Article

Lista atualizada das Orchidaceae do Distrito Federal

Acta Botanica Brasilica 01/2003; DOI: 10.1590/S0102-33062003000200003
Source: DOAJ

ABSTRACT É apresentada a relação atualizada de Orchidaceae para o Distrito Federal (DF), a unidade da federação onde se situa a capital brasileira, localizada no centro do país. São reconhecidos 72 gêneros e 254 táxons (246 espécies e oito táxons subespecíficos), dos quais 17 (6,7%) são conhecidos apenas localmente. Os gêneros mais significativos no DF são Habenaria (74 espécies e três táxons subespecíficos), Cyrtopodium (17 espécies), Cleistes (13 espécies) e a subtribo Spiranthinae (11 gêneros com 34 espécies e dois táxons subespecíficos). Gêneros como Epidendrum (oito espécies), Pleurothallis (sete espécies), Oncidium (seis espécies) e Maxillaria (três espécies) são abundantes na Mata Atlântica no sudeste brasileiro, mas pouco representados na região. Cerca de 73% das Orchidaceae do DF apresentam hábito terrestre, o que contrasta marcadamente com a Mata Atlântica e a região Amazônica, onde predominam espécies epifíticas. Dentro do Cerrado, o DF representa o local mais bem amostrado e com o maior número de espécies conhecidas, compreendendo cerca de 51% das orquídeas listadas para todo o bioma. Esta relação tem como objetivo subsidiar a monografia desta família para a flora do Distrito Federal.

0 Bookmarks
 · 
89 Views
  • Source
    [Show abstract] [Hide abstract]
    ABSTRACT: Habenaria is a large genus of terrestrial orchids distributed throughout the tropical and subtropical regions of the world. The integrity and monophyly of this genus have been under discussion for many years, and at one time or another, several genera have been either included in a broadly defined Habenaria or segregated from it. In this study, the phylogenetic relationships of the Neotropical members of the genus and selected groups of African Habenaria were investigated using DNA sequences from the nuclear internal transcribed spacer (ITS) region and the plastid matK gene sampled from 151 taxa of Habenaria from the Neotropics (ca. 51% of the total) as well as 20 species of Habenaria and Bonatea from the Old World. Bayesian and parsimony trees were congruent with each other, and in all analyses, the Neotropical species formed a highly supported group. African species of Habenaria in sections Dolichostachyae, Podandria, Diphyllae, Ceratopetalae and Bilabrellae, and the Neotropical clade formed a highly supported "core Habenaria clade", which includes the type species of the genus from the New World. The topology of the trees indicates an African origin for the Neotropical clade and the low sequence divergence among the Neotropical species suggests a recent radiation of the genus in the New World. Species of Bonatea and Habenaria sections Chlorinae and Multipartitae formed a well-supported clade that was sister to the "core Habenaria clade". The Neotropical clade consists of at least 21 well-supported subgroups, but all Neotropical sections of the current sectional classification are paraphyletic or polyphyletic and will need extensive revision and recircumscription. Most of the Neotropical subgroups formed morphologically uniform assemblage of species, but some cases of morphological divergence within subgroups and convergence between subgroups indicated that morphology alone can be misleading for inferring relationships within the genus. The genera Bertauxia, Kusibabella and Habenella, segregated from New World Habenaria, are not monophyletic and a revision of the sectional classification rather than a generic division seems most appropriate. Our results do not support an extensive generic fragmentation of Habenaria as previously suggested and will provide a framework for revising the infrageneric classification and investigating the patterns of morphological evolution and geographical distribution of the genus in the New World.
    Molecular Phylogenetics and Evolution 04/2013; · 4.07 Impact Factor
  • [Show abstract] [Hide abstract]
    ABSTRACT: Cyrtopodium macedoi, uma nova espécie (Orchidaceae, Cymbidieae, Cyrtopodiinae) do Cerrado do Brasil central, é descrito e ilustrado. A espécie foi coletada pela primeira vez em 1951, mas identificada erroneamente como C. vernum. A principal característica distintiva da espécie é a base e a região da corola entre os lobos laterais do labelo fortemente deflexa, quase paralela ao lobo mediano. A espécie parece ser rara e até o momento, conhecida de apenas duas localidades na região do Triângulo Mineiro, no oeste estado de Minas Gerais, no sudeste do Brasil.
    Novon A Journal for Botanical Nomenclature 09/2009; · 0.30 Impact Factor
  • [Show abstract] [Hide abstract]
    ABSTRACT: É apresentada uma sinopse para o gênero Habenaria no Novo Mundo em duas partes. São apresentados o status taxonômico, dados do tipo, distribuição geográfica e comentários taxonômicos para cada espécie. Um total de 672 nomes foram usados para o gênero no Novo Mundo, dos quais 298 são aceitos. 235 nomes são sinonimos no gênero enquanto 133 pertencem a outros gêneros, principalmente Platanthera. Ao menos 22 das espécies aceitas são pouco conhecidas ou obscuras. São propostas 107 lectotipificações, uma nova combinação e 44 novos sinônimos. O Brasil, com 167 táxons, tem o maior número de espécies, seguido do México, com 72 espécies e da Venezuela com 44. Brasil (105 spp.) e México (53 spp.) também tem o maior número de espécies endêmicas. Outros possíveis centros de endemismos sao a Bolivia e Costa Rica. 205 espécies são restritas a um único pais, mas endêmicas restritas são poucas. Nenhuma espécie do Novo Mundo ocorre em outro continente. A primeira parte da sinopse listas as espécies no intervalo A—L.
    Harvard Papers in Botany 08/2011;

Full-text (2 Sources)

View
19 Downloads
Available from
May 28, 2014