Are you Bernardes Régis Augusto de Lima Carvalho?

Claim your profile

Publications (2)0.56 Total impact

  • Source
    [Show abstract] [Hide abstract]
    ABSTRACT: Este experimento foi conduzido com o objetivo de estudar os parâmetros relativos ao consumo de alimentos, ganho de peso, conversão alimentar e eficiência energética de novilhos de corte em confinamento, alimentados com quatro dietas contendo silagem de híbridos de sorgo de comportamento agronômico diferenciado: AGX-213 e AG-2002 (forrageiro), AGX-217 e AG-2005E (duplo propósito). Foram utilizados 48 novilhos com idade média de 19 meses e peso médio inicial de 316 kg. A relação volumoso:concentrado foi de 63:37, para todas as dietas testadas. Não houve interação entre fonte de volumoso e período de avaliação em confinamento. A silagem do híbrido AG-2005E propiciou maior consumo de matéria seca e energia digestível, ganho de peso médio diário e melhor conversão alimentar frente aos demais genótipos testados. A análise de contraste mostrou que a inclusão de silagens de sorgo forrageiro (AGX-213 e AG-2002) à dieta alimentar causou redução significativa de 8,84 e 12,11% no consumo voluntário de matéria seca e energia digestível, respectivamente, frente às silagens de sorgo de duplo propósito (AGX-217 e AG-2005E). Animais alimentados com silagem de sorgo com características de duplo propósito apresentaram maior ganho de peso médio diário (1,163 contra 0,943 kg) e foram mais eficientes na transformação de matéria seca e energia digestível consumida em ganho de peso vivo (PV) (7,65 contra 8,73 kg de MS/kg de PV e 19,76 contra 21,84 Mcal/kg de PV).
    Revista Brasileira de Zootecnia 01/2001; · 0.56 Impact Factor
  • Source
    [Show abstract] [Hide abstract]
    ABSTRACT: Foi avaliado o desempenho de vacas Charolês (C) e Nelore (N), agrupadas em três classes de idade, jovens (3 e 4 anos), adultas (5 a 7 anos) e velhas (8 ou mais anos), desmamadas aos três (precoce) ou sete meses no outono (tradicional). O peso no outono das vacas desterneiradas aos três meses (T3) foi 45 kg superior ao das vacas com remoção do bezerro aos sete meses (T7). O estado corporal aos sete meses também foi melhor nas vacas do T3 (3,3 contra 2,1 pontos). Vacas do T3 apresentaram maior ganho de peso do parto ao final do período reprodutivo e apresentaram maiores porcentagem de cio (81 contra 51%) e prenhez (67,2 contra 37,3%) e menor intervalo do parto ao primeiro cio pós-parto (102 contra 114 dias) que vacas do T7. Vacas adultas apresentaram melhor estado corporal aos sete meses e tiveram melhor desempenho reprodutivo do que vacas velhas e jovens. A diferença na porcentagem de prenhez entre o T3 e T7 foi mais evidente nas vacas jovens (42,11 contra 12,5%) e velhas (51,72 contra 35,71%) que nas adultas (62,50 contra 53,33%). Vacas C foram mais pesadas que as N, ao parto, aos três e sete meses pós-parto e apresentaram melhor estado corporal aos sete meses. O efeito do desmame precoce no desempenho reprodutivo foi mais evidente nas vacas C. A porcentagem de fêmeas prenhes nas C foi de 80,60% para o T3 e 41,90% para o T7, já nas N as porcentagens foram de 45,50 e 30,00%, respectivamente, para o T3 e T7. Nas vacas C, a produção de leite e a amamentação apresentaram efeito inibidor, sobre a reprodução, mais marcante que nas vacas N.
    Revista Brasileira de Zootecnia. 01/2001;