Article

Viabilidade de sementes de acerola (Malpighia emarginata DC): avaliação da vitalidade dos tecidos

Revista Brasileira de Fruticultura 01/2003; DOI: 10.1590/S0100-29452003000300043
Source: DOAJ

ABSTRACT A morfologia interna e a viabilidade de sementes de acerola (Malpighia emarginata DC.) foram estudadas utilizando-se o tetrazólio (cloreto de 2, 3, 5 trifenil tetrazólio). Dos clones testados, o Flórida Sweet foi o que apresentou a menor percentagem de sementes com embriões normais (10%) como também em reação às sementes sem embriões (8%) e o maior percentagem de sementes com embriões deformados (81%). O clone 07-OS apresentou maior percentagem de sementes com embriões normais (51%) e um número considerado elevado de sementes sem embriões (34%). Os demais clones apresentaram valores intermediários. Para todos os clones avaliados, as sementes com embriões normais apresentaram 100% de embriões viáveis. Essas sementes submetidas ao teste de tetrazólio por um período de 12 horas, apresentaram-se com uma coloração vermelha intensa, considerada ideal para a avaliação positiva da viabilidade das sementes. Estes resultados não podem, entretanto, ser tomados para prognóstico e o cálculo da taxa de germinação e dormência, apenas indicando que as sementes estão vivas.

0 Bookmarks
 · 
118 Views
  • Source
    [Show abstract] [Hide abstract]
    ABSTRACT: Malpighia emarginata Sessé & Mociño ex DC. or West Indian cherry (acerola) is a wild plant originated in southern Mexico, Central America and the northern region of South America. The species was introduced to Brazil about 60 years ago and now the country is the world's biggest producer. Even though the fruits of acerola have high commercial value, as they are an important source of the natural vitamin C, very little chromosome information is available for this species. Previous studies showed that most Malpighia species are diploids, including M. emarginata with 2n = 20. In the present paper, the chromosome number of acerola was confirmed, and for the first time, its karyotype was described, providing the identification of the homologues for the ideogram construction. The acerola chromosomes are small (1.71 to 2.56 µm) and metacentric with the exception of chromosome 2 that is classified as submetacentric. In addition, it is recommended a protocol to produce rooted-plantlets in vitro for mitotic studies that could be also used for micropropagation of acerola.
    Revista Brasileira de Fruticultura 01/2010; 32(2). · 0.30 Impact Factor

Full-text

Download
0 Downloads
Available from