Linhas Críticas

Published by Biblioteca Central da UNB
Online ISSN: 1981-0431
Print ISSN: 1516-4896
Publications
Este artigo tem por objetivo trazer alguns elementos como contribuição ao debate sobre a educação profissional e tecnológica no Brasil, tendo por base a reflexão, em uma visão internacional comparada, sobre as experiências de alguns países que passaram por um processo de reforma dos seus sistemas. Nesse sentido, busca-se explicitar seu contexto, discutir seus principais conceitos embasadores, identificar seus elementos centrais e observar suas repercussões no Brasil. Os casos da Austrália, Canadá, Coreia do Sul e Portugal são trazidos para iluminar o debate. Julga-se que os elementos analisados possam servir de contribuição ao debate do tema hoje, cotejando as políticas públicas estudadas com aquelas referentes à realidade brasileira.
 
-Matrículas em cursos técnicos realizadas pelo Pronatec
O Plano Nacional de Educação: PNE 2014-2024 prevê, como Meta 11, triplicar as matrículas da educação profissional técnica de nível médio e que, pelo menos, 50% da expansão da oferta seja no segmento público. No entanto, além de a proposta original do plano prever a duplicação das matrículas no período, o ano de 2013, estabelecido como Linha de Base do PNE, apresentou expressivo aumento de matrículas decorrentes do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego - Pronatec, o que levou a um aumento de 76% entre a meta proposta e a aprovação, de fato, da meta. O presente trabalho analisa o contexto de definição da meta 11 pelo Congresso Nacional, e o posicionamento apresentado pelo MEC frente à alteração realizada pelo Parlamento.
 
Resenha do livro: Coelho, E. P. (2011). Pedagogia da correspondência: Paulo Freire e a educação por cartas e livros. Liber Livro.
 
Este trabalho visa analisar como o jornal católico Estrella do Sul participou do debate educacional na primeira metade de 1930, no Rio Grande do Sul; o impresso era uma publicação semanal, vinculada ao centro da Boa Imprensa; circulava de forma ampla no centro do estado, era composto por quatro páginas, poucas imagens, textos curtos e anúncios. Analisamos o conteúdo do impresso como indicador das ações estabelecidas junto ao espaço educacional e percebemos que o impresso se efetivou como uma estratégia de ação estabelecida pela Igreja Católica com o objetivo de ampliar sua intervenção social, atuando de forma prioritária na defesa do ensino religioso facultativo nas escolas públicas.
 
Pesquisadora Associada da Faculdade de Educação da Universidade de Brasília e bolsista de produtiviade em pesquisa do CNPq, mulher forte e apaixonada pela vida e pelo viver, Erika Zimmermann deixou-nos no ano de 2011, partindo para a dimensão da vida espiritual. Como colega e parceiro, fui convidado pelas editoras da revista Linhas Críticas a escrever algumas palavras em memória da educadora, em homenagem à quela cuja imagem, ideias e ideais permanecerão no seio de nossa instituição de pesquisa e de formação. A Universidade de Brasília, a comunidade de educadores científicos e, em especial, a Faculdade de Educação fizeram-se mais nobres, honrados e valorosos com a passagem de Erika pela nossa academia, que ficou marcada por suas falas, escritos e ações.
 
Este texto é resultado de uma pesquisa em que procuramos relacionar a formação de professoras de biologia de diferentes regiões do Brasil ao contexto educacional do país no período de 1960 a 2010, a partir de suas histórias de vida. Para tanto, este trabalho tem por base a descrição interpretativa e se utiliza da história de vida como procedimento investigativo, no campo das pesquisas qualitativas na área da educação. Os resultados revelam a estreita relação existente entre o contexto sócio-político-educacional e a formação docente, uma vez que é aquele que norteia as políticas de formação do profissional docente.
 
Neste artigo, tratamos da implantação da disciplina Estudo de Problemas Brasileiros (EPB) na Universidade Federal do Paraná (UFPR) durante a ditadura civil-militar. O objetivo deste trabalho é analisar como ocorreu sua implantação no âmbito da reforma universitária na UFPR. As fontes mobilizadas para a produção desta pesquisa foram analisadas a partir dos pressupostos teóricos da História Cultural e se concentraram em: leis, decretos, pareceres, atas e portarias publicadas pelo governo e pela UFPR durante a ditadura civil-militar. Os dados apresentados neste trabalho resultam de pesquisa desenvolvida durante o mestrado, a qual permitiu compreender a implantação da disciplina de EPB na UFPR.
 
As mudanças nas últimas décadas do século XX e início do século XXI, na universidade, no Estado e no mercado vêm promovendo alterações substantivas na forma de conceber a universidade e o exercício das suas finalidades nessa relação em inúmeros países. Esse processo vem requerendo que as universidades integrem-se com as demandas da reestruturação produtiva do capital. Em relação às universidades no Brasil, objetivou-se discutir as novas concepções e finalidades sociais que vem sendo construídas para essas instituições, no contexto das reformas da educação superior, nos governos de Fernando Henrique Cardoso, Lula da Silva e início do governo de Dilma Rousseff.
 
Neste estudo, inspirado em algumas reflexões sociológicas clássicas e contemporâneas, analisamos o acesso ao ensino superior público catarinense, tendo como referência os vestibulares da Universidade Federal de Santa Catarina. Para tanto, percorremos a década que antecede a implantação do programa de cotas para estudantes afrodescendentes e oriundos de escolas públicas (1998 a 2007). Após examinar os dispositivos de seleção meritocrática a partir da definição de vestibular e dos termos correlatos (exame e concurso), estudamos os documentos legais atuais procurando relacionar alguns princípios estabelecidos para o ensino superior aos critérios de ingresso nas universidades. Por último, nos centramos nos dados empíricos concernentes a algumas características sociais dos candidatos inscritos e classificados nos vestibulares da UFSC, a saber: o sexo, o percurso escolar, o "capital escolar" dos pais e a renda familiar.
 
O trabalho discute contribuições oferecidas pelos paradigmas da cibercultura e da Web 2.0 às formulações sobre a avaliação da aprendizagem do aluno, em particular na modalidade da educação a distância, EaD. Parte-se de uma reflexão sobre os avanços e limites da avaliação em EaD para a proposição de sua expansão a fim de abarcar ações do aluno relacionadas ao processo de navegação e aprendizagem no ciberespaço. Argumenta-se que tais ações extrapolam os limites do ambiente virtual de aprendizagem e estão relacionadas às novas práticas de interação, colaboração, coautoria e apropriação criativa vivenciadas por muitos alunos. Novas formas de avaliação permitem atribuir valor a essas ações e elevar a qualidade dos processos de aprendizagem.
 
Neste artigo discuto como o conceito de gênero e tipo de texto foi utilizado no conjunto de ações do PNLD 2010 e quais os reflexos desse processo para os livros de Matemática e Alfabetização Matemática. Foram analisados documentos referentes a esse processo de seleção e dois livros didáticos de uma coleção aprovada. Serviu de base teórica a esta análise Marcuschi e Chartier. É possível perceber nas resenhas que compõem o Guia distorções quanto à noção de gênero e tipo de texto. Quanto aos livros, pouco apresentam atividades que explorem o texto em seus aspectos constitutivos gerais, além de as atividades propostas pouca relação terem com os conteúdos matemáticos presentes nos textos.
 
Para compreender o financiamento da educação básica no Brasil. Brasília: Liber Livro, 2012.
 
Este trabalho inspirou-se no texto Tecnologia Educacional, elaborado por ocasião da prova (de conhecimento) do Concurso para Professor Titular da área de ensino- aprendizagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1995), quando o tema foi sorteado entre os 16 (dezesseis) que constituíram o programa. Neste trabalho revê-se o sentido educacional da tecnologia, elegendo-se alguns dos estudos dos anos 70 aos 90, que propiciam sumariar conceitos e princípios afins, na diversidade de objetos que se apresentam nesse âmbito temático, mantendo-se atuais e necessários, apesar da aceleração das mudanças do tempo e das questões tecnológicas. Esta "preservação de memória" se faz, portanto, no interesse de princípios e valores que devem ser lembrados e mantidos no presente, para que não se percam no futuro, nem sejam esquecidos nos fundamentos dos projetos de pesquisa.
 
O objetivo deste artigo é refletir sobre os critérios do Qualis Periódico da Educação, mecanismo de avaliação dos periódicos, parte de um complexo sistema de avaliação dos programas de pós-graduação. Por meio do método documental, selecionamos como objeto de estudo os critérios A1 definidos pelo Documento de Área da Avaliação Trienal de 2013, os mais atuais da área da Educação. Com base nas discussões sociológicas da teoria de campo de Pierre Bourdieu, ao analisar cada um dos critérios, caracterizamos a revista como um agente sujeito às regras que regem a disputa pelo capital simbólico em jogo nesse microcosmo. Ainda que na esfera da prática, o processo avaliativo seja mais complexo do que prevê os documentos oficiais, a análise realizada evidencia como os critérios adotados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) traduzem as disputas acadêmicas em busca de legitimidade, por meio de disposições próprias adquiridas no interior do próprio campo.
 
Este artigo, que se insere no campo da Sociologia da Educação e das Gerações, tem por objetivo discutir a experiência juvenil em um bairro popular de São Bernardo do Campo, fortemente afetado pelas transformações ocorridas no mercado de trabalho na região do ABC Paulista. A metodologia utilizada foi essencialmente qualitativa, desenvolvida por meio de observações de campo e entrevistas de caráter biográfico, realizadas com membros das famílias (pais e filhos) e diferentes lideranças do bairro. Concluímos que a socialização desses jovens foi fortemente voltada para o trabalho, sobretudo o “ideal do trabalho metalúrgico”, o que influenciou seus investimentos educacionais e o modo como eles e suas famílias concebem seus projetos de futuro.
 
Em uma abordagem sociológica, este artigo analisa alguns problemas vividos pela escola pública, como os conflitos sociais e funcionais. O objetivo é auxiliar o dirigente escolar, com recursos oriundos do trabalho científico, a enfrentá-los com o máximo de objetividade. Um dos grandes problemas da escola pública é a inadaptação de amplos contingentes de alunos, atribuída equivocadamente a problemas psicológicos e a problemas familiares. Tal inadaptação configura um fenômeno social regular, mesmo que resulte, em alguns casos, de problemas particulares. São suas manifestações não só a apatia e o desinteresse em sala de aula, mas também formas abertamente conflituosas de comportamento escolar. A tese de que esses fenômenos decorrem de uma crise ética, de uma crise de valores ou da existência de um vazio moral não se sustenta, devendo as causas ser buscadas no processo histórico de construção da hegemonia capitalista. Entre os conflitos funcionais, o estudo destaca o conflito existente entre as pessoas que se dedicam a atividades administrativas e aquelas que atuam em atividades-fim no âmbito da escola. Constata-se que o primeiro tipo de atividade acaba prevalecendo sobre o segundo, ainda que o discurso oficial afirme que o único sentido das atividades administrativas é o de servir aos altos objetivos próprios das instituições sociais.
 
RESUMO O presente trabalho discute a produção colaborativa do conhecimento na Web, provendo uma análise de como contribuições divergentes provenientes dos indivíduos tornam-se um conhecimento convergente compartilhado. Uma colaboração profícua pode desencadear a criação de algo ino-vador que não pode ser atribuído a nenhum aluno específico. Durante a produção colaborativa pode emergir um conhecimento que não pode ser construído individualmente. Será usada uma abordagem com base na lógica dialética, para descrever uma das possíveis maneiras pelas quais a construção do conhecimento colaborativa pode ocorrer. Palavras-chave: Aprendizagem colaborativa. Lógica dialética. Representação social. Produção do conhecimento. Tecnologia na educação.
 
En el ensayo se expone una síntesis de un estudio crítico sobre el Abordaje Triangular, resultado de una investigación bibliográfica de carácter cualitativo, cuyo objeto de estudio fundamental lo constituyó la producción teórica de Ana Mae Barbosa sobre la enseñanza de las artes visuales en el contexto escolar. A modo de introducción se sintetizan los problemas concretos que afrontaba la educación artística en el Brasil de la década del ochenta del siglo XX, de los que partió la autora para proponer su concepción de enseñanza de arte. A seguidas se ofrecen consideraciones teóricas sobre los principales aspectos conceptuales del Abordaje Triangular, tales como: alfabetización visual, creación basada en la relectura visual, contextualización, lectura de la obra de arte. La revisión crítica de las ideas de la autora permite concluir que su concepción epistemológica de la arte-educación sigue siendo un estímulo a la reflexión, y admite ser actualizada, ampliada y profundizada con base en las propias intuiciones teóricas de la autora.
 
Este artigo articula elementos empíricos e teóricos decorrentes de experiências de estudo, pesquisa e extensão que envolvem bebês, crianças bem pequenas, professoras e auxiliares. O amparo teórico sustenta-se em referências da educação infantil e sociologia da infância, principalmente em concepções filosóficas de base pós-estruturalista, com base nos estudos de Mozère (2007). Conhecimentos acerca do cuidado e educação são sistematizados, indicando pistas conceituais e metodológicas para organização de práticas pedagógicas de formação de professores que buscam o instigante movimento de abrir-se aos “pontos de vista” e “forças do desejo” dos bebês e crianças bem pequenas.
 
Este estudo foi feito no interesse de oferecer aos educadores uma síntese analítica de enfoques de livros didáticos, conforme se apresentam na literatura acadêmica e nos termos de guias e catálogos atuais do Programa Nacional do Livro Didático – PNLD/2005. Assim, o encaminhamento do texto iniciou-se por percorrer a literatura, considerando alguns dos estudos críticos (social, histórica e politicamente situados) sobre os livros didáticos. Seguiu-se a essa revisão a síntese analítica das publicações do PNLD/2005, procurando-se, principalmente, observar parâmetros básicos e comuns a diversas áreas de conhecimento. Na consideração final do estudo, observam-se aspectos comuns da literatura e das publicações do PNLD/2005, ressaltando-se a importância de que se preserve a autonomia de escolha, de forma coletiva, fundamentada e consciente, dos professores, de acordo com o projeto político-pedagógico e as circunstância das escolas.
 
Este artigo discute a importância dos métodos ativos no estabelecimento de um novo paradigma na Educação. As proposições morenianas são relacionadas às perspectivas interacionistas c construtivistas. São apresentados dados da realidade educacional brasileira que mostram as dificuldades para se estabelecer uma aprendizagem vivencial que sustente a diversidade de significados atribuidos pelos educandos. São defendidas políticas que fomentem a participação ativa dos educandos em seu processo de mudança, ainda que inseridos em velhos paradigmas.
 
Este artigo trata do relato de experiência de educação ambiental em que a Universidade de Brasília, junto com uma comunidade rural, tem lutado pela preservação da cachoeira do Morumbi, Planaltina, DE Caracterizando- se como um trabalho de educação popular, as ações têm sido pautadas por uma concepção dialógica entre seus integrantes, voltando-se para uma ação transformadora da realidade. Nesta trajetória, porque desempenharam papel de investigadores ativos e críticos, planejando e debatendo as ações e suas consequências, os próprios moradores que participaram do processo através da Associação de Moradores passaram a conhecer mais sobre a própria história do seu loteamento. Tomaram, então, ciência da legislação ambiental de uso do solo, identificaram as instâncias apelativas para esse tipo de litígio, e explicitaram as contradições que se achavam latentes no seio da própria estrutura organizacional da comunidade.
 
O presente artigo discute a adoção de cotas como forma de política de ação afirmativa com vistas a reverter tendências históricas que legaram aos negros brasileiros duras situações de desvantagem. Mais precisamente, defende a adoção de cotas para o acesso de homens e mulheres afrodescendentes ao ensino superior e aos meios de comunicação. Defende ainda que essas medidas, aplicadas segundo uma perspectiva de curto prazo, deverão, no entanto, vir acompanhadas de políticas públicas mais especificamente focalizadas no combate às causas estruturais da discriminação racial, para que, articulando-se curto e longo prazos, possam assegurar uma efetiva e duradoura igualdade de oportunidades em relação aos setores hoje racialmente dominantes.
 
A formação de professores para a educação inclusiva implica o domínio de conhecimentos para atuar em diferentes situações escolares capazes de atender à diversidade humana. A classe hospitalar, modalidade de ensino da educação especial, presta atendimento pedagógico a crianças e adolescentes que se encontram hospitalizados. Este artigo tem como objetivo relatar a experiência de um trabalho desenvolvido no Estágio Supervisionado II, por meio de uma ação pedagógica em classe hospitalar, no Setor de Pediatria do Hospital Universitário de Brasília, durante três semestres consecutivos, no período de agosto de 2000 a abril de 2002.
 
O artigo se insere no campo temático da Educação de Jovens e Adultos, seus objetivos são: apresentar as peculiaridades de um programa municipal desenvolvido na cidade de Esteio/RS, o Programa Ação Integrada Adultos; identificar as características da escola e da turma que embasaram a investigação e refletir sobre as histórias de vida e perspectivas dos sujeitos de pesquisa. A metodologia constituiu-se da análise dos documentos referentes ao Programa, observações das práticas pedagógicas e atividades escolares e realização de entrevistas semi-estruturadas. Pretende-se contribuir para o aprofundamento das discussões sobre diferentes modalidades de EJA refletindo, a partir desse estudo de caso, sobre suas possibilidades, limites e contradições.
 
Resumo Uma investigação em turmas de 5º e 6º anos do ensino fundamental de uma escola pública municipal de Juiz de Fora (MG), orientada segundo princípios da Sociolinguística e desenvolvida como pesquisa-ação, demons-trou ser possível levar os alunos a construírem reflexão adequada sobre a heterogeneidade linguística, fator que os predispõe a se interessarem por adquirir os estilos monitorados de oralidade e escrita de sua língua materna. Tomando como referência a proposta de Bortoni-Ricardo (2004) de compreender a ecologia do português brasileiro como um contínuo rural-urbano, foi possível levá-los a reconhecer a diferença linguística como fenômeno natural, através de análise contrastiva, fundamentada nas suas próprias experiências com amostras de fala das três variedades desse contínuo. Mirando-se no sentido do contínuo, começam a reconhecer o papel da escola e do trabalho com a linguagem como instrumento positivo na ampliação de sua competência linguística.
 
A pesquisa-ação considera o sujeito como “o ator da contextualização” (Xia, 2006). Durante o processo da pesquisa, com membros de um grupo de leitura e estudo da pós-graduação na Beijing Normal University, realizei entrevistas, análise documental e bibliográfica e amadureci, gradativamente, de uma pesquisadora descontextualizada para uma pesquisadora-atora, capaz de visualizar a contextualização, além de interpretar, paulatinamente, o sujeito e os problemas educacionais como partes de uma interação recíproca do indivíduo com o seu contexto histórico, político, econômico, cultural e socialmente institucionalizado. No tratamento de objetividade, a pesquisa-ação em educação consiste em reestruturação da filosofia da pesquisa.
 
El artículo expone la estrecha relación entre la formación profesional y el logro del objetivo de un trabajo decente y productivo. Al efecto acoge un marco de referencia que incluye a los Objetivos de Desarrollo del Milenio e instrumentos de la OIT entre los cuales están las conclusiones de la Conferencia Internacional del Trabajo (2000) sobre el desarrollo de los recursos humanos y el Pacto Mundial para el Empleo (2009). Analiza el papel clave de la formación para el mejoramiento de las competencias laborales y el rol de las instituciones de formación profesional de la región latinoamericana y del Caribe con su impronta predominante de ser escenarios de dialogo social. Finalmente presenta la red y objetivos de OIT/ Cinterfor, destaca el compromiso de las instituciones miembros expresado en la Carta de Brasilia en 2009 junto con en el apoyo a la estrategia de formación solicitada a la OIT por el G20 y expone brevemente los rasgos característicos de la formación profesional en la región.
 
Na discussão atual sobre processos de mudança e inovação, a nível curricular e pedagógico, há referências constantes a palavras-chave – por exemplo, qualidade, eficácia e eficiência – que definem não só práticas escolares, bem como políticas transnacionais e supranacionais de partilha de conhecimento, com efeitos no modo como a avaliação das aprendizagens é concetualizada e realizada. Depois de uma discussão sobre políticas de accountability, que conduzem a práticas de performatividade nas escolas, ritual que é suportado cada vez mais pelos organismos transnacionais, por exemplo, através do conceito personalização da aprendizagem e da abordagem por competências globais, analisamos a avaliação das aprendizagens, nos ensinos básico e secundário, em Portugal, cujas práticas “deveriam ser” inovadoras em função do perfil de competências do aluno e das aprendizagens essenciais.
 
Na discussão atual sobre processos de mudança e inovação, a nível curricular e pedagógico, há referências constantes a "palavras-chave“ por exemplo, qualidade, eficácia e eficiência ”“ que definem não só práticas escolares, bem como políticas transnacionais e supranacionais de partilha de conhecimento, com efeitos no modo como a avaliação das aprendizagens é concetualizada e realizada. Depois de uma discussão sobre políticas de accountability, que conduzem a práticas de performatividade nas escolas, ritual que é suportado cada vez mais pelos organismos transnacionais, por exemplo, através do conceito personalização da aprendizagem e da abordagem por competências globais, analisamos a avaliação das aprendizagens, nos ensinos básico e secundário, em Portugal, cujas práticas “deveriam ser” inovadoras em função do perfil de competências do aluno e das aprendizagens essenciais.
 
Este artigo propôs-se a analisar a aceitação ou a rejeição da educação musical na escola regular por alunos, professores, direção e comunidade. Tendo em vista a importância do ensino da música na escola, embora esteja havendo seu gradativo desaparecimento, analisa-se a sua aceitação ou rejeição, levando-se em conta os dados de pesquisas realizadas no município do Rio de Janeiro nas décadas de 80 e 90. Os resultados apontaram que a disciplina na escola regular é rejeitada por ser considerada como complementar, supérflua, "ornamental" e isolada do resto do currículo, enquanto a aceitação é razoável nas quatro primeiras séries, pois todos a consideram como "uma brincadeira". Outros aspectos tais como causas da rejeição, referentes à metodologia usada e ao "barulho" produzido na aula de música são também estudados nesta pesquisa.
 
A pesquisa não é complicada. Esta é a idéia principal deste texto. O essencial em pesquisa é saber delimitar um bom problema e inscrevê-lo num quadro de referência bem elaborado. O que vem em seguida é principalmente de natureza técnica. Nesta perspectiva, o pesquisador iniciante deveria desconfiar das complicações supérfluas, dos modismos metodológicos, dos jargões esotéricos de certos pesquisadores, dos debates obscuros entre os ditos teóricos da pesquisa. Eis também o que este texto pretende relembrar.
 
Este artigo apresenta resultados parciais de projeto de pesquisa intitulado Os experts e a aritmética para ensinar nos primeiros anos escolares, São Paulo (1961-1996). Abordar o saber profissional do professor que ensina matemática é o tema desse projeto, que busca tornar inteligível o papel de experts na sistematização de uma aritmética para ensinar. Este texto traz as primeiras análises da produção de Lydia Lamparelli, constituída como expert, a partir de referências bibliográficas tomadas para este estudo. Os primeiros resultados revelam possibilidades que acervos pessoais podem dar à caracterização do saber profissional do professor que ensina matemática.
 
Uma experiência de trabalho pedagógico é utilizada para descrição da construção de acessibilidade em Ambiente Virtual de Aprendizagem-AVA para pessoas com deficiência visual. Três aspectos são priorizados: descrição textual das imagens e tabelas; organização das informações; configuração específica do editor de textos do MOODLE para utilização de softwares leitores de tela. Concluímos indicando que o valor da experiência educacional, tanto em seu aspecto inclusivo quanto no uso de tecnologias na educação, está nos desafios que nos permitiram fazer avançar nossa compreensão sobre a relação sujeito/ensino-aprendizagem/conhecimento em novas formas de vivências educacionais.
 
Values understood to be fundamentally important across Pacific groups are central to New Zealand education policy focussed on enhancing school learning of Pasifika students. To explore teacher perceptions of three of these values (respect, service, leadership), interviews with primary and secondary teachers were collected and analysed and their lessons observed. Findings indicate policy implementation is challenged by a lack of deep understanding of Pasifika values amongst many teachers. Implications include that extensive professional development and urgent recruitment of teachers and school leaders with strong knowledge of Pasifika communities are needed to improve achievement opportunities for Pasifika learners and facilitate policy implementation.
 
Esta reflexão esclarece que as dificuldades de aprendizagem ou dislexias podem ser amenizadas quando mediadas pela tecnologia em ambientes virtuais. A dificuldade que, muitas vezes, alunos e professores têm para se auto-organizarem no tempo/espaço do conhecimento, resgatarem sua autonomia, superarem-se, precisa ser vista como desafio, visto que a ciência, por meio das teorias da enação, da auto-organização e da complexidade, ao interpretar o sujeito como co-participante da natureza, já o incluiu, e, com isso, vem contribuindo na superação do problema. Sobretudo, as pesquisas da neurociência têm demonstrado que a cognição está envolvida na consciência e no mundo das experiências, simultaneamente. Essa constatação sugere que problemas marcadamente biológicos interferem tanto no aspecto psíquico quanto no aspecto cósmico, através das relações planetárias que os indivíduos estabelecem mutuamente.
 
Na cerimônia em que a Universidade de Brasília me outorgou o título de Professor Emérito em 06 de abril de 2010 compartilhei, com os que me honravam com sua presença, algumas das experiências que marcaram minha vida acadêmica. Tratei do que não consta explicitamente de meu currículo Lattes; abordei, por assim dizer, os bastidores da letra desse currículo. Mais tarde alguns colegas me instaram a ampliar o texto que li naquela ocasião, alargando o horizonte de minhas experiências e desafios acadêmicos e conectando-os à literatura que, na época, tivesse sido pertinente. O presente texto é produto da ampliação a que fui instado.
 
O artigo desenvolve a categoria Cultura do Reconhecimento como aporte teórico para analisar as transformações produzidas pelas ações afirmativas nas universidades brasileiras. Realizaram-se revisão bibliográfica e observações participantes na UFRGS. O trabalho se apoia na noção de habitus de Pierre Bourdieu, na teoria do reconhecimento de Axel Honneth e na produção de Nancy Fraser acerca da paridade participativa. As ações afirmativas podem promover uma cultura do reconhecimento nas instituições? Conclui-se que foram dados os primeiros passos para a materialização da cultura do reconhecimento e, por outro lado, propõe-se um conjunto de ações para desenvolvê-la de forma mais plena.
 
O estudo considerou como participantes seis crianças acolhidas institucionalmente em uma cidade da região metropolitana de São Paulo. Foram investigadas as perspectivas sobre a família de origem de crianças que mantêm vínculos com as mesmas. Uma abordagem de inspiração etnográfica foi utilizada em combinação com outros métodos, como fotografias e conversas subsequentes conduzidas com as crianças. A pesquisa mostra que crianças elaboram dinâmicas familiares alternativas, diferentes daquelas consideradas como padrão. As políticas sociais atuais nesta área têm falhado, sobretudo quando as famílias são consideradas culpadas pela situação de vulnerabilidade em que se encontram.
 
Este estudo problematiza o estatuto de vida que constitui os sujeitos que se encontram sob a proteção social. Sob a perspectiva da biopolítica, esta pesquisa foi realizada em uma entidade de acolhimento institucional, na cidade de Fortaleza-CE, com jovens entre 17 e 20 anos e com experiência de institucionalização prolongada. A prática de acolhimento institucional engendra condições de inclusão/exclusão que permitem aos/as jovens ultrapassar as experiências e os limites institucionais. Confirma o sentido biopolítico dos saberes e das práticas vivenciadas pelos jovens acolhidos; subjetividades marcadas por sujeição institucional e por dificuldade de exercício de liberdade.
 
Este artigo descreve o processo de transformação de uma organização educacional que oferece consultoria para a inclusão de estudantes com transtornos do espectro do autismo. Ele relata as perspectivas dos consultores que contribuíram para criar e implementar as mudanças e as dos professores que receberam as orientações. Um modelo tradicional de consultoria transformou-se em um modelo empoderador e teve como objetivo promover a capacidade do professor e encorajar inovações. Resultados deste estudo sugerem que mudanças na prática pedagógica conduziram a uma melhoria no atendimento da criança/jovem com autismo e que tanto os participantes quanto os consultores tornaram-se empoderados.
 
Top-cited authors
Marcia DENISE Pletsch
  • Federal Rural University of Rio de Janeiro
Silvia Aguiar Isaia
  • Universidade Franciscana - UFN
Juliane Noack Napoles
  • Brandenburg University of Technology Cottbus - Senftenberg
Lucília Machado
  • Federal University of Minas Gerais
Afrânio Mendes Catani
  • University of São Paulo