilidade e tolerância pessoal foram relacionadas com as respectivas temperaturas operacionais e essas com as calculadas pelo PMV (referência para não idosos). A temperatura operativa média de neutralidade (PT = 0) foi menor que a calculada pelo PMV, ou seja, menor do que a preferida por não idosos; além disso, a faixa de temperatura operativa de conforto térmico de idosos é também maior que a de não idosos. Os resultados divergem, em princípio, dos encontrados na bibliografia internacional, ao encontrar temperaturas de conforto para idosos menores do que para não idosos, mas eles podem ser amparados em trabalhos mais recentes, os quais envolvem termometria circadiana. Outras respostas ao questionário mostram que o PMV não é um bom previsor de condições de conforto térmico para idosos. Como este é o primeiro trabalho sobre o tema no Brasil, ele abre uma discussão e convida pesquisadores a realizar estudos similares para sua validação.
 
No Brasil, a oferta de projetos padronizados e com dimensões mínimas para as habitações de interesse social demanda maior atenção e aponta a necessidade do desenvolvimento de projetos mais eficientes considerando as transformações que ocorrem nos costumes e nos perfis familiares. A participação dos usuários no processo do projeto pode contribuir na qualidade do ambiente construído ao permitir o entendimento das necessidades desses usuários, pois este processo é baseado no aprimoramento da comunicação entre leigos e profissionais. Nesse contexto, o objetivo deste trabalho foi realizar uma simulação com o uso do modelo tridimensional físico ajustável como modo de investigar as prioridades e desejos dos usuários das habitações de interesse social. O modelo permite ajustes e alterações rápidas nas posições de paredes e aberturas, proporcionando uma leitura clara de diferentes opções de projeto. Além da simulação, o método de pesquisa também incluiu um questionário e a técnica de preferência declarada com modelos digitais. Foi possível observar que essas ferramentas auxiliaram na coleta das informações, permitindo que os entrevistados expressassem suas prioridades e as motivações das suas escolhas. A simulação com modelo físico ajustável demonstrou eficácia na comunicação do projeto, para pessoas leigas ao aproximar os envolvidos das decisões sobre o projeto da moradia e auxiliar os futuros moradores a fazerem escolhas mais conscientes.
 
O vale do rio Tamanduateí, Santo André, SP, foi um dos principais vetores de implantação da atividade industrial brasileira do século passado. A partir da década de 1980 enfrentou profunda transformação promovida pelo Estado brasileiro, que incentivou a industrialização em outras regiões do estado e do país. Depois incentivou a internacionalização da produção e inovações gerenciais pela globalização. Estas políticas representaram para Santo André a diminuição do seu parque produtivo e a redução do emprego industrial. Como alternativa o município lança o Projeto Eixo Tamanduatehy, plano urbanístico que objetivou a reconversão econômica com sustentabilidade social.
 
L’architettura della Città, de Aldo Rossi, abre um debate fundamental da história da cidade e da arquitetura: a cidade, na sua totalidade, aparece como um organismo vivo que se compõe de arquitetura em um binômio inseparável. Com isso, Aldo Rossi põe as bases para uma refundação objetiva e científica da disciplina, colocando a arquitetura como um fato permanente, universal e necessário que deve conhecer e reconquistar o território indiscutível da própria especulação teórica e da própria prática operativa: a cidade. Esta relação constituiu-se em uma questão teórica, cuja importância reaparece atualmente (por uma implícita aspiração a uma “unidade aquitetura urbanismo”) diante de um cenário, no qual a possibilidade de uma teoria do projeto parece completamente absorvida da extrema complexidade das formas da paisagem contemporânea.
 
Este trabalho descreve o uso de um aplicativo de análise simplificada de desempenho energético em uma disciplina de projeto de arquitetura de quarto ano, discutindo sua contribuição para o processo de tomada de decisão e refletindo em seguida sobre duas importantes questões: a relação entre o projeto e o desempenho do edifício e a relação entre o ensino de projeto e o ensino da informática aplicada.
 
O segundo número do Volume 9 de 2018 da PARC Pesquisa em Arquitetura e Construção é composto por artigos de pesquisa e de revisões sistemáticas da literatura desenvolvidos por pesquisadores dos estados brasileiros de Alagoas, Distrito Federal, Minas Gerais, Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo. As instituições de ensino e pesquisa envolvidas nos estudos apresentados são: Centro Superior de Juiz de Fora, Universidade de Pernambuco, Universidade Estadual de Campinas, Universidade Federal de Alagoas, Universidade Federal de Brasília, Universidade Federal de Juiz de Fora, Universidade Federal de Viçosa e Universidade Federal do Rio de Janeiro. Neste número houve uma inversão, comparada a números anteriormente publicados, isto é, as áreas de formação dos autores concentram-se em Engenharia Civil, na maioria, e depois em Arquitetura. As temáticas abordadas nos artigos de pesquisa têm enfoque na ventilação natural e a qualidade ambiental das cidades, desempenho de vedações verticais e simulações termo energéticas. As revisões sistemáticas da literatura abordam pesquisas em sistemas generativos em projeto e sobre a percepção do valor na habitação. Assim, inspiram o título deste editorial.
 
Top-cited authors
Regiane Pupo
  • Federal University of Santa Catarina
Monica Santos Salgado
  • Federal University of Rio de Janeiro
Regina Ruschel
  • University of Campinas
Érica De Sousa Checcucci
  • Universidade Federal da Bahia
Vanessa Gomes Silva
  • University of Campinas